Uso de tecnologias no âmbito familiar é tema de fórum em Westfáia

Município: Westfália

Cerca de 200 pais participaram da atividade, ocorrida no dia 25 de agosto CRÉDITO: PALOMA DRIEMEYER VALANDRO/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Cerca de 200 pais participaram da atividade, ocorrida no dia 25 de agosto CRÉDITO: PALOMA DRIEMEYER VALANDRO/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Com o propósito de promover a reflexão sobre o uso correto das ferramentas e disseminar o debate sobre o avanço da tecnologia e como isso impacta no âmbito familiar, foi realizada, na manhã de 25 de agosto, na Associação Cultural e Esportiva Fluminense, mais uma edição do Fórum da Família de Westfália. Voltada às famílias westfalianas, a programação teve início com apresentações musicais dos estudantes das quatro escolas da rede municipal de ensino: Escola Municipal de Ensino Fundamental (Emef) Rio Branco, de Linha Paissandu, com a canção Que abraço bom você tem; Emef Olavo Bilac, de Linha Berlim, com a canção Filhote de filhote; Emef Bandeirantes, de Linha Frank, com a canção Pano encantado; e Emef Vila Schmidt, do Centro, com a canção Para ser feliz.
Após, o prefeito  Otávio Landmeier fez a abertura oficial do Fórum da Família de 2018. “Debater o uso da tecnologia nas famílias é de suma importância, uma vez que não moderar o seu uso pode gerar impactos negativos. Que possamos aproveitar o conteúdo desta palestra e aplicá-lo em nossas residências”, enalteceu o chefe do poder Executivo.
Como ponto alto do Fórum da Família, o pediatra Sérgio Luiz Kniphoff proferiu palestra sobre o tema O impacto da tecnologia nas famílias. Inicialmente, o médico destacou a influência do ambiente familiar na rotina dos filhos. “Na correria do dia a dia, acabamos, algumas vezes, não tomando conta de pessoas que são importantes para nós. E, convenhamos, não há ninguém mais importante na nossa vida do que nossos filhos. Se eles têm toda essa importância, o que estamos fazendo para cuidar adequadamente deles?”, questionou Kniphoff.
Ainda antes de abordar o impacto da tecnologia nas famílias, o palestrante falou sobre a responsabilidade de educar os filhos. Para ele, esse é um compromisso do pai e da mãe, e não da escola. “A escola é uma instituição em que as crianças aprendem a conviver umas com as outras, a respeitar uns aos outros, e que ensina conteúdo. No entanto, não ensina como ser homem e mulher no valor da palavra que tem a ver com família. A educação básica é a educação da família, do pai e da mãe, e não da escola”, ponderou o médico pediatra.
Conforme Kniphoff, a vida foi mudando e se tornando mais moderna. A tecnologia, por sua vez, acabou dominando as famílias. Nesse sentido, o pediatra solicitou que a comunidade reflita como os celulares, por exemplo, estão sendo utilizados pelas pessoas. “Deixamos de ter um espaço de convivência, do olho no olho. Assim, estamos perdendo a capacidade de nos comunicarmos uns com os outros”, salientou, pedindo que as crianças não tenham acesso precoce aos celulares.
Kniphoff ainda sugeriu que não se use o celular na frente dos filhos. Segundo ele, os pais são os maiores exemplos às crianças. Reféns do telefone, as pessoas estão cada vez mais impacientes, e os filhos necessitam de pais com paciência. “Temos que ter o tempo de esperar, o tempo de brincar, o tempo de dizer, o tempo de abraçar, o tempo de beijar. Temos que criar tempo para amar. A felicidade está muito mais perto da gente do que imaginamos”, observou o palestrante.
No âmbito familiar, o médico pediatra sugeriu algumas medidas emergenciais quanto ao uso das tecnologias. “Pais: tenham o cuidado de ser exemplo. Não levem o celular para o quarto de vocês. Criem, nas suas casas, um estacionamento de celulares. Estabeleçam horários, para vocês e para seus filhos. Criem regras para o uso de celular e computador nas suas casas. As escreva e as deixem à vista”, sugeriu, ressaltando, ainda, que, no âmbito da pesquisa, os celulares e computadores são importantes.
Kniphoff reforçou que a tecnologia veio para ajudar na pesquisa e na formação dos filhos. “Nesse sentido, é importante que tenham o controle sobre a tecnologia e imponham limites. Os pais precisam dar o melhor exemplo”, completou. Kniphoff também respondeu questionamentos da comunidade escolar e parabenizou a organização pela iniciativa em promover o debate sobre um dos assuntos que hoje está mais presente nas famílias.
O Fórum da Família foi promovido pelo departamento municipal de Assistência Social (Dmas) e pelo Centro de Referência de Assistência Social (Cras), em parceria com a secretaria de Educação, Cultura, Turismo e Desporto (Smec). Realizado anualmente, o Fórum da Família teve seu início no ano de 2009. A atividade tem como propósito apresentar temas diferentes e diversificados, mas, ao mesmo tempo, voltados principalmente ao tema central, que é a família.