Professores de Sapucaia do Sul conhecem área de preservação na Praça do CEU

Município: Sapucaia do Sul

Objetivo foi mostrar a importância da preservação das coberturas vegetais dentro da área urbana CRÉDITO: VIRGÍNIA DO ERRE/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Objetivo foi mostrar a importância da preservação das coberturas vegetais dentro da área urbana CRÉDITO: VIRGÍNIA DO ERRE/DIVULGAÇÃO/CIDADES

A tarde de 12 de setembro foi diferente para um grupo de professores da rede municipal de ensino de Sapucaia do Sul. Os educadores conheceram de perto a Área de Preservação Permanente (APP) existente junto à Praça do CEU (Centro de Arte e Esporte Unificado). Os professores fazem parte do projeto Coletivo Educador que trabalha a educação ambiental nas escolas da rede. O projeto é desenvolvido pela prefeitura, através da secretaria municipal de Meio Ambiente e de Educação, além da Fundação Zoobotânica.
O objetivo da ação foi mostrar a importância da preservação das coberturas vegetais dentro da área urbana das cidades. Assim como os alunos, eles conheceram a biodiversidade desta área, além de aprenderem sobre armazenamento de água por infiltração e conhecerem os trabalhos desenvolvidos na cidade que dizem respeito ao Programa de Ações do Plano de Bacia do Rio dos Sinos.
Visitando a área pela primeira vez, a professora Janine Stertz, da escola Júlio Ströher, fala da importância desta atividade. “Os estudantes ficam entusiasmados quando fazem esta trilha, e conhecê-la de perto é muito gratificante. É importante os estudantes terem acesso a este espaço tão rico”, disse. A professora Enides Ferrante, da escola Francisco Greiss, disse que os estudantes ficam fascinados por não terem percebido o espaço em meio à área urbana. “É um refúgio natural em meio ao concreto que deve ser preservado”, ressaltou.
As trilhas urbanas têm o objetivo de estimular nas crianças e nos jovens a consciência ambiental para a importância da preservação das áreas de mata que ficam na zona urbana, além de chamar a atenção para a necessidade da cobertura vegetal na cidade e a biodiversidade. As trilhas acontecem ao longo de todo o ano, com estudantes das escolas municipais e estaduais. Durante cerca de meia hora, e utilizando binóculos, eles observam a vegetação, além das quatro nascentes e dois córregos que passam pelo local que contemplam uma área de 15 mil metros quadrados.