Energias alternativas são trabalhadas em Dia de Campo em Santo Antônio do Planalto

Município: Santo Antônio do Planalto

Atividade ocorreu no dia 6 de julho, na propriedade da família de Marino Orlando Horz, e reuniu mais de 130 pessoas CRÉDITO: VANESSA ALMEIDA DE MORAES/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Atividade ocorreu no dia 6 de julho, na propriedade da família de Marino Orlando Horz, e reuniu mais de 130 pessoas CRÉDITO: VANESSA ALMEIDA DE MORAES/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Opções de energias alternativas que podem ser implementadas nas propriedades rurais foram apresentadas no Dia de Campo realizado na última quinta-feira, dia 6 de julho, na propriedade da família de Marino Orlando Horz, no município de Santo Antônio do Planalto. Secagem e armazenagem de grãos, por meio do silo secador, energia fotovoltaica e aquecedor solar foram os temas apresentados. Uma estação sobre sucessão familiar também fez parte do evento organizado pela Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater) e prefeitura, que reuniu mais de 130 pessoas.
Na estação sobre secagem e armazenagem de grãos, por meio do silo secador, o técnico em agropecuária da Emater Idanir Bianchetti falou sobre a construção, viabilidade e vantagens dessa tecnologia. O produtor Marino Horz tem o silo secador na sua propriedade desde 2010 e disse estar satisfeito com a tecnologia, em especial por evitar custos de transporte e por garantir a qualidade dos grãos. O técnico Bianchetti explicou que se trata de uma tecnologia de baixo custo e grandes vantagens para o produtor. Na propriedade, há um silo para 500 sacos de milho.
Outra tecnologia existente na propriedade e assunto de uma estação foi o aquecedor solar, com o objetivo de aquecimento de água para uso na limpeza dos equipamentos de ordenha. Há três anos, o produtor instalou o sistema e garante que refletiu na qualidade do leite. Na estação, o engenheiro agrônomo da Emater Vilmar Wruch Leitzke ressaltou a importância da água quente para a limpeza diária dos equipamentos. “Se errar na temperatura da água, altera a eficiência dos detergentes. Se os equipamentos de ordenha não forem adequadamente higienizados, as outras medidas de higiene serão ineficientes”, ressaltou. Na mesma estação, estiveram expondo equipamento os representantes da Água & Luz, de Carazinho.
A outra opção apresentada no Dia de Campo foi energia fotovoltaica, cuja fonte é a energia solar. O engenheiro agrônomo da Emater Maurício Dall Acqua falou sobre os benefícios econômicos, ambientais e sociais, como minimizar as quedas de energia, aliviar o sistema elétrico e diminuir os gastos que os agricultores têm com energia elétrica, além de ser uma fonte natural de energia. Segundo Dall Acqua, o sistema de energia fotovoltaica pode ser financiado pelo Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), em uma linha denominada Pronaf ECO. Os interessados na instalação do sistema de energia fotovoltaica podem fazer uma simulação nos escritórios municipais da Emater. A partir dos dados de consumo da conta de energia elétrica, é possível ter a noção do tamanho de placas necessárias para cada propriedade. O representante da Conectar Energia Solar, de Passo Fundo, participou dessa estação.
Exemplo de sucessão familiar foi tema de estação
Outro tema que vem sendo trabalhado intensamente pela instituição é a sucessão familiar na agricultura. Diante disso, foi feita uma estação específica para abordar o tema, com a presença da assistente técnica regional da Emater de Passo Fundo, Doriana Gozzi Miotto; da família de Ismar Schneider; e da jovem Gabriela Surkamp, integrante do Grupo Jovens do Campo, de Santo Antônio do Planalto.
Ismar Schneider, sua esposa Maria de Lurdes e seu filho Gabriel falaram sobre a experiência da família, que tem mais dois filhos e todos estão na propriedade de 48 hectares, que tem no leite sua principal atividade econômica. Segundo eles, diálogo, incentivo à permanência e divisão da renda sempre estiveram presentes na família e, assim, a sucessão está acontecendo naturalmente.
Outro exemplo positivo foi da integrante do Grupo Jovens do Campo, do município de Santo Antônio do Planalto. O grupo existe há dois anos, tendo se iniciado com 15 jovens, e hoje conta com mais de 50. “Nós fizemos muitas amizades desde que o grupo se iniciou. Agora, abrimos para os jovens da cidade também, para eles conhecerem o interior. Participamos de eventos, temos metas e organizamos viagens. No início do ano, fomos conhecer a serra gaúcha, seus pontos turísticos e, principalmente, as agroindústrias familiares”, conta Gabriela. O grupo faz parte do Projeto Socioassistencial desenvolvido pela Emater e conta com a parceria da prefeitura, do Sindicato dos Trabalhadores Rurais, da Sicredi, da Cotrijal, do Banrisul e de Ross.
Para o gerente regional da Emater de Passo Fundo, Oriberto Adami, eventos como esse, voltados ao técnico, visando agregar conhecimento, é o foco da instituição. “A sucessão se constrói juntos, temos que somar esforços para que as famílias tenham condições de se manter no campo com renda e qualidade de vida. Estamos satisfeitos com esse evento. Os resultados da Extensão Rural não são imediatos, é uma forma de educação, de transferência de informações e conhecimento, que às vezes leva anos para que haja a mudança”, disse.
O prefeito de Santo Antônio do Planalto, Elio Gilberto Luz de Freitas, destacou a parceria entre a prefeitura e a Emater. “É gratificante ao poder público saber que estamos incentivando as famílias a ficar no campo. As propriedades precisam ser consideradas como empresa”, avaliou. Para Leomar Formigheri da Silva e seu filho Maxwell Antenor da Silva, agricultores do município de Ernestina, o Dia de Campo foi muito bom. “Foram temas muito importantes para agricultura. Eu estava precisando informações sobre aquecimento solar e vou levar para a propriedade”, disse Leomar. Para Maxwell, o que mais chamou a atenção foi a limpeza dos equipamentos de ordenha e a secagem e armazenagem de grãos.