Pesquisas com chia, milho e soja são apresentadas em evento em Santo Ângelo

Município: Santo Ângelo

Vitrine Tecnológica da Agronomia expôs pesquisas realizadas pelos estudantes e professores da URI CRÉDITO: URI SANTO ÂNGELO/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Vitrine Tecnológica da Agronomia expôs pesquisas realizadas pelos estudantes e professores da URI CRÉDITO: URI SANTO ÂNGELO/DIVULGAÇÃO/CIDADES

A 1ª edição da Vitrine Tecnológica da Agronomia foi realizada no último sábado, dia 25, na Área Experimental Agronômica da Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões (URI) Santo Ângelo. O evento expôs algumas das pesquisas realizadas pelos estudantes e professores do curso na universidade. Experimentos com milho, soja e chia, além das análises de dados coletados na estação meteorológica, foram apresentados para estudantes, técnicos, agricultores e agrônomos da cidade e região.
Para o diretor-geral da URI Santo Ângelo, professor Gilberto Pacheco, a universidade está investindo fortemente na estruturação do curso. “Buscamos transformar o ensino em sala de aula. Trabalhamos muito com a inovação, buscando a melhor qualificação dos nossos estudantes”, afirma. Conforme relata a coordenadora do curso, professora Giselda Aparecida Ghisleni, as pesquisas foram realizadas ao longo de 2016 na área experimental da Agronomia. “É o primeiro ano do curso, e já temos resultados com diversas cultivares. É importante que os alunos possam ver na prática os conceitos apreendidos em sala de aula”, destaca. Os trabalhos foram produzidos pelos acadêmicos e pelo Grupo de Pesquisa em Agricultura na Região das Missões.
Foram expostos trabalhos produzidos a partir da Estação Meteorológica do curso. Conforme relata o professor Mário Santos Nunes, o equipamento possibilita a aferição de dados precisos sobre velocidade e direção do vento, temperatura do ar, umidade relativa do ar, pressão barométrica, raios ultravioleta, umidade e temperatura do solo, níveis de água da chuva e evapotranspiração – análise da quantia de água perdida ao longo do dia por uma planta. “Com a estação, é possível acompanhar previsões e leituras em tempo real”, ressalta o professor.
Os estudantes apresentaram, também, os estudos produzidos a partir de métodos de semeadura com diferentes variedades de soja. Os acadêmicos Marlon Ferrazza e Francis Warpechowski explicam que foram avaliados os modos de plantio agrupado e em linha, com comparação da produtividade. As estudantes Aniele Silveira Anklam e Luana Lebtazg Perlim expuseram os estudos com a chia, planta que não é nativa da região. “Foram estudados os períodos de plantio em diferentes épocas, bem como o ciclo da chia em outubro, novembro e dezembro”, relatam. Também foi avaliado o uso da cinza de casca de arroz, em diferentes concentrações, como estruturador do solo, tanto para chia como para a soja. Os estudos de milho tiveram como foco a descompactação do solo e a rotação de culturas. Conforme explica o estudante Diogo Witczak, foi feito o manejo do plantio com profundidades alternadas, em três, cinco e sete centímetros.
A I Vitrine Tecnológica da Agronomia foi realizada em parceria com curso técnico em Agricultura do Instituto Federal Farroupilha (IFFar), o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) e o Sindicato Rural de Santo Ângelo. O patrocínio foi de Sementes Lazarotto, Lassul Análise de Sementes, Giro Agro, Stoller, Rural Mais, Bayer, Syngenta, Agrofutura, Sementes Viera, Redemaq, Giroil, Agricampo, Sementes Giovelli, Migliorini e TimacAgro.