Medicina da Universidade de Passo Fundo recebe selo de qualidade do Saeme

Município: Passo Fundo

Acreditação atesta excelência do ensino médico oportunizado pela universidade CRÉDITO: GELSOLI CASAGRANDE/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Acreditação atesta excelência do ensino médico oportunizado pela universidade CRÉDITO: GELSOLI CASAGRANDE/DIVULGAÇÃO/CIDADES

A cidade se consolidou como um polo de referência na área da saúde a partir da implantação da Faculdade de Medicina da Universidade de Passo Fundo (FM/UPF), em 1970. Desde então, a faculdade possibilitou a formação de profissionais que atuam no Brasil e no exterior, e tem sido reconhecida pela excelência no ensino médico. Em 2018, após um longo período de avaliação, a Faculdade de Medicina da UPF foi acreditada pelo Sistema de Acreditação de Escolas Médicas
(Saeme). Com isso, de um universo de mais de 300 escolas de Medicina no País, a faculdade da UPF se tornou uma das 13 a receber a certificação no Brasil. Se consideradas somente as privadas e comunitárias, há apenas três instituições que recebem essa acreditação, sendo a UPF uma delas.
A acreditação consiste em um selo de qualidade que é concedido pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) e pela Associação Brasileira de Educação Médica (Abem). Conforme o diretor da Faculdade de Medicina da UPF, professor Gilberto Borges Bortolini, a adesão ao processo foi voluntária e reforça a intenção da unidade acadêmica em buscar a qualificação constante das metodologias e da formação que proporciona aos futuros médicos. “A avaliação oportuniza comprovar excelência em diferentes aspectos, tanto em requisitos educacionais quanto no que diz respeito ao perfil dos docentes, à qualidade da gestão e à infraestrutura disponível”, aponta ele.
O processo, segundo Bortolini, contou com várias etapas que iniciaram a partir da adesão voluntária e do preenchimento on-line de um questionário. Após essa etapa, a faculdade de Medicina realizou uma autoavaliação, por meio de uma plataforma on-line, para, então, terem início as visitas externas dos avaliadores. “Foi mais de um ano de avaliação até chegarmos ao parecer final”, conta o diretor da unidade, que recebeu duas visitas de avaliadores, os quais conheceram toda a estrutura da faculdade.
O sistema de acreditação utiliza para avaliação os indicadores de qualidade do curso e conceitua com insuficiente e suficiente as diferentes dimensões que compreendem a faculdade, desde a gestão educacional até o programa de ensino, os corpos docente e discente, e o ambiente. Para Bortolini, receber uma acreditação de um sistema como o
Saeme evidencia a qualidade de ensino oferecida, por ser um sistema independente do governo, e, além disso, o relatório final produzido pela avaliação acaba se tornando uma ferramenta de gestão.
Outro ponto fundamental sobre a acreditação, conforme o diretor, é a vantagem em relação à mobilidade internacional. “O Saeme tem seus procedimentos operacionais de acordo com os parâmetros da World Federation for Medical Education (WFME), o que permite que os alunos das escolas acreditadas tenham maior mobilidade para sua formação internacional”, destaca, ressaltando que, a partir de 2023, todos os médicos que se inscreverem para obter certificação do Educational Commission for Foreign Medical Graduates (ECMFG) – que possibilita a certificação para atuação internacional – deverão ser egressos de escolas acreditadas por esse sistema.