45º Festival Internacional de Folclore de Nova Petrópolis se inicia nesta sexta-feira

Município: Nova Petrópolis

Evento segue até o dia 30 de julho, com diversas atrações CRÉDITO: MARGARIDA NEUMANN/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Evento segue até o dia 30 de julho, com diversas atrações CRÉDITO: MARGARIDA NEUMANN/DIVULGAÇÃO/CIDADES

O município é referência em cultura no País. O Festival Internacional de Folclore, evento que se iniciou evidenciando a cultura local e chega a sua 45ª edição como um dos principais atrativos culturais da serra gaúcha, tem expressiva contribuição. De 14 a 30 de julho de 2017, Nova Petrópolis será o reduto de culturas de diversas partes do mundo, todas unidas em uma grande festa de integração entre os povos. Nossa bandeira é a diversidade é a temática dos 45 anos de evento.
A abertura oficial do evento acontece nesta sexta-feira, 14, às 19h, no palco da Rua Coberta. A cerimônia terá o acendimento da chama folclórica e a exibição do espetáculo Folcloristas, histórias do festival, que reunirá canto, dança, teatro e vídeo documentário, contando a história dos folcloristas que defenderam, ensinaram e partilharam seus conhecimentos e deram origem aos grupos folclóricos do município.
A programação será intensa desde o primeiro dia. No sábado, dia 15, destaque para as apresentações dos grupos folclóricos no palco da Rua Coberta, a partir das 10h30min; para os Jogos Germânicos – debulhar o milho, às 14h; para o Desfile de Integração, às 15h; para as apresentações no Parque Aldeia do Imigrante, às 11h e às 14h; e para o Welt Bier Fest – Festa das Cervejas do Mundo, na Sociedade da Linha Brasil, às 19h. Domingo, dia 16, a programação terá continuidade com a Celebração da Vida, da Paz e da Diversidade, um momento de reflexão na Rua Coberta, às 9h. Após, as programações artísticas tomam conta do palco.
Para a edição de 2017, o Festival Internacional de Folclore conta com nove grupos folclóricos internacionais, sete nacionais, sete regionais e 23 grupos locais confirmados. Os visitantes terão a oportunidade de prestigiar, gratuitamente, as culturas de países como Polônia, Colômbia, México, Alemanha, Chile, Paraguai e Argentina, além dos estados brasileiros de Rio Grande do Norte, Paraíba, Espírito Santo, Santa Catarina, Mato Grosso, Rio de Janeiro e Bahia.
Além das apresentações de danças folclóricas, que enfeitarão o palco do evento com cores, ritmos, danças e cultura, o Festival Internacional de Folclore contará ainda com desfiles de integração; o baile infantil; os jogos germânicos, tais como, chope em metro, arremesso de chope, serrar o tronco, cabo de força e debulhar o milho; as Noites Culturais, que levam a diversidade do festival às mais distantes localidades do município; entre outras atrações.
Mais de 20 estandes com artesanato das mais diversas nacionalidades também serão um atrativo aos visitantes do 45º Festival Internacional de Folclore. A gastronomia também estará presente no evento. Como atividades paralelas, haverá as Panelas da Diversidade, oficinas de gastronomia; Mãos da Diversidade, oficinas de artesanato; Jogos da Diversidade, jogos germânicos com os grupos participantes do evento; e as Oficinas Técnicas de Dança, oficinas de dança para grupos participantes.
Nova Petrópolis vai mostrar toda sua força cultural, em harmonia com culturas do mundo todo, em um grande evento de integração. A comissão organizadora espera receber mais de 100 mil pessoas ao longo do evento. O 45º Festival Internacional de Folclore é uma realização da Associação dos Grupos de Danças Folclóricas Alemãs e da prefeitura. O evento, que integra o calendário anual da IOV – Organização Internacional de Folclore e Artes Populares, conta com apoio de Rota Romântica, Banco do Brasil, Vértice Licenciamento e Gestão Ambiental e PD Eventos. É financiado pelo Ministério da Cultura e Secretaria de Estado da Cultura, Turismo, Esporte e Lazer – Pró-Cultura-RS. O festival conta com o patrocínio de Piá, Dakota, Banrisul, Suibom, Sicredi e Brombatti.

 

Projeto da Universidade de Passo Fundo visa colocar propriedades da erva-mate em alimentos

Município: Passo Fundo

Pesquisa vai ser feita dentro do Programa de Pós-Graduação em Ciência e Tecnologia de Alimentos da UPF, com apoio da equipe UPFTec CRÉDITO: GELSOLI CASAGRANDE/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Pesquisa vai ser feita dentro do Programa de Pós-Graduação em Ciência e Tecnologia de Alimentos da UPF, com apoio da equipe UPFTec CRÉDITO: GELSOLI CASAGRANDE/DIVULGAÇÃO/CIDADES

São muitos os gaúchos que gostam de fazer um lanche e tomar um chimarrão nos fins de tarde. E se fosse possível aproveitar as propriedades funcionais da erva-mate também para o pão de queijo? É isso que a Universidade de Passo Fundo (UPF), por meio de um projeto de pesquisa do Programa de Pós-Graduação em Ciência e Tecnologia de Alimentos (UPF/PPGCTA), vai fazer. O projeto foi aprovado pela secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul e será desenvolvido dentro da área de abrangência do Conselho de Desenvolvimento da Região da Produção (Corede), Polo de Inovação Tecnológica da Região da Produção. Intitulada Erva-mate como componente funcional no desenvolvimento de processos e produtos alimentares, a pesquisa conta com o apoio da equipe UPFTec.
De acordo com a professora que coordena o projeto, dra. Telma Elita Bertolin, o propósito da pesquisa é quebrar a ideia de que a Ilex paraguariensis St. Hil (erva-mate) pode apenas ser utilizada para o chimarrão e mostrar que ela pode ser ingrediente na construção de novos produtos e processos. Segundo a pesquisadora, hoje existem muitos estudos que mostram que a erva-mate tem potencial funcional como antioxidante e como redutor do colesterol e tem perfil lipídico, provocando a aceleração do metabolismo e desencadeando ações anti-inflamatórias. Nesse contexto, a professora ressalta a necessidade de que a indústria de alimentos se potencialize cada vez mais para o desenvolvimento de alimentos que tragam mais saúde para o homem.
Com o objetivo de criar uma nova possibilidade, a equipe, que conta com a participação de diversos acadêmicos, inova com a criação de um pão de queijo com erva-mate. “Tivemos a ideia de fazer um produto que tem bastante aceitação no mercado, que é o pão de queijo. O projeto pretende desenvolver processos e produtos alimentares, com a inovação de produzir microcápsulas do extrato de erva-mate que podem ser adicionadas aos produtos, garantindo a manutenção das propriedades funcionais dessa substância”, explicou.
De acordo com a aluna do PPGCTA Cíntia Gris, que integra o grupo de pesquisadores, o extrato da erva-mate pode ser protegido de condições ambientais, como luz e temperatura, no intuito de preservar as suas capacidades funcionais. A proposta da encapsulação surge justamente para criar uma forma de proteger essas propriedades e garantir que tanto o pão de queijo quanto qualquer outro produto que venha a ser feito com esse ingrediente seja consumido com os benefícios oferecidos pela planta. “A encapsulação atua como uma técnica de proteção dessas propriedades, para que se consiga adicionar o extrato ao produto e o consumidor possa, de fato, consumir esses benefícios”, destacou.
Pão de queijo será produzido com extrato do produto
O projeto pretende desenvolver o processo de microencapsulação de extrato de erva-mate para o uso em produtos alimentícios e tem como objetivo caracterizar as propriedades funcionais do extrato microencapsulado de erva-mate. A partir disso, a equipe quer desenvolver o pão de queijo com o uso do extrato microencapsulado de erva-mate. Com o pão na mesa, eles ainda vão realizar a difusão tecnológica e capacitações ao setor produtivo da região.
Um primeiro nome já foi definido. O produto será chamado de Pão de queijo gauchinho. Para que ele saia do papel, os processos de desenvolvimento da microencapsulação já estão em andamento. De acordo com a professora Telma, a partir dessa nova técnica de encapsulação, abre-se um leque para projetar novos produtos.
Para a realização desse projeto, foi firmada uma parceria com a empresa Belém Indústria e Comércio de Produtos Alimentícios (Belemix), de Passo Fundo. “O projeto se propõe a desenvolver o pão de queijo na empresa e, na sequência, colocá-lo no mercado, fazendo também um trabalho de extensão, disponibilizando à comunidade as informações e a formação. Outra parceria firmada foi com a empresa Inovamate de Ilópolis, que está incubada no UPF Parque e que trabalhará conosco em algumas ações”, lembrou a coordenadora.

 

Arquitetura da URI Santo Ângelo abre a 7ª Mostra de Plástica e Expressão Gráfica

Município: Santo Ângelo

Aberta para visitação até 5 de agosto, a exposição buscou inspiração em obra de arquiteta alemã CRÉDITO: URI SANTO ÂNGELO/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Aberta para visitação até 5 de agosto, a exposição buscou inspiração em obra de arquiteta alemã CRÉDITO: URI SANTO ÂNGELO/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Foi aberta, na tarde do dia 5 de julho, a 7ª Mostra das disciplinas de Expressão Gráfica I e Plástica do curso de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões (URI) Santo Ângelo, ministradas pelas professoras mestres Claudete Boff e Roberta Doleys Soares, respectivamente. A mostra, com o tema Arte e arquitetura: novas afinidades, que permanece no Atelier Livre (Prédio 20) até o dia 5 agosto, buscou inspiração na obra da arquiteta alemã Julia Schulz Domburg, que trata do diálogo entre a arte e a arquitetura, destacando a correspondência que existe entre ambas e como se pode interpretar sua volumetria e o espaço onde está inserida. Na mostra, as maquetes representam conceitos vindos de edificações ou pinturas e os desenhos são interpretações do motivo tridimensional com aplicação de diferentes técnicas. Procurou-se dar ênfase aos aspectos que sintetizam o diálogo entre elas.
Segundo as professoras Claudete e Roberta, “a 7ª Mostra de Expressão Gráfica I e Plástica tem por objetivo fazer as relações entre o desenho e o objeto edificado, neste caso, a arte gráfica e a maquete”. Escolhido o tema para construir plasticamente um objeto, partiu-se para executar graficamente a síntese do mesmo. A proposta foi explorar, por mais simples que fosse a forma, todos os recursos de desenho exercitados em aula. Quanto ao volume elaborado, buscou-se a retratação plástica das sensações provocadas pela obra referência (edificação, escultura ou pintura) a partir da percepção dos acadêmicos e a aplicação dos conhecimentos adquiridos na disciplina. Criatividade, originalidade e eficiente aplicação técnica foram buscadas durante a execução do trabalho. O resultado deveria ressaltar o grau de correspondência entre arte e arquitetura, a linguagem particular de cada desenho e, consequentemente, a fruição estética.
A coordenadora do Curso de Arquitetura e Urbanismo, Thaís Faccin de Brum, parabenizou professoras e estudantes pelo trabalho, observando o valor de atividades práticas desde o primeiro semestre do curso. As titulares das disciplinas, Claudete e Roberta, igualmente se manifestaram enfatizando que Expressão Gráfica e Plástica são bases importantes para os conhecimentos a serem construídos nos próximos semestres e que o tema escolhido para a mostra foi desafiador, exigindo pesquisas e estudos preliminares. Prestigiando a mostra, esteve o engenheiro eletricista e de Segurança do Trabalho Rubilar Ferreira, pai da acadêmica e expositora da mostra Rubianne Bottega Ferreira. Ao parabenizar o grupo pelas atividades, Ferreira observou a importância de unir em uma obra, a rigidez de cálculo da engenharia com a beleza e a arte da arquitetura.

 

Energias alternativas são trabalhadas em Dia de Campo em Santo Antônio do Planalto

Município: Santo Antônio do Planalto

Atividade ocorreu no dia 6 de julho, na propriedade da família de Marino Orlando Horz, e reuniu mais de 130 pessoas CRÉDITO: VANESSA ALMEIDA DE MORAES/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Atividade ocorreu no dia 6 de julho, na propriedade da família de Marino Orlando Horz, e reuniu mais de 130 pessoas CRÉDITO: VANESSA ALMEIDA DE MORAES/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Opções de energias alternativas que podem ser implementadas nas propriedades rurais foram apresentadas no Dia de Campo realizado na última quinta-feira, dia 6 de julho, na propriedade da família de Marino Orlando Horz, no município de Santo Antônio do Planalto. Secagem e armazenagem de grãos, por meio do silo secador, energia fotovoltaica e aquecedor solar foram os temas apresentados. Uma estação sobre sucessão familiar também fez parte do evento organizado pela Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater) e prefeitura, que reuniu mais de 130 pessoas.
Na estação sobre secagem e armazenagem de grãos, por meio do silo secador, o técnico em agropecuária da Emater Idanir Bianchetti falou sobre a construção, viabilidade e vantagens dessa tecnologia. O produtor Marino Horz tem o silo secador na sua propriedade desde 2010 e disse estar satisfeito com a tecnologia, em especial por evitar custos de transporte e por garantir a qualidade dos grãos. O técnico Bianchetti explicou que se trata de uma tecnologia de baixo custo e grandes vantagens para o produtor. Na propriedade, há um silo para 500 sacos de milho.
Outra tecnologia existente na propriedade e assunto de uma estação foi o aquecedor solar, com o objetivo de aquecimento de água para uso na limpeza dos equipamentos de ordenha. Há três anos, o produtor instalou o sistema e garante que refletiu na qualidade do leite. Na estação, o engenheiro agrônomo da Emater Vilmar Wruch Leitzke ressaltou a importância da água quente para a limpeza diária dos equipamentos. “Se errar na temperatura da água, altera a eficiência dos detergentes. Se os equipamentos de ordenha não forem adequadamente higienizados, as outras medidas de higiene serão ineficientes”, ressaltou. Na mesma estação, estiveram expondo equipamento os representantes da Água & Luz, de Carazinho.
A outra opção apresentada no Dia de Campo foi energia fotovoltaica, cuja fonte é a energia solar. O engenheiro agrônomo da Emater Maurício Dall Acqua falou sobre os benefícios econômicos, ambientais e sociais, como minimizar as quedas de energia, aliviar o sistema elétrico e diminuir os gastos que os agricultores têm com energia elétrica, além de ser uma fonte natural de energia. Segundo Dall Acqua, o sistema de energia fotovoltaica pode ser financiado pelo Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), em uma linha denominada Pronaf ECO. Os interessados na instalação do sistema de energia fotovoltaica podem fazer uma simulação nos escritórios municipais da Emater. A partir dos dados de consumo da conta de energia elétrica, é possível ter a noção do tamanho de placas necessárias para cada propriedade. O representante da Conectar Energia Solar, de Passo Fundo, participou dessa estação.
Exemplo de sucessão familiar foi tema de estação
Outro tema que vem sendo trabalhado intensamente pela instituição é a sucessão familiar na agricultura. Diante disso, foi feita uma estação específica para abordar o tema, com a presença da assistente técnica regional da Emater de Passo Fundo, Doriana Gozzi Miotto; da família de Ismar Schneider; e da jovem Gabriela Surkamp, integrante do Grupo Jovens do Campo, de Santo Antônio do Planalto.
Ismar Schneider, sua esposa Maria de Lurdes e seu filho Gabriel falaram sobre a experiência da família, que tem mais dois filhos e todos estão na propriedade de 48 hectares, que tem no leite sua principal atividade econômica. Segundo eles, diálogo, incentivo à permanência e divisão da renda sempre estiveram presentes na família e, assim, a sucessão está acontecendo naturalmente.
Outro exemplo positivo foi da integrante do Grupo Jovens do Campo, do município de Santo Antônio do Planalto. O grupo existe há dois anos, tendo se iniciado com 15 jovens, e hoje conta com mais de 50. “Nós fizemos muitas amizades desde que o grupo se iniciou. Agora, abrimos para os jovens da cidade também, para eles conhecerem o interior. Participamos de eventos, temos metas e organizamos viagens. No início do ano, fomos conhecer a serra gaúcha, seus pontos turísticos e, principalmente, as agroindústrias familiares”, conta Gabriela. O grupo faz parte do Projeto Socioassistencial desenvolvido pela Emater e conta com a parceria da prefeitura, do Sindicato dos Trabalhadores Rurais, da Sicredi, da Cotrijal, do Banrisul e de Ross.
Para o gerente regional da Emater de Passo Fundo, Oriberto Adami, eventos como esse, voltados ao técnico, visando agregar conhecimento, é o foco da instituição. “A sucessão se constrói juntos, temos que somar esforços para que as famílias tenham condições de se manter no campo com renda e qualidade de vida. Estamos satisfeitos com esse evento. Os resultados da Extensão Rural não são imediatos, é uma forma de educação, de transferência de informações e conhecimento, que às vezes leva anos para que haja a mudança”, disse.
O prefeito de Santo Antônio do Planalto, Elio Gilberto Luz de Freitas, destacou a parceria entre a prefeitura e a Emater. “É gratificante ao poder público saber que estamos incentivando as famílias a ficar no campo. As propriedades precisam ser consideradas como empresa”, avaliou. Para Leomar Formigheri da Silva e seu filho Maxwell Antenor da Silva, agricultores do município de Ernestina, o Dia de Campo foi muito bom. “Foram temas muito importantes para agricultura. Eu estava precisando informações sobre aquecimento solar e vou levar para a propriedade”, disse Leomar. Para Maxwell, o que mais chamou a atenção foi a limpeza dos equipamentos de ordenha e a secagem e armazenagem de grãos.

 

Ampliação da escola municipal Sete de Setembro é inaugurada em Caxias do Sul

Município: Caxias do Sul

Nova estrutura vai criar 324 novas vagas para Educação Infantil e Ensino Fundamental CRÉDITO: PETTER CAMPAGNA KUNRATH/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Nova estrutura vai criar 324 novas vagas para Educação Infantil e Ensino Fundamental CRÉDITO: PETTER CAMPAGNA KUNRATH/DIVULGAÇÃO/CIDADES

A secretaria municipal da Educação (Smed) entregou à comunidade de São Luiz da 6ª Légua as obras de ampliação da Escola Municipal de Ensino Fundamental (Emef) Sete de Setembro. A cerimônia ocorreu na manhã da última sexta-feira, dia 7 de julho, e contou com a presença do prefeito Daniel Guerra, de secretários municipais, de vereadores e da comunidade escolar. Com o novo prédio, a escola ganhará mais cinco salas de aula, um banheiro, cobertura de ligação com o prédio já existente, reformulação do acesso principal e novo cercamento, em um total de 432 metros quadrados de área construída. O investimento foi de R$ 738.939,32 com recursos próprios do município. O projeto foi desenvolvido pelo setor de Infraestrutura da Smed, com o apoio da secretaria municipal do Planejamento (Seplan).
“É um momento de celebração que confirma o compromisso da administração de fazer mais e melhor. Quero destacar aqui o esforço da comunidade escolar para que essa obra acontecesse. Quando assumimos em janeiro, não paramos em nenhum momento esse trabalho e reafirmamos o compromisso de entregar essa escola tão importante à comunidade”, afirmou o prefeito. O espaço ganhou mobiliário e começará a receber alunos no próximo ano letivo. “Nós precisamos respeitar o calendário escolar, que exige o cumprimento de 200 dias letivos no ano. Tentamos calcular se seria possível cumprir a norma tendo aulas de segunda-feira a sábado até o fim do ano. Mas, mesmo assim, não conseguiríamos atingir o que determina a lei. Por isso, as novas turmas serão recebidas em 2018. Vamos utilizar esse período para realizar um estudo de demanda da região, definindo quais turmas serão abertas na escola”, explicou a secretária da Educação, Marina Matiello.
Atualmente, a Sete de Setembro atende 274 estudantes da Educação Infantil e do 1º ao 9º ano. São 32 professores e seis funcionários. Com a inauguração, a escola passará a ter 1.216,6 metros quadrados de área construída, em um total de 10 salas de aula, além de laboratório de informática, biblioteca, sala de recursos, cozinha, refeitório, sala dos professores, banheiros e secretaria. “Era uma demanda antiga pelo crescimento do bairro. Tinha uma cobrança grande da comunidade. Com essas novas 324 vagas, vamos conseguir atender à nossa demanda de Educação Infantil e Ensino Fundamental”, comemorou a diretora da escola, Simone Baratto.
Mutirão atende os microempreendedores individuais
Orientar microempreendedores individuais (MEIs) que estão inadimplentes e apresentar alternativas para eles saírem dessa situação é a intenção de um mutirão que começou a ser realizado pela secretaria de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Emprego
(Sdete) de Caxias do Sul. Durante o trabalho, as equipes da Sdete se disponibilizaram a auxiliar os empreendedores no acesso ao Portal da Receita Federal, esclarecendo dúvidas e trazendo orientações sobre o programa de parcelamento de débitos. Esse programa é uma iniciativa do governo federal que possibilita o parcelamento das dívidas acumuladas em até 120 prestações. O prazo para solicitar esse parcelamento termina no dia 2 de outubro.
Até junho deste ano, 21.448 MEIs foram cadastrados em Caxias do Sul. Em todo o País, o número supera a marca de 7 milhões, mas o percentual de inadimplência chega a 60%. Além de estar inadimplente com o Fisco, o MEI com boletos atrasados corre o risco de não ter acesso a direitos previdenciários, como auxílio-doença, salário-maternidade e aposentadoria por invalidez. Cada benefício exige um tempo de carência, ou seja, um tempo mínimo de meses de contribuição, e a contagem da carência se inicia apenas a partir do pagamento da primeira contribuição sem atraso.
“Organizamos o mutirão para alertar sobre a importância desses empresários estarem em dia com os impostos e para evitar que eles fiquem sem os benefícios. O parcelamento das dívidas é uma alternativa aos MEIs e nós estaremos a postos na Sdete para orientá-los e atendê-los”, conta Angela de Almeida, gerente de Desenvolvimento Econômico da Sdete. O mutirão é realizado na Sdete, de segunda a sexta-feira, das 10h às 16h. A secretaria fica na rua Pinheiro Machado, nº 1.276, no 6º andar.