Prefeitura lança quarta edição do Esteio da Poesia Gaúcha

Município: Esteio

Poetas já podem começar a enviar suas obras para o evento CRÉDITO: PREFEITURA MUNICIPAL DE ESTEIO/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Poetas já podem começar a enviar suas obras para o evento CRÉDITO: PREFEITURA MUNICIPAL DE ESTEIO/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Quando a noite de 24 de fevereiro de 2018 chegar, Esteio vai se tornar, mais uma vez, ponto de referência no Estado para os apreciadores de versos que abordem a cultura, os costumes, as tradições e a história do Rio Grande do Sul e de seu povo. Nesta data, a Casa de Cultura Lufredina Araújo Gaya sediará a final do 4º Esteio da Poesia Gaúcha, promovido pela secretaria municipal de Cultura, Esporte e Lazer (Smcel) com apoio da diretoria de Comunicação Social (DCS). O lançamento do festival de poemas inéditos ocorreu na noite de 14 de setembro, durante a Semana Farroupilha de Esteio. Os poetas já podem começar a enviar suas obras.
“O Esteio da Poesia representa a valorização da cultura gaúcha. É um evento que está cada vez maior, e tenho certeza que, neste ano, será uma festa ainda mais bonita, dando mais trabalho para os avaliadores que selecionarão as obras finalistas”, apontou o prefeito Leonardo Pascoal. “Estamos nos empenhando para transformar Esteio não apenas na cidade do trabalho e do progresso, como também na cidade da cultura, das tradições”, destacou. Assim como fez na final do Esteio da Poesia deste ano, Pascoal concluiu seu discurso recitando um poema. Desta vez, o escolhido foi Gaúcho, de Ruben Sofildo da Silva.
O secretário municipal de Cultura, Esporte e Lazer, Rafael Figliero, comentou sobre a importância do evento. “O evento coloca Esteio no rol de cidades que valoriza a cultura local. Aproveito para deixar o convite para que os poetas enviem seus trabalhos e para que as pessoas venham assistir à final, em fevereiro”, comentou. Um dos organizadores do festival (junto ao jornalista e servidor público esteiense Djalma Corrêa Pacheco), Paulo Roberto Domingues Vargas fez agradecimentos à cidade e à administração municipal. “Ao lançar esta nova edição do Esteio da Poesia Gaúcha, quero deixar o meu obrigado à comunidade, que participa do evento, e à prefeitura, pelo apoio para a realização do festival”, disse.
O ato de lançamento foi finalizado com a interpretação de O Mistério das Palhas, de Carlos Omar Villela Gomes e Bianca Bergmam (São Vicente do Sul), obra que conquistou o prêmio de melhor poesia e melhor trabalho em palco do 3º Esteio da Poesia Gaúcha. No palco do Pavilhão 20 de Setembro, a obra foi apresentada por Romeu Weber, considerado o melhor intérprete da terceira edição do festival, acompanhado pelo músico e cantor esteiense Vladimir Guará como amadrinhador.
As inscrições para o 4º Esteio da Poesia já estão abertas. O regulamento e a ficha para cadastro estão disponíveis no site da prefeitura de Esteio e também na página oficial do evento no Facebook (www.facebook.com/EsteiodaPoesia). A comissão avaliadora, os shows de abertura e encerramento e o apresentador estão sendo definidos pela Comissão Organizadora do festival e devem ser anunciadas em breve. Os poetas de todo o Brasil terão até o dia 17 de novembro para inscreverem seus versos, que devem versar sobre a dinâmica social, os usos e costumes do povo gaúcho, fatos históricos ou atuais e paisagens do Rio Grande do Sul. Do total de inscritos, a Comissão Avaliadora definirá 10 que serão apresentados ao público na noite de 24 de fevereiro de 2018, na Casa de Cultura Lufredina Araújo Gaya.
Os 10 trabalhos selecionados para a final receberão um prêmio de R$ 1 mil. Os três melhores poemas, declamadores e amadrinhadores, além do melhor trabalho em palco na final, receberão mais prêmios em dinheiro, troféus e diárias da Hospedaria Provençal, de Canela, apoiadora do festival. Em apenas três edições, o Esteio da Poesia se tornou o maior festival do gênero, em número de inscritos, no Rio Grande do Sul. A terceira edição contou com 358 poemas, enviados por 119 poetas de 66 municípios diferentes do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, Distrito Federal, Mato Grosso do Sul e Roraima.

Seminário de Gestão de Pessoas reúne grande público em Bento Gonçalves

Município: Bento Gonçalves

Encontro da ADRH-BG teve reflexões, atualização de conhecimento e networking em dia de intensa programação CRÉDITO: LARISSA SPASIN/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Encontro da ADRH-BG teve reflexões, atualização de conhecimento e networking em dia de intensa programação CRÉDITO: LARISSA SPASIN/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Os mais de 400 profissionais que participaram do 8º Seminário de Gestão de Pessoas, promovido pela Associação de Recursos Humanos de Bento Gonçalves (ADRH-BG) experimentaram um dia diferente de reflexão, atualização de conhecimento e networking. Com programação intensa, o encontro concentrou suas atividades no dia 12 de setembro, no Dall’Onder Grande Hotel, oferecendo um circuito de palestras com qualificados conferencistas, atrações artísticas e acesso a novidades apresentadas por empresas e prestadores de serviço ligados à área.
“Esse encontro foi uma oportunidade única para compartilhar e desfrutar do conhecimento de especialistas sobre aquele que é o principal desafio na gestão de pessoas: engajar. Vivemos um momento de transformação, em que novas demandas chegam a uma velocidade jamais vista na rotina das pessoas no ambiente de trabalho. Conduzir as equipes por esse caminho é o papel que esperamos dos líderes na área de Gestão de Pessoas: que sejam inspiradores, formem alianças, atraiam e desenvolvam talentos comprometidos com o sucesso das empresas. O seminário certamente contribui ao incitar a reflexão acerca dessa realidade”, disse a presidente da entidade ADRH-BG, Lisandra Bresiani.
Debatendo o tema Engajamento: a verdadeira excelência das organizações de sucesso, nomes como Eduardo Shinyashiki, Soraia Schutel, Constança Meirelles, Silvana Mello, Nelson Bittencourt e Mario Sérgio Cortella compartilharam seus pontos de vista acerca desse conceito.
Eduardo Shinyashiki apresentou Excelência: um espetáculo refinado, perfeito!, uma palestra energizante, que sentenciou que a excelência começa a ser construída quando a pessoa está aberta a receber novas informações ou conhecimentos, mostrando-se disposta a evoluir. Ele comentou, também, sobre os novos conceitos que norteiam o mundo do trabalho. “Na década de 1980, o desafio do líder era delegar responsabilidades. Hoje, é engajar, no sentido de mostrar como a empresa é coerente com os valores e princípios da equipe. Somente dessa forma é possível dar sentido ao trabalho e obter, portanto, o comprometimento”, disse.
Soraia Schutel falou sobre Engajamento com propósito: ressignificando o sentido do trabalho. Diante da constatação de que 80% da população ativa no Brasil se declara infeliz no trabalho, Soraia fez um alerta: “Fomos educados para a cultura do ter, e não pelo valor do ser. Essa distância gigante entre o ‘ter’ e o ‘ser’ é o que gera pouco engajamento e, porque não dizer, felicidade no universo do trabalho. A autorrealização da pessoa requer que ela esteja conectada com seus grandes sonhos e saiba o propósito de fazer aquilo que está fazendo, especialmente se essas ações estiverem vinculadas a um objetivo maior”, disse. Quando as empresas conseguem atrair colaboradores alinhados com o propósito organizacional – processo que é fruto do autoconhecimento empresarial – elas são eficazes em vender o “porquê” daquilo que fazem – com influência direta nos resultados obtidos.
Constança Meirelles, com a palestra Você, o protagonista do seu futuro, afirmou categoricamente que a carreira não pode ser um fardo para o colaborador. Constança destacou o papel do líder enquanto agente capaz de ajudar as pessoas da equipe a descobrirem aquilo que as motiva. “É preciso ajudar os indivíduos no processo de autoconhecimento: quem eu sou, o que eu faço, onde estou e o que me move. Caso contrário, o profissional é atropelado pela falta de contato com a essência de sua existência”, disse.
Já Silvana Mello apresentou Engajamento e o papel da liderança: potencializando pessoas e equipes na busca de resultados com excelência, uma palestra interativa, quando convidou os participantes a refletirem sobre o que significa ser um líder atualmente. “Lembremos sempre: uma liderança forte e consistente eleva o patamar de engajamento da empresa. A liderança, hoje, colaborativa, é fundamental para reduzir o gap de engajamento que acomete a maior parte das empresas. Por isso, o líder precisa estar ciente de seu impacto e de seu legado: ele tem obrigação consigo, com os clientes, com os colaboradores, com a organização e com a comunidade onde está inserido.”
Nelson Bittencourt falou sobre Construção e manutenção de equipes engajadas: realidade ou utopia?. Em um universo caoticamente contaminado pela urgência com que as inovações são apresentadas, é fundamental que as pessoas estejam dispostas a praticar o exercício da atualização permanente, porém, na medida certa – sem abrir mão de estar em contato com sua essência. “Esse equilíbrio verdadeiro é o que torna possível a construção de uma equipe coesa: integrada em um mesmo propósito e aberta ao novo.”
Por fim, Mario Sérgio Cortella apresentou a palestra Cenários turbulentos, mudanças velozes: negação, proteção ou superação?. Atração mais aguardada da programação, Cortella cativou o auditório durante uma palestra expositiva que pontuou os tempos modernos com pinceladas de filosofia. Com incisões fortemente reflexivas, convidou os participantes a pensarem acerca de seu comportamento – criticou o conformismo, a omissão e a falta de coragem. Também convidou o público a refletir sobre a diferença entre ser idoso e ser velho. “Idoso é aquilo que tem muita idade, mas velho é qualquer um que acredita já ter visto de tudo e já ter aprendido tudo o que precisa saber. Quando a pessoa deixa de estar aberta ao novo, ela fica velha”, conclui.

Minha Escola de Cara Nova já beneficiou mais de 8 mil alunos de Passo Fundo

Município: Passo Fundo

Melhorias buscam um novo conceito na organização e readequação dos ambientes CRÉDITO: PREFEITURA MUNICIPAL DE PASSO FUNDO/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Melhorias buscam um novo conceito na organização e readequação dos ambientes CRÉDITO: PREFEITURA MUNICIPAL DE PASSO FUNDO/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Desde que foi implantado, o Programa Minha Escola de Cara Nova, que tem como objetivo revitalizar e melhorar o ambiente escolar, cerca de 8 mil alunos da rede municipal já foram beneficiados com salas de aulas renovadas, mobiliários novos, acessibilidade e muitas outras melhorias. O programa tem qualificado os espaços das escolas fundamentado em princípios pedagógicos, proporcionando um atendimento mais adequado, qualificando a aprendizagem e assim garantindo o acesso e a permanência dos alunos na escola. Até agora, pelo menos 56 escolas já foram antedidas, segundo a coordenadora, professora Luciane Dadia Rodrigues.
As escolas beneficiadas são tanto da Educação Infantil como do Ensino Fundamental e as melhorias buscam um novo conceito na organização e readequação dos ambientes. Na semana passada, mais uma obra foi finalizada, a da Escola Municipal de Ensino Fundamental (Emef) Urbano Ribas, no bairro Independente, onde foram realizadas melhorias na parte externa do prédio, pintura das salas de aula que atendem mais de 400 alunos, mobiliário novo, nova biblioteca, que ficou mais ampla e com presença maior de claridade, jardins, hall de entrada e ginásio, além da colocação da cisterna e de obras complementares em outros setores.
Atualmente, o programa está desenvolvendo as melhorias na Escola Municipal de Ensino Fundamental Nossa Senhora Aparecida. O local já foi uma escola rural, nos tempos em que os limites urbanos de Passo Fundo eram menos extensos, isso há cerca de 30 anos. Hoje, já dentro da área urbana, fazendo parte do bairro Nossa Senhora Aparecida, a escola, atende 85 alunos nas turmas de 1º ao 5º ano do Ensino Fundamental.
Espaço aberto para brincadeiras e aprendizado, salas de aula integradas, restauração das paredes com novo reboco e cores agradáveis são apenas algumas das mudanças pelas quais a escola já passou. Os móveis de cada uma das salas de aula, que também ganharam novo piso e pintura, são todos adequados à idade e altura das crianças, tornando mais fácil o acesso aos materiais. Além desses trabalhos, outras melhorias seguem sendo feitas na escola que, em breve, terá o programa finalizado.
Restauração de placas de trânsito garante melhor sinalização
A secretaria municipal de Segurança Pública realiza um novo trabalho há cerca de dois meses: a restauração de placas de sinalização de trânsito. Desde então, o destino final de todas as placas substituídas pelo desgaste natural do tempo não é mais o lixo, massim a reutilização.
O material é lixado e pintado novamente, sendo finalizado com a colocação de uma película própria. As novas placas são utilizadas para qualificar a sinalização em diferente partes da cidade, além de servir como solução para mudanças que necessitam de agilidade, como conta o secretário de Segurança Pública, João Darci Gonçalves. “Não dependemos daquele processo administrativo para compra do material, às vezes, demorado. Ganhamos tempo, o que é muito importante para uma eventual necessidade. Temos a possibilidade de em poucos dias confeccionar essas placas”, observa ele, que ressalta também a economia gerada para o município.
A solução encontrada através da reutilização do material ainda contribui para uma ação mais sustentável. “Esse material não vai mais para o lixo. É uma ação que só beneficia”, finaliza Gonçalves. Até o momento, 120 placas já foram confeccionadas para sinalizar as ruas da cidade, como as ruas Princesa Isabel e Morom, algumas das beneficiadas.
O setor criado na secretaria de Segurança Pública foi idealizado pelo coordenador de Trânsito, Nelson Feula, com apoio de uma integrante dos agentes de trânsito e uma estagiária do curso de Arquitetura e Urbanismo. No espaço pequeno, todos os materiais estão disponíveis para o servidor Ademilson Rodrigues fazer as novas placas. Duas mesas, tintas, moldes, películas e equipamentos para realizar o serviço são suficientes para realizar todo o trabalho.

Centro de Cultura Ordovás recebe a mostra A faxina aleatória da cidade em Caxias do Sul

Município: Caxias do Sul

Exposição de Pedro EMCB, Stang e Xadalu pode ser conferida até 3 de outubro CRÉDITO: CAROLINE SANTI PEGORARO/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Exposição de Pedro EMCB, Stang e Xadalu pode ser conferida até 3 de outubro CRÉDITO: CAROLINE SANTI PEGORARO/DIVULGAÇÃO/CIDADES

A exposição A faxina aleatória da cidade abriu na última terça-feira, dia 12 de setembro, na Galeria de Artes do Centro de Cultura Ordovás, em Caxias do Sul. A mostra apresenta três exposições em uma: A querida senhora da limpeza, Randômico: que acontece por acaso, em que há casualidade e Elementos urbanos. O trabalho é o resultado da união dos artistas Pedro EMCB, de Farroupilha; Vitor Hugo Stang, de Caxias; e Xadalu, de Porto Alegre.
Cerca de 90 pessoas conferiram os trabalhos que têm por objetivo despertar a consciência social e mostrar a beleza existente na vida de cada indivíduo. Para a coordenadora da Unidade de Artes Visuais da secretaria municipal da Cultura (SMC), Mona Carvalho, essa exposição carrega três olhares bem sensíveis sobre assuntos que as pessoas fingem não ver. “A mostra traz para dentro da Galeria expressões artísticas urbanas que vem para abrir os olhos das pessoas”, analisa. A exposição fica aberta para visitação até o dia 3 de outubro na Galeria de Artes do Centro de Cultura Ordovás, de segunda a sexta-feira, das 9h às 22h, e fins de semana e feriados, das 16h às 22h. A entrada é gratuita.
O artista Pedro EMCB é uma constante metamorfose influenciada pela arte em todos seus aspectos. Estudante de design, o gaúcho sempre teve a arte inspirando sua infância. Além de designer, músico e sonhador, Pedro é um entusiasta da vida. E é isso que ele procura celebrar na sua arte: a vida. A obra de Pedro EMCB se chama A querida senhora da limpeza, que retrata como a vida pode ser bela e ao mesmo tempo triste, dependendo de que lado você se posiciona como espectador. O artista teve a experiência de conhecer a história de vida da querida senhora da limpeza, e foi aí que veio à tona uma mistura de sentimentos, pois a senhora convidou-lhe para participar de uma celebração muito importante na vida dela.
Stang é acadêmico em Design Gráfico na Faculdade da Serra Gaúcha. Atualmente, participa de um projeto em Porto Alegre idealizado pela marca Oden Brasil, chamado Bonding Creative People (BCP) onde artistas apresentam suas artes decorrentes das ruas em vestuários. A ideia de Randômico: Que acontece por acaso, em que há casualidade surgiu por meio das pinturas realizadas na rua, buscando encontrar seres randômicos. Pessoas inusitadas sem rosto. Esses eventos randômicos são aleatórios e passam muitas vezes despercebidos pelas demais pessoas. Todas as pessoas randômicas podem trocar experiências e conhecimento. O artista acredita que essa é a essência da vida a troca de conhecimento com pessoas que nunca teve contato.
Xadalu tem na street art o centro conceitual e irradiador de sua obra. Hoje, a figura do indiozinho trabalho fundador que começou a ser colado em adesivos multiplicando-se pelas ruas de Porto Alegre é vista em mais de 60 cidades do mundo. Essa proliferação do personagem Xadalu em escala internacional amplia o alcance da denúncia sobre o apagamento das culturas indígenas que o trabalho do artista veicula. Xadalu já participou de diversas mostras coletivas e apresentou exposições individuais, exibindo seu trabalho em Porto Alegre, Berlim (Alemanha) e Florença (Itália). Foi eleito em 2012 o Melhor Artista na Expo Colex e foi um dos agraciados pelo Prêmio Humanidades 2014 do Instituto Brasileiro da Pessoa, em reconhecimento à defesa da causa indígena aliada a questões socioculturais.

Universidade de Caxias do Sul abre serviços de clínicas veterinárias à comunidade

Município: Caxias do Sul

Atendimento geral e cirurgias de baixa complexidade estarão disponíveis mediante agendamento CRÉDITO: CLAUDIA VELHO/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Atendimento geral e cirurgias de baixa complexidade estarão disponíveis mediante agendamento CRÉDITO: CLAUDIA VELHO/DIVULGAÇÃO/CIDADES

A Universidade de Caxias do Sul (UCS) abriu à comunidade, na última segunda-feira, dia 11, os serviços de atendimento clínico geral e de cirurgias de baixa complexidade prestados pelas clínicas médicas de animais de pequeno porte e de grande porte do curso de Medicina Veterinária. As consultas ocorrem exclusivamente mediante agendamento e não incluem atendimentos de urgência e emergência ou internação, estando disponíveis em duas modalidades: particular e acadêmica.
As consultas particulares são oferecidas de segunda a sexta-feira, pela manhã, com chegada do tutor e do paciente das 9h às 11h, sendo prestada por médico veterinário contratado pela UCS e por estagiários do curso. Já as consultas acadêmicas ocorrem em uma manhã por semana e às tardes, das 14h às 17h, nos dias em que ocorrem aulas práticas. É prestada pelo professor médico veterinário da disciplina, sob observação dos alunos, para instrução acadêmica. Conforme a agenda de aulas de cada semestre, a consulta acadêmica poderá ser substituída entre os turnos da manhã, tarde e noite.
Para a comunidade acadêmica, os serviços serão prestados a partir de convênios já firmados com as associações de funcionários da Fundação Universidade de Caxias do Sul (Affucs) e de docentes da UCS (Aducs). Tanto para consulta particular como para a acadêmica, o agendamento deve ser feito de segunda a sexta-feira, das 8h30min às 11h30min e das 12h45min às 17h45min, pelo telefone (0xx54) 3218-2081.
Dentro do atendimento clínico, serão disponibilizados serviços de diagnóstico por imagem. A UCS conta com dois aparelhos de última geração para exames de radiologia digital. Já para ultrassonografia digital, são três equipamentos disponíveis. Os laboratórios utilizados pelo curso, por sua vez, asseguram a realização de exames como hemogramas, de bioquímica sanguínea e de citologia, entre outros auxiliares de diagnóstico. As cirurgias disponíveis são eletivas, como castrações e remoção de tumores.
Os serviços seguem as resoluções pertinentes e o código de ética do Conselho Federal de Medicina Veterinária e os custos seguem os valores regulares de mercado. A disponibilização dos recursos da UCS deve ser ampliada também para clínicas particulares que, por meio de terceirização, poderão contratar serviços não tão comuns no mercado. O funcionamento das clínicas e esta possibilidade serão apresentados pelo coordenador do curso à Associação de Médicos Veterinários de Pequenos Animais da Serra Gaúcha (Amvep).
O recebimento de animais com tutores, explica o coordenador do curso, professor Leandro do Monte Ribas, atende a uma necessidade acadêmica. “A formação universitária na área é indissociável da prestação de serviços. O que estamos fazendo é aproveitar essa condição para estender o benefício, pensando também na comunidade”, frisa. Com programa de cinco anos, o curso de Medicina Veterinária da UCS formará os primeiros profissionais neste ano.
As duas clínicas já são utilizadas para atividades práticas – presentes em mais da metade das aulas – do curso, no atendimento de animais sob cuidado da secretaria do Meio Ambiente (desde que o município assumiu a atividade da Sociedade Amigos dos Animais – Soama). No segundo semestre de 2018, ambas estruturas serão integradas ao Hospital Veterinário da UCS, compondo o complexo de apoio à formação do aluno.