Equipe apresenta a campanha Cidade Limpa nas escolas

Município: Viamão

Estudantes recebem uma cartilha e são convidados a ser um protagonista da causa na sua rua CRÉDITO: PREFEITURA MUNICIPAL DE VIAMÃO/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Estudantes recebem uma cartilha e são convidados a ser um protagonista da causa na sua rua CRÉDITO: PREFEITURA MUNICIPAL DE VIAMÃO/DIVULGAÇÃO/CIDADES

A equipe de governo da prefeitura de Viamão está visitando todas as escolas da rede municipal de ensino para convidar os alunos a se engajarem na campanha Cidade Limpa. A iniciativa visa a uma cidade mais limpa e livre de doenças ocasionadas pelo descarte irregular e pelo acúmulo de lixo. Além disso, incentiva a separação correta e a reciclagem como alternativa para a geração de emprego e renda no município.
Cada estudante recebe uma cartilha e é convidado a ser um protagonista na sua rua e a denunciar quando vir alguém contribuindo para focos de lixo. “Temos a coleta domiciliar regularmente, contamos com mais de 200 pontos de descarte de lixo seco em prédios públicos, escolas e unidades de saúde. Hoje, limpamos, mas, amanhã, o lixo volta para as ruas. Precisamos da colaboração de todos para que nossa cidade permaneça limpa”, explica o vice-prefeito e secretário de Obras e Serviços Públicos, Valdir Elias, na visita que fez à Escola Municipal de Ensino Fundamental (Emef) Evaldo Maia dos Santos, no dia 5 de abril.
“Uma cidade limpa é responsabilidade de todos, é uma cidade saudável, livre de doenças causadas por insetos e animais que procuram estas áreas para procriarem. No lugar onde existem focos de lixo, a prefeitura está intervindo, retirando os resíduos e fazendo o plantio de mudas de árvores nativas e placas de conscientização”, destaca o secretário de Meio Ambiente Gilberto Fraga, em visita à Emef Acrísio Prates (São Brás), no dia 4.
Recentemente, também visitaram as escolas os secretários de Esporte e Lazer, Miro Braga (Emefs Jardim Viamar e Dom Diogo de Souza, no Valença); de Cultura, Luciano Alves (Emefs São Tomé e Brasília, na Planalto); de Agricultura e Abastecimento, Carlos Remi Pacheco (Emef Cristiano Vieira da Silva, na Boa Vista); de Planejamento, Urbanismo e Habitação, Karine Moura (Emef Presidente João Goulart, na Paraíso); de Transportes, Marcelo Bittencourt (Emefs Dr. Glênio Perez, na São Lucas, e Frederico Dihl, no Krahe); além do diretor-geral de Meio Ambiente, Vladimir Bandeira (Emef Frei Pacífico, em Itapuã). A Lei Municipal de Limpeza Urbana em Viamão (Lei nº 4.384/2015) foi criada para determinar o grau de responsabilidade do cidadão pelo destino correto do lixo gerado, além de ampliar a atuação da fiscalização ambiental, que, agora, pode multar os infratores que descartam lixo e entulhos em áreas públicas ou terrenos baldios.

2018 promete entrar na lista de grandes safras do Vale dos Vinhedos

Município: Vale dos Vinhedos

Qualidade da uva colhida durante a Vindima 2018 se equipara a 2005 e 2012 CRÉDITO: GILMAR GOMES/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Qualidade da uva colhida durante a Vindima 2018 se equipara a 2005 e 2012 CRÉDITO: GILMAR GOMES/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Depois de um 2016 de grandes perdas, onde a colheita foi consideravelmente menor em quilos do que a média esperada, e de um 2017 onde a quantidade de uvas atingiu as expectativas, porém, a qualidade manteve a média, 2018 poderá surpreender, com uma colheita menor em quantidade, mas com destaque pela qualidade das uvas. Oficialmente encerrada após três meses de colheita, a Vindima 2018 trouxe a certeza sobre a qualidade dos cachos e a possibilidade de elaboração de grandes vinhos.
Os amantes do vinho já sabem que o cultivo da uva depende de inúmeros fatores. A qualidade e as características da terra onde os vinhedos são cultivados, o trabalho diário do agricultor e o clima nas quatro estações do ano são influências importantes. Ao findar de cada colheita, já se iniciam os trabalhos de preparo para a nova safra, que será realizada no ano posterior.
As terras da região são propícias para o cultivo, entretanto, o clima é o grande desafio para o cultivo local em função de a natureza ser imprevista, apesar da tecnologia avançada. Nesse quesito, o desenvolvimento desta safra teve temperaturas bem divididas: noites frescas e dias quentes, inverno equilibrado e a antecipação da primavera. Apesar de picos de chuva em janeiro deste ano, elas não foram suficientes para influenciar de forma significativa. As cores e aromas foram intensificados e a doçura contribuirá para a elaboração de vinhos ícones com graduação mais elevada.
Atendendo as expectativas dos enólogos das 23 vinícolas associadas à Associação dos Produtores de Vinhos Finos do Vale dos Vinhedos (Aprovale), ótimos vinhos levarão o ano de 2018 à galeria das grandes safras de vinhos ícones. Segundo o diretor técnico da Aprovale e presidente do Conselho Regulador da Indicação Geográfica Vale dos Vinhedos, Daniel de Paris “a safra foi excelente, com uvas super maduras, de maturação fenólica muito boa e que originarão vinhos estruturados de altíssima qualidade”.
A tendência é que os rótulos tradicionalmente elaborados apresentem qualidade ainda mais elevada e que os vinhos lançados apenas em safras especiais sejam reeditados em 2018. Os primeiros a chegarem ao mercado serão os brancos e espumantes, no segundo semestre do ano. Os tintos levam um tempo maior de maturação e demoram mais tempo para serem lançados.
O Vale dos Vinhedos é a única Denominação de Origem para vinhos no Brasil e suas regras são bastante específicas, principalmente quanto aos cultivares autorizados e produtividade por pé e hectare. A qualidade dos produtos inscritos também é avaliada por um corpo especializado de degustadores. Ao adquirir um vinho com Denominação de Origem Vale dos Vinhedos (DOVV), o consumidor leva para casa um vinho com as características únicas da região.
O processo de avaliação dos vinhos acontece sempre em setembro de cada ano e a expectativa para grandes safras, a exemplo de 2012, ano em que a DOVV foi oficialmente reconhecida pelo Instituto Nacional da Propriedade Industrial (Inpi), é de cerca de 20 amostras inscritas.
O processo da DOVV evoluiu ano a ano e, após cinco anos de reconhecimento e trabalho de internalização do conceito, o número de amostras aumentou. Em 2018, a expectativa decorrente da qualidade da safra é de mais de 25 amostras inscritas por mais de 12 vinícolas associadas à Aprovale. As regras completas para a DOVV podem ser conferidas no site do Vale dos Vinhedos.

Concessão do Parque Aldeia do Imigrante é assinada em Nova Petrópolis

Município: Nova Petrópolis

Urbanes Empreendimentos inicia os trabalhos no atrativo turístico dia 10 de maio CRÉDITO: KASSANDRA DORNELES/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Urbanes Empreendimentos inicia os trabalhos no atrativo turístico dia 10 de maio CRÉDITO: KASSANDRA DORNELES/DIVULGAÇÃO/CIDADES

A cidade protagonizou um importante marco para o turismo da serra. A concessão do Parque Aldeia do Imigrante foi firmada na última terça-feira, dia 10, nas dependências do atrativo turístico. O prefeito Regis Luiz Hahn e o diretor da empresa vencedora da concorrência pública, Urbanes Empreendimentos, Hélio Júnior, assinaram o contrato válido por 12 anos. O vice-prefeito Charles Paetzinger, e o secretário municipal de Turismo, Indústria e Comércio, Paulo Roberto Staudt, testemunharam a assinatura do contrato, firmado em uma coletiva para imprensa, autoridades e empreendedores.
Hahn ressaltou a coragem da administração e a parceria da comunidade para estabelecer a concessão do atrativo. “O Parque Aldeia do Imigrante continua sendo do município e sua alma seguirá germânica, como sempre. O que muda é a capacidade de investimentos por parte da empresa Urbanes; é uma estratégia de crescimento para este que é um dos mais importantes atrativos turísticos da serra gaúcha”, declarou o prefeito. O secretário de Turismo, Indústria e Comércio, Paulo Roberto Staudt, destacou a parceria público-privada como a possibilidade legal de futuro para parques e atrativos turísticos.
Hélio Júnior fez uma breve apresentação da empresa, que tem sede em Santa Maria e 26 anos de atuação. Após, apresentou o ciclo de investimentos que será realizado no atrativo, no total de R$ 4.057.198,92 ao longo de 12 anos. O diretor da Urbanes também mostrou passos e prazos iniciais de melhoria no Parque Aldeia do Imigrante, tais como 30 dias para assumir o atrativo; 90 dias para reformar a estrutura; 120 dias para ampliação e acesso; e 210 dias para trabalhar a expansão e novas atrações. Além disso, Hélio Júnior apresentou iniciativas a longo prazo e os passos a serem tomados até 10 de maio, quando a empresa inicia os trabalhos no atrativo, efetivamente. As ações serão gerenciadas pelo turismólogo, Leonardo Zago Menezes.
“Queremos contribuir com a iniciativa pública, fomentando o turismo e novos negócios. Vamos trabalhar com transparência e interação com a comunidade de Nova Petrópolis”, disse o diretor da empresa Urbanes, Hélio Júnior. Também participaram da coletiva o gerente do Parque Aldeia do Imigrante, Leonardo Zago Menezes, além dos integrantes da Urbanes Greice Morati, André Atarão e Rodrigo Lisboa.
A empresa Urbanes Empreendimentos Eireli venceu a concorrência pública para exploração, revitalização, modernização e manutenção do Parque Aldeia do Imigrante, por meio da celebração de contrato de concessão de área pública, incluindo a construção, implantação, manutenção, conservação, melhoria, gestão, exploração e operação, por meio de operadores especializados nas áreas da cultura, lazer, entretenimento, turismo e empresarial, do complexo Parque Aldeia do Imigrante. As obras de melhoramento e de reforma das instalações do parque independem de nova outorga, mas serão, obrigatoriamente, submetidas à aprovação do município, conforme o caso, para aprovação prévia, se houver alteração que descaracterize os projetos apresentados inicialmente.

Voluntários retiram mais de 1,4 mil quilos de lixo do rio Taquari em Estrela

Município: Estrela

Ação Taquari-Antas Vivo ocorreu na manhã do dia 7 de abril CRÉDITO: PAULO RICARDO SCHNEIDER/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Ação Taquari-Antas Vivo ocorreu na manhã do dia 7 de abril CRÉDITO: PAULO RICARDO SCHNEIDER/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Em seu pequeno barco a remo, acompanhado do filho Vítor, de sete anos, Vitor Hugo Leonhardt, de 37, percorreu as margens do rio Taquari recolhendo lixo. Ele foi um dos mais de 400 voluntários que participaram, na manhã do último sábado, dia 7, do Taquari-Antas Vivo, ação voluntária de preservação ambiental, que coletou resíduos do rio e do seu entorno. Morador da Pinguela, Leonhardt conta que, uma semana antes, já havia começado este trabalho, que realiza há vários anos. “Me criei no rio, junto com meu pai, que era pescador. Ele já tinha essa consciência de cuidar do rio, que, agora, quero transmitir aos meus filhos, que sempre me acompanham”, conta. No fim da manhã, o resultado do trabalho dos voluntários foi grandioso: mais de 1,4 mil quilos recolhidos.
Os participantes chegaram cedo ao Parque Municipal da Lagoa, onde ocorreu a concentração. De lá, em barcos e em grupos que percorreram as áreas próximas, começaram a coletar os materiais, que, depois, eram separados, pesados e, por fim, levados para a Usina de Tratamento de Lixo (UTL) do município. Garrafas pet, embalagens plásticas, tecido, pneus, ferro, madeira, vidro e até sofás estavam entre os materiais retirados do Taquari. “O objetivo destas ações é conscientizar a população e buscar uma mudança de mentalidade quanto à destinação do lixo e preservação do rio”, ressaltou o secretário do Meio Ambiente Hilário Eidelwein no início da atividade. O coordenador do evento, José Ivan Maria, e o presidente do Comitê de Gerenciamento da Bacia Taquari-Antas, Júlio Salecker, também enfatizaram o cunho educacional da ação.
O governo de Estrela esteve engajado em mais esta edição do Taquari-Antas Vivo, que, no município, foi organizada pela Câmara de Comércio, Indústria e Serviços (Cacis), pela Parceiros Voluntários e pela prefeitura. Entre outros órgãos, estiveram envolvidas as secretarias municipais do Meio Ambiente e Saneamento Básico/Sala Verde Manoel Ribeiro Pontes Filho, Obras Públicas e Saúde – que disponibilizou uma ambulância e profissional para atender eventual emergência – e a Coordenadoria Municipal de Defesa Civil. Em sua 12ª edição, o evento teve apoio da Faculdade La Salle, da BRF, do Corpo de Bombeiros, da Rádio Sorriso, da Plastrela, do Serviço Social da Indústria (Sesi), do Trânsito Brasil, da Saneban, da Companhia Riograndense de Saneamento (Corsan), da Defesa Civil e da Brigada Militar.

A condição básica é o tema da formação continuada em artes em Viamão

Município: Viamão

Primeiro encontro do curso foi realizado no último sábado, dia 7 de abril CRÉDITO: PREFEITURA MUNICIPAL DE VIAMÃO/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Primeiro encontro do curso foi realizado no último sábado, dia 7 de abril CRÉDITO: PREFEITURA MUNICIPAL DE VIAMÃO/DIVULGAÇÃO/CIDADES

No último sábado, dia 7, aconteceu o primeiro encontro do Curso de Formação Continuada em Artes, do Programa Educativo da Fundação Vera Chaves Barcellos (FVCB), realizado em parceria com a secretaria municipal de Educação. O encontro aconteceu na Sala dos Pomares, antecedendo o lançamento oficial da exposição, e reuniu cerca de 30 professores da rede, interessados em conhecer mais sobre o universo das artes visuais.
Durante o curso, são proporcionados encontros paralelos com artistas, teóricos, curadores e arte-educadores, qualificando e estimulando o debate em torno da produção artística contemporânea e das questões por ela suscitadas. O tema deste semestre, A condição básica, reúne trabalhos de mais de 30 artistas, entre brasileiros e estrangeiros, pertencentes ao acervo artístico da FVCB. A artista visual, arte-educadora e coordenadora do Programa Educativo da FVCB, Margarita Kremer, conta que este é o 15º semestre de formação continuada. “Trabalhar com arte é um verdadeiro desafio. É mostrar que tudo pode ser transformado em arte ou feito releituras.”
Para a coordenadora pedagógica da Escola Municipal de Educação Infantil (Emei) Stella Virgínia Konrad, Salete Martins Silva, há 17 anos na rede, as formações são uma nova forma de trabalhar a liberdade de expressão em sala de aula. “É muito boa essa interação dos professores com os artistas, repassando isso para os alunos. É muito inspiradora e nos mostra uma nova forma de trabalhar, de experimentar com o cotidiano e com os materiais que temos disponíveis. Isso faz com que a arte não fique distante”, explica Salete, que, neste semestre, completa 10 formações continuadas em artes. Como resultado disso, a coordenadora aposta em estudantes mais críticos e expressivos.
A professora Neusa Janete Rocha, da Escola Municipal de Ensino Fundamental (Emef) Amador Nunes da Rocha (Espigão), participou de todas as formações, desde o primeiro encontro. “É um grande aprendizado. Sempre aprendemos algo novo, mas o mais gratificante é proporcionar essa visita, essa interação aos nossos alunos. Eles adoram vir aqui por ser um ambiente onde a área externa é bastante familiar a eles. Mas, quando entram na sala de exposição, tudo é diferente. É como se eles se deparassem com um novo mundo”, expressa.
A mostra conta também com obras dos artistas Elida Tessler e Guilherme Dable, especialmente convidados para a exposição. Fotografias, vídeos, serigrafias, livros de artista, obras gráficas e objetos, além de pinturas, esculturas e colagens, integram a nova mostra, com organização da FVCB, que problematiza a questão da apropriação no universo das artes visuais na contemporaneidade. Reunindo um diverso conjunto de trabalhos formados a partir de diferentes elementos, alguns alheios ao campo das artes visuais, a exposição apresenta a apropriação como procedimento criativo, reconhecendo o hibridismo e a contaminação como fundamentos integrantes da arte e da cultura.