Programa tem como objetivo levar mais segurança às escolas de Passo Fundo

Município: Passo Fundo

Iniciativa foi apresentada à comunidade na última quinta-feira, na Escola Eloy Pinheiro Machado CRÉDITO: ALEX BORGMANN/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Iniciativa foi apresentada à comunidade na última quinta-feira, na Escola Eloy Pinheiro Machado CRÉDITO: ALEX BORGMANN/DIVULGAÇÃO/CIDADES

O Programa Minha Escola Mais Segura foi apresentado oficialmente pela prefeitura à comunidade na última quinta-feira, na Escola Municipal de Ensino Fundamental (Emef) Eloy Pinheiro Machado. A iniciativa busca trabalhar a segurança dos alunos e professores e do espaço físico da escola, com impacto direto na comunidade escolar do local. Inicialmente, serão atendidas sete escolas municipais.
Para isso, o programa promove ações práticas para desenvolver o tema em questões como educação para o trânsito, segurança individual e coletiva e conciliação de problemas enfrentados na escola. Além das ações imediatas, também será feita a instalação de câmeras de videomonitoramento a partir de 2019. “O programa que lançamos hoje vem para agregar e, junto das escolas, trabalhar a segurança e preparar os alunos para um mundo mais seguro, de tolerância e compreensão das diferenças, além de uma coisa fundamental: respeito às regras para construir uma sociedade melhor”, afirmou o prefeito, Luciano Azevedo.
As sete escolas municipais de Ensino Fundamental atendidas neste primeiro momento serão Eloy Pinheiro Machado, no bairro Leonardo Ilha; Cohab Secchi (Caic), no bairro Secchi; Jardim América, no bairro Jardim América; Guaracy Barroso Marinho, no bairro Zachia; Irmã Maria Catarina, no bairro Integração; Coronel Sebastião Rocha, no bairro Valinhos; e Georgina Rosado, no bairro Lucas Araújo. No decorrer dos trabalhos, que serão progressivos, gradativamente as demais escolas da rede municipal de ensino serão incluídas.
Para a diretora da escola Eloy Pinheiro Machado, Marinilza de Farias Santos, “o programa é muito importante e vamos fazer de tudo para que ele aconteça da melhor forma aqui em nossa escola. Educação para o trânsito e segurança são temas que precisamos trabalham na comunidade. É pela educação que começamos”.
O Programa Minha Escola Mais Segura será coordenado pelas secretarias municipais de Segurança Pública e de Educação, tendo como coorganizadores as secretarias de Obras, Planejamento e Transportes e Serviços Gerais. Além disso, o desenvolvimento do conteúdo pragmático do programa terá parcerias da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), da Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe), da Brigada Militar, da Polícia Civil e do Conselho Tutelar.
Segundo o secretário de Segurança Pública João Darci Gonçalves da Rosa, é somente pela educação que será possível alcançar as metas futuras no comportamento social e no trânsito. “Este trabalho reunirá uma série de informações básicas através de palestras e atividades específicas, como a sinalização de áreas escolares, visando proporcionar um espaço mais humano, com qualidade de vida, conforto, acessibilidade e, acima de tudo, segurança”, explicou.
Entre os objetivos específicos, estão implementar um espaço na região da escola que proporcione mais segurança na mobilidade, promover atividades de incentivo à cultura de hábitos seguros, incentivar o tema de mobilidade urbana e segurança no trânsito na transversalidade curricular e aumentar a sensação de segurança pública no ambiente escolar.

Plano sobre o futuro de Gramado está em fase de conclusão

Município: Gramado

Projeto final será apresentado à comunidade nesta quarta-feira CRÉDITO: CLARA CASAGRANDE/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Projeto final será apresentado à comunidade nesta quarta-feira CRÉDITO: CLARA CASAGRANDE/DIVULGAÇÃO/CIDADES

A Agenda Estratégica de Desenvolvimento Sustentável e Plano de Mobilidade Urbana de Gramado, projeto que visa preparar a cidade para os desafios do desenvolvimento nas próximas três décadas e solucionar alguns problemas críticos enfrentados pelos cidadãos no dia a dia, segue para sua fase final. Os resultados dos últimos sete meses de trabalho serão apresentados à comunidade gramadense nesta quarta-feira, dia 8, às 19h, no centro de eventos da Fundação de Apoio da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Faurgs).
“O trabalho, iniciado em dezembro de 2017, está sendo concluído, onde todos os subsídios trazidos pela sociedade estão se materializando em decisões estratégicas para o município. Creio que chegaremos a um resultado fantástico, cujos frutos serão colhidos ao longo das próximas décadas”, comenta o secretário de Planejamento, Jeferson Zatti.
O trabalho da Agenda Estratégica se iniciou em dezembro de 2017, durante o Natal Luz, com pesquisas de
origem/destino com a comunidade e os visitantes que se estenderam até março. Ainda no fim de 2017, até o início deste ano, foram realizadas duas oficinas internas entre equipe municipal e projetual, e três participativas com a comunidade. Assim, o Plano de Mobilidade de Gramado tem como referência um volume grande de materiais coletados nesses meses de trabalho de campo, formado por seis estratégias, 40 programas e 130 projetos.
Para a conclusão do projeto e apresentação da modelação final do plano, durante o mês de maio, a secretaria de Planejamento, Urbanismo, Publicidade e Defesa Civil, e a CEPA Consultora realizaram uma série de reuniões setoriais, contando com a participação de autoridades dos poderes Executivo e Legislativo, conselhos, empresários da cidade, operadores e agências de turismo, representantes da zona rural, engenheiros, arquitetos e construtores. Foram três dias de encontros para ajustar os últimos detalhes antes da apresentação final aos gramadenses que ocorrerá em agosto. Ao longo dos meses de junho e julho, as equipes responsáveis por cada uma das estratégias desenvolveram fichas técnicas, onde detalharam a maioria dos projetos.
“Foi uma participação produtiva, consciente e comprometida dos setores da comunidade. Em ambiente harmonioso, tivemos grandes contribuições baseadas na construção a partir das diferenças, que sem dúvidas constituíram um grande aporte para pensar Gramado a partir de um patamar de qualidade internacional, sempre em termos de sustentabilidade”, destaca o representante da equipe projetual da CEPA na região, Daniel Caporale.
Criação de Agência de Desenvolvimento Sustentável
A criação de uma Agência de Desenvolvimento Sustentável, um órgão inovador que gerenciará a prática das seis estratégias como políticas públicas, definidas durante as três oficinas participativas já realizadas, foi um dos tópicos mais discutidos pelos participantes na época, em maio. Essa proposta também será apresentada à comunidade gramadense na quarta-feira.
Turismo e paisagem são os grandes eixos da cidade que se projeta para as próximas três décadas. Além da criação da agência, a Agenda Estratégica prevê a construção de mirantes para a valorização da paisagem natural da cidade e sua internacionalização, ou seja, serão novos elementos modeladores da paisagem que permitirão sua recuperação para o beneficio do interesse público.
Novas estratégias para a mobilidade urbana, uma das preocupações da administração e dos moradores, motivarão ações como a construção de uma nova perimetral que preserva a paisagem do Vale do Quilombo, ícones paisagísticos para estacionamentos públicos e uma nova estrutura de mobilidade alternativa para deixar, gradativamente, o Centro e sua avenida principal para os pedestres. “A sociedade gramadense está diante de uma grande oportunidade para consolidar o processo que foi iniciado no ano passado e continuar projetando seu futuro em benefício de uma cidade sustentável. Por isso, esperamos que a comunidade participe da apresentação pública”, destaca o secretário de Planejamento, Jeferson Zatti.
“Após a apresentação do dia 8, passaremos às etapas de divulgação e capacitação da comunidade, onde as estratégias e projetos serão explicados através de reuniões setoriais, e principalmente, se formarão as capacidades necessárias que permitam a futura implementação da agenda e da agência. Posteriormente, e com o empoderamento final da sociedade, teremos o compromisso de encaminhar estes projetos inovadores à câmara de vereadores para a consolidação em lei”, conclui. A Agenda Estratégica de Desenvolvimento Sustentável e Mobilidade Urbana está sendo elaborada pela prefeitura e pela CEPA Consultora.

Prefeitura de Caxias do Sul investe em reabertura de escola infantil

Município: Caxias do Sul

Instituição passou por reformas na estrutura do prédio CRÉDITO: PETTER CAMPAGNA KUNRATH/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Instituição passou por reformas na estrutura do prédio CRÉDITO: PETTER CAMPAGNA KUNRATH/DIVULGAÇÃO/CIDADES

A Escola de Educação Infantil Nosso Amiguinho foi entregue totalmente remodelada para os moradores da Zona Sul na última quarta-feira, dia 1. Após seis meses fechada para reformas, a instituição reabre para os estudantes depois de um trabalho em conjunto das secretarias municipais da Educação (Smed) e do Planejamento (Seplan).
A obra, considerada urgente devido às condições do prédio, incluiu reformas no telhado, piso, banheiros, rede elétrica e parte externa. As principais mudanças foram realizadas no telhamento, em que foram trocadas as calhas, reforçada a estrutura do telhado e colocadas telhas com revestimento termoacústico. Além disso, foi reformada toda a parte elétrica da escola, com colocação de novos equipamentos de telefonia, sistema contra descargas elétricas e iluminação de emergência. Os muros externos foram pintados, e o piso das salas e dos banheiros, trocado. O investimento do município foi de R$ 264 mil.
A escolinha faz parte da gestão compartilhada e será administrada pela EduCaxias. “Estamos satisfeitos por receber a Nosso Amiguinho reformada pela prefeitura. Essas melhorias são extremamente significativas para a comunidade, já que a escola acolhe as crianças do bairro Esplanada. Agora, elas poderão retornar para a sua rotina próxima de seus familiares, o que também representa mais tranquilidade para as famílias”, afirma Nestor Basso, supervisor da entidade.
Durante a reforma, os estudantes foram remanejados para outras instituições que atendem à Educação Infantil de Caxias do Sul. Neste ano, a escolinha terá uma turma de berçário I; duas de berçário II; duas de maternal I e II; e duas de jardim I, totalizando, aproximadamente, 100 crianças. Nos próximos dias, as famílias devem informar a Smed se os estudantes permanecem nas escolas ou irão para a Nosso Amiguinho. Após esse remanejamento, a secretaria disponibilizará essas vagas para a comunidade.
A secretária da educação Marina Matiello também reforça a importância da reforma para garantir a qualidade do aprendizado. “O governo municipal tem uma preocupação não só com os aspectos pedagógicos das escolas, mas também com a infraestrutura dos prédios escolares. Sendo considerada uma obra de urgência, não foram medidos esforços para realizarmos essa reforma. Entregamos à comunidade uma escola com condições mais adequadas que oportunizam melhor bem-estar e qualidade na rotina escolar”, completa. As férias de inverno acabaram e, na última terça-feira, dia 31 de julho, os 36 mil alunos das 82 Escolas Municipais de Ensino Fundamental de Caxias do Sul voltaram para a rotina escolar, iniciando o segundo semestre letivo.

Candiota realiza 4ª edição do Colônia em Festa

Município: Candiota

Evento ocorreu nos dias 28 e 29 de julho, no ginásio da Escola Santa Izabel CRÉDITO: VICTÓRIA FERREIRA/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Evento ocorreu nos dias 28 e 29 de julho, no ginásio da Escola Santa Izabel CRÉDITO: VICTÓRIA FERREIRA/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Nos dias 28 e 29 de julho, foi realizada a 4ª edição do Colônia em Festa de Candiota, em comemoração ao dia do colono e do motorista. O evento, que, inicialmente, aconteceria na sede do Centro de Educação Popular e Pesquisa em Agroecológica (Ceppa), no Assentamento Roça Nova, foi transferido para o ginásio da Escola Santa Izabel em virtude das últimas chuvas e levou entretenimento para o fim de semana da comunidade.
As festividades tiveram início durante a última semana, com as primeiras etapas da Gincana Colonial; seguiram durante o sábado, com os Jogos de
Futsal da Colônia; e foram encerradas no domingo com uma programação de dia cheio. No último dia, a festa contou com as partidas finais dos Jogos Coloniais e com o encerramento da gincana, que teve como vencedora a equipe Kit Taka, da Escola 8 de Agosto. Além disso, as feirantes do município montaram uma exposição com produtos coloniais que estavam sendo comercializados durante todo o dia.
Durante o ato solene, ao fim de tarde, após o evento receber a benção pelo frei Sérgio Gorgen, foram entregues as premiações dos Jogos de Futsal da Colônia e da Gincana Colonial. Logo após, foi feita a homenagem aos colonos e aos motoristas, com entrega de certificados. Os produtores homenageados foram Álvaro Dagoberto Silveira Brum, pela Pecuária Familiar; Reinaldo Rotava, por Propriedade Diversificada; Ani Luciani Cornélius, pela Gestão Feminina na Propriedade; e Noedi Cavalheiro dos Santos, Produtor de Sementes. Os motoristas homenageados foram Cláudio Magno Correa Silveira, Emerson Veleda Esteves, Valtoir Duarte e Joares Soares Simões. Ao final das homenagens, a invernada da Escola Santa Izabel também abrilhantou o evento.
O 4º Colônia em Festa recebeu a visita da corte da Festa do Colono da Hulha Negra, que passou para prestigiar e convidar para o seu evento, que acontece na próxima semana. Durante a festa, também se fez presente o deputado estadual Luiz Fernando Mainardi, que congratulou o município. “Quero parabenizar a prefeitura por investir na nossa agricultura familiar, dando evidência aos nossos produtores e mostrando a força do campo, através dessa festa”, concluiu Mainardi.
Durante sua fala, o prefeito Adriano Castro dos Santos enfatizou a importância de se investir na agricultura familiar. “É através dos nossos produtores que a cidade se alimenta, a agricultura sempre terá espaço de prioridade no nosso governo”, destacou o prefeito. O coordenador de turismo, responsável por liderar a organização da festa, Fabiano Aquere, agradeceu a todos que se envolveram para que fosse possível o evento e também aos apoiadores e patrocinador.
Para encerrar o 4º Colônia em Festa, foi realizada a bailanta festiva, com o grupo Longa Metragem com Dani e Tomás. O evento foi uma realização da prefeitura, por meio das secretarias de Agropecuária; de Turismo; e de Cultura, Esporte e Juventude, com o patrocínio da Engie (UTE Pampa Sul) e apoio da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater), do Serviço Social do Comércio (Sesc), da Star Service, do Empório Econômico, do Varejão, da Coopersul e da Veterinária Sossego.

Encontro sobre plantas bioativas reúne mais de 600 pessoas em Lajeado

Município: Lajeado

Atividades aconteceram nos dias 27 e 28 de julho, na Univates CRÉDITO: NICOLE MORÁS/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Atividades aconteceram nos dias 27 e 28 de julho, na Univates CRÉDITO: NICOLE MORÁS/DIVULGAÇÃO/CIDADES

A 12ª Reunião Técnica Estadual sobre Plantas Bioativas e o 1º Encontro Regional de Agrobiodiversidade dos Vales contou com dois eixos principais de atividades, sendo eles plantas bioativas na saúde e na alimentação humana e plantas bioativas na sanidade ambiental. Ao todo, mais de 600 pessoas de mais de 100 municípios participaram das atividades na última semana, na Universidade do Vale do Taquari (Univates).
Na última sexta-feira, 27 de julho, o evento recebeu a engenheira-agrônoma, professora doutora Cláudia Petry. Com a palestra (Re)Conhecendo as irmãs plantas: respeito e sensibilização à vida, a coordenadora do Núcleo de Estudos em Agroecologia (NEA) da Universidade de Passo Fundo (UPF) provocou os presentes ao incentivar a desconstrução do antropocentrismo e abordar a inteligência vegetal. “A partir do momento em que estimularmos quintais e agricultores, voltaremos a viver bem”, afirmou. Durante sua fala, Cláudia criticou a “parafernália eletrônica” e o seu domínio sobre os humanos e voltou os olhares ao natural, ao “ser” e ao momento. “O mais valioso é o agora, compreender que tudo merece estar aí. O agora é a nossa única certeza”, salientou.
No painel Potencialidades das espécies nativas, realizado pela manhã, a doutora Elisete de Freitas abordou a importância das plantas originárias do Rio Grande do Sul, explicando que as espécies exóticas podem oferecer risco às espécies nativas. Elisete também falou sobre o potencial alelopático de algumas plantas, ou seja, a capacidade que essas espécies têm em inibir o crescimento e a germinação de outras plantas, agindo naturalmente como herbicidas naturais.
Já o doutor Eduardo Ethur iniciou sua fala sobre a relação histórica entre o homem e as plantas, e estudos que apontam que, entre 1981 e 2014, mais de 75% dos fármacos tiveram suas estruturas descritas com base em algum componente natural. “Essa aplicação se deu a partir do uso tradicional das espécies vegetais, o que geralmente se inicia pelo consumo de chás”, afirmou ele. Ethur afirmou, ainda, que muitas espécies são “canivetes suíços” devido à grande variação de ativos que podem ser utilizados.
O evento também teve um espaço dedicado para que escolas apresentassem trabalhos desenvolvidos sobre a temática do evento, e o Museu de Ciências da Univates (MCN) realizou a exposição O caminho das especiarias. Também foram realizadas 25 oficinas, palestras, conferências e apresentação de pôsteres de trabalhos científicos.
Trilhas ecológicas e interpretativas, pancaminhadas, oficinas temáticas, relatos de experiências, exposição de projetos escolares, espaço da erva-mate, apresentação de trabalhos científicos, espaço do cuidado, hora do chá e feira de produtos orgânicos – em parceria com a Articulação em Agroecologia do Vale do Taquari (AAVT) – foram outras atividades que ocorreram paralelamente ao evento principal. A programação da 12ª Reunião Técnica Estadual sobre Plantas Bioativas foi realizada nos prédios 7 e 9 da Univates.
O evento é uma promoção da secretaria de Desenvolvimento Rural, Pesca e Cooperativismo (SDR), da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater) e Univates. O apoio é do Sicredi, da Universidade Estadual do Rio Grande do Sul (Uergs), da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Ufrgs), da Federação dos Trabalhadores na Agricultura (Fetag-RS), Languiru, da prefeitura de Lajeado, da 3ª Coordenadoria Regional de Educação, do Centro de Orientação Holística Vida Saudável (Cohvisa), da Associação Brasileira de Homeopatia Popular, da AAVT, do Centro de Apoio e Promoção da Agroecologia (Capa), da Certel, da Itaipu Binacional, da Pastoral da Saúde e da 16ª Coordenadoria Regional da Saúde.