Pacto de alfabetização visa formar 200 professores em Taquara

Município: Taquara

Pnaic 2017/2018 foi lançado no dia 8 de novembro, no auditório da Faccat CRÉDITO: MAGDA RABIE/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Pnaic 2017/2018 foi lançado no dia 8 de novembro, no auditório da Faccat CRÉDITO: MAGDA RABIE/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Professores das redes municipal e estadual participaram, no dia 8 de novembro, do lançamento do Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa (Pnaic) 2017/2018, realizado no auditório das Faculdades Integradas de Taquara (Faccat). Cerca de 200 professores integram a formação (100 horas no total) que visa assegurar que todas as crianças estejam alfabetizadas até os oito anos de idade, ao fim do 3º ano do Ensino Fundamental. O Pnaic é destinado a professores municipais e estaduais alfabetizadores do 1º ao 3º ano, professores das salas de recursos, da Educação Infantil, do Programa Novo Mais Educação, supervisores pedagógicos e diretores das escolas onde não há supervisoras.
O pacto, segundo mencionou a coordenadora local do Pnaic, Simone Tomazini da Luz, foi lançado em 2012, abrangendo do 1º ao 3º ano, especialmente destinado às professoras alfabetizadoras. Em 2013, iniciou-se o estudo da parte da linguagem com encontros e formações. Em 2014, a matemática também é integrada do 1º ao 3º ano, mas ainda destinado às professoras alfabetizadoras. Em 2015, abrangeu-se, além das áreas de linguagens, as demais disciplinas e foram revistos os planos de estudo e a questão da avaliação. Os trabalhos envolvendo as áreas da linguagem e do letramento continuaram em 2016.
“Em 2017, o Pnaic veio com uma nova forma, incluiu a Educação Infantil, crianças a partir de quatro anos de idade, tanto das escolas municipais de Educação Infantil (Emeis) quanto das de Ensino Fundamental (Emefs), o Programa Novo Mais Educação, professores alfabetizadores do 1º ao 3º ano municipais e estaduais e, junto, desde 2016, as coordenadoras pedagógicas”, destaca Simone. “O objetivo da formação é auxiliar os professores com novas estratégias, novas metodologias, questões de avaliação, do lúdico. Não vamos trazer nada pronto, nada mágico, é uma troca. Vamos juntos desenvolver um trabalho que otimize a Educação em Taquara”, afirma Simone.
Em Taquara, nove professores, coordenados por Simone da Luz, ministram as formações aos demais docentes. Na área da Educação Infantil, a formação será destinada pelas professoras Sandra Luzia Corrêa, Caroline de Almeida Jaeger e Ananda Soares dos Santos. Para os professores do Programa Novo Mais Educação quem ministrará a formação será a professora Indira Cezar, e, para os professores do 1º ao 3º ano, a formação será passada pelas professoras Luciana Michele Martins Alves, Solange dos Reis Lopes, Thaís Nathali Haag, Cátia Jussane Policarpo e Carina Policarpo.
Participando do evento, o secretário municipal de Educação, Cultura e Esportes, Antônio Edmar Teixeira de Holanda, salienta a importância do pacto. “O papel de vocês, alfabetizadoras, é importantíssimo. Em um levantamento feito pelo Ministério da Educação, foi revelado que há, pelo Brasil, crianças analfabetas no 6º e no 7º ano. Isso é aterrorizante. A mudança depende de vocês explorarem e aproveitarem muito estes momentos, pois vocês é que farão as coisas acontecerem. O salto que a educação de Taquara está dando é por causa de vocês”, relata o secretário.
A vice-diretora da (Faccat), Carine Backes Dörr, também prestigiou o evento. “Vocês percebem a importância que têm na Educação de nossa região, nenhum país desenvolve sem educação, nós estamos em desenvolvimento e temos um caminho longo que começa com nossas crianças. São sementes que estão começando a germinar. A criança está descobrindo o mundo, e precisamos estar comprometidos e motivados a deixar que elas continuem a procurar novas informações, o nosso papel, mais que letramento e alfabetização, é despertar o interesse e a alegria em aprender. Se não conseguirmos despertar essa vontade, talvez ela pare de estudar. Este é o nosso desafio”, comenta Carine. Também participou do lançamento do Pnaic a professora doutora Maria de Fátima Reszka, coordenadora do curso de Pedagogia da Faccat.
O Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa é um compromisso formal assumido pelo governo federal, do Distrito Federal, dos estados e municípios. A equipe de trabalho conta com as coordenadoras estaduais da 2ª Coordenadoria Regional de Educação (Crea), Lediane Garcia Lucena e Márcia Carvalho, da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime-RS), tem o apoio de universidades federais. Em Taquara, o Pnaic também tem a parceria da Faccat, desde a sua primeira edição.

Programa visa fortalecer rede de atenção básica em saúde em Caxias do Sul

Município: Caxias do Sul

UBS+ proporcionará reforço de mais de 260 profissionais nas Unidades Básicas CRÉDITO: DANIEL BIANCHI/DIVULGAÇÃO/CIDADES

UBS+ proporcionará reforço de mais de 260 profissionais nas Unidades Básicas CRÉDITO: DANIEL BIANCHI/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Um levantamento feito pela secretaria municipal da Saúde (SMS) apontou deficit de dezenas de profissionais nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) do município. Há vagas a serem preenchidas para 43 médicos, 42 profissionais de enfermagem, 14 odontólogos e oito assistentes sociais. Necessidades que precisam ser solucionadas para implantar o Projeto Territórios da Saúde. Para isso, o prefeito Daniel Guerra lançou, no dia 10 de novembro, o programa UBS . A proposta é focar os atendimentos de saúde nas necessidades e características de cada região de Caxias do Sul. Se uma área possui uma população maior de crianças, por exemplo, o serviço pediátrico será reforçado. O diagnóstico do que cada região precisa será feito por meio do levantamento dos registros de atendimentos das UBSs.
Para consolidar a atenção básica, os 265 profissionais do Pronto Atendimento (PA) 24 horas serão realocados para reforçar as equipes das 48 UBSs do município. O atendimento será multidisciplinar com médicos, odontólogos, psicólogos, enfermeiros e terapeutas ocupacionais, e com a coleta de exames no local. “Queremos humanizar as relações, onde se possa estabelecer um vínculo com as equipes. Teremos todo o acompanhamento do histórico do paciente, dando alguns encaminhamentos dentro da própria UBS. Com a rede básica fortalecida, é possível solucionar de 80% a 90% dos males de saúde da população”, reforça a secretária municipal da Saúde, Deysi Piovesan.
Hoje, cerca de 70% dos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) procuram, de maneira equivocada, os atendimentos de urgência e emergência prestados pelo Pronto Atendimento 24 horas, pela Unidade de Pronto Atendimento da zona Norte (UPA) e pelos hospitais Pompéia e Geral. São casos de baixa complexidade que podem ser resolvidos nas UBSs, desde que as equipes de trabalho estejam completas para dar conta da demanda.
A nova estrutura de trabalho contará com uma UBS Referência, que trabalhará como um núcleo para as UBSs satélites. Na Referência, serão oferecidos os serviços que o território mais demanda, como por exemplo, nutricionistas, psicólogos e Núcleos de Atenção à Família. Já as satélites passarão a contar com mais profissionais da área médica e de enfermagem, que farão os encaminhamentos para a Referência. Ao todo, serão implantados 11 Territórios de Saúde: 10 na área urbana e um na área rural. O projeto-piloto será executado na região Esplanada, que será uma UBS Referência. Lá, as UBSs Satélite serão São Caetano, Alvorada e Salgado Filho.
“Nosso compromisso sempre foi o de fortalecer o atendimento de saúde baseado na comunidade, o que significa assistir os cidadãos o mais próximo possível dos locais em que eles vivem. Queremos reforçar o vínculo dos nossos profissionais com as pessoas, garantindo uma assistência de qualidade para a população. Esse é mais um compromisso desse governo entregue aos caxienses”, destaca o prefeito.

Projeto literário da Escola da URI completa 16 anos em Erechim

Município: Erechim

Apresentações artísticas fizeram parte da programação de lançamento CRÉDITO: URI ERECHIM/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Apresentações artísticas fizeram parte da programação de lançamento CRÉDITO: URI ERECHIM/DIVULGAÇÃO/CIDADES

O livro Criando, idealizado pela Escola de Educação Básica da Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões (URI), completou 16 anos. Nesse período, nasceram, além das obras desenvolvidas, muitos talentos. O lançamento de mais uma edição do livro aconteceu na noite de 7 de novembro, no salão de atos, com a presença de familiares, amigos e alunos autores. Nesses 16 anos de incentivo à leitura, à apreciação da poesia e ao fazer-poético, muito foi descoberto, salienta a coordenadora do projeto, professora Viviane Forcellini Domingues, que teve o apoio das professoras do Ensino Médio Letícia Teixeira e Silva Dumke. O apoio do Ensino Fundamental II foi das professoras Aline Fantinel Alves, Emília Maria Fantinel e Katiane de Oliveira.
Nesta nova edição, “talentos incalculáveis demonstraram o quanto os alunos da Escola de Educação Básica da URI Erechim são talentosos, criativos e proativos no que se refere à cultura, ao conhecimento, à cidadania e à socialização”, salienta a professora Viviane. Em 2017, o Criando do Ensino Médio inovou a partir de uma proposta de associação imagem/arte/texto. Trabalho talentoso, de minúcias em que a obra da escritora Clarice Freire serviu de apoio em um produzir poético durante as aulas de Literatura Brasileira.
A capa do Criando do Ensino Médio é obra de duas alunas do segundo ano: Laura Koiawinsky de Oliveira e Luíse Machado Silva Zanette de Oliveira, as quais, com muita sensibilidade, demonstraram, através do desenho, da cor e do traçado, o quanto os jovens de hoje estão ligados à tecnologia sem deixar de lado o interesse pela leitura, começando pela mesa que alia um computador a uma pilha de livros. O disco voador representa o mundo mágico para o qual todos os leitores podem ser transportados ao iniciar uma leitura. O celular e os fones de ouvido, assim como as notas musicais, confirmam como a música pode ter um papel fundamental na interpretação de uma história. A arte é finalizada com a máquina de escrever, confirmando como o hábito de ler nunca deixa de ser atual e atinge todas as faixas etárias, afirmam as artistas.
O Volume XVI do Ensino Fundamental foi igualmente preparado com muito carinho pelos alunos e organizados pelos professores de Língua Portuguesa e de Literatura Brasileira. A capa foi produzida pela aluna Maria Fernanda Zuanazzi Remor, do 9º ano, no intuito de mostrar que podemos criar nosso próprio universo e viajar na nossa imaginação. A pequena cidade na cabeça do menino ilustra os nossos pensamentos, sentimentos e emoções, e a escada, nossa capacidade de ir além. Segundo Maria Fernanda, “é possível subir a escada da vida, chegar e viver em nosso próprio planeta; ir além, surpreender-se. Parte da inspiração surgiu a partir da leitura do livro Lua de Larvas, de Sally Gardner”, salientou.
O show de lançamento do Criando contou com várias apresentações de dança clássica e moderna, grafite, declamações de poesia simulando uma linha do tempo literária, além de instrumentos musicais. A coordenadora do projeto, Viviane, parabenizou alunos, professores, coordenação e direção por mais este Criando.

Grupo SOU realiza apresentações no Espaço Cultural São José em Flores da Cunha

Município: Flores da Cunha

O amor me fez assim terá três sessões, hoje e nos dias 17 e 18 de novembro, sempre às 20h CRÉDITO: NATANE AREZE/DIVULGAÇÃO/CIDADES

O amor me fez assim terá três sessões, hoje e nos dias 17 e 18 de novembro, sempre às 20h CRÉDITO: NATANE AREZE/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Uma história feliz, mas à beira dos deslizes humanos, a louca paixão equilibrando-se em um circo de vaidades, incertezas, desesperanças. Desta forma é traçado o espetáculo O amor me fez assim que o SOU – Cantadores de Histórias estreia neste mês. Em três sessões, nos dias de hoje, sexta-feira (17) e sábado (18) de novembro, sempre às 20h, no Espaço Cultural São José (rua Barros Cassal, nº 777). A apresentação começará pontualmente e não será permitida a entrada após o início.
Pelas canções de compositores como Altemar Dutra, Dolores Duran, Odair José, Perla, Lupicínio Rodrigues, Bartô Galeno, Waldick Soriano e a Banda Calypso, entre outros, o grupo cantará os detalhes da história, em uma linha tênue entre amor e ódio, confiança e arrependimento: o teatro das relações; marionetes em um enredo de esperanças e frustrações. “Um repertório brasileiro, bem popular, narra o enredo do espetáculo enquanto um repertório internacional mostra o profundo sentimento dos protagonistas. A busca, o encontro e os desencontros. Alegria, mágoa, delírios e desprezo”, descreve o diretor do espetáculo Renato Filippini.
O Grupo SOU – Cantadores de Histórias, vinculado à Associação Cultural Camerata Florense, associação sem fins lucrativos que existe e funciona graças à contribuição espontânea dos sócios através do Mecenato Cultural e cachês de apresentações, surgiu em dezembro de 2013. A proposta do grupo é a realização de performances em locais e momentos inesperados, além de concertos e espetáculos. Desde sua criação, o SOU atua na dinamização de pesquisa, produção e divulgação da música vocal enriquecendo o cenário artístico da cidade e da região. Sua trajetória soma o incentivo à educação do público, a formação de plateia e a criação do senso crítico através da sensibilização da música como forma de entendimento social.
Os ingressos para o espetáculo estarão à venda por R$ 20,00, com os cantores, no Insieme Caffe (avenida 25 de Julho, nº 1.503). A classificação etária é a partir de oito anos. Mais informações podem ser obtidas com o diretor artístico Renato Filippini, pelo telefone (0xx54) 99977-8379.

Gravataí estuda implantar biogás para processamento do lixo

Município: Gravataí

Alternativa inédita e sustentável otimiza a separação de resíduos e transforma lixo orgânico em energia CRÉDITO: PREFEITURA MUNICIPAL DE GRAVATAÍ/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Alternativa inédita e sustentável otimiza a separação de resíduos e transforma lixo orgânico em energia CRÉDITO: PREFEITURA MUNICIPAL DE GRAVATAÍ/DIVULGAÇÃO/CIDADES

A cidade pode ser a primeira do País a contar com uma tecnologia inédita para a separação e destinação final de resíduos. No dia 8 de novembro, o prefeito, Marco Alba, recebeu o diretor comercial da Sebigás do Brasil, Lorenzo Pianigiani, para conhecer a metodologia que trabalha com a transformação do lixo orgânico em biogás, através da biodigestão, uma alternativa de geração de energia elétrica em substituição ao gás natural. O projeto também contempla a otimização da separação de resíduos iniciais.
“Com a implantação desta tecnologia, estima-se uma redução para 30% da quantidade de rejeitos que hoje são transportados e aterrados em Minas do Leão. Além da diminuição de custos, que atualmente giram em torno de R$ 11,5 milhões anuais para o transbordo, transporte e destinação final, temos a possibilidade de converter o lixo em biogás e gerar energia para iluminação pública, escolas e postos de saúde, por exemplo”, completou o prefeito.
O biogás também pode ser utilizado na produção de gás natural veicular (GNV) para abastecer frotas de veículos, como ônibus escolares. O processo de biogestão também possibilita a confecção de fertilizantes e adubos, que podem ser utilizados nas plantações dos pequenos produtores rurais, impulsionando o trabalho dos agricultores de Gravataí. Segundo o secretário municipal de Habitação, Saneamento e Projetos Especiais, Luiz Zaffalon, a tecnologia é inédita no Brasil, e a projeção de resultados é de uma redução estimada em 63 toneladas/dia. “É importante salientar que este projeto visa adequar Gravataí à Lei Nacional dos Resíduos, que determina que apenas os rejeitos sejam destinados aos aterros sanitários”, informou Zaffalon.
A primeira-dama do município e mentora do programa de preservação ambiental Gravataí, eu faço por ti, Patrícia Bazotti Alba, fez questão de integrar a comitiva em visita ao aterro sanitário, a fim de apresentar a estrutura já existente no município para separação dos resíduos. “Estamos buscando alternativas sustentáveis para tratar a questão do lixo de maneira responsável, com baixo custo e menos impacto ambiental. A Associação e a Cooperativa dos Catadores já fazem um trabalho de triagem e separação dos resíduos sólidos, e nós queremos aprimorar ainda mais este serviço e agregar a destinação final também do lixo orgânico”, disse. Na ocasião, também esteve presente o secretário titular de Serviços Urbanos, Francisco Pinho, e seu adjunto, Paulo Garcia; e o diretor-presidente da Fundação Municipal de Meio Ambiente, Jackson Müller; além de membros da secretaria de Serviços Urbanos e funcionários do Aterro Sanitário Municipal.