Educação ambiental é trabalhada no Programa Gravataí eu faço por ti

Município: Gravataí

Primeira-dama se reuniu com equipes diretivas para oferecer atividades do projeto no decorrer do ano letivo CRÉDITO: HIURI SOUZA/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Primeira-dama se reuniu com equipes diretivas para oferecer atividades do projeto no decorrer do ano letivo CRÉDITO: HIURI SOUZA/DIVULGAÇÃO/CIDADES

A conscientização sobre a natureza e o meio ambiente é um dos grandes desafios do mundo atual e a melhor estratégia para abordar esta temática é trabalhar a educação ambiental desde os primeiros anos de vida. Com esse objetivo a prefeitura, através do gabinete da primeira-dama (GPD), em parceria com a secretaria da Educação (Smed), realizou um encontro de formação na última quarta-feira, dia 7, com as equipes diretivas das 75 escolas municipais. A proposta, segundo a primeira-dama Patrícia Bazotti Alba, é incluir as atividades do Programa Gravataí eu faço por ti ao longo do ano letivo nas instituições de ensino da rede.
Segundo Patrícia, o programa foi concebido para difundir os princípios da sustentabilidade e da conscientização ambiental, possuindo uma grande abrangência, uma vez que traz como proposta o trabalho de forma integrada entre as secretarias municipais e escolas, através dos professores, funcionários e alunos, pesquisadores e profissionais da área, além da sociedade em geral.
“Entre as atividades propostas para serem executadas junto às comunidades escolares estão a elaboração da Agenda 21 Escolar, a implantação da coleta seletiva nas escolas que ainda não possuem, com o descarte correto dos resíduos, a criação de pontos de entrega voluntária de óleo vegetal pós-consumo e eletroeletrônicos, a implementação de composteiras, hortas escolares, o cultivo de plantas medicinais e a criação de bancos de sementes nativas e crioulas”, disse Patrícia.
Se acordo com a secretária da Smed, Sonia Oliveira, “a educação ambiental pode ser entendida como toda ação educativa que contribui para a formação de cidadãos conscientes da preservação do meio ambiente e aptos à tomarem decisões coletivas sobre questões ambientais necessárias para o desenvolvimento de uma sociedade sustentável”. Dessa forma, sua aplicação não se restringe ao universo escolar, mas também às comunidades.
“Incentivamos os alunos a adquirirem consciência ecológica a partir de pequenos gestos, como reaproveitar a água das chuvas para regar plantas e limpar o pátio; não deixar a torneira aberta enquanto escovam os dentes; jogar papel de bala e qualquer resíduo na lixeira correspondente; enfim, práticas que eles também levam para suas casas e compartilham com suas famílias. É um grande ciclo”, completou a primeira-dama Patrícia, que acompanha as turmas de alunos em visitas ao aterro sanitário e à Cooperativa dos Catadores, ensinando sobre a importância da separação correta do lixo.
Além dos passeios aos locais de reciclagem, a prefeitura realiza visitas técnicas ao rio Gravataí, em parceria com a Fundação Municipal do Meio Ambiente (FMMA). Lá, os estudantes têm a oportunidade de conhecer mais sobre as condições do rio que abastece a cidade e boa parte da região metropolitana que, infelizmente, sofre com a poluição ao longo de seu curso através do despejo de lixo e dejetos não tratados que prejudicam a todos.
O Programa Gravataí eu faço por ti também propõe mudanças de comportamento na execução das atividades diárias na administração pública. A economia de folhas e tinta com impressões e o reaproveitamento de papéis como rascunho; a redução de custos com energia, desligando computadores e luzes quando não forem utilizados e sempre ao fim do expediente; além de outras ações que impactam diretamente na preservação dos recursos naturais, são trabalhadas anualmente junto aos funcionários e colaboradores da prefeitura.
As ações também despertam a conscientização a partir do plantio de flores em locais de descarte irregular de lixo, para que a população não jogue resíduos em beira de asfaltos, canteiros ou terrenos. “Os ecopontos estão aí para isso. Todos os meses, são cerca de R$ 280 mil desperdiçados no recolhimento de entulhos e lixo despejados em locais inapropriados, ocasionando outros danos, como problemas à saúde em virtude das condições sanitárias impróprias que o lixo acumulado gera”, alertou Patrícia. “Não é preciso ações grandiosas para fazer a diferença junto à natureza e para a preservação do meio ambiente. Basta cada um fazer a sua parte no seu cantinho do planeta, que para nós é Gravataí, que já estaremos contribuindo muito para melhorarmos o meio em que vivemos”, finalizou a primeira-dama.