Intercâmbio do movimento Slow Food de Garibaldi une Brasil e Itália

Município: Garibaldi

Grupo do município percorreu 12 cidades nas regiões do Lazio e Abruzzo CRÉDITO: ANA CAROLINA AZEVEDO/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Grupo do município percorreu 12 cidades nas regiões do Lazio e Abruzzo CRÉDITO: ANA CAROLINA AZEVEDO/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Quando Carlo Petrini idealizou o movimento Slow Food, em 1986, as raízes gastronômicas da Itália estavam enfraquecidas, nutrindo-se de combos e enlatados. Como em todo o mundo, os italianos também acabaram rendidos à dominância de uma alimentação industrializada, porque a racionalização do trabalho e o ritmo da globalização em nada combinavam com um ritual de refeição em cinco etapas. Agora, 32 anos depois, em um movimento oposto, as cidadelas voltam a exaltar sua produção superlocal, levando a efeito os conceitos de agricultura biológica e desenvolvendo também um turismo de experiência ligado ao produto e ao produtor.
Em um projeto único de intercâmbio entre comunidades Slow Food no mundo, um grupo do Slow Food Primeira Colônia Italiana, de Garibaldi, percorreu 12 cidades nas regiões do Lazio e Abruzzo, conhecendo pequenas propriedades de convivas associados ao Slow Food Latina, Territori de Cesanese e Viterbo e Tuscia. Em 10 dias, os brasileiros conheceram produções de vinho, olivas, queijos, doces, carne, mel, gelato, cerveja, hortifruti, a água terapêutica de Fiuggi e, claro, restaurantes – a maioria deles com produção orgânica e certificações de origem.
A líder do Slow Food Primeira Colônia Italiana Ivane Fávero reforça que esse acordo com os convivia de Cesanese e Latina foi construído com uma proposta inovadora, visando trocar experiências e ampliar o aprendizado sobre as práticas de valorização do território e de seus produtores, de suas pessoas e seu ambiente. “Já estamos nos organizando para bem receber, no próximo ano, o grupo italiano que virá conhecer nossa região. E, em 2020, deveremos selecionar novo grupo de associados para visitarem os territórios irmãos italianos. É fundamental que estejam associados e ativos ao nosso convívio. Juntos fazemos mais pelo alimento bom, justo e limpo, por uma sociedade mais consciente e feliz”, salienta.
O intercâmbio também foi uma oportunidade ímpar para os brasileiros conhecerem a produção de vinhos e espumantes orgânicos da região do Lázio, já que a serra gaúcha é a maior produtora de vinhos e espumantes no Brasil. O roteiro enológico mostrou que as regiões visitadas são propícias à produção orgânica de vinhos graças à biodiversidade natural, mineralidade do solo, boa insolação, amplitude térmica e umidade do ar. Isso permite a produção de uvas com alta graduação e a valorização das variedades características de cada microrregião.
Essa foi a segunda edição do Intercâmbio Slow Food Brasil Itália. No ano que vem, será a vez dos italianos visitarem o Brasil, também pela segunda vez, e conhecerem projetos e empreendimentos alinhados à filosofia do movimento. O município de Garibaldi, por meio da secretaria de Turismo e Cultura, apoia o Slow Food Primeira Colônia Italiana.
Madrinha da Via Orgânica, Bela Gil conhece a cidade e se encontra com empreendedores da rota turística
A culinarista e apresentadora de televisão Bela Gil passou os dias 5 e 6 de maio em Garibaldi. Madrinha da rota turística Via Orgânica, Bela conheceu de perto o trabalho dos empreendimentos e produtos que aliam o alimento à saúde, à sustentabilidade ambiental, social e cultural. Além disso, conferiu os detalhes da produção de espumantes e realizou um passeio de Tim-Tim pelo Centro Histórico da cidade.
No dia 5, Bela e a família visitaram a centenária vinícola Peterlongo, no Centro. Entre as pedras e as pipas da cantina, um museu conta histórias e mostra as ferramentas, instrumentos e outros aparelhos rudimentares que foram utilizados na elaboração do primeiro espumante comercializado no Brasil. Garibaldi, pelo pioneirismo e pela Rota dos Espumantes, é conhecida como a Capital Brasileira do Espumante.
O encontro com os empreendedores da Via Orgânica e participantes do Slow Food Primeira Colônia Italiana ocorreu no dia 6, no Sítio Crescer. Cada integrante da rota apresentou seu trabalho e produtos, que fazem o resgate de antigas formas de cultivo aprimoradas pelas novas tecnologias. Atualmente, integram a rota a Cooperativa Vinícola Garibaldi, a Econatura, a Família Boroto,a Família Mariani, Fit UP, Sabor Ecológico, Sítio Crescer; Sítio do Celo; e Valle Rustico. O almoço ocorreu no restaurante associado ao Slow Food e integrante da Estrada do Sabor, Osteria della Colombina.
Acostumada aos grandes centros urbanos, Bela gostou muito de Garibaldi. “A cidade é linda, aconchegante e as pessoas foram muito receptivas”, disse, sorrindo. Questionada sobre a importância de projetos como a Via Orgânica, a apresentadora resumiu dizendo que “os produtos orgânicos são o futuro da humanidade” e que “não há valorização do alimento sem valorização da terra”. Para finalizar, Bela alertou que o consumidor precisa entender o produtor local e o investimento que é necessário para que se produzam alimentos com mais qualidade e que respeitem o meio ambiente.
Em seu Instagram, Bela compartilhou diversos momentos da família em Garibaldi. Em um deles, escreveu que se sentia “honrada em ser madrinha desse maravilhoso projeto”, referindo-se à Via Orgânica. Atualmente no comando do programa Bela Cozinha no canal pago GNT, além de seu próprio canal no YouTube, Bela defende uma alimentação consciente e saudável. Também é autora dos livros Bela Cozinha – As Receitas e Bela Cozinha 2, que trazem receitas, informações sobre os ingredientes e dicas de estilo de vida que beneficiam a saúde do corpo e do meio ambiente.
O secretário de Turismo e Cultura de Garibaldi, Paulo Salvi, reforça que a secretaria trabalhou mais de dois anos para viabilizar a visita de Bela. “Desde que a convidamos para ser madrinha da Via Orgânica, tentamos trazê-la pessoalmente. Nessa ocasião, aproveitamos uma visita ao Estado e conciliamos com os atrativos de Garibaldi”, explica. A vinda de Bela Gil contou também com o apoio do Hotel e Hostaria Casacurta e do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae-RS).