Espetáculo Afro-Brasileiro integra Projeto Etnias e Culturas na URI Erechim

Município: Erechim

Vários grupos se apresentaram na ocasião, destacando arte, cultura e religiosidade CRÉDITO: URI ERECHIM/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Vários grupos se apresentaram na ocasião, destacando arte, cultura e religiosidade CRÉDITO: URI ERECHIM/DIVULGAÇÃO/CIDADES

A etnia afro-brasileira foi a atração da última semana na Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões (URI) Erechim, dentro do Projeto URI 25 Anos – etnias e culturas: o que nos une, uma iniciativa dos departamentos da universidade e das associações étnicas e culturais de Erechim e da região Alto Uruguai. A programação foi desenvolvida entre os dias 27 de fevereiro e 3 de março.
Além da exposição Afro-Brasileiros no Alto Uruguai – cultura e religiosidades, que aconteceu no Espaço Cultura Viva, a comunidade acadêmica e regional teve a oportunidade de participar de vários momentos de trocas de experiências e conhecimentos. Na sexta-feira, 2 de março, jovens de escolas da rede pública municipal e da Escola de Educação Básica da URI participaram da exibição e discussão de videodocumentários e de uma oficina de Hip-hop – Cultura afro contemporânea, coordenada por Deivissom Camargo e Lilian Yasmin. A atividade, que aconteceu nos turnos da manhã e da tarde, contribuiu para a compreensão de aspectos relacionados com esta cultura, que surgiu nos guetos nova-iorquinos, nos Estados Unidos, na década de 1970. O hip-hop é um empreendimento coletivo e abarca manifestações artísticas nos campos da música (rap), das artes visuais (grafite) e da dança.
À noite, aconteceu a mesa-redonda História regional, cultura, religiosidade e racismo no Brasil, que contou com a participação da comunidade regional, grupos étnicos locais, professores e grupos de acadêmicos dos cursos de Ciências Contábeis, Pedagogia, Psicologia e do curso técnico em Enfermagem da universidade. A atividade foi conduzida por representantes do Movimento Étnico Cultural dos Negros de Erechim (Mene): Maurício Oliveira, Elisa Pilotto, André Fabrício Ribeiro e Monique Rosset. O momento permitiu a reflexão sobre a importância da cultura na constituição do País e da região.
A programação da Etnia Afro-brasileira encerrou na noite do último sábado, dia 3, com o espetáculo artístico, por meio do qual os grupos responsáveis pelas atividades fizeram uma apresentação dinâmica e alegre, interagindo com o público que lotou o salão de atos. Os grupos Mene; Kilombagem Suburbana; Griôs; Grupo Afrodescendentes de Aratiba (Afro Ara); Grupo de Capoeira Associação de Capoeira Angola Cultura Popular (Grupo ACACP); e Grupo de Capoeira Povo de Angola destacaram, por meio de danças, apresentações e cantos, a importância da cultura, arte, religiosidade e história do povo afro-brasileiro.
O Projeto URI 25 Anos – etnias e culturas: o que nos une se iniciou no ano passado. A primeira atração foi da etnia italiana, no dia 26 de agosto, com o show Vinho, história e magia. No dia 21 de outubro, a atração foi a etnia alemã, com o espetáculo Os sonhos são mais fortes. A etnia polonesa fez sua apresentação no dia 18 de novembro com o espetáculo Cultura, amor e história. A programação prevê, ainda, uma integração de todas as etnias, através de um jantar, no dia 28 de abril, nas comemorações do centenário do município de Erechim.