Vinhos e sucos de uva premiados têm degustação comentada em Caxias do Sul

Município: Caxias do Sul

Cerca de 170 pessoas participaram da apresentação das amostras vencedoras no dia 14 de setembro CRÉDITO: JANAÍNA R. SILVA/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Cerca de 170 pessoas participaram da apresentação das amostras vencedoras no dia 14 de setembro CRÉDITO: JANAÍNA R. SILVA/DIVULGAÇÃO/CIDADES

A secretaria da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Smapa), junto à Rede de Vinícolas de Caxias do Sul (Revinsul), promoveu, na noite de 14 de setembro, a Degustação Comentada nos Pavilhões da Festa da Uva. Foram servidos 12 vinhos e dois sucos premiados no XX Concurso dos Melhores Vinhos e Sucos de Uva de Caxias do Sul. Além de divulgar a produção local e valorizar as vinícolas do município, o evento objetivou aproximar a comunidade das técnicas de degustação.
Na abertura, o diretor técnico do Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin), Leocir Botega, fez uma breve explanação sobre a situação atual da vitivinicultura no Brasil. Em seguida, todos os participantes provaram as amostras enquanto especialistas convidados auxiliaram na percepção das características. A degustação comentada é a última etapa do concurso, que avaliou os produtos em julho e premiou os vencedores em agosto. Ao todo, 36 vinícolas da cidade forneceram 193 amostras em sete categorias: tinto de mesa, branco de mesa, rosado de mesa, branco vinífera, tinto vinífera, tinto vinífera engarrafado e suco de uva.
A secretária da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Camila Sandri Sirena, agradeceu especialmente a todos os vitivinicultores presentes, que lutam pela melhora na qualidade dos vinhos produzidos na cidade. “Pelas regras do concurso, são premiadas no máximo 30% das amostras. Neste ano, não tivemos o troféu bronze, o que significa que todos os premiados foram ouro e prata, confirmando a excelência dos nossos vinhos”, ressaltou.
Conforme o enólogo André Gasperin, vice-presidente da Revinsul, diversos itens foram considerados na avaliação das amostras para a escolha dos premiados em julho. “Na análise sensorial técnica, levamos em consideração o aspecto visual (a cor, as nuances, por exemplo), olfativo (os aromas que se pronunciam) e gustativo (equilíbrio de açúcar e acidez, taninos, sensações táteis na boca). Em seguida, fazemos uma avaliação global e atribuímos uma nota. Os vinhos pontuados acima de 90 pontos recebem medalha de ouro”, explica.
Para o vice-presidente da Associação Brasileira de Enologia (ABE), André Peres Júnior, um dos convidados para orientar o público, a degustação comentada auxilia na divulgação do vinho nacional. “Na apresentação dos resultados de um concurso existe a garantia de serem mostrados vinhos de excelente qualidade. Outra questão muito positiva é que, desta forma, os produtores conseguem expor seus produtos e mostrar sua qualidade aos verdadeiros consumidores”, ressalta.
A mesa de avaliadores foi composta por técnicos com grande conhecimento em vinhos, como o diretor técnico do Ibravin, Leocir Botega; o enólogo e vice-presidente da Revinsul, André Gasperin; o enólogo e vice-presidente da Associação Brasileira de Enologia (ABE) André Peres Júnior; o enólogo do Laboratório Randon, Bruno Onsi; o gerente-geral do Laboratório de Referência Enológica (Laren), Plínio Manosso; a enóloga e professora do Curso de Enologia da Universidade Federal do Pampa (Unipampa), Angela Rossi Marcon; e a jornalista e editora da Revista Bon Vivant e do Jornal A Vindima, Andréa Debon.