7º TechParty Faccat desbrava o mundo tecnológico em Taquara

Município: Taquara

Coordenador Azambuja e o palestrante Paulo Ferreira integraram o evento CRÉDITO: CLAUCIA FERREIRA/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Coordenador Azambuja e o palestrante Paulo Ferreira integraram o evento CRÉDITO: CLAUCIA FERREIRA/DIVULGAÇÃO/CIDADES

A 7ª edição do TechParty Faccat movimentou o campus das Faculdades Integradas de Taquara (Faccat) no decorrer da semana. Foram três noites de muito aprendizado e integração. Os participantes puderam conferir de perto as novidades da área tecnológica, os avanços e o que está por vir. Entre os assuntos abordados da Tecnologia da Informação (TI), robótica, Inteligência Artificial, drones, DevOps, e empreendedorismo foram alguns dos destaques. O coordenador dos cursos de TI da Faccat, Marcelo Azambuja, comenta que, a cada ano, o número de participantes aumenta, e que a ação já é esperada pelos acadêmicos, pessoas de outras instituições e comunidade. “Nossa área é científica e tecnológica. Temos públicos de níveis de experiência e conhecimentos variados, então encontrar assuntos e palestrantes que atinjam aos mais diversos perfis sempre é difícil. Mas, felizmente, conseguimos trazer palestrantes, que nos parece, agradaram ao público”, observa o coordenador.
A ação ocorreu de 23 a 25 de abril, no auditório 3 do Centro de Eventos. A realização foi dos cursos de Tecnologia da Informação da Faccat. Os patrocinadores foram as empresas LoopHost, Rocket.Chat, Flybyte, Sicoob, Umbler, Universo Varejo, CR-Sistemas e Web, Sanvitron, Infisc, além da parceira da Escola Técnica Estadual Monteiro Lobato (Cimol), Info-Cimol e Vigília Nerd. “Com a consolidação do evento, muitas empresas acabam participando ativamente da integração, e isto é fundamental, porque muitas pessoas não fazem ideia da força da área de TI na região, e que não para de crescer”, destaca o coordenador dos cursos de TI da Faccat, enfatizando, ainda, que, pelo Vale do Paranhana, há muitas empresas que vendem softwares e serviços de TI para todo o País e até para o exterior.
Os palestrantes do 7º TechParty Faccat foram os renomados profissionais professor dr. Paulo Ferreira, da Universidade Federal de Pelotas (Ufpel) e organizador-geral da Competição Brasileira de Robótica; Carlos Hennig, gerente de Tecnologia da Coester Automação e CTO da SkyDrones Tecnologia Aviônica; Gabriel Viégas, administrador de empresas, especialista em Gestão de Projetos de TI, Marketing Digital e E-commerce, Certified Scrum Product Owner; Rafael Gomes, graduado em Gestão de Tecnologia da Informação, especialista em Data Science Teams Management; e Rafael Barboza, consultor em desenvolvimento de software na Thoughtworks em Porto Alegre.

Grupo visa orientar mulheres sobre a menopausa em Taquara

Município: Taquara

Lançamento do Melhor Viver reuniu diversas autoridades municipais CRÉDITO: CLEUSA SILVA/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Lançamento do Melhor Viver reuniu diversas autoridades municipais CRÉDITO: CLEUSA SILVA/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Preocupada em promover ações que visem também à prevenção de doenças, e não apenas oferecer atendimento médico de qualidade, a secretaria municipal de Saúde criou o Melhor Viver – grupo formado por uma equipe multiprofissional que, semanalmente, orientará as mulheres sobre os sintomas e os tratamentos da menopausa. Estágio ocorrido na vida de toda mulher, em média entre os 45 e 55 anos, o início da menopausa é considerado após um ano do último fluxo menstrual. Nesta fase, em que está sendo encerrado também o ciclo ovulatório, ocorrem transformações no corpo feminino, que podem aumentar o aparecimento ou agravamento de doenças.
Durante o lançamento do Melhor Viver, ocorrido na manhã de 8 de março, data em que se comemorou o Dia Internacional da Mulher, o secretário de Saúde, Vanderlei Vili Petry, falou sobre a importância desse trabalho também para diminuir os casos de automedicação. “Nesse período, as mulheres buscam tomar, a maioria sem orientação médica, hormônios e uma série de remédios para amenizar os sintomas da menopausa. Métodos que, se não forem acompanhados por um médico, podem até resultar em problemas de saúde mais graves”, preocupa-se o secretário.
De acordo com a idealizadora do projeto, a enfermeira coordenadora da unidade Saúde da Mulher, Maria Cândida Nunes Peres, o grupo surgiu a partir de sua constatação de que a maioria das usuárias do Sistema Único de Saúde (SUS), em fase final do ciclo reprodutivo, sofriam com algum sintoma ou incômodo relacionado a esse período feminino, mas nem todas buscavam uma solução para esse problema. “É muito comum vermos pacientes procurando o médico quando já estão sofrendo com algum sintoma relacionado a menopausa, mas ninguém fala sobre o climatério, que é o tempo de transição que antecede a menopausa. Nossa ideia é esclarecer, de forma gratuita, clara e objetiva, questões que envolvam esse período em que se encerram os ciclos menstruais e ovulatórios da mulher”, explicou Cândida.
Cada grupo Melhor Viver será composto por 10 a 15 mulheres, com idades a partir dos 40 anos. Durante quatro quintas-feiras, serão oferecidas palestras às participantes, com temas como exercício físico na menopausa, alimentação saudável, qualidade de vida psicológica no climatério, entre outros. Além da enfermeira Cândida, também participam deste projeto a fisioterapeuta Úrsula Altmann Garcia, a nutricionista Fabíola Frezza Andriola, a psicóloga Barbara Beloto e a assistente social Eliete Falcão. As profissionais pretendem, ainda, no fim do ano, reunir as participantes dos grupos em um grande encontro, promovendo um momento de integração entre todas as pacientes.
Logo após a solenidade de lançamento do Projeto Melhor Viver, Gessi Marlene Bartfeldt, de 65 anos, moradora do bairro Cruzeiro do Sul, garantiu sua participação no primeiro grupo, e também fez a inscrição de sua filha, Maria Cristina Bartfeldt, de 46 anos. “Soube desse grupo quando estive aqui (no Posto de Saúde 24h e sede da secretaria de Saúde) fazendo o meu exame de pré-câncer. A Cândida me convidou, falei para a minha filha, e decidimos participar desses encontros”, relatou Gessi.
Também estiveram presentes no lançamento do projeto, que fez parte da programação da Semana Municipal da Mulher, os secretários de Desenvolvimento Social e Habitação, Anildo Araújo; de Desenvolvimento Econômico, Agricultura e Pecuária, Dircinei Antonelo; de Captação e Recursos, e interino de Trânsito e Mobilidade Urbana, Lorival da Rosa; além dos vereadores Mônica Facio, Levi Metanoya e Marlene Haag, de servidores da secretaria de Saúde e da comunidade em geral.
Interessadas em participar dos próximos encontros do grupo Melhor Viver, moradoras da zona urbana ou do interior do município, devem fazer sua inscrição na unidade Saúde da Mulher, junto à secretaria de Saúde, localizada na rua 17 de Junho, nº 2.411. As palestras ocorrerão às quintas-feiras, às 9h, na Sala da Saúde. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (0xx51) 3541-9330.

Encerramento do Campeonato de Xadrez na Faccat premia jogadores em Taquara

Município: Taquara

Competição visou integrar os municípios do Vale do Paranhana e incentivar a prática do xadrez CRÉDITO: DANIEL BITELLO/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Competição visou integrar os municípios do Vale do Paranhana e incentivar a prática do xadrez CRÉDITO: DANIEL BITELLO/DIVULGAÇÃO/CIDADES

O encerramento do 9º Campeonato Regional de Xadrez do Vale do Paranhana ocorreu na noite de 28 de novembro, no Centro de Eventos das Faculdades Integradas de Taquara (Faccat). Houve a premiação dos jogadores que mais pontuaram ao longo das etapas realizadas durante o ano. O evento, promovido pelos municípios da região em parceria com a Faccat, teve organização de Antônio Carlos Duarte de Souza e Adriano Coimbra.
O campeonato teve por objetivo integrar os municípios do Vale do Paranhana e incentivar a prática do xadrez na região, sobretudo nas escolas, visto que a modalidade é uma ferramenta poderosa no desenvolvimento e aprendizado das crianças e jovens, desenvolvendo inúmeras habilidades, como o raciocínio lógico, a tomada de decisão e a concentração. O evento homenageou também o enxadrista Clebert Ivo Ferrer (em memória), além de destacar o apoio da Associação dos Municípios do Vale do Paranhana (Ampara), dos prefeitos e secretários de Educação da região e da Faccat, que acreditaram no projeto.
O campeonato premiou as cinco categorias (masculino e feminino), além do município destaque, Parobé, que teve a participação de 453 enxadristas; e da escola destaque, Maltus Krummenauer, também de Parobé, que participou com 153 competidores. A solenidade de premiação foi prestigiada pelo diretor-geral da Faccat, Delmar Backes; pela presidente da Ampara – secretários de Educação, Eunice Luzia Salim Silveira; pelo presidente da Ampara – prefeitos, Joel Leandro Wilhelm, prefeito de Igrejinha; prefeito de Parobé, Moacir Clomar Jagucheski; e dos secretários de Educação de Igrejinha, Luís Carlos Trombeta; de Parobé, Carlos Alberto Finger; de Taquara, Antônio Edmar Teixeira de Holanda; e de Três Coroas, Viviane Anai Rothe.

Escola de Taquara ganha Ecoponto para recolher resíduos sólidos

Município: Taquara

Emef Nereu Wilhelms é a segunda a receber o projeto CRÉDITO: MAGDA RABIE/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Emef Nereu Wilhelms é a segunda a receber o projeto CRÉDITO: MAGDA RABIE/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Na última quinta-feira, dia 23, ocorreu a inauguração do Ecoponto da Escola Municipal de Ensino Fundamental (Emef) Nereu Wilhelms, localizada no bairro Medianeira. A ideia é que as 28 escolas que têm Comissões de Meio Ambiente e Qualidade de Vida (Com-Vidas) tenham o seu próprio Ecoponto para o recolhimento de resíduos sólidos: papel, plástico e metal. No município, também já está em andamento o Ecoponto da Emef João Martins Nunes. O projeto é uma parceria da secretaria municipal de Educação, Cultura e Esportes (Smece), Rotary Club de Taquara, Instituto Vitória, Cooperativa de Reciclagem e Limpeza (Cooreli) e Com-Vidas que integram alunos mobilizadores e incentivadores das causas ambientais na escola e no bairro e darão prosseguimento ao projeto.
A coordenadora do Com-Vida da escola, professora Catiuscia Oliveira, salienta que este é o segundo ano em que está a frente do Com-Vida e que já conseguiram atender a muitas demandas. “Hoje, temos mais essa oportunidade de melhorar o nosso planeta, em parceria com a Cooreli e o Rotary. A Cooreli teve esta ideia muito bacana de nos ajudar a separar melhor o lixo. O que eles fazem é tentar reduzir os resíduos, pois demoram muito tempo para se decompor, prejudicando o meio ambiente. O simples ato de dispensar o lixo no lugar certo ajudará muito a nossa vida. Só na escola, temos quase 300 alunos. Se todos ajudarem com as suas famílias, logo o bairro todo estará empenhado neste projeto”, destaca.
O coordenador da Cooreli, Alexandre Cândido, lembra que o projeto se iniciou a partir de uma ideia simples, mas que tomará uma grande proporção. “Teremos cinco anos para instituir de forma gradual este projeto em Taquara. Vamos conseguir, com a comercialização destes resíduos coletados na escola, uma receita que voltará ao educandário. Presumimos que, de cinco a 10 anos, a cidade de Taquara vai ser um exemplo de separação de lixo, uma referência a outras cidades”, afirma o coordenador, que oferece todo o apoio e a assistência às escolas para a efetivação do Ecoponto.
Ativista das causas ambientais, a representante do Rotary Club de Taquara, Nara Mattos, diz que uma das ênfases do clube de serviços é em prol do meio ambiente. “A importância do cuidado com o nosso planeta está ligada com a separação dos resíduos. Se conseguirmos aproveitar ao máximo os resíduos, o retorno será constante, vamos diminuir o lixo, acabar com os aterros sanitários e fazer com que o dinheiro usado para a contratação de aterros seja utilizado para reciclar e reaproveitar, devolvendo os recursos à saúde e à educação pública. Essa conquista depende de todos nós”, ressalta Nara.
A coordenadora da Educação Ambiental de Taquara, Sabrina Amaral, salienta que uma das questões importantes do projeto é a conquista de parcerias. “Trabalhamos em parceria, e isso é o que está fazendo este projeto sobressair. O professor Holanda foi o primeiro incentivador, e temos duas instituições que completam este tripé, que são a Cooreli e o Rotary – eles fazem toda a diferença no nosso trabalho, pois nos trazem alternativas de mudanças. Reconhecer que o meio ambiente não se cuida somente em determinadas épocas, mas sempre, é que temos que pensar. Temos que nos desenvolver, crescer, mas temos que preservar. Sem preservar, não sobrevivemos”, observa.
O secretário municipal de Educação, Cultura e Esportes, professor Antônio Edmar Teixeira de Holanda, relata o momento como importante à educação. “É através da educação que podemos mudar o mundo. É através das parcerias que fazemos estes momentos tornarem-se realidade. Todos os dias temos que nos preocupar com o lixo que fazemos e que isso é um problema nosso, não de quem o recolhe na frente da nossa casa. Vocês são o futuro, por isso a mudança depende muito de vocês”, reitera o secretário.

Pacto de alfabetização visa formar 200 professores em Taquara

Município: Taquara

Pnaic 2017/2018 foi lançado no dia 8 de novembro, no auditório da Faccat CRÉDITO: MAGDA RABIE/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Pnaic 2017/2018 foi lançado no dia 8 de novembro, no auditório da Faccat CRÉDITO: MAGDA RABIE/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Professores das redes municipal e estadual participaram, no dia 8 de novembro, do lançamento do Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa (Pnaic) 2017/2018, realizado no auditório das Faculdades Integradas de Taquara (Faccat). Cerca de 200 professores integram a formação (100 horas no total) que visa assegurar que todas as crianças estejam alfabetizadas até os oito anos de idade, ao fim do 3º ano do Ensino Fundamental. O Pnaic é destinado a professores municipais e estaduais alfabetizadores do 1º ao 3º ano, professores das salas de recursos, da Educação Infantil, do Programa Novo Mais Educação, supervisores pedagógicos e diretores das escolas onde não há supervisoras.
O pacto, segundo mencionou a coordenadora local do Pnaic, Simone Tomazini da Luz, foi lançado em 2012, abrangendo do 1º ao 3º ano, especialmente destinado às professoras alfabetizadoras. Em 2013, iniciou-se o estudo da parte da linguagem com encontros e formações. Em 2014, a matemática também é integrada do 1º ao 3º ano, mas ainda destinado às professoras alfabetizadoras. Em 2015, abrangeu-se, além das áreas de linguagens, as demais disciplinas e foram revistos os planos de estudo e a questão da avaliação. Os trabalhos envolvendo as áreas da linguagem e do letramento continuaram em 2016.
“Em 2017, o Pnaic veio com uma nova forma, incluiu a Educação Infantil, crianças a partir de quatro anos de idade, tanto das escolas municipais de Educação Infantil (Emeis) quanto das de Ensino Fundamental (Emefs), o Programa Novo Mais Educação, professores alfabetizadores do 1º ao 3º ano municipais e estaduais e, junto, desde 2016, as coordenadoras pedagógicas”, destaca Simone. “O objetivo da formação é auxiliar os professores com novas estratégias, novas metodologias, questões de avaliação, do lúdico. Não vamos trazer nada pronto, nada mágico, é uma troca. Vamos juntos desenvolver um trabalho que otimize a Educação em Taquara”, afirma Simone.
Em Taquara, nove professores, coordenados por Simone da Luz, ministram as formações aos demais docentes. Na área da Educação Infantil, a formação será destinada pelas professoras Sandra Luzia Corrêa, Caroline de Almeida Jaeger e Ananda Soares dos Santos. Para os professores do Programa Novo Mais Educação quem ministrará a formação será a professora Indira Cezar, e, para os professores do 1º ao 3º ano, a formação será passada pelas professoras Luciana Michele Martins Alves, Solange dos Reis Lopes, Thaís Nathali Haag, Cátia Jussane Policarpo e Carina Policarpo.
Participando do evento, o secretário municipal de Educação, Cultura e Esportes, Antônio Edmar Teixeira de Holanda, salienta a importância do pacto. “O papel de vocês, alfabetizadoras, é importantíssimo. Em um levantamento feito pelo Ministério da Educação, foi revelado que há, pelo Brasil, crianças analfabetas no 6º e no 7º ano. Isso é aterrorizante. A mudança depende de vocês explorarem e aproveitarem muito estes momentos, pois vocês é que farão as coisas acontecerem. O salto que a educação de Taquara está dando é por causa de vocês”, relata o secretário.
A vice-diretora da (Faccat), Carine Backes Dörr, também prestigiou o evento. “Vocês percebem a importância que têm na Educação de nossa região, nenhum país desenvolve sem educação, nós estamos em desenvolvimento e temos um caminho longo que começa com nossas crianças. São sementes que estão começando a germinar. A criança está descobrindo o mundo, e precisamos estar comprometidos e motivados a deixar que elas continuem a procurar novas informações, o nosso papel, mais que letramento e alfabetização, é despertar o interesse e a alegria em aprender. Se não conseguirmos despertar essa vontade, talvez ela pare de estudar. Este é o nosso desafio”, comenta Carine. Também participou do lançamento do Pnaic a professora doutora Maria de Fátima Reszka, coordenadora do curso de Pedagogia da Faccat.
O Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa é um compromisso formal assumido pelo governo federal, do Distrito Federal, dos estados e municípios. A equipe de trabalho conta com as coordenadoras estaduais da 2ª Coordenadoria Regional de Educação (Crea), Lediane Garcia Lucena e Márcia Carvalho, da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime-RS), tem o apoio de universidades federais. Em Taquara, o Pnaic também tem a parceria da Faccat, desde a sua primeira edição.