Curso de artesanato reúne quem busca por renda e lazer em Sapucaia do Sul

Município: Sapucaia do Sul

Atividades ocorrem na Coordenaria da Mulher, dentro do Projeto Elas - ação em construção CRÉDITO: DANIELA ROCHA LIMA/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Atividades ocorrem na Coordenaria da Mulher, dentro do Projeto Elas – ação em construção CRÉDITO: DANIELA ROCHA LIMA/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Munidas de pedaços de tecidos, linhas e muita criatividade, um grupo de mulheres sapucaienses passa as tardes de terças-feiras fazendo artesanato e conversando. Elas são alunas do curso de Decoração e artesanato, promovido pela prefeitura, através da Coordenadoria da Mulher, dentro do Projeto Elas – ação em construção.
A iniciativa tem como principal objetivo a geração de renda, mas também visa à criação de vínculos entre as envolvidas. As aulas semanais se iniciaram no fim de março e seguem até junho. Segundo a professora Ana Maria Belchior de Souza, as alunas aprenderão a fazer vários itens decorativos para casa, usando como base a costura. “Elas já aprenderam a fazer peso de porta, guirlanda e suporte para papel higiênico, e poderão gerar renda com isso. Ensino a técnica, mas, com criatividade, elas podem fazer coisas diferentes. Aqui, ensino com amor, e também aprendo com elas”, disse. Ana é artesã há 30 anos e ministra o curso de forma voluntária.
Em tratamento quimioterápico para combater um câncer de mama, Leandra Ramos, de 45 anos, buscou o curso para se distrair. “Por causa do meu tratamento, tive que parar de trabalhar. Artesanato para mim é um hobby, sinto-me muito bem aqui. Também estou me aprimorando, pois já fiz outros cursos de artesanato promovidos pela prefeitura, e posso fazer alguma coisa em casa para vender”, comentou Leandra, que tem como colega de curso a filha Bianca Ramos Cabral, de 13 anos.
Já a aposentada Diraci Martins, de 59 anos, conta que mal sabia pegar uma agulha e que teve receio de não conseguir aprender as técnicas ensinadas. “Queria ocupar meu tempo, mas fiquei com medo de não conseguir acompanhar. Mas esta é a quarta aula e já fiz quatro trabalhos, que estão enfeitando a minha casa. Estou gostando muito”, contou. Por meio do Projeto Elas – ação em construção, outra turma de Decoração e artesanato tem aulas nas quintas-feiras, enquanto um grupo se encontra nas quartas-feiras para as aulas de Pintura em tecido – módulo 2.

Projeto Escolinhas Comunitárias já começou em Sapucaia do Sul

Município: Sapucaia do Sul

Inscrições seguem abertas diretamente nos núcleos onde ocorrem as atividades CRÉDITO: HIURI SOUZA/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Inscrições seguem abertas diretamente nos núcleos onde ocorrem as atividades CRÉDITO: HIURI SOUZA/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Partidas de futsal e de futebol de campo já aconteceram no último dia 26 de fevereiro, com o início do Projeto Escolinhas Comunitárias. A iniciativa, desenvolvida pela prefeitura, através da secretaria municipal de Esporte e Lazer, é destinada a estudantes da cidade, de seis a 15 anos, e tem como objetivo oportunizar um espaço de socialização e inclusão social através do esporte. As aulas acontecem sempre no contraturno escolar, em diferentes locais, denominados de núcleos.
Na ocasião, a bola rolou na quadra coberta da Praça da Juventude, um dos núcleos do projeto, das 13h30min às 14h45min. Além da praça, o primeiro dia do projeto também ocorreu no Campo do Operário, pela manhã e à tarde. Mesmo com o início das atividades, as inscrições seguem abertas, podendo ser feitas diretamente nos locais e horários nos quais ocorrem as aulas, até as turmas serem preenchidas. Os interessados devem levar atestado de matrícula, cópia de certidão de nascimento ou RG, cópia de comprovante de residência e uma foto 3×4.
Para o futsal, os encontros ocorrerão em dois núcleos: na Praça da Juventude e no Ginásio Municipal Kurashiki. Na Praça da Juventude, as aulas serão nas segundas e quartas-feiras, nos turnos manhã e tarde. Já no Ginásio Kurashiki, os encontros ocorrerão nas terças e quintas-feiras, também pela manhã e à tarde. Já as aulas de futebol de campo ocorrerão no campo Operário, nas segundas e quartas-feiras, pela manhã e à tarde; e no núcleo do campo da Vargas, com aulas nas terças e quintas-feiras, também nos dois turnos.
Qualificação Integrada de Guardas Municipais tem início
Reunindo representantes de sete municípios, além da Polícia Rodoviária Federal e da Trensurb, o primeiro encontro do curso de Qualificação Integrada de Guardas Municipais aconteceu na manhã da última terça-feira, dia 27 de fevereiro, em Sapucaia do Sul. A iniciativa, que busca capacitar e melhorar o trabalho das guardas, é da prefeitura.
Para a renovação do porte de arma, a Polícia Federal exige uma requalificação anual de 80 horas dos guardas municipais. Segundo a comandante da Guarda Municipal, Silvania Pereira Forni, a atividade tem grande importância no trabalho das guardas. “As capacitações garantem que podemos prestar um serviço de qualidade, à altura do que o município precisa, e agir dentro da legalidade. Além disso, é um momento de integração entre as guardas, de troca de experiências, e isso é muito importante”, explica Silvania, lembrando que a parceria com outros municípios ocorre sem custos. “É fundamental que estejamos atentos à formação, porque isso quer dizer que, na outra ponta, na parte operacional, teremos profissionais que agirão da maneira correta”, finaliza.
Além de Sapucaia do Sul, o encontro contou com representantes das guardas municipais de Porto Alegre, Canoas, Cachoeirinha, Gravataí, Novo Hamburgo e Estância Velha. Esteio e São Leopoldo ainda deverão fazer parte do curso. A primeira reunião serviu para apresentação do projeto, bem como as regras de avaliação da qualificação, da qual os servidores presentes serão instrutores.
O curso acontecerá de março a dezembro na cidade, com aulas presenciais e a distância para os guardas de todos os municípios parceiros. A primeira aula aconteceu na última segunda-feira, dia 5, com a disciplina Organização Institucional. Ao todo, serão 20 disciplinas, como Ética, Legislação, Condicionamento Físico e Defesa Pessoal, entre outras, que poderão ser escolhidas pelos servidores. Cada turma terá 40 vagas.

Sapucaia Trail Run vai movimentara cidade no próximo mês

Município: Sapucaia do Sul

Inscrições já estão abertas e devem ser realizadas até o dia 13 de fevereiro CRÉDITO: PREFEITURA MUNICIPAL DE SAPUCAIA DO SUL/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Inscrições já estão abertas e devem ser realizadas até o dia 13 de fevereiro CRÉDITO: PREFEITURA MUNICIPAL DE SAPUCAIA DO SUL/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Mais uma grande atividade esportiva promete agitar os sapucaienses no mês de fevereiro. Trata-se da 1ª Sapucaia Trail Run, competição de corrida e caminhada que acontecerá pelas estradas e trilhas da Zona Rural da cidade no dia 18 de fevereiro. O evento é uma realização dos Atletas na Web e da Academia Arion, com o apoio da prefeitura. Na manhã da última sexta-feira, dia 12 de janeiro, os proprietários da Academia Arion, Flávia Luiza Loef e Felipe Guilherme Loef, juntamente com o professor Jorge Luis Ayres, foram recebidos pelo prefeito Luis Rogério Link e pela primeira-dama Odete da Cruz para falar do evento.
Link falou sobre a importância do apoio a atividades como estas na cidade. “Queremos motivar os sapucaienses a participarem e se preocuparem mais com a sua saúde. A prática de uma atividade física é fundamental para uma qualidade de vida, e participar de corridas e trilhas são grandes oportunidades para isso”, disse.
A 1ª Sapucaia Trail Run acontece pela manhã e contará com corrida trail de cinco e 10 quilômetros, além de caminhada de cinco quilômetros, para as categorias, que serão divididas por idade. As inscrições já estão abertas e devem ser feitas diretamente no site www.atletasnaweb.com.br/1sapucaiatrail até o dia 13 de fevereiro ou até atingir 350 atletas para a corrida e 200 atletas para a caminhada.
Os valores das inscrições são R$ 65,00 para a corrida e R$ 35,00 para a caminhada. Haverá premiação geral com troféu do 1º ao 5º lugar geral masculino e feminino (cinco e 10 quilômetros) e premiação nas categorias por faixa etária, também do 1º ao 5º lugar masculino e feminino (cinco e 10 quilômetros), além de troféu para o 1º lugar em todas as categorias e medalhas do 2º ao 5º lugar.

Procon faz levantamento de preços de repelentes e protetores solares em Sapucaia do Sul

Município: Sapucaia do Sul

Ao todo, nove estabelecimentos foram visitados na manhã do dia 10 de janeiro CRÉDITO: DANIELA ROCHA LIMA/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Ao todo, nove estabelecimentos foram visitados na manhã do dia 10 de janeiro CRÉDITO: DANIELA ROCHA LIMA/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Com a chegada do verão e o início das férias, a venda de repelentes de insetos e protetores solares aumenta consideravelmente. Atentos aos preços cobrados pelos produtos neste período, fiscais do Programa de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon) da cidade estiveram em farmácias na última quarta-feira, dia 10, para fazer um levantamento de preços e verificar se os valores praticados são abusivos. Ao todo, nove estabelecimentos foram visitados na ocasião.
Entre as marca de protetor solar pesquisadas, com fator 30 de proteção, a mais barata oscilou entre R$ 29,99 e
R$ 42,90 no valor cobrado por 200 ml. Já a marca mais cara, em embalagem de 350 ml, apresentou valores entre R$ 55,98 e R$ 69,40. Entre os repelentes de insetos, os preços praticados na marca mais barata pesquisada oscilaram entre R$ 15,99 e R$ 24,49, na embalagem de 200 ml. Já na marca mais cara, a variação foi de R$ 21,86 a R$ 31,59 por 100 ml do produto. O diretor do Procon de Sapucaia do Sul, Luis Fernando Carvalho, salienta que a variação nos preços está dentro do normal e aconselha os consumidores a fazerem uma pesquisa antes de comprarem o produto.
Nos próximos dias, os fiscais retornarão às farmácias para verificar se ocorreram aumentos abusivos. No entanto, segundo Carvalho, se algum consumidor realizou alguma compra anteriormente e percebeu o aumento, deve fazer sua denúncia junto ao Procon. “Se o consumidor se sentir lesado e tiver a nota fiscal da compra efetuada nos últimos dias e for caracterizado que o aumento foi abusivo, o reembolso será solicitado”, disse.
O Procon de Sapucaia do Sul está localizado junto à sede da secretaria municipal de Trabalho, Cidadania e Economia Solidária, na avenida Assis Brasil, nº 47. Contatos podem ser feitos pelos telefones (0xx51) 3453-5912 e 3452-6762. O atendimento ocorre de segunda a sexta-feira, das 8h às 16h, com entrega de fichas até as 15h.

Sapucaia do Sul deve aderir ao Programa Família Acolhedora

Município: Sapucaia do Sul

Assunto foi pauta de reunião realizada no último dia 27 de dezembro CRÉDITO: DANIELA ROCHA LIMA/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Assunto foi pauta de reunião realizada no último dia 27 de dezembro CRÉDITO: DANIELA ROCHA LIMA/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Acolher em ambiente familiar crianças e adolescentes em situação de negligência, maus-tratos, violência doméstica e abandono. É o que prevê o Programa Família Acolhedora, pauta da reunião ocorrida no dia 27 de dezembro, entre o prefeito, Luis Rogério Link; o secretário municipal de Desenvolvimento Social, Vilmar Ballin; o procurador-geral do município, Antenor Yuzo Sato; e a promotora de justiça da cidade, Maria Alice Sanchotene. Por meio do programa, crianças e adolescentes que apresentam situação de risco dentro de seu contexto familiar são incluídas, de forma temporária, em famílias acolhedoras. O período de permanência na família é determinado pelo sistema judiciário e por uma equipe técnica. A proposta visa à garantia dos direitos previstos no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), atende à Política Nacional de Assistência Social no âmbito do Sistema Único de Assistência Social e conta com o apoio do Ministério Público, através da Vara da Infância e Juventude.
O prefeito conta que o município tem interesse na iniciativa, que já foi implantada em outros estados brasileiros e em algumas cidades do Rio Grande do Sul. “Estamos dando os primeiros passos para a implantação do Família Acolhedora em Sapucaia do Sul, porque queremos o melhor para nossas crianças e jovens. Os atendidos pelo programa são acolhidos por famílias que lhes darão afeto e respeito e suprirão suas necessidade individuais, garantindo, assim, um crescimento mais saudável”, diz Link.
O secretário de Desenvolvimento Social elogia a iniciativa. “É um programa extraordinário, com um importante alcance social”, destaca. Ballin explica que as famílias selecionadas para participarem do programa devem preencher alguns requisitos, passar por capacitação e ser acompanhadas por uma equipe técnica de profissionais. Cada família recebe uma ajuda de custo e pode acolher, no máximo, uma criança ou adolescente, exceto no caso de irmãos.