Projeto Biblioteca Aberta busca incentivar a leitura em Sapucaia do Sul

Município: Sapucaia do Sul

Iniciativa visa facilitar o acesso das pessoas a diferentes obras e autores CRÉDITO: PEDRO DE BRITO/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Iniciativa visa facilitar o acesso das pessoas a diferentes obras e autores CRÉDITO: PEDRO DE BRITO/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Os livros ganharam espaço no saguão da prefeitura. Foi lançado, no último dia 4, o projeto Biblioteca Aberta: uma estante com livros que servidores e comunidade podem levar para casa. A iniciativa é do gabinete do prefeito Luis Rogério Link e da secretaria-geral de Governo, e tem como objetivo incentivar a leitura e facilitar o acesso das pessoas a diferentes obras e autores.
O secretário-geral de Governo Ademir Pereira destacou que o acervo da Biblioteca Aberta é de mais de 250 livros, todos doados pelos servidores municipais. As obras de literatura nacional e estrangeira, para todas as idades, estão à disposição para empréstimo, sem prazo para entrega nem necessidade de preenchimento de ficha. “A ideia é que as pessoas levem para casa estas histórias e que chorem e riam com elas. Também propomos que estes leitores tragam de casa seus livros e doem para o projeto, para que o maior número possível de histórias circule”, disse Pereira.
Sentada confortavelmente junto à estante da Biblioteca Aberta, a pequena Suzana Toniello, de oito anos, leu algumas histórias enquanto aguardava a mães ser atendida na prefeitura. Ela também escolheu alguns livros para levar para casa e disse ter gostado do espaço.
A servidora Simone de Almeida, de 34 anos, disse que não tem o hábito de ler, mas que espera ler mais, agora que os livros estão mais próximos dela. “Não leio por falta de tempo. Acredito que o projeto vai ajudar as pessoas a lerem mais”, comentou.
Já Ana Paula Querubim, de 31 anos, que também trabalha na prefeitura, conta que lê bastante, mas no computador. Ela escolheu livros para ela e para o filho. “Por causa da internet, as pessoas vão menos às bibliotecas. Gosto de ler e achei o projeto muito bom”, disse.
O lançamento do projeto contou com apresentações culturais. O dançarino Jonas Restani, do Grupo de Dança RAD, fez uma intervenção artística, e o músico Paulo Camurça, da secretaria municipal de Cultura e Turismo, tocou violão e contou para o público presente. Qualquer pessoa ou empresa pode participar da iniciativa e estimular o hábito da leitura doando livros para a Biblioteca Aberta. Para participar, basta levar um livro ao saguão da prefeitura e fazer a doação na caixa de coleta que fica junto à estante do projeto.

Feira do Produtor Rural de Sapucaia do Sul completa 19 anos

Município: Sapucaia do Sul

Comemoração ocorreu na última sexta-feira, na Praça General Freitas CRÉDITO: VIRGÍNIA DO ERRE/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Comemoração ocorreu na última sexta-feira, na Praça General Freitas CRÉDITO: VIRGÍNIA DO ERRE/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Na tarde da última sexta-feira, a Praça General Freitas recebeu uma festa comemorativa pelo aniversário de 19 anos da tradicional Feira do Produtor Rural da cidade, que completou 19 anos de existência no dia 15. A comemoração teve direito a bolo de aniversário e salgadinhos, e contou com as presenças do prefeito Luis Rogério Link e do secretário municipal de Indústria, Comércio, Agricultura e Abastecimento, Reinaldo Maldaner.
O prefeito aproveitou a ocasião para conversar com os produtores e falar da importância da feira para a cidade. “Toda a comunidade sabe que sexta-feira é dia de Feira do Produtor na praça e programa este dia para comprar o que é produzido de melhor pelos nossos produtores. Todos sabem que são produtos feitos com qualidade e muito amor. Que a feira possa celebrar muitos e muitos anos junto dos sapucaienses”, disse.
A presidente da Associação de Desenvolvimento Rural de Sapucaia do Sul, Celi Prass, também esteve presente e falou da vitrine que é a feira para os produtores da cidade. “Este espaço que temos aqui é ótimo graças à parceria com a prefeitura. Nossa ideia é ampliar e poder trazer mais pessoas para este espaço e, assim, oferecer mais produtos caseiros e sem agrotóxicos para a população”, ressaltou Celi.
Há 19 anos, as compotas da produtora Eva Jesus Nascimento Jardim fazem o maior sucesso na feira. A técnica de enfermagem Terezinha Lopes de Queiroz, 42 anos, é uma das compradoras. “Moro em Canoas e fico esperando chegar a sexta-feira para comprar os doces da dona Eva. Gosto muito da feira porque estes produtos lembram as minhas raízes e os doces que as minhas avós faziam”, conta.
Quem ainda não conferiu os produtos comercializados pelos produtores da zona rural não pode perder mais tempo. A feira acontece todas as sextas-feiras e na primeira terça-feira de cada mês, das 8h às 18h, na Praça General Freitas, no Centro. No local são vendidos, pães caseiros, cucas, bolos, biscoitos, compotas, cocadas e verduras. A iniciativa é da prefeitura, através da secretaria municipal de Indústria, Comércio, Agricultura e Abastecimento juntamente com a Associação de Desenvolvimento Rural de Sapucaia do Sul, com apoio da  Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater).

Prefeitura de Sapucaia do Sul realiza mostra municipal de trabalhos sobre bullying

Município: Sapucaia do Sul

Assunto tem sido trabalhado pelos estudantes das 28 escolas municipais CRÉDITO: VIRGÍNIA DO ERRE/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Assunto tem sido trabalhado pelos estudantes das 28 escolas municipais CRÉDITO: VIRGÍNIA DO ERRE/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Bullying não é brincadeira e, em Sapucaia do Sul, o tema tem sido tratado com muita seriedade pelos estudantes das 28 escolas municipais. Eles pesquisaram e apresentaram trabalhos criativos sobre a temática na tarde da última sexta-feira, no auditório da Escola Municipal Alfredo Juliano, durante a 2ª Culminância do Selo Escolar – Bullying. A atividade, uma iniciativa da prefeitura, através da secretaria municipal de Educação, integrou a quarta edição do Projeto Selo Escolar de Superação do Preconceito e da Discriminação.
A exposição do último dia 10 foi a culminância de trabalhos e ações realizadas pelas 28 escolas da rede municipal e já apresentados nas instituições de ensino. Além da mostra de trabalhos, muita música, teatro e dança, fizeram parte da programação do evento. Ainda houve espaço até para o hip-hop, com a presença do rapper Mark B, que colocou fez com que os estudantes refletissem e rimassem sobre a problemática do bullying.
O prefeito Luis Rogério Link prestigiou o evento e parabenizou o trabalho e o envolvimento das direções das escolas, dos professores e alunos. “Estou muito surpreso com todos os trabalhos apresentados aqui, porque mostra como este tema está sendo tratado nas escolas. Somos diferentes, sim, mas estas diferenças devem ser respeitadas e o tratamento com todos deve ser igual. Vamos dizer não ao bullying”, ressaltou o prefeito, que também conversou com os estudantes.
O secretário municipal de Educação, Luciano Rodrigues, também falou sobre a importância e necessidade de se trabalhar o tema. “É muito bonito ver como cada escola se dedicou e trabalhou o bullying de formas diferentes. O bullying deixa marcas, machuca, e devemos enfrentá-lo. O envolvimento de todos nesta luta é muito importante”, disse. Após a exposição de trabalhos sobre bullying, as escolas começarão a trabalhar a temática do racismo, para uma mostra que será realizada em novembro. As escolas participantes receberão o Selo Escolar de Superação do Preconceito e da Discriminação.

Servidores de Sapucaia do Sul participam de capacitação do Família Acolhedora

Município: Sapucaia do Sul

Programa visa incluir, em famílias, crianças e jovens em situação de risco CRÉDITO: VIRGÍNIA DO ERRE/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Programa visa incluir, em famílias, crianças e jovens em situação de risco CRÉDITO: VIRGÍNIA DO ERRE/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Servidores da prefeitura e integrantes da Rede de Proteção à Criança e ao Adolescente participaram, na tarde da última segunda-feira, de uma capacitação para o Programa Família Acolhedora. A atividade ocorreu no Auditório do Instituto Federal Sul-rio-grandense (Ifsul) e contou com a presença da assistente social e coordenadora do Família Acolhedora em Cascavel, no Paraná, Neusa Cerutti. Ela, que é especialista em violência doméstica contra a criança e o adolescente, e em acolhimento familiar, contextualizou o público presente sobre o acolhimento de crianças no Brasil e sua estrutura atual e funcionamento para que o programa se efetive corretamente no município. Sapucaia do Sul é pioneira na Região Metropolitana a implantar o programa.
O secretário municipal de Desenvolvimento Social, Selvino Scheibel, falou sobre a importância da capacitação que visa dar subsídios para que estes profissionais envolvidos possam estar cientes e receptivos para tocar o programa da melhor forma possível. “Queremos que todos abracem este novo serviço da nossa rede sabendo com propriedade da sua importância. A política social é feita com a participação de todos, não é restrita a apenas uma secretaria, então ter os envolvidos em um mesmo espaço trocando experiências e tirando dúvidas, é fundamental”, disse Scheibel.
A capacitação desta tarde contou com as presenças de servidores das secretarias municipais de Desenvolvimento Social, Educação e Saúde, além de representantes do Conselho Tutelar, do Conselho Municipal de Assistência Social (Comas) e do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (Comdica). Entidades como a Associação Casa de Passagem de Sapucaia do Sul (Acapass), a Casa Lar Abrigo Meu Refúgio, o Comitê da Cidadania e a Parceiros Voluntários também participaram da atividade, além da promotora da Infância e Juventude de Sapucaia do Sul, Maria Alice
Sanchotene, e da assistente social do judiciário sapucaiense, Claudia Letícia Bartos. Ainda na segunda-feira, às 19h30min, aconteceu outra capacitação, para as famílias que já se cadastraram e têm interesse em fazer parte do Família Acolhedora.

Crianças de Sapucaia do Sul aprendem a dançar balé na Praça da Juventude

Município: Sapucaia do Sul

Curso é uma promoção da prefeitura e do Studio de Dança Greyce Gross CRÉDITO: DANIELA ROCHA LIMA/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Curso é uma promoção da prefeitura e do Studio de Dança Greyce Gross CRÉDITO: DANIELA ROCHA LIMA/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Na Praça da Juventude do município, o sonho de aprender a dançar balé se torna realidade. Trinta crianças e jovens estão aprendendo a dançar nas aulas oferecidas gratuitamente no local. O curso é uma promoção da prefeitura, através da secretaria municipal de Esporte e Lazer, e do Studio de Dança Greyce Gross. No dia 23 de maio, o prefeito Luis Rogério Link acompanhou uma aula. “O ballet é um ótimo exercício para o corpo e para mente, e uma dança muito bonita, que emociona quem assiste. Fico muito feliz de ver estas meninas realizando o sonho de serem bailarinas. Este curso é uma boa mostra de que a parceria entre o Poder Público e os empresários resulta em benefícios para a comunidade”, disse o prefeito.
Viviane Baierle conta que a filha, Maria Luíza Baierle Borges, de cinco anos, sempre quis fazer balé. “Não tinha condições financeiras de pagar. Mas quando fiquei sabendo que aqui abriu turma com aulas gratuitas, corri para inscrevê-la”, conta. As irmãs Iasmim e Isadora Costa Schweigardt, de sete e de cinco anos, respectivamente, também sonham ser bailarinas. “Minha mãe perguntou se a minha irmã queria fazer e eu disse que eu também queria”, conta a pequena Isadora, enquanto mostra que já sabe fazer um plié.
A professora Fabiane Schunck explica que o balé promove inúmeros benefícios para seus praticantes. “É ótimo para a saúde. Temos uma aluna que tem asma e a dança tem ajudado bastante. Também ajuda no desenvolvimento, postura, coordenação e também para fazerem amizades”, disse.
As aulas acontecem nas terças-feiras pela manhã para uma turma, e nas quartas-feiras à tarde para outra. Ainda restam duas vagas para a turma de quarta, para crianças com idade entre seis e 12 anos. Interessados devem se inscrever na Praça da Juventude, na rua César Alves de Souza, esquina com rua Enor Holmer, bairro Capão da Cruz, de segunda a sexta-feira, das 8h às 11h e das 13h às 17h. É necessária a apresentação de cópia documento de identidade ou certidão de nascimento, comprovante de residência e atestado de escolaridade.