Pavilhão da Feira do Agricultor de Sapiranga passará por melhorias

Município: Sapiranga

Espaço será reconstruído e terá quase o dobro do tamanho do antigo CRÉDITO: PREFEITURA MUNICIPAL DE SAPIRANGA/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Espaço será reconstruído e terá quase o dobro do tamanho do antigo CRÉDITO: PREFEITURA MUNICIPAL DE SAPIRANGA/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Considerado um dos locais da cidade que mais oferece produtos naturais de qualidade e com preços acessíveis, a Feira do Agricultor passará por melhorias nos próximos meses. Localizada na avenida João Corrêa, nº 1.650, o pavilhão será reconstruído e terá quase o dobro do tamanho do antigo. O espaço passará de 340 metros quadrados para 640 metros quadrados. O valor da obra é de R$ 867.705,89, sendo R$ 9.848,50 de contrapartida do município e R$ 857.857,39 de repasse federal. Durante a obra, a feira irá funcionar temporariamente no Parque Municipal do Imigrante.
A prefeita Corinha Molling destaca a feira pelo grande número de consumidores da cidade e da região que compram semanalmente verduras, frutas, compotas, laticínios, carnes, embutidos, pães, bolachas, entre muitos produtos oferecidos. “O espaço é referência na cidade quando o assunto é produto colonial”, comenta. Corinha ainda ressalta a importância do trabalho das famílias de agricultores produzindo os alimentos: “Os trabalhadores rurais merecem todo o apoio do poder público”.
Conforme o secretário de Agricultura, Valdes Cavalheiro de Araújo, a reformulação do pavilhão da Feira do Agricultor era necessária. “Há 33 anos que se realiza a Feira do Agricultor em Sapiranga. O pavilhão estava inadequado em relação à legislação atual e, por isso, precisávamos desta reforma”. O secretário destaca que esta obra é um reconhecimento da administração municipal à agricultura familiar em Sapiranga. “Estamos fazendo este espaço para dar melhores condições aos agricultores, para que possam vender ali seus produtos, gerando sua fonte de renda familiar. Investir em infraestrutura na agricultura é promover o setor. E nós investimos muito em equipamentos, tecnologia e estradas, para que nossos agricultores possam produzir com qualidade” ressaltou.
O novo Pavilhão da Feira do Agricultor terá 32 espaços para expositores, sendo oito deles para embutidos e 24 para hortifrutigranjeiros. Além disso, terá espaço para alimentação, depósitos, estacionamento para visitantes pela avenida João Corrêa e estacionamento separado para feirantes, pela avenida Vinte de Setembro. O local será adaptado para pessoas com deficiência (PCDs), tendo acessibilidade nos sanitários, rampas e no piso que será tátil. Para possibilitar a ventilação natural, o espaço será coberto com arcos sobrepostos, com uso de elementos vazados e venezianas metálicas.
Por enquanto, a Feira do Agricultor funcionará temporariamente no Parque Municipal do Imigrante. A partir deste sábado, 14, ela ocorrerá na área que leva o nome do Restaurante das Rosas. Os horários serão os mesmos, sempre às quartas-feiras, das 6h às 16h, e aos sábados, das 6h até o meio-dia.

Área do Ferrabraz é reconhecida como unidade de conservação em Sapiranga

Município: Sapiranga

Local protege exemplares importantes da fauna e da flora locais, como o bugio--ruivo e a araucária CRÉDITO: PREFEITURA MUNICIPAL DE SAPIRANGA/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Local protege exemplares importantes da fauna e da flora locais, como o bugio–ruivo e a araucária CRÉDITO: PREFEITURA MUNICIPAL DE SAPIRANGA/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Mais do que um cartão-postal, o Morro Ferrabraz, que concentra uma riqueza de espécies vegetais e animais, agora é Unidade de Conservação. Em compasso de espera desde o ano passado, o processo de cadastramento da Área de Relevante Interesse Ecológico (Arie), com 5.761 hectares de Mata Atlântica, foi concluído e registrado no Sistema Estadual de Unidades de Conservação (Seuc). “Com certeza, essa decisão só fortalece nossos projetos em andamento, voltados aos cuidados e ao manejo dos recursos naturais, ao mesmo tempo em que oportuniza novas experiências e bem-estar aos milhares de turistas que visitam esse patrimônio histórico, cultural e ambiental da cidade”, afirma a prefeita Corinha Molling, acrescentando que o equilíbrio ecológico traz valor agregado ao fomento de atividades ecoturísticas.
O histórico de conservação da área começou em 1987, com o reconhecimento da importância biológica e histórico-cultural da região, onde, na segunda metade do século XIX, ocorreu a batalha dos Mückers. O local ainda protege exemplares importantes da fauna e da flora locais, como o bugio-ruivo e a araucária. Contudo, só em 2016, com a promulgação da lei de criação da Arie, e, no ano seguinte, com a delimitação da área, foi garantida a adequada proteção dessa importante região do Estado.
O coordenador do Seuc, Daniel Vilasboas Slomp, salientou que as áreas de uso sustentável são importantes por permitirem a exploração do ambiente, garantindo a manutenção dos processos ecológicos e da biodiversidade de maneira economicamente viável. O técnico destacou que estão asseguradas as atividades de ecoturismo, como a prática de voo livre e o uso dos balneários. “A região dos contrafortes do Ferrabraz tem características naturais extraordinárias, e a validação dessa área como Unidade de Conservação busca garantir a manutenção da paisagem e das florestas nativas com o uso consciente dos recursos naturais pelas comunidades locais. Além disso, a área se caracteriza como um importante sítio histórico da colonização”, explicou Slomp.
Plano de manejo de conservação
Segundo a diretora do departamento do Meio Ambiente de Sapiranga, Bruna de Oliveira Boeni Fonseca, o município vai começar, ainda neste ano, o plano de manejo de conversação, estudo que deve ser realizado por uma empresa especializada. “Esse documento terá todas as diretrizes de uso da área, zoneamento e o mapeamento da fauna e da flora. Vai trazer regramento e auxiliar na conservação, freando o crescimento desordenado no entorno”, destaca.
A motivação para proteger o Morro Ferrabraz por vias legais surgiu a partir de 2015, quando a Eletrosul informou que instalaria novas redes de transmissão de energia. Por conta disso, foram realizadas audiências públicas, e, no ano passado, foi aprovada a Lei Municipal nº 5.900/2016, criando a Arie do Morro Ferrabraz. O projeto também foi vetado pela Fundação Estadual de Proteção ao Meio Ambiente (Fepam).
O Morro Ferrabraz concentra 57 espécies de mamíferos, 133 de aves e 18 de répteis e anfíbios, diversas delas ameaçadas de extinção. Também foram cadastradas 192 espécies de árvores e 16 de orquídeas e bromélias, muitas que só existem na área, consideradas raras e ameaçadas de extinção. Destas, 22 estão correndo o risco de desaparecerem. Já em relação à fauna, 15 animais estão ameaçados, entre eles, o bugio-ruivo e a jaguatirica. O local concentra praticantes de voo livre, mountain bike e caminhadas.

Manejo do solo e sua fertilidade ensina a produção sustentável em Sapiranga

Município: Sapiranga

As aulas de capacitação fazem parte da programação de cursos gratuitos oferecidos pela prefeitura CRÉDITO: PREFEITURA MUNICIPAL DE SAPIRANGA/DIVULGAÇÃO/CIDADES

As aulas de capacitação fazem parte da programação de cursos gratuitos oferecidos pela prefeitura CRÉDITO: PREFEITURA MUNICIPAL DE SAPIRANGA/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Viabilizar a atividade sustentável no meio rural através da produção orgânica é o objetivo do curso gratuito de Manejo do solo e sua fertilidade, que está sendo promovido no Centro Municipal de Estudos Ambientais (Cemeam) de Sapiranga, parceria da prefeitura, por meio das secretarias municipais de Agricultura e Educação, Cultura e Desporto, com o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) e Sindicato Rural do Vale do Paranhana.
Durante os dois dias de curso, ocorrido na última semana, os 20 participantes receberam orientações de como manejar e conservar o solo promovendo a produção sustentável. “O objetivo é promover a fertilidade do solo através da prática da compostagem para a produção orgânica”, destacou o engenheiro agrônomo do Senar, José Luiz Kollet.
Após aula teórica no Cemeam, os alunos foram a campo, sob a orientação do instrutor Kollet, na propriedade de Rubem Harff, ao pé do Morro Ferrabraz, na zona rural de Sapiranga, aprender a técnicas de preparação do solo sustentável. “Vamos preparar o solo, tornando-o fértil, favorecendo a produção orgânica. Trabalharemos o cultivo de hortaliças utilizando as plantas infestantes que servirão de isca para os insetos garantindo a proteção das plantas”, destaca. O processo de preparo do solo para o plantio contou ainda com análise do terreno controlando o nível de minerais, técnicas de plantio, entre outros.
Para os participantes do curso de Manejo do solo e sua fertilidade, as práticas da agricultura alternativa são fundamentais no controle das pragas, resultando na colheita de alimentos mais saudáveis. “O curso é importante porque, através dele, aprendemos sobre a compostagem orgânica fundamental no processo de preparação do solo”, comentou a aluna Juliana Carolina Müller, do município de Taquara.
Já, a sapiranguense Graciela Ott, do bairro Oeste, considerou o aprendizado uma nova forma de enxergar as coisas. “O curso nos apresenta um novo olhar sobre a produção de alimentos mais saudáveis. A substituição de agrotóxicos por ervas daninhas para combater as pragas (insetos), e o manejo do terreno utilizando o adubo natural garantem a colheita de produtos saudáveis”, comentou.
 Agenda dos próximos cursos no Cemeam em 2018
– Dias 26 e 27 de abril – Tortas e Docinhos Caseiros
– De 30 de abril a 4 de maio – Artesanato – bonecos de pano
– De 14 a 17 de maio – Apicultura – manejo básico
– De 11 a 14 de junho – Artesanato – costura
– De 6 a 8 de agosto – Fruticultura – tecnologia da poda
– De 14 a 17 de agosto – Operação e manutenção de motosserra
– De 3 a 5 de setembro – Compostagem, húmus e substratos
– De 29 a 31 de outubro – Panificação Caseira

Prefeitura de Sapiranga apresenta Plano Municipal de Desenvolvimento Rural

Município: Sapiranga

PMDR elegeu demandas prioritárias de infraestrutura para o período de 2017/2020 CRÉDITO:

PMDR elegeu demandas prioritárias de infraestrutura para o período de 2017/2020 CRÉDITO: PREFEITURA MUNICIPAL DE SAPIRANGA/DIVULGAÇÃO/CIDADES

 

Uma importante conquista em 2017 foi a conclusão do Plano Municipal de Desenvolvimento Rural (PMDR), aprovado pela câmara de vereadores e sancionado pela prefeita Corinha Molling. O plano, que projeta ações práticas para incentivar a produção agropecuária na cidade, teve, na tarde da última terça-feira, dia 20 de fevereiro, um encontro com secretários municipais, vereadores, produtores e a comunidade na câmara para explicar todos os passos.
A reunião, ocorrida no Plenário do Legislativo do município, teve a participação da prefeita Corinha Molling; da gerente regional da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater), Ademir Santin; do diretor técnico da Emater, Lino Moura; do engenheiro agrônomo e chefe do escritório da Emater em Sapiranga, Mateus Faria de Melo; e do conselheiro de Picada dos Nabos, Jorge Beker, representando o conselho municipal. Em seu pronunciamento, Corinha destacou o Plano Municipal de Desenvolvimento Rural a favor dos agricultores: “Este plano favorecerá o desenvolvimento dos agricultores. Foram dois anos de trabalho e envolvimento com a agricultura, priorizando várias demandas para o desenvolvimento rural do município”.
O plano foi desenvolvido de acordo com métodos participativos, através de avaliação de documentos já existentes e de amplos diálogos nas comunidades e no Conselho Municipal de Desenvolvimento Rural. “O PMDR é o resultado de esforços coletivos da comunidade e da administração municipal, que deixa registrados os compromissos entre agricultores, sociedade e governo municipal sobre as prioridades escolhidas”, destacou o secretário municipal de Agricultura, Valdes Cavalheiro de Araújo.

 

Piso do Centro de Cultura de Sapiranga passará por reforma neste ano

Município: Sapiranga

Espaço, que, nos últimos anos, já recebeu melhorias, vai ganhar um novo carpete CRÉDITO: PREFEITURA MUNICIPAL DE SAPIRANGA/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Espaço, que, nos últimos anos, já recebeu melhorias, vai ganhar um novo carpete CRÉDITO: PREFEITURA MUNICIPAL DE SAPIRANGA/DIVULGAÇÃO/CIDADES

A prefeitura, por meio da secretaria municipal de Educação, Cultura e Desporto, realizará mais uma etapa da obra de reformas estruturais do Centro Municipal de Cultura Lúcio Fleck, que, neste ano, completa 30 anos da sua inauguração. A troca do carpete da casa cultural terá início neste mês, com previsão de entrega do espaço em fevereiro. Neste período, a casa cultural ficará fechada para shows e eventos.
“O nosso Centro de Cultura sempre foi uma referência da cidade, e, neste ano do seu 30º aniversário, é importante valorizar este importante espaço cultural de Sapiranga”, destaca a prefeita, Corinha Molling. Em 2016 e 2017, o Centro Municipal de Cultura recebeu investimentos do município para trabalhos efetivos de renovação na estrutura, boa parte deles para contemplar as exigências do Plano de Prevenção e Proteção Contra Incêndio (PPCI).
Foram feitas reformas no telhado (através da pintura e da substituição das telhas na parte que compõe a sala do auditório), no forro e na parte elétrica que envolve a casa de espetáculos (fios, tomadas e disjuntores), além da troca da estrutura do palco. A renovação do forro no auditório e no saguão contou com a colocação de manta térmica e forro de lã de vidro. Com espaço remodelado para um público de 500 pessoas, o patrimônio cultural da Cidade das Rosas estará equipado para receber shows, exposições, peças de teatro, espetáculos de dança, entre outras atividades culturais, valorizando a diversidade artística.
Inaugurado em 27 de outubro de 1988, o Centro Municipal de Cultura Lúcio Fleck já recebeu, nestes 30 anos, as mais variadas manifestações artísticas e culturais, como teatro, dança, música, cinema, artes plásticas e exposições, além de workshops, seminários, palestras, cursos e concursos. O espaço ainda conta com um amplo palco. No hall, ocorrem variadas mostras, com uma ampla sala nobre em espaço paralelo.
A denominação Centro Municipal de Cultura Lúcio Fleck foi oficializada pela Lei Municipal nº 2.673, de 23 de agosto de 2000, em homenagem ao professor Lucio Fleck, autor dos livros A história de Sapiranga, Sereis minhas testemunhas e A saga do vale. Fleck faleceu em 22 de maio de 2010, aos 91 anos.