Sapiranga investe em aparelhos para exames de colposcopia e bioquímica

Município: Sapiranga

Equipamentos foram adquiridos pela prefeitura com recursos próprios e junto ao Ministério da Saúde CRÉDITO: PREFEITURA MUNICIPAL DE SAPIRANGA/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Equipamentos foram adquiridos pela prefeitura com recursos próprios e junto ao Ministério da Saúde CRÉDITO: PREFEITURA MUNICIPAL DE SAPIRANGA/DIVULGAÇÃO/CIDADES

No último dia 16, a prefeita Corinha Molling conferiu os novos aparelhos adquiridos recentemente pelo município que já estão sendo utilizados no setor de saúde: um equipamento de bioquímica e um colposcópio, ambos adquiridos pela secretaria de Saúde, através de recursos próprios da prefeitura e de emenda parlamentar do deputado federal Renato Molling junto ao Ministério da Saúde, respectivamente. “É muito bom poder oportunizar as melhorias na saúde em benefício da comunidade. É uma satisfação saber que estes profissionais estão trabalhando com aparelhos e equipamentos novos e de qualidade resultando exames de qualidade e com precisão”, destacou a prefeita Corinha.
Acompanhada pela secretária municipal de Saúde, Janete Hess, a prefeita Corinha esteve na Unidade Sanitária, no Centro da cidade, onde verificou o aparelho chamado de colposcópio para exames de videocolposcopia (exame do colo de útero e vagina). O equipamento que serve para rastrear as lesões de colo do útero foi adquirido através de emenda parlamentar do deputado federal Renato Molling, junto ao Ministério da Saúde. “Os pacientes com alterações nos exames são encaminhados à videocolposcopia em busca das lesões. Caso elas sejam detectadas, ocorre o encaminhamento à biópsia verificando a possibilidade ou não de câncer do colo do útero”, declarou o doutor Jardelino Ramos, que atende na Unidade Sanitária nas áreas de ginecologia, obstetrícia e ecografia. Também esteve presente na visita Eva Santos, que atua como coordenadora do Centro Irmã Dulce e do Posto do Centro da secretaria municipal de Saúde.
A prefeita Corinha também visitou o Laboratório Municipal de Análises no prédio da secretaria de Saúde do município, onde conheceu o novo aparelho de análises bioquímicas Bioclin 4.000. O equipamento, que realiza com precisão os exames de diabetes, triglicerídeos e colesterol, foi adquirido com recurso próprio da prefeitura. “Este equipamento tem maior garantia de precisão, inclusive a exatidão nos resultados dos exames. Hoje, realizamos em média 12 mil exames mensais, o que corresponde a cerca de 100 coletas diárias, sendo que cada coleta representa o quantitativo de oito exames”, comentou a bioquímica Lisiane Ferreira dos Santos, da prefeitura de Sapiranga, acompanhada das bioquímicas Helen Soares e Siloé Zanini. A secretária de Saúde Janete Hess destacou a melhoria dos atendimentos à comunidade com os novos equipamentos. “A aquisição dos aparelhos trará grandes benefícios aos sapiranguenses. Através deles, a aplicação de exames será mais ágil e precisa”, destaca.

 

Prefeitura de Sapiranga distribui 350 kits de giz de cera com tons de pele para escolas

Município: Sapiranga

Entrega simbólica do material ocorreu no dia 29 de junho, na sede da secretaria de Educação CRÉDITO: PREFEITURA MUNICIPAL DE SAPIRANGA/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Entrega simbólica do material ocorreu no dia 29 de junho, na sede da secretaria de Educação CRÉDITO: PREFEITURA MUNICIPAL DE SAPIRANGA/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Com o objetivo de trabalhar a questão da diversidade racial em sala de aula, a prefeitura, por meio da secretaria municipal de Educação, Cultura e Desporto, está entregando aos estudantes 350 kits de giz de cera com 12 cores de pele. A entrega simbólica dos kits aconteceu nesta manhã da última quinta-feira, dia 29 de junho, na sede da secretaria de Educação, com a secretária municipal Cláudia Kichler repassando o material à professora Monica Ceni Bom e à diretora Cintia Raquel Krantz, da Escola Municipal de Ensino Fundamental (Emef) Maria Ruth Raymundo, representando as escolas do município. Também participaram do ato a supervisora Juliana Feyh e a diretora Ivonete Pescador, do setor de Pedagogia da secretaria de Educação.
A professora Mônica vem desenvolvendo com alunos da turma do 3º ano da Emef Maria Ruth o projeto de pesquisa O Lápis Cor de Pele, que será apresentado na etapa escolar da Feira Municipal Integrada (Femint), em agosto deste ano. “O projeto surgiu depois que percebi que a turma usava o lápis na cor salmão para representar a cor de pele. Após pesquisas, descobertas e comparações de lápis diferentes, a turma percebeu que não podia continuar usando este lápis para todos os tipos de pele”, comentou a professora.
De acordo com a secretaria municipal de Educação, Cultura e Desporto, os kits de giz de cera em tons de pele representam uma tentativa de auxiliar os professores a trabalharem a diversidade racial da comunidade em sala de aula, partindo da desconstrução da ideia de que somente a cor rosa, por exemplo, pode ser usado para pintar o tom de pele das pessoas. “Essa ação vai ao encontro do que propõe as leis 10.639/03 e 11.645/08, que tratam do ensino da História e Cultura Africana, Afro-Brasileira e Indígena; reforçando a necessidade da abordagem das questões étnico-raciais, no âmbito escolar e que, segundo a Lei de Diretrizes e Bases da Educação, devem ser trabalhadas pelas disciplinas de Arte e História”, concluiu a secretária de Educação Cláudia Kichler.
A caixa de giz de cera com 12 cores em tons de pele é fabricada com ceras de alta qualidade em material atóxico e não mancha as mãos. O material foi produzido especialmente em parceria com o Uniafro/ Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Ufrgs) – Curso de Aperfeiçoamento em Política de Promoção da Igualdade Racial na Escola.

 

Extensionistas rurais mineiros conhecem o trabalho do Cemeam de Sapiranga

Município: Sapiranga

Projeto Verdesinos serviu de exemplo ambiental aliado à produção agrícola CRÉDITO: PREFEITURA MUNICIPAL DE SAPIRANGA/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Projeto Verdesinos serviu de exemplo ambiental aliado à produção agrícola CRÉDITO: PREFEITURA MUNICIPAL DE SAPIRANGA/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Na manhã da última quarta-feira, dia 28 de junho, o Centro Municipal de Estudos Ambientais de Sapiranga (Cemeam) recebeu a visita do grupo de extensionistas rurais da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater) de Minas Gerais, para acompanhar de perto o Projeto VerdeSinos. Acompanhados pelos representantes da diretoria da Emater, os visitantes conheceram o Cemeam, e aprenderam sobre o trabalho que está sendo desenvolvido no projeto com a educação pública do município e a gestão ambiental com agricultores orgânicos, certificados e vinculados ao Organismo de Controle Social Orgânicos Encosta da Serra Sul Ferrabraz (OesSul).
Após a apresentação do Cemeam, os extensionistas se dirigiram até a propriedade rural de Ruben Harff, na base do Morro Ferrabraz, onde encontraram a prefeita Corinha Molling, que conversou com os integrantes do grupo, explicando o trabalho da administração em relação ao projeto. “É uma honra receber uma visita pelo reconhecimento do trabalho de profissionais de outro Estado do Brasil. Sapiranga trabalha com os jovens e a comunidade a importância da preservação da ecologia. O trabalho da administração em conjunto com a Emater é voltado para o desenvolvimento consciente do município” , destacou a prefeita Corinha.
O reconhecimento do projeto VerdeSinos, desenvolvido pela prefeitura de Sapiranga, por meio do Cemeam, levou os mineiros à Cidade das Rosas em busca de conhecimento em relação as ações, atividades e campanhas aplicadas na conscientização da comunidade em relação à preservação do meio ambiente. Segundo Fabiana Haubert, coordenadora do Cemeam, o município de Sapiranga avança no processo de ecologização de propriedades rurais vinculadas ao projeto, denominadas Unidades de Referência.
De acordo com os dados da Emater, as unidades vêm aprimorando experiências em três linhas de trabalho: desenvolvimento da produção orgânica; gestão conservacionista do solo (onde estão sendo desenvolvidas tecnologias com sistemas complexos de produção orgânica por grupo de agricultores); e a gestão das águas das propriedades com proteção de fontes e tratamento de águas servidas das residências com tecnologias como os banhados construídos, e que não permitem a contaminação das águas subterrâneas e o destino correto dos dejetos animais.

 

Alunos assistem a aula sobre plantas e fauna no Cemeam de Sapiranga

Município: Sapiranga

Alunos aprendem a técnica de dispersão de sementes e sobre animais que vivem na região CRÉDITO: PREFEITURA MUNICIPAL DE SAPIRANGA/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Alunos aprendem a técnica de dispersão de sementes e sobre animais que vivem na região CRÉDITO: PREFEITURA MUNICIPAL DE SAPIRANGA/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Na última segunda-feira, dia 5 de junho, quando se comemorou o Dia Mundial do Meio Ambiente, dentro do Junho Verde programado pela prefeitura, por meio do departamento de Meio Ambiente, ocorreu uma aula de flora e fauna no Centro Municipal de Estudos Ambientais (Cemeam). A atividade foi realizada em dois turnos para os estudantes das Escolas Municipais de Ensino Fundamental (Emefs) Floresta, La Salle e Érico Veríssimo. As aulas foram de semeadura e sobre animais da região.
A ação reuniu estudantes do quinto ano da Emef Floresta, que visitaram três espaços distintos do Cemeam. O encontro contou com períodos de teoria e prática sobre a revitalização da natureza através da dispersão de sementes; o processamento de plantas e os benefícios à saúde do homem; além do aprendizado sobre a fauna silvestre. “Os estudantes estão desenvolvendo o conhecimento sobre as plantas e a fauna de nossa região, além da representatividade das espécies à humanidade”, destacou a diretora do Cemeam Fabiana Haubert.
Uma das maneiras aprendidas pelos estudantes para disseminar as espécies de plantas foi através do trabalho em conjunto entre o departamento municipal de Meio Ambiente e as alunas do curso de magistério do Instituto Estadual de Educação Sapiranga Kiara Stoffel, Andriele Giehl e Bruna Fernandes. Os alunos aprenderam a técnica de sementes de plantas misturadas em bolas de argila para serem lançadas em áreas de revitalização. “A atividade tem tudo a ver com a semana do Meio Ambiente. A oportunidade de vir até aqui e vivenciar na prática os ensinamentos do ambiente escolar é trabalhar o jovem projetando um futuro melhor na preservação do Meio Ambiente”, declarou a professora do quinto ano da Emef Floresta, Jussara de Figueiredo.
O aprendizado sobre plantas e o que elas representam à saúde das pessoas, além do estudo sobre os animais silvestres da região, foram ministrados pelos biólogos do Cemeam Catia Appolo e Antoninho Portilho. “O objetivo do projeto é sensibilizar a garotada em relação a arborização e os animais”, comentou Maribel Oliveira, responsável pela educação ambiental, do departamento de Meio Ambiente da prefeitura.
Junho Verde segue até o próximo dia 24
As atividades do chamado Junho Verde, programadas pelo departamento de Meio Ambiente de Sapiranga, seguem até o próximo dia 24 de junho, com a participação, principalmente, de estudantes com assuntos relativos à arborização e fauna, além de apresentações teatrais e Hora do Conto. Várias ações são abertas à comunidade, como curso de poda de árvores e caminhada ecológica. Neste sábado, ocorre o mutirão de recolhimento de resíduos, a partir das 13h30min, com concentração, saída e chegada na Praça da Bandeira. A coordenação da ação é do grupo ciclístico Pedal de Sábado.

 

Curso no Cemeam de Sapiranga ensina a produzir geleias e schimier

Município: Sapiranga

Doces em calda, compotas e cristalizados também foram trabalhados durante as aulas CRÉDITO: PREFEITURA MUNICIPAL DE SAPIRANGA/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Doces em calda, compotas e cristalizados também foram trabalhados durante as aulas CRÉDITO: PREFEITURA MUNICIPAL DE SAPIRANGA/DIVULGAÇÃO/CIDADES

O curso gratuito de processamento de frutas foi destaque na programação da última semana no Centro Municipal de Estudos Ambientais (Cemeam) de Sapiranga. Produzir deliciosas compotas e receitas saborosas com frutas como maracujá, laranja, bergamota e figo foi o que proporcionou o curso coordenado pela instrutora e nutricionista Marjana Favin, que teve a participação de 13 alunos.
Ocorrido na última semana, o curso ensinou o passo a passo da produção de geleias, schimiers, doces em caldas, compotas e cristalizados. “Processamos as potencialidades das frutas agregando valor ao produto. A partir disso, são produzidas receitas saborosas para o consumo próprio e também para a comercialização”, comentou a instrutora do curso.
Responsável pela receita de geleia caseira com maracujá, a aposentada Maria Goreti, de 63 anos e residente do bairro São Luiz, considera que sempre é tempo de aprender. “Apesar de a idade, procuro aprender muito. A família está muito feliz por eu estar aqui em busca de conhecimento. O convívio das pessoas do curso é excelente, além do mais, há um resgate histórico através do aprendizado de processamento de frutas, lembrando as receitas de nossas avós”. O curso é uma parceria da prefeitura, por meio da secretaria municipal de Educação, Cultura e Desporto; do Sindicato Rural do Vale do Paranhana; e do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar).