Extensionistas participam de curso prático de pescado em São José do Ouro

Município: São José do Ouro

Grupo teve aulas de abate, sangria, limpeza, corte e filetagem de peixes CRÉDITO: VANESSA ALMEIDA DE MORAES/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Grupo teve aulas de abate, sangria, limpeza, corte e filetagem de peixes CRÉDITO: VANESSA ALMEIDA DE MORAES/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Aventais, botinas, facas, alicates e tábuas de corte foram alguns dos equipamentos utilizados por um grupo de 15 extensionistas da Emater no dia 19 de abril no município. O grupo participou de um curso prático de abate, sangria, limpeza, corte e filetagem de peixes, no Turismo Rural Tia Helena e Pesque Pague Perin. O instrutor foi o técnico da Emater de Ibiaçá, Amauri Marmentini.
De acordo com o agrônomo e assistente técnico regional da Emater de Passo Fundo, Vilmar Leitzke, entre os objetivos do curso está o aprendizado das técnicas, para que os extensionistas sejam multiplicadores em seus municípios. “Com esse conhecimento, é possível orientar os assistidos de forma mais qualificada, incentivando não só a produção, mas a utilização do pescado na alimentação. Outro ponto positivo é que os cortes e a filetagem agregam valor ao pescado, sendo outro benefício que pode ser levado ao agricultor familiar”, explicou Leitzke.
Para a assistente técnica regional Social, também de Passo Fundo, Luciana Gobbi, a utilização dos cortes do pescado facilita a armazenagem e a elaboração dos pratos, e isso acaba incentivando o consumo. “Além disso, em casos de agroindústrias, facilita na comercialização do produto em mercados, como o Programa Nacional de Alimentação Escolar e outros”, ressaltou. O instrutor Amauri Marmentini afirma que é gratificante ensinar as técnicas e repassar seu conhecimento aos colegas. “Para mim, é uma realização. Sempre quis fazer uma capacitação assim. Aqui é o momento e o lugar para os colegas aprenderem, testarem e tirarem suas dúvidas, para depois terem segurança de repassar aos seus assistidos. Daqui vão sair os multiplicadores dessas técnicas. Não adianta o conhecimento ficar comigo, é preciso dividir e repassar”, disse Marmentini.
A extensionista do escritório de Santo Expedito do Sul, Alini Gregolin, destaca a importância dessas capacitações. “Momentos como este nos trazem informações e segurança para a realização do nosso trabalho nos municípios. Temos demanda e precisamos dar respostas”, disse ela. Alini acrescentou que a aprendizagem dos cortes auxilia e facilita o consumo de peixes pelas famílias. Da mesma opinião é o extensionista de Muliterno, Luiz Fernando Pontel de Oliveira. Ele afirma que esse tipo de capacitação favorece o aprendizado, pois é realizado na prática. “Aprender o melhor aproveitamento do pescado, por meio dos cortes, também foi muito interessante”, falou.
Segundo o gerente regional da Emater de Passo Fundo, Oriberto Adami, a capacitação do corpo técnico é uma das prioridades regionais. “Queremos capacitar para termos mais profissionais com conhecimento e, dessa forma, qualificar ainda mais a extensão rural nos municípios”, avaliou Adami. Outro curso como esse deve ser realizado em Santo Antônio do Planalto.