Unidade Básica de Saúde é entregue ao bairro Bom Fim, em São Gabriel

Município: São Gabriel

Nova UBS vai beneficiar cerca de 5 mil cidadãos da localidade CRÉDITO: PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO GABRIEL/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Nova UBS vai beneficiar cerca de 5 mil cidadãos da localidade CRÉDITO: PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO GABRIEL/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Na manhã do dia 22 de dezembro, o prefeito Roque Montagner entregou oficialmente a nova Unidade Básica de Saúde (UBS) à comunidade do bairro Bom Fim. A solenidade marcou um momento histórico para a região e contou com a presença de secretários municipais, vereadores, funcionários da prefeitura e comunidade em geral. O ato de inauguração ainda teve a apresentação da Banda Musical São Gabriel.
A nova UBS vai beneficiar cerca de 5 mil cidadãos dos bairros Bom Fim, Medianeira e Pomares. A unidade conta com as mais diversas salas de atendimentos, desde curativos até procedimentos odontológicos, e conta com ar-condicionado e toda estrutura necessária para bem atender seus pacientes. Na UBS, é possível receber atendimentos básicos e gratuitos em pediatria, ginecologia, clínica geral, enfermagem e odontologia. Os principais serviços oferecidos são consultas médicas, inalações, injeções, curativos, vacinas, coleta de exames laboratoriais, tratamento odontológico, encaminhamentos para especialidades e fornecimento de medicação básica. A Estratégia Saúde da Família (ESF) 13 será toda informatizada com o Prontuário Eletrônico do Cidadão.
O secretário de Saúde Daniel Ferrony falou, em sua manifestação, sobre a determinação necessária para que algo seja concretizado. “A diferença entre sonhar e realizar é somente a atitude, e isso é o que nós fizemos, tivemos a atitude de investir e tornar esse sonho realidade para a comunidade do Bom Fim”, disse o secretário. Em seu discurso, o prefeito destacou e agradeceu aos secretários e suas equipes pelo empenho e dedicação para que esse sonho tivesse condições de ser realizado. Montagner também falou sobre as dificuldades enfrentadas: “Não foi fácil, enfrentamos muitos desafios, muitas críticas. Mas, felizmente, vencemos e estamos entregando uma obra extraordinária, uma obra modelo a qual nós queremos para toda nossa comunidade”.
Na solenidade, ainda foram entregues seis veículos novos para as secretarias de Saúde e Desenvolvimento Social. As chaves das três camionetes Frontier, um Siena, um Gol e uma Spin foram recebidas pelos secretários Daniel Ferrony e Lilia Martins. Os veículos serão utilizados nas mais diversas finalidades, como transporte de pacientes, visitas de trabalho e cadastramentos na cidade e interior.

 

Fepagro estuda intensificação da produção de forragem em São Gabriel

Município: São Gabriel

No primeiro ano de aplicação dos tratamentos, resultados foram promissores CRÉDITO: JÚLIO KUHN DA TRINDADE/DIVULGAÇÃO/CIDADES

No primeiro ano de aplicação dos tratamentos, resultados foram promissores CRÉDITO: JÚLIO KUHN DA TRINDADE/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Medidas para possibilitar o uso consciente das pastagens naturais do bioma Pampa na pecuária são temas de linhas de pesquisa conduzidas dentro da Fundação Estadual de Pesquisa Agropecuária (Fepagro). Seu Centro de Pesquisa localizado no município, especializado na área de forrageiras, tem desenvolvido estudos com o intuito de aplicar estratégias que representam níveis de intensificação no manejo das pastagens naturais a partir do correto manejo da lotação animal.

As principais limitações da pecuária em pasto natural, de acordo com o pesquisador Júlio Kuhn da Trindade, são a sazonalidade da produção de forragem, queda na qualidade nutricional do pasto durante os meses mais frios do ano e a falta de nutrientes no solo. “O solo sem nutrientes interfere na quantidade e qualidade de forragem produzida não apenas no outono e inverno, mas ao longo de todo ano”, completa Trindade.
Com ajuste da lotação animal e a adoção de práticas como correção da acidez e fertilização do solo, além da sobressemeadura de espécies forrageiras de inverno, como azevém e trevos, é possível incrementar a produção de forragem. Essas práticas, além de possibilitarem diminuir o impacto da sazonalidade na produção de forragem, podem promover melhoria da qualidade nutricional da dieta dos animais ao longo do ano. Em estudo conduzido pela Fepagro, foram constatados valores de digestibilidade da forragem consumida pelos animais até 15% superiores na comparação entre as estratégias adotadas. “Isso denota o impacto tanto no desempenho produtivo dos animais, como também determina menores emissões entéricas de gases lançadas no ambiente por quilo de peso vivo produzido”, avalia o pesquisador.
Dados publicados pelos pesquisadores Júlio Trindade e Diego de David no Congresso Brasileiro de Zootecnia, realizado neste ano em Santa Maria, apontam que, no primeiro ano de aplicação dos tratamentos, o nível de maior intensificação, com sobressemeadura de azevém e adubação nitrogenada, possibilitou incrementar em 70% o acúmulo de forragem no período entre agosto de 2015 e fevereiro de 2016. A recria de novilhas da raça Braford em pastagem natural com introdução de azevém e adubação nitrogenada – ou introdução de trevos, em vez da adubação nitrogenada -, apresentaram valores de ganho médio diário 44% superiores, em comparação aos mantidos em pastagens apenas com ajuste de lotação e pastagem natural com adubação de base.
O experimento está em seu segundo ano de avaliações após aplicação dos tratamentos. Mensalmente, são monitoradas as condições dos pastos – massa de forragem, altura do pasto, ocorrência de touceiras e capim-annoni – e desempenho animal. A cada seis meses, são realizadas avaliações para acompanhar a dinâmica dos nutrientes no perfil do solo, assim como avaliações anuais da composição florística. Ao longo do próximo ano, serão conduzidas mais duas avaliações de monitoramento do comportamento ingestivo das novilhas e determinações do consumo e qualidade da forragem. “Com base nessas informações, poderemos não apenas identificar que manejos são mais interessantes do ponto de vista produtivo e ambiental, mas também investigar as razões das respostas obtidas”, destaca Trindade.
Outro aspecto estudado pelo Centro de Pesquisa é se e como o manejo da fertilidade do solo e sobressemeadura de azevém e trevos impactam na ocorrência de capim-annoni na pastagem natural. Os resultados preliminares têm revelado que o sistema com leguminosas atende à melhoria produtiva e estabiliza a ocorrência de capim-annoni. “Somente a continuidade do monitoramento ao longo do tempo nos permitirá estabelecer os processos no ambiente a fim de avaliar a resposta ao impacto das estratégias”, completa o pesquisador. Um novo projeto vai buscar saber como a cobertura de capim-annoni responderá a esse manejo num prazo superior a três anos.

 

Projetos sobre o Entreposto do Leite estão encaminhados em São Gabriel

Município: São Gabriel

Comitiva tratou de questões envolvendo o desenvolvimento da região, como a compra de maquinário para a indústria leiteira CRÉDITO: KÁTIA MARCON/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Comitiva tratou de questões envolvendo o desenvolvimento da região, como a compra de maquinário para a indústria leiteira
CRÉDITO: KÁTIA MARCON/DIVULGAÇÃO/CIDADES

O prefeito de São Gabriel, Roque Montagner, juntamente com prefeitos que compõem o Consórcio Intermunicipal do Pampa Gaúcho, estiveram reunidos recentemente com o ministro do Desenvolvimento Agrário (MDA), Patrus Ananias. O objetivo da reunião foi abordar projetos cadastrados no MDA para fortalecer as potencialidades dos municípios da Região da Campanha e Fronteira Oeste. Além disso, os prefeitos pleitearam R$ 2,4 milhões para aquisição de maquinário. Montagner destacou que a proposta de São Gabriel busca investimentos no valor de R$ 387 mil para a aquisição de equipamentos para o Entreposto de Leite (implantado na zona Sul de São Gabriel) e compra de maquinário para estruturação da cozinha industrial de elaboração de alimentos e qualificação profissional de panificadores, podendo incluir uma linha de produção específica de fornecimento de pães para a rede básica municipal de ensino. “Além de garantir um meio de formação e qualificação profissional, a proposta viabiliza a geração de empregos e formação de novos microempresários, ao mesmo tempo que vamos estar estimulando a redução de gastos”, comentou.

A comitiva ainda tratou de questões envolvendo o desenvolvimento da região. Entre os temas apresentados ao ministro, o prefeito Roque Montagner destaca a produção de uva e vinho, oliveiras e fruticultura. Também tiveram ênfase os projetos de desenvolvimento das rotas do turismo, leite e cordeiro. Esta última corresponde a uma proposta de implantação de dois abatedouros regionais, credenciados e com estrutura para produzir embutidos de carne de ovelhas, como presunto, copas e charque. “A ideia é agregar valores, dando garantias para que o produto seja industrializado na região. Isso vai aquecer a economia e gerar novos empregos”, explica Montagner.
Junto com o projeto, foi solicitada a contratação de assistência técnica (por meio de chamamento público) para tratar da saúde de ovinos. Hoje, segundo o prefeito, não há um profissional especializado no tratamentode doenças que atacam diretamente a ovinocultura. A proposição contempla ainda a comercialização da lã da ovelha. “Nos últimos anos, a lã perdeu atratividade no mercado interno em razão das indústrias de tecidos a substituírem por fibras sintéticas. Hoje, com o aquecimento do mercado a China, a produção do Rio Grande do Sul (assim como do Uruguai e Argentina) já não é mais suficiente para atender a demanda chinesa”, argumentou Montagner.
Para o fortalecimento das atividades, o consórcio incluiu nos projetos a participação das Universidades, Embrapa, Emater, empresários e Ministério de Desenvolvimento Agrário (MDA). Atento às demandas apresentadas, o ministro Patrus pediu a seus assessores que colocassem em agenda uma visita à região e também um estudo envolvendo governo, Estado, cidades, universidades e sociedade civil, para o desenvolvimento do Pampa Gaúcho. Estiveram presentes os prefeitos de Itaqui, Gil Marques, de Bagé, Eduardo Colombo, de Novo Machado, Airton Moraes, além dos deputados Bohn Gass, Giovani Chierini, Heitor Schuch, Affonso Hamm e Dionísio Marcon, todos do Rio Grande do Sul.
O consórcio reúne 17 municípios da Campanha e Fronteira Oeste (Bagé, Alegrete, Barra do Quaraí, Caçapava do Sul, Dom Pedrito, Lavras do Sul, Manuel Viana, Quaraí, Rosário do Sul, Santa Margarida, Itaqui, Santana do Livramento, São Gabriel, Vila Nova do Sul, São Borja, Maçambará e Uruguaiana).

 

Qualidade na merenda escolar atende a padrões nacionais

Município: São Gabriel

A alimentação escolar servida aos alunos da rede municipal de ensino é elaborada e distribuída de acordo com os parâmetros da legislação vigente. Segundo o Programa Nacional de Alimentação Escolar do FNDE – Fundo Nacional de Desenvolvimento Escolar – a merenda deve obedecer a uma tabela de valores de referencia de energia, macro e de micronutrientes.

Estes valores são calculados e distribuídos nos alimentos conforme a idade do estudante. A legislação regulamenta ainda, que a alimentação escolar deve ser servida em quantidades relacionadas conforme o tempo em que o estudante permanece na escola. Alunos que estudam em tempo integral, por exemplo, devem receber na unidade escolar, 70% das necessidades nutricionais diárias, já os que estudam em um turno do dia, 20%.

O serviço municipal de Nutrição que acompanha, fiscaliza e elabora os cardápios da rede municipal, segue fielmente as exigências do PNAE. “Temos um controle seguro da qualidade de tudo que é servido aos nossos alunos, quanto à quantidade também”, declara a responsável pela Alimentação Escolar, Nutricionista, Nara Gonçalves.

Estudos realizados pelo serviço nos anos de 2009, 2010 e 2011 revelam mudanças significativas no perfil do aluno da rede pública municipal. “Logo que foi regulamentada a alimentação escolar, a ideia era de oferecer uma suplementação alimentar, que atendesse a 15% das necessidades nutricionais do estudante. Por um longo período, a merenda foi vista a única fonte de alimentação de alunos carentes. Hoje, esta situação mudou e se forma um novo perfil do aluno que consome a merenda escolar.”

A análise dos últimos três anos mostra que aumentou o número de alunos com o peso adequado, em média, 60% deles está dentro do peso ideal. Outro fator que chama a atenção é a diminuição do número de alunos com baixo peso, apenas 2,2% dos estudantes estavam nesta situação em 2011. “A nossa preocupação e maior cuidado hoje, está voltado aos alunos que estão com sobrepeso e obesos. Estes dois fatores estão em crescimento e há um ano trabalhamos para combater estes problemas nas escolas municipais”, enfatizou Nara Gonçalves.

Conscientização e mudança de hábito

A mudança de perfil constatada nas pesquisas desencadeou o Projeto Obesidade na Escola – Diga Não a Este Problema. O projeto implantado nas escolas municipais rurais está ajudando os alunos e as famílias a adquirirem novos hábitos. Nas escolas da cidade está o Projeto Oficinas de Educação Nutricional: Bagunça na Cozinha que envolve alunos da pré-escola ao segundo ano do Ensino Fundamental. Muitas escolas, por iniciativa própria, estenderam o projeto aos anos seguintes. Os resultados são visíveis e a expectativa é animadora. Destacou Nara Gonçalves. Todo o aluno que frequenta regularmente as escolas da rede municipal recebe uma alimentação balanceada e de boa qualidade. A aprovação do cardápio é feita por eles mesmos. “Eu gosto de tudo. A nossa merenda é boa e variada, não fico com fome depois da merenda, mas dá vontade de repetir de tão boa que é”, diz João Alexandre, que estuda na 8ª série no Caic.

Além da garantia de uma alimentação de qualidade, o aluno da rede municipal também pode dispor de alimentação especial. No caso de dietas prescritas por especialistas, as escolas do município estão preparadas para servir dietas especiais, como é o caso de estudantes diabéticos ou de baixo peso. Segundo a nutricionista do município, o direito a este tipo de dieta é garantido por lei e o município está devidamente adequado a esta necessidade.