Arquitetura da URI Santo Ângelo abre a 7ª Mostra de Plástica e Expressão Gráfica

Município: Santo Ângelo

Aberta para visitação até 5 de agosto, a exposição buscou inspiração em obra de arquiteta alemã CRÉDITO: URI SANTO ÂNGELO/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Aberta para visitação até 5 de agosto, a exposição buscou inspiração em obra de arquiteta alemã CRÉDITO: URI SANTO ÂNGELO/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Foi aberta, na tarde do dia 5 de julho, a 7ª Mostra das disciplinas de Expressão Gráfica I e Plástica do curso de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões (URI) Santo Ângelo, ministradas pelas professoras mestres Claudete Boff e Roberta Doleys Soares, respectivamente. A mostra, com o tema Arte e arquitetura: novas afinidades, que permanece no Atelier Livre (Prédio 20) até o dia 5 agosto, buscou inspiração na obra da arquiteta alemã Julia Schulz Domburg, que trata do diálogo entre a arte e a arquitetura, destacando a correspondência que existe entre ambas e como se pode interpretar sua volumetria e o espaço onde está inserida. Na mostra, as maquetes representam conceitos vindos de edificações ou pinturas e os desenhos são interpretações do motivo tridimensional com aplicação de diferentes técnicas. Procurou-se dar ênfase aos aspectos que sintetizam o diálogo entre elas.
Segundo as professoras Claudete e Roberta, “a 7ª Mostra de Expressão Gráfica I e Plástica tem por objetivo fazer as relações entre o desenho e o objeto edificado, neste caso, a arte gráfica e a maquete”. Escolhido o tema para construir plasticamente um objeto, partiu-se para executar graficamente a síntese do mesmo. A proposta foi explorar, por mais simples que fosse a forma, todos os recursos de desenho exercitados em aula. Quanto ao volume elaborado, buscou-se a retratação plástica das sensações provocadas pela obra referência (edificação, escultura ou pintura) a partir da percepção dos acadêmicos e a aplicação dos conhecimentos adquiridos na disciplina. Criatividade, originalidade e eficiente aplicação técnica foram buscadas durante a execução do trabalho. O resultado deveria ressaltar o grau de correspondência entre arte e arquitetura, a linguagem particular de cada desenho e, consequentemente, a fruição estética.
A coordenadora do Curso de Arquitetura e Urbanismo, Thaís Faccin de Brum, parabenizou professoras e estudantes pelo trabalho, observando o valor de atividades práticas desde o primeiro semestre do curso. As titulares das disciplinas, Claudete e Roberta, igualmente se manifestaram enfatizando que Expressão Gráfica e Plástica são bases importantes para os conhecimentos a serem construídos nos próximos semestres e que o tema escolhido para a mostra foi desafiador, exigindo pesquisas e estudos preliminares. Prestigiando a mostra, esteve o engenheiro eletricista e de Segurança do Trabalho Rubilar Ferreira, pai da acadêmica e expositora da mostra Rubianne Bottega Ferreira. Ao parabenizar o grupo pelas atividades, Ferreira observou a importância de unir em uma obra, a rigidez de cálculo da engenharia com a beleza e a arte da arquitetura.

 

Departamento de Trânsito de Santo Ângelo trabalha na reconstrução da sinalização viária

Município: Santo Ângelo

Modernização da zona azul também está na agenda do DMT CRÉDITO: PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTO ÂNGELO/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Modernização da zona azul também está na agenda do DMT CRÉDITO: PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTO ÂNGELO/DIVULGAÇÃO/CIDADES

O governo municipal está investindo em torno de R$ 30 mil para a pintura da sinalização viária vertical e horizontal da zona urbana de Santo Ângelo, bastante danificadas pelas chuvas registradas na segunda quinzena de maio e início deste mês, e que colocaram o município em situação de emergência. Outra atividade em andamento é a execução de melhorias na sinalização do estacionamento rotativo da cidade.
Segundo o diretor do departamento municipal de Trânsito (DMT) Gerson Rodrigues, a sinalização que havia sido reconstruída logo nos primeiros dias de governo, terá que ser refeita em virtude das enxurradas. “Por determinação do prefeito Jacques Barbosa, estamos explorando os pontos mais danificados e trabalhando para garantir um sistema viário seguro à população”, afirmou o diretor, lembrando que a manutenção da sinalização é atividade permanente do DMT. Também está sendo realizada a substituição de placas indicativas verticais. Na última quarta-feira, dia 28, equipes do departamento estiveram trabalhando na repintura da sinalização na rua Bento Gonçalves, trecho entre as avenidas Getúlio Vargas e Venâncio Aires, no Centro da cidade.
O DMT trabalha em consonância com a empresa concessionária do estacionamento rotativo para a modernização da área conhecida como zona azul. Depois de concluir a instalação de totens identificadores nos parquímetros, facilitando a sua localização e identificação, estão sendo colocadas novas placas. Rodrigues destacou, ainda, que solicitou à empresa prestadora do serviço a substituição de alguns parquímetros que tem apresentado frequentes problemas de funcionamento.
Dentro do programa de modernização, o diretor do DMT estará palestrando aos monitores do estacionamento rotativo sobre relações pessoais, com o objetivo de qualificar o atendimento aos usuários da Zona Sul. Segundo Rodrigues, a decisão foi tomada em conjunto com a direção geral da concessionária do rotativo e preza pela humanização dos serviços prestados à população.

 

Pesquisas com chia, milho e soja são apresentadas em evento em Santo Ângelo

Município: Santo Ângelo

Vitrine Tecnológica da Agronomia expôs pesquisas realizadas pelos estudantes e professores da URI CRÉDITO: URI SANTO ÂNGELO/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Vitrine Tecnológica da Agronomia expôs pesquisas realizadas pelos estudantes e professores da URI CRÉDITO: URI SANTO ÂNGELO/DIVULGAÇÃO/CIDADES

A 1ª edição da Vitrine Tecnológica da Agronomia foi realizada no último sábado, dia 25, na Área Experimental Agronômica da Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões (URI) Santo Ângelo. O evento expôs algumas das pesquisas realizadas pelos estudantes e professores do curso na universidade. Experimentos com milho, soja e chia, além das análises de dados coletados na estação meteorológica, foram apresentados para estudantes, técnicos, agricultores e agrônomos da cidade e região.
Para o diretor-geral da URI Santo Ângelo, professor Gilberto Pacheco, a universidade está investindo fortemente na estruturação do curso. “Buscamos transformar o ensino em sala de aula. Trabalhamos muito com a inovação, buscando a melhor qualificação dos nossos estudantes”, afirma. Conforme relata a coordenadora do curso, professora Giselda Aparecida Ghisleni, as pesquisas foram realizadas ao longo de 2016 na área experimental da Agronomia. “É o primeiro ano do curso, e já temos resultados com diversas cultivares. É importante que os alunos possam ver na prática os conceitos apreendidos em sala de aula”, destaca. Os trabalhos foram produzidos pelos acadêmicos e pelo Grupo de Pesquisa em Agricultura na Região das Missões.
Foram expostos trabalhos produzidos a partir da Estação Meteorológica do curso. Conforme relata o professor Mário Santos Nunes, o equipamento possibilita a aferição de dados precisos sobre velocidade e direção do vento, temperatura do ar, umidade relativa do ar, pressão barométrica, raios ultravioleta, umidade e temperatura do solo, níveis de água da chuva e evapotranspiração – análise da quantia de água perdida ao longo do dia por uma planta. “Com a estação, é possível acompanhar previsões e leituras em tempo real”, ressalta o professor.
Os estudantes apresentaram, também, os estudos produzidos a partir de métodos de semeadura com diferentes variedades de soja. Os acadêmicos Marlon Ferrazza e Francis Warpechowski explicam que foram avaliados os modos de plantio agrupado e em linha, com comparação da produtividade. As estudantes Aniele Silveira Anklam e Luana Lebtazg Perlim expuseram os estudos com a chia, planta que não é nativa da região. “Foram estudados os períodos de plantio em diferentes épocas, bem como o ciclo da chia em outubro, novembro e dezembro”, relatam. Também foi avaliado o uso da cinza de casca de arroz, em diferentes concentrações, como estruturador do solo, tanto para chia como para a soja. Os estudos de milho tiveram como foco a descompactação do solo e a rotação de culturas. Conforme explica o estudante Diogo Witczak, foi feito o manejo do plantio com profundidades alternadas, em três, cinco e sete centímetros.
A I Vitrine Tecnológica da Agronomia foi realizada em parceria com curso técnico em Agricultura do Instituto Federal Farroupilha (IFFar), o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) e o Sindicato Rural de Santo Ângelo. O patrocínio foi de Sementes Lazarotto, Lassul Análise de Sementes, Giro Agro, Stoller, Rural Mais, Bayer, Syngenta, Agrofutura, Sementes Viera, Redemaq, Giroil, Agricampo, Sementes Giovelli, Migliorini e TimacAgro.

 

Convênio com Associação de Reflorestamento pode ser ampliado em Santo Ângelo

Município: Santo Ângelo

Prefeito quer que associação também forneça mudas de flores para projetos de embelezamento da cidade CRÉDITO: FERNANDO GOMES/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Prefeito quer que associação também forneça mudas de flores para projetos de embelezamento da cidade CRÉDITO: FERNANDO GOMES/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Em audiência realizada no gabinete do chefe do Executivo municipal, foi discutida a retomada do convênio mantido pela prefeitura e a Associação de Reflorestamento de Santo Ângelo (Arfom), acordo existente desde 1992, porém suspenso desde 2015. O convênio prevê o repasse mensal de recursos à associação e, em contrapartida, a entidade fornece muda de eucaliptos à secretaria municipal da Agricultura, que repassa para os agricultores. Desde a sua fundação, em 1990, a Arfom já repassou mais de 1,1 milhão de mudas às propriedades rurais familiares da cidade.
O prefeito Jacques Barbosa acenou positivamente para a retomada do convênio, porém sugeriu que a cedência de mudas de flores ornamentais ao município seja incluída no acordo, para utilização pela secretaria do Meio Ambiente no embelezamento de canteiros em avenidas, praças da cidade e nos trevos de acesso. “Estamos trabalhando em um projeto paisagístico para Santo Ângelo, e é interessante a parceria com a Arfom no sentido de abastecer a secretaria do Meio Ambiente com mudas de flores”, ponderou Barbosa, citando como exemplo o ajardinamento de cidades da Serra gaúcha, conhecidas pelas ruas e avenidas multicoloridas pelas flores ornamentais de diferentes variedades.
O presidente da associação, Osvaldino Lucca, acompanhado do vice Rogério Auler, do engenheiro florestal Nelson Almeida e dos colaboradores Álvaro Uggeri, Amando Dalla Rosa e José Rauber, apresentou o relatório de atividades e convidou o chefe do Executivo para a participação na Assembleia Geral da entidade ocorrida na última terça-feira, dia 21 de março. Acompanharam a reunião o secretário do Meio Ambiente, Francisco da Silva Medeiros, e Antônio Cardoso.

 

Cozinha Comunitária já está em funcionamento em Santo Ângelo

Município: Santo Ângelo

Local tem capacidade de produção de cerca de cem almoços por dia CRÉDITO: FERNANDO GOMES/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Local tem capacidade de produção de cerca de cem almoços por dia CRÉDITO: FERNANDO GOMES/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Em cerimônia realizada na última segunda-feira, dia 20, a secretaria municipal da Assistência Social, do Trabalho e Cidadania reabriu ao seu público a Cozinha Comunitária do bairro Sepé. O local foi reaberto e tem capacidade de produção de em torno de cem almoços diários para pessoas em situação de vulnerabilidade social devidamente cadastradas no Cadastro Único (CadÚnico), do programa Bolsa Família.
Na abertura, o prefeito em exercício Bruno Hesse destacou que, em 50 dias de governo, já se tornou possível cumprir parte do programa e entregar à população do bairro Sepé e adjacências a Cozinha Comunitária. A secretária da Assistência Social Jacqueline Possebom revelou que o local, além de servir alimentação de qualidade e sem custo para pessoas em situação de vulnerabilidade social, também é utilizado para as oficinas do Centro de Referência em Assistência Social (Cras) voltadas ao reaproveitamento de alimentos e que tem como público alvo mulheres que participam dos grupos de atendimento da secretaria. Segundo ela, a cozinha atende preferencialmente crianças, idosos e gestantes desnutridas. “Essa retomada garante melhoria na qualidade de vida da população em situação de risco nutricional”, concluiu Jacqueline.
A cozinha atende de segunda a sexta-feira, das 11h15min às 12h15min e conta com quatro servidores orientados por uma nutricionista. A coordenadora do Cras do bairro Sepé e da Cozinha Comunitária Cleusa Lombarde Borchartt afirmou que, para ser beneficiada com almoço no local, a interessada deve, além do cadastramento junto à secretaria municipal da Assistência Social, do Trabalho e Cidadania, receber o acompanhamento de uma assistente social.
Prestigiaram a reabertura da Cozinha Comunitária, além do prefeito em exercício e da secretária da Assistência Social, o presidente da câmara de vereadores, Adolar Queiroz; os vereadores Filippe Terra Grass, Lucas Lima e Ademir Queiroz; o secretário municipal de Habitação, Everaldo Oliveira; e o chefe de Gabinete do Executivo, Airton Peruzzi.
A senhora Maria Teresinha Barroso Inácio, de 63 anos, moradora do Bairro Sepé e integrante dos grupos de artesanatos do Cras, foi convidada para o almoço que marcou a reabertura da Cozinha Comunitária e considera excelente a iniciativa da administração municipal. “É uma grande conquista, mas deve ser usada por quem realmente necessita. Espero que as pessoas tenham consciência disso e façam bom uso do espaço, que está excelente”, assinalou.