Parceria reúne orquestras de duas universidades de Caxias do Sul e Porto Alegre

Município: Caxias do Sul, Porto Alegre

Apresentações acontecem nesta semana e contarão com cerca de 100 músicos CRÉDITO: CLÁUDIA VELHO/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Apresentações acontecem nesta semana e contarão com cerca de 100 músicos CRÉDITO: CLÁUDIA VELHO/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Palcos de Porto Alegre e de Caxias do Sul recebem, respectivamente, nos dias 15 e 16 de junho, a parceria das orquestras Sinfônica da Universidade de Caxias do Sul (UCS) e Filarmônica da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (Pucrs). Os concertos contarão com a participação especial do pianista argentino Fernando Viani, sob a regência do maestro Manfredo Schmiedt, e a participação de aproximadamente 100 músicos.
No dia 15 de junho, a apresentação acontece no salão de atos da Pucrs, a partir das 20h, e, no dia seguinte, 16 de junho, no UCS Teatro, às 20h30min. As obras Sinfonia da ópera Il Guarany, de Antônio Carlos Gomes; Rapsódia sobre um tema de Paganini, Op. 43, de Sergei Rachmaninoff, com a participação do solista Fernando Viani; e Sinfonia Fantástica (Episódio da vida de um artista) Op. 14, de Hector Berlioz, integram as apresentações.
Os ingressos para a apresentação em Porto Alegre custam R$ 50,00 (plateia baixa), R$ 35,00 (plateia alta) e R$ 20,00 (mezanino) e podem ser adquiridos na bilheteria do local amanhã, das 14h às 20h e, no dia 15, a partir das 15h. No UCS Teatro, o concerto integra mais uma edição do Programa Quinta Sinfônica. Os ingressos custam R$ 10,00 para o público em geral e R$ 5,00 para idosos e estudantes e já estão disponíveis na Loja Spaço Omini, na Galeria Universitária do Campus-Sede; na Livraria do Maneco, no Centro; e no Posto Deltha, em frente à prefeitura de Caxias do Sul. A Orquestra Sinfônica da UCS tem o patrocínio da Unimed Nordeste e o apoio do Sindicato das Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e de Material Elétrico de Caxias do Sul (Simecs) e do LionsEduC.
Conheça o solista Fernando Viani
Fernando Viani nasceu em Mendoza, Argentina, em 1969, e iniciou seus estudos musicais aos sete anos. Em 1993, ingressou na Escola Superior de Música da Universidade Nacional de Cuyo, onde recebeu seu primeiro diploma com a máxima pontuação, sob a direção da pianista Dora De Marinis. Durante estes anos, conquistou o Primer Prêmio no Concurso de Piano da Cidade de Lincoln, o Primer Prêmio no Concurso do Centro de Estudos de Piano e a Medalha de Ouro no Concurso Alberto Williams de melhor interpretação do compositor Argentino (Buenos Aires). Em 1992 e 1993, foi convidado para participar do Festival Internacional de Música de Câmara, Bariloche, onde realizou concertos e trabalhou com professores como Carlo Bruno, Ana Chumachenco e Oscar Lysy.
Em 1993, começou um projeto de pesquisa e gravação junto a outros pianistas e cantores. Sua arte pianística se enriqueceu com a pós-graduação realizada entre os anos de 1994 e 2002 na Staatliche Hochschule für Musik Karlsruhe (Alemanha). Entre 2003 e 2005, foi convidado regularmente pelo Quarteto Verdi para o Festival Vielsaitig, em Füssen (Alemanha). Desde 2012, trabalha artisticamente com a professora Marisa Somma, na Itália.
Em 2012, ganhou um posto no Konservatorium Berna e radicou-se na Suíça. A flexibilidade e as características multifacetadas de sua musicalidade o levam a encarar com êxito o repertório mais variado de música para piano solo e música de câmara com orquestra. Junto ao violinista Anke-Bettina Melik e ao violoncellista Andrej Melik, forma o Melvin Piano Trio, com quem realiza Masterclases. Em 2009, compôs, gravou e executou em concertos a música para os Belebte Bilder (Aquarelas animadas) da pintora argentina Gabriela Stellino. Viani também desenvolve um trabalho pedagógico que gera um numeroso grupo de pianistas, que somam mais de 200 prêmios em concursos nacionais e internacionais, o que originou a fundação da Melvin Musikakademie para jovens talentosos, em novembro de 2006.

 

Montagem sobre O Pequeno Príncipe será apresentada em Porto Alegre e Novo Hamburgo

Município: Novo Hamburgo, Porto Alegre

Fábula será encenada por 11 atores CRÉDITO: RAPHAEL SEABRA /DIVULGAÇÃO/CIDADES

Fábula será encenada por 11 atores CRÉDITO: RAPHAEL SEABRA /DIVULGAÇÃO/CIDADES

“Eis o meu segredo: só se vê bem com o coração. O essencial é invisível aos olhos”. Essa é a história de um Pequeno Príncipe, uma rosa única e uma sábia raposa. Cativados pelas relações de afeto que os unem, estes personagens fazem refletir sobre o encantamento de estar entregue aos sentidos e às relações. Com direção do argentino Néstor Monasterio, a obra literária, que é uma das mais vendidas no mundo, ganha um novo olhar teatral desconstruído e incrivelmente humanizado sobre a solidão de quem se sente só nesse ou em outro planeta. Com realização do Ministério da Cultura e da Opus Promoções, o espetáculo O Pequeno Príncipe estreia em Porto Alegre, no Teatro do Bourbon Country, no dia 14 de maio e, se apresenta no Teatro Feevale, em Novo Hamburgo, nos dias 4 e 5 de junho.
A obra do escritor, ilustrador e aviador francês Antoine de Saint-Exupéry atinge certeiramente gerações de crianças, jovens e adultos. São mais de 70 anos viajando pelo imaginário de homens e mulheres, abordando as dores do mundo e dos seres humanos. Adaptada a gerações, culturas e diferentes perspectivas, a história – que integra a lista de obras mais traduzidas da literatura – pode ser sentida de diferentes formas toda vez que é recontada.
Sem equações e fórmulas definidas, a fábula será encenada por 11 atores. O roteiro irá mesclar a história de uma companhia de teatro que se reúne em um galpão de ensaio para imergir no processo de criação da montagem de O Pequeno Príncipe com trechos do texto original da obra. Entre momentos cotidianos e a transparência de um personagem em construção, o enredo desta fascinante viagem é contado ao público com interrupções surpreendentes que farão questionar o real e o fictício.
Atuação, dança, coreografia e música ao vivo serão equalizados com sutis projeções e delicados elementos de cena. O cenário será morada de móveis, bosques, bonecos, um castelo e um avião. Para adicionar toques de fantasia, acessórios e figurinos, desenhados pela figurinista Coca Serpa, serão os encarregados de dar alusão aos personagens da história original de Antoine de Saint-Exupéry.
Para o diretor Néstor Monasterio, a ideia é brincar com pequenas mágicas e traduzir por meio da iluminação as diferentes luzes dos diferentes planetas da história do Pequeno Príncipe. Além disso, Monasterio ressalta que o musical, que apresenta 14 canções, é dinâmico e se propõe a contar a história por meio de elementos de metalinguagem que permitem ver o outro lado, a mágica acabada. “Não fazemos teatro infantil, fazemos um teatro que as crianças também podem assistir. É uma peça para toda família, com muita poesia”, conclui.
Entre cantos e diálogos, o grupo de atores questiona o lado bom do fim e faz refletir sobre a importância de se buscar a felicidade também nos momentos trágicos da vida. E é assim, como um bloco de carnaval, que o espetáculo se despede do público e o convida para celebrar a dádiva de se cativar um amigo.
Em porto alegre, o espetáculo será apresentado nos dias 14, 15, 21 e 22 de maio, sempre às 15h. Em Novo Hamburgo, a apresentação acontece nos dias 4 e 5 de junho, às 16h. O valor dos ingressos nas duas cidades varia de R$ 50,00 a R$ 120,00.

 

Equipe da Emater de Porto Alegre classifica 60 toneladas de arroz orgânico para alimentação escolar

Município: Porto Alegre

Laboratório tem certificado de qualidade ISO 9001:2008 e está capacitado para realizar outros tipos de análises CRÉDITO: ROGÉRIO FERNANDES/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Laboratório tem certificado de qualidade ISO 9001:2008 e está capacitado para realizar outros tipos de análises CRÉDITO: ROGÉRIO FERNANDES/DIVULGAÇÃO/CIDADES

A equipe da Unidade de Classificação (UCL) da Emater de Porto Alegre realizou, recentemente, a classificação (análises físicas) de 60 toneladas de arroz orgânico. Essas análises, entre outros critérios, determinam a qualidade do produto, como o seu tipo 1 (de melhor qualidade), tipo 2, etc. O grão, produzido pela Cooperativa dos Trabalhadores Assentados da Região de Porto Alegre (Cootap), com sede em Nova Santa Rita, tem como destino a prefeitura de São Paulo, onde será utilizado para a alimentação escolar.
Além da classificação física, o Laboratório de Classificação Vegetal da Emater, localizado em Porto Alegre, realizou análises laboratoriais microscópicas e macroscópicas para identificação de matérias estranhas, pesquisa com indicativo de riscos à saúde como, por exemplo, fragmentos de insetos, teste de falhas nas boas práticas e teste de cocção juntamente com os testes sensoriais no qual se verificam o tempo de cozimento do grão, o volume de crescimento do mesmo, e avaliação da cor, sabor do produto cru e após ter sido cozido, que também são de suma importância para avaliar a aceitação, tanto por parte de quem vai elaborar o alimento como dos consumidores no momento da refeição.
“Este é um arroz diferenciado, que possui um rendimento muito bom, esse é um dos fatores que contribui para a comercialização do produto pelo terceiro ano consecutivo”, relata a responsável técnica do Laboratório, Clari dos Santos Susin. Só no ano de 2015 foram enviadas mais de 60 remessas de arroz destinadas à prefeitura de São Paulo. Após a conclusão das análises, são gerados os laudos para as análises microscópicas, macroscópicas e os certificados de classificação que atestam a qualidade do produto. “Além da classificação, que é obrigatória para produtos destinados à alimentação humana, e das outras análises da qualidade, o este arroz deverá passar por uma nova análise. Por este ser um produto mais sensível aos agentes naturais, é necessária a realização de uma análise na origem do produto, que realizamos na UCL e no Laboratório e, a segunda, no destino, ou seja, em São Paulo”, explica Clari.
O Laboratório de Classificação Vegetal está acreditado pela Coordenação Geral de Acreditação do Inmetro (Cgcre), de acordo com a norma ABNT NBR ISO/IEC 17025:2005 e credenciado no Mapa – Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento – para fins de Classificação dos Produtos: cevada, farinha de trigo, farinha de mandioca, tapioca (granulada e sagu) e óleos vegetais refinados (soja, milho, girassol, canola e algodão). O laboratório também possui certificado de qualidade ISO 9001:2008 e está capacitado para realizar outros tipos de análises que vão auxiliar produtores, empresas e indústrias no controle de qualidade de seus produtos e proporcionar ao consumidor maior segurança nos produtos alimentícios, através de análises bromatológicas, micotoxinas, microbiológicas, microscopia, rotulagem nutricional e sensorial.

 

Cia Caixa do Elefante propõe uma reflexão sobre a percepção do tempo em novo espetáculo

Município: Dois Irmãos, Morro Reuter, Novo Hamburgo, Porto Alegre

Turnê de Ensaio Sobre o Tempo percorrerá quatro cidades até o próximo dia 31 CRÉDITO: FABIANA LAZZARI/DIVULGAÇÃO/CIDADES

A Cia Caixa do Elefante Teatro de Bonecos estreia o espetáculo Ensaio Sobre o Tempo, que conjugará teatro de animação, dança e ilusionismo para apresentar, de forma poética, reflexões sobre a noção e percepção do tempo em nossa sociedade, inspiradas em escritos teóricos de Henry Bergson, Ítalo Calvino, Heidegger e Santo Agostinho. A primeira temporada teve início no último sábado, dia 8, em Morro Reuter, e ainda passará por Novo Hamburgo, Dois Irmãos e Porto Alegre. Neste ano, a Caixa do Elefante completa 23 anos de trajetória e conta com o patrocínio da Petrobras, através da seleção no Petrobras Cultural para manutenção de companhias de teatro. O processo de criação coletivo do grupo está presente no novo espetáculo.

Ensaio Sobre o Tempo foi desenvolvido a partir do encontro intenso entre os artistas talentosos e experientes, que trabalharam em regime de residência artística no Espaço de Convívio Artístico Vale Arvoredo, localizado em meio à mata nativa da Serra Gaúcha. Desta imersão, surgiram propostas criativas e um instigante resultado.

Com direção de Paulo Balardim, a montagem traz uma sensível atuação da atriz Carolina Garcia. A companhia buscou a parceria de Élcio Rossini para a composição da cenografia, figurino e iluminação, além da assessoria do mágico Eric Chartiot para ilusionismo e do físico Flávio Pohlmann Livi para pesquisa. A concepção dos bonecos e adereços ficou a cargo de Mário de Ballentti, com o auxílio de Marcos Nicolaiewsky. A trilha sonora é assinada por Carlos Badia.

Na ficção, há um andarilho perdido num espaço indeterminado que encontra objetos, os quais vão reativando suas memórias e ganhando corpo. Paulo Balardim explica que presente e passado se confundem, enquanto atriz e os bonecos se mesclam para produzir sentimentos. “O sentimento de finitude, a memória como forma de reviver o passado e a imaginação como projeção de futuro são inspirações para as cenas. Nosso trabalho incorpora recursos do teatro de animação e busca elaborar imagens poéticas sobre essas questões”, ressalta o diretor.

A trilha sonora conduz como narrativa os eventos que se sucedem, numa ordem não linear. E o espaço da cena acaba criando uma dimensão onírica. O espetáculo foi contemplado pelo Prêmio Funarte de Teatro Myriam Muniz e recebeu o financiamento do Fundo de Apoio à Cultura (FAC/RS) e do Fundo Municipal de Produção Artística e Cultural de Porto Alegre (Fumproarte).

Confira as datas e locais dos próximos espetáculos:

Novo Hamburgo: Dias 15,16 e 17 de março, às 20h e às 21h, no Espaço Cultural Entre Linhas – av. Dr. Maurício Cardoso, 905, térreo. Entrada franca

Dois Irmãos: Dias 21, 22 e 23 de março, às 20h, no Curto Arte – Teatro Adriano Schenkel – av. São Miguel, 830, sala 4 – Centro. Ingressos: R$ 10 antecipado e R$ 15 no dia.

Porto Alegre: De 27 a 31 de março, às 19h e às 21h, na Terreira da Tribo – rua Santos Dumont, 1186. Entrada franca.

Ação educativa orienta crianças sobre a forma segura de usar elevadores e escadas rolantes

Município: Canoas, Capão da Canoa, Porto Alegre

No dia 6 de outubro, sábado, acontece no Rio Grande do Sul a ação Faça a Coisa Certa, realizada pela ThyssenKrupp Elevadores, empresa fabricante e prestadora de serviços de manutenção, que visa orientar as crianças e conscientizar os pais sobre como usar corretamente e com segurança os elevadores, as escadas e as esteiras rolantes.

A ação será realizada em parceria com quatro shoppings. Em Porto Alegre, no Barra Shopping Sul e Moinhos Shopping. Em Canoas, no Canoas Shopping e, em Capão da Canoa, no Shopping Lynemar. Além de orientações sobre o uso correto dos equipamentos, as crianças receberão um kit, contendo o gibi As Aventuras do Super Zero & Zug, que traz em linguagem didática várias situações do dia a dia e como devem agir. Uma versão digital do gibi poderá ser encontrada no site da ThyssenKrupp Elevadores www.thyssenkruppelevadores.com.br.

Outros materiais foram desenvolvidos para a garotada aprender brincando a qualquer hora e lugar: o jogo on-line Faça a Coisa Certa que também estará disponível no site da empresa e um vídeo que ensina a usar corretamente o elevador e poderá ser visto no YouTube: www.youtube.com/SeuElevador.

Este ano, a ação Faça a Coisa Certa que já está em sua 5ª edição, acontecerá em parceria com 17 shoppings em 14 cidades de nove Estados: Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Espírito Santo, Bahia, Ceará e Amazonas.

Faça a coisa certa

O sobe e desce dos elevadores e o vai e vem das escadas rolantes, muitas vezes viram brincadeiras para a garotada. É comum a criança que mora em condomínio passear sozinha de elevador, apertar botões de vários andares ou segurar a porta para o coleguinha entrar. Em outros locais, como nos shopping centers, por exemplo, a escada rolante é o objeto de desejo da garotada que se arrisca em manobras perigosas como descer em sentido contrário ou sentar nos degraus.

Apesar de parecer pura diversão, brincar no elevador ou na escada rolante não é uma atitude segura para as crianças. Por isso, é importante aprender o que é certo e errado desde pequeno. Em algumas cidades do País, leis municipais proíbem as crianças menores de 10 anos de usarem o elevador sem a presença de um adulto, ampliando a segurança dos pequenos. Já no caso das escadas e esteiras rolantes, a Norma Brasileira (NBR NM 195/1999) determina o uso de avisos de alerta nos locais onde os equipamentos serão instalados para chamar a atenção dos pais. No Rio Grande do Sul, segundo o Comando de Bombeiros da Brigada Militar, foram registradas 69 ocorrências com elevadores no primeiro semestre de 2012. Não há dados específicos sobre o número de crianças envolvidas, mas a prevenção continua sendo o melhor caminho.

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), 90% das 830 mil mortes de crianças por ano ocorrem no mundo por causa de acidentes, poderiam ser evitadas, por meio da adoção de comportamentos seguros. “A ação preventiva está na base da nossa atuação como prestadora de serviço de manutenção em elevadores. Esta mesma filosofia queremos levar aos pais e às crianças, por meio desta ação. A conscientização da população sobre a importância de um ato seguro é nosso objetivo”, atesta Sérgio Martins Cardoso, vice-presidente de Serviços da ThyssenKrupp Elevadores.