Fenadoce deste ano é lançada oficialmente na prefeitura de Pelotas

Município: Pelotas

Cerimônia de lançamento aconteceu na noite da última quinta-feira, dia 18 de maio CRÉDITO: NAURO JÚNIOR/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Cerimônia de lançamento aconteceu na noite da última quinta-feira, dia 18 de maio CRÉDITO: NAURO JÚNIOR/DIVULGAÇÃO/CIDADES

A Feira Nacional do Doce – Fenadoce 2017, que acontece de 31 de maio a 18 de junho no município, foi oficialmente lançada em cerimônia que aconteceu na noite da última quinta-feira, dia 18 de maio, no saguão da prefeitura de Pelotas. O evento recebeu patrocinadores, apoiadores e imprensa para uma pequena amostra das novidades para a 25ª edição da feira.
Além de agradecer aos patrocinadores e apoiadores por estarem ao lado da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) da cidade em mais um ano, o conselho gestor do órgão, representado na fala da conselheira Vanisse Krause, destacou a importância de levar o lançamento oficial da feira para o prédio da prefeitura. “Escolher esse local tem um sentido especial que remonta nossa história. A prefeitura é onde tudo começou, e esse gesto expressa o compromisso da feira com a valorização do patrimônio histórico e cultural de Pelotas”, ressaltou Vanisse. Ela lembrou que, na atual conjuntura política e econômica, “realizar a Fenadoce é um ato de coragem. A CDL aceitou o desafio de reinventar e de disseminar o potencial de Pelotas, por isso agradecemos a todos que nos ajudam a transformar a feira em realidade”.
A prefeita Paula Mascarenhas salientou a força que o nome da Fenadoce dá ao município. “Essa feira é a nossa vitrine para o Brasil e para o mundo”, afirmou. Honrada pela escolha da organização de lançar o evento na prefeitura, ela falou sobre a expectativa de vivenciar a sua primeira Fenadoce como prefeita. “Quando me perguntam o que espero, sempre digo: vai ser a melhor Fenadoce de todas, porque a melhor é sempre a próxima, graças à capacidade dessa equipe de fazer um evento tradicional parecer sempre novo”, elogiou ela.
Ao fim da cerimônia, os grandes personagens da feira brindaram o público encenando As doceiras e suas histórias. Cada um representando as etnias que constituem a cultura doceira (alemã, portuguesa, africana, italiana e francesa), eles convidaram o público para conhecê-los melhor a partir do dia 31 de maio e, juntos, homenagear as mãos que levam o nome do doce de Pelotas para todos os cantos do mundo. O lançamento foi prestigiado também pelos representantes dos patrocinadores e apoiadores da Fenadoce 2017: Sicredi, Gelei, Banrisul e governo do Estado do Rio Grande do Sul, Caixa Econômica Federal, Deltasul, Net, Claro, Ecosul e Farmácias São João.
A Fenadoce 2017 homenageia as doceiras e a história de Pelotas com o tema Doce, a nossa grande história. Neste ano, a ambientação da feira foi produzida pelo artista plástico Madu Lopes, que criou um mundo mágico para destacar as doceiras de várias etnias que há séculos chegaram ao município e iniciaram a tradição doceira. Em um ambiente lúdico, essa representação da história ganhará forma no espaço Arte do Doce, onde os personagens irão interagir com os visitantes.
Entre as novidades deste ano, estão o aplicativo Formi Go!, a Fenadoce é Show, o Festival de Moda Fenadoce, o espaço Arte do Doce, entre outras, além das atrações já consolidadas, como o espaço Wombo Combo, o Festival de Gastronomia, a Feira de Agricultura Familiar, a promoção Seu Ingresso Vale Mais, a Gincana Cultural Escolar e a Fenadoce Cultural.

 

Expoarroz atraiu grande público entre os dias 9 e 11 de maio em Pelotas

Município: Pelotas

Evento debateu tecnologias, nutrição, produção e fomentar negócios para o setor CRÉDITO: MARCEL STREICHER/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Evento debateu tecnologias, nutrição, produção e fomentar negócios para o setor CRÉDITO: MARCEL STREICHER/DIVULGAÇÃO/CIDADES

A Expoarroz 2017, ocorrida de 9 a 11 de maio no município, reuniu a cadeia produtiva do arroz para debater tecnologias, nutrição e produção e fomentar negócios para o setor. O volume total de negócios da Expoarroz superou a expectativa inicial, chegando a
R$ 81 milhões, segundo a organização da feira. Durante os três dias, cerca de 14.100 mil pessoas visitaram o Centro de Eventos de Pelotas, onde a feira aconteceu. A Rodada Internacional promovida pela Associação Brasileira da Indústria do Arroz (Abiarroz) e a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) através do projeto Brazilian Rice, registrou US$ 13,4 milhões de negócios projetados para o próximo ano, número recorde que fortalece o setor orizícola de todo o País.
“É um número de negócios que nos surpreende quando colocado dentro da realidade econômica atual”, ressalta Fernando Estima, coordenador da Expoarroz 2017. As negociações foram intensas durante toda a feira e ainda podem aumentar ao longo dos próximos meses. O evento contou com mais de 100 estandes de empresas de todo o País, apresentado máquinas, serviços e demais produtos para a cadeia. Avaliando o evento, Estima demonstrou satisfação em ver que, mesmo em um ano de turbulência econômica e política, o setor orizícola respondeu positivamente e ajudou a consolidar o evento. “Todos envolvidos no setor já colocam a Expoarroz na agenda anual, e essa é a principal crença em um evento como esse: reunir todos os agentes da cadeia em um mesmo local”, declarou. Segundo ele, a feira ainda colaborou para movimentar a cidade, apresentando reflexos positivos na rede hoteleira.
A Rodada Internacional de Negócios Abiarroz e Apex-Brasil, através do Projeto Brazilian Rice, contou com seis compradores internacionais, que também realizaram visitas técnicas nas indústrias de arroz da região, e 19 exportadores, a rodada promoveu 100 reuniões. Segundo o gerente de projeto do Brazilian Rice, a presença dos compradores internacionais leva o produto brasileiro ainda mais longe, já que eles podem comprovar a qualidade e competência das indústrias do País. Já a Sessão de Negócios da Regional Sebrae Sul do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) em Pelotas reuniu seis empresas âncoras e 28 fornecedoras com o foco em Tecnologia de Informação (TI).
A presença de visitantes internacionais chamou atenção durante toda a feira. Para Estima, isso comprova a consolidação da Expoarroz, já que as visitas aconteceram de forma espontânea. “Muitas das empresas que estão aqui enviaram convites aos seus compradores internacionais e eles realmente compareceram porque a feira já entrou também na agenda internacional de grandes empresas”, explica. Para o técnico superior orizícola do Instituto Rio Grandense do Arroz (Irga) em Pelotas Igor Kohls, que acompanhou o estande do instituto, a grande virtude do evento foi contemplar todos os públicos. “Diferente do último ano, percebi que tanto o pequeno produtor quanto o empresário da grande indústria passou por aqui”, observou ele. Kohls também destacou as palestras do fórum. “Neste ano, muitas pessoas participaram, interagiram nas palestras, isso foi muito positivo”, declarou.
Fórum teve a participação de 3,5 mil pessoas
A troca de conhecimentos e debates sobre temas como a tributação do arroz, o sistema hidroportuário do arroz gaúcho, a pós-colheita e a industrialização foram destaques no Fórum Internacional O Arroz na Segurança Alimentar, que reuniu 3,5 mil pessoas no auditório principal da feira. Os painéis e seminários foram promovidos pelas entidades apoiadoras do evento, como o Irga, a Superintendência do Porto do Rio Grande, o Laboratório de Grãos (LabGrãos) da Universidade Federal de Pelotas (Ufpel) e a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) Clima Temperado.
Na Carreta-Auditório da Associação Gaúcha de Supermercados (Agas), foram promovidos lançamentos de livros, softwares e também do Grupo de Armazenagem com Precisão do LabGrãos. O espaço recebeu ainda uma capacitação do Irga às merendeiras da rede municipal de ensino como uma das ações do Provarroz.
A feira tem patrocínio master do Irga e do governo do estado do Rio Grande do Sul. Também são patrocinadores Tecon Rio Grande, Vetorial Net, Ameropa, Sicredi, Delta Plastics e Porto do Rio Grande.

 

Fenadoce ultrapassa 2 milhões de doces vendidos em Pelotas

Município: Pelotas

24ª edição da feira registrou mais de 270 mil visitantes e, além da comercialização de doces, contou com atrações culturais e produtos da agricultura local CRÉDITO: MARCEL STREICHER/DIVULGAÇÃO/CIDADES

24ª edição da feira registrou mais de 270 mil visitantes e, além da comercialização de doces, contou com atrações culturais e produtos da agricultura local CRÉDITO: MARCEL STREICHER/DIVULGAÇÃO/CIDADES

A 24ª Fenadoce, que se encerrou no último domingo, dia 12 de junho, contabilizou mais de 270 mil visitantes e mais de 2 milhões de doces vendidos. No ano em que a feira celebra seus 30 anos, a Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Pelotas, organizadora do evento, avalia os números de forma positiva, pois manteve o evento com inovações e, principalmente, com foco na cultura e na gastronomia do município e da região. Além do fluxo de visitantes e doces comercializados, a Fenadoce oportunizou a visita gratuita de 35.200 alunos e professores da rede pública de ensino da região e recebeu mais de 450 excursões, que levaram ao evento mais de 15 mil pessoas.
“Foi uma feira construída com várias mãos no sentido de buscar inovação e estratégias para integrar diversos públicos. Foi assim que reunimos o tradicionalismo na Estância; os jovens no espaço Wombo Combo; os produtores rurais com a Feira da Agricultura Familiar; além de todas as empresas prestadoras de serviço, que têm grande participação nesse processo, e as doceiras, que são razão de ser da Fenadoce. É esse espírito de cooperatividade que entendo ser fundamental para a realização da feira em 2017, que acontece de 31 de maio a 18 de junho”, afirma Adilson Lucas Buroxid, executivo da CDL Pelotas. Para Carlos Umberto Delevati, conselheiro gestor da CDL Pelotas, os objetivos iniciais de manter a feira qualificada e melhorar em relação ao ano anterior foram atingidos. “Mais do que olhar os números, estamos celebrando iniciativas que se solidificaram, como o espaço Wombo Combo, sucesso absoluto com os jovens, e o Festival de Gastronomia, que promoveu a interlocução com vários setores da cidade”, avalia Delevati. Ele ressalta, ainda, que, para 2017, já estão sendo planejadas melhorias no estacionamento e na praça de alimentação, sempre com o intuito de promover ainda mais segurança e conforto para todos.
A presidente da Associação dos Produtores de Doces de Pelotas, Maria Helena Jeske, avaliou as vendas de doces e a edição de forma positiva. “Tudo fluiu muito bem, a organização da feira está de parabéns novamente por conseguir melhorar diversos setores”, exalta Maria Helena, que também cita outro ponto importante: “É um evento que ajuda muitas pessoas e entidades e gera muitos empregos, posso falar por experiência própria”.
Festival valorizou culinária regional
O Festival de Gastronomia da Fenadoce levou chefs renomados para a cidade, divulgou o potencial do polo gastronômico regional e promoveu atividades por toda a cidade. Foram registradas 26 palestras e aulas-show no Fórum Gastronômico; três sessões de filmes com 160 espectadores; 124 cozinheiras participantes do seminário de alimentação escolar; 230 pessoas no Seminário de Gastronomia e Pesquisa; 220 no Seminário de Saúde; além de demais seminários, palestras, oficinas, exposições e do jantar comemorativo aos 30 anos da Fenadoce.
A coordenadora do festival, Jussara Dutra, destaca a valorização que a atividade dá para a gastronomia e os produtores locais, a diversidade de público e o alcance de temáticas importantes, como o reaproveitamento dos alimentos. Jussara já pensa no próximo ano: “O maior desafio é de realmente seguir trabalhando com força a criação de um polo gastronômico regional a partir de Pelotas”.
Turismo e cultura também marcaram o evento
Parceiro da Fenadoce e promotor do turismo interno regional, o Sebrae/RS teve em seu estande um dos destaques deste ano. A decoração ofereceu um fundo temático para os visitantes tirarem fotografias, o que chegou a formar fila. A gestora regional de projetos e turismo do Sebrae/RS, Jussara Argoud, ressalta que o objetivo de despertar no público o desejo de conhecer o Rio Grande do Sul já foi atingido. “O roteiro Morro de Amores, em Morro Redondo, já está dando certo, visto que as pousadas e cafés coloniais estão lotados para as próximas semanas”, conta. O Sebrae/RS, além de apostar no turismo da Costa Doce e região, também foi um colaborador para eventos da feira, como o Festival de Gastronomia, quando levou a chef de cozinha Regina Tchelly para o Disco Xepa.
A cultura também esteve presente na Fenadoce, com 447 apresentações. A Fenadoce Cultural mobilizou todas as vertentes: música, dança, teatro e circo. Desde cantores conhecidos do público, vencedores de prêmios, novatos, ou associações e projetos sociais que quebram barreiras através da cultura, o evento reuniu as diferenças e transformou todos em artistas.
Na Mostra Artística Escolar, um projeto desenvolvido entre as escolas da região, houve 68 apresentações de música e dança. A coordenadora cultural da Fenadoce Adriane Silveira explica que a construção da programação começou em setembro de 2015 e buscou sempre acolher a todos que procurassem a Fenadoce. “Nós tentamos ser democráticos e inclusivos. Todo mundo teve um espaço nos nossos palcos, e creio que tanto os artistas quanto a organização saíram muito felizes com isso”, afirma Adriane.
Feira contou com tradicionalismo, agricultura e espaço pop
Com um novo espaço e a proposta de oferecer um dia da semana para um CTG diferente poder apresentar as suas atividades à comunidade, a Estância Princesa do Sul ganhou autonomia na 24ª Fenadoce. Agora localizada na rua com um espaço próprio, coberto e amplo, a Estância firma o compromisso da Fenadoce com a cultura gaúcha. Para a patroa do CTG Sinuelo do Sul, Vera Lúcia Machado, a iniciativa foi uma demonstração de respeito aos tradicionalistas. “Foi muito bom, principalmente porque agora as prendas têm um local para se arrumarem com privacidade e os CTGs também conseguem se organizar melhor. Espero que, para o próximo ano, permaneça e melhore ainda mais esse novo espaço”, afirma Vera Lúcia.
Outro espaço que recebeu ampliação nesta edição foi a Feira da Agricultura Familiar. Com parceria entre a secretaria de Desenvolvimento Rural, Pesca e Cooperativismo (SDR), a Emater e a Embrapa/RS, a feira contou com 30 expositores, sendo sete artesãos, uma floricultura e 22 agroindústrias de alimentos. De acordo com o coordenador regional da SDR, Darci Cunha, todas as expectativas foram superadas, inclusive com relação à qualidade dos produtos, que se manteve em alto nível até o último dia. “Vendemos em apenas três dias o equivalente ao valor que se havia vendido durante toda a Feira da Agricultura em 2015”, explica. A estimativa inicial, segundo ele, era vender cerca de R$ 200 mil, sendo que o número já estava em R$ 300 mil um dia antes de o evento encerrar.
Nesta edição, houve ainda a criação de um espaço próprio para a cultura pop. Foram 19 dias intensos entre fantasias de cosplay, exposição de action figures, gravações de youtubers, campeonatos de videogame, passos de dança no videogame e até mesmo interação com grafiteiros: um espaço de todos e para todos. Segundo o coordenador do Wombo Combo, Renan Martinez, o espaço provou que a feira pode, sim, integrar desde o público jovem até o idoso”. Para ele, “o espaço se sustentou e, com certeza, aumenta a responsabilidade para o próximo ano”.

 

Fenadoce se inicia amanhã e segue até o dia 12 de junho em Pelotas

Município: Pelotas

Lançamento do evento aconteceu na noite de 18 de maio e contou com coquetel, música e apresentação da programação CRÉDITO: MARCEL STREICHER/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Lançamento do evento aconteceu na noite de 18 de maio e contou com coquetel, música e apresentação da programação CRÉDITO: MARCEL STREICHER/DIVULGAÇÃO/CIDADES

A cidade está pronta para mais uma Feira Nacional do Doce – Fenadoce 2016, que se inicia amanhã e segue até o dia 12 de junho. O evento foi lançado oficialmente na noite de 18 de maio, no centro de eventos Fenadoce, com um coquetel especial, música, doces e apresentação da programação. A história do evento, que começou há 30 anos, começa a ser relembrada e celebrada agora. Muito diferente do seu início, a Fenadoce segue a sua essência de levar o nome de Pelotas além das fronteiras. A homenagem maior neste ano é para o público, aqueles que verdadeiramente fazem o evento ano a ano. Com o tema Para uma grande plateia, um doce espetáculo, a Fenadoce 2016 traz a segunda edição do Festival Gastronômico; o espaço Wombo Combo, com cultura pop; show nacional de Jorge & Mateus; expositores; apresentações culturais; e a famosa Cidade do Doce, com as doceiras mais tradicionais do município.
Para os conselheiros da Câmera de Dirigentes Lojistas de Pelotas (CDL), Carlos Delevatti e Eliane Sedrez, o momento é de dificuldade, mas também de gratidão. “Conseguimos construir uma feira que irá valorizar a cultura da nossa região mesmo com as dificuldades”, afirmou Eliane. Delevatti completou, lembrando a importância de cada parceiro. “Se não fosse por cada um dos parceiros, essa feira tão grande não estaria acontecendo”, destacou. A coordenadora da Fenadoce Cultural, Adriane Silveira, apresentou a programação cultural do evento, destacando que a “Fenadoce já está acontecendo nas ruas” através de intervenções em bairros, praças, no mercado público e em escolas por toda a região, levando um pouco da feira para as ruas e aproximando o público das apresentações artísticas, que poderão ser acompanhadas durante os 19 dias de Fenadoce.
A gastronomia, carro-chefe da feira, ganha força com a segunda edição do Festival Gastronômico. A coordenadora do festival, Jussara Dutra, ressaltou que a Fenadoce é uma expressão da cultura pelotense, por isso, a aposta de, mais uma vez, o evento promover a gastronomia local com conscientização, debates, seminários e a inclusão dos restaurantes da cidade através de jantares com chefs convidados de outros municípios. Jussara ainda destacou a Feira da Agricultura Familiar na programação do festival. “Hoje, 70% do que é consumido no País vem da agricultura familiar. Por isso, é fundamental termos esse espaço”, pontuou.
A tecnologia e a cultura pop também estarão presentes na feira. O aplicativo da Fenadoce 2016, já disponível para o sistema Android, traz a programação e informações da feira. Além disso, há ainda dois games: o Quindim Crush 2 e o Na Trilha do Doce. Já na cultura pop, o espaço será o Wombo Combo, com jogos, cosplay, animes, exposições, oficinas e diversas atrações relacionadas ao tema.
Representando o governo municipal, a vice-prefeita Paula Mascarenhas parabenizou a organização da feira pelos esforços e pelas conquistas ao longo dos últimos 30 anos. “O que temos de melhor em Pelotas é o nosso patrimônio humano, as pessoas. É por isso que acredito na Fenadoce, um evento que, a cada ano, se renova mais”, declarou. O lançamento da feira contou com coquetel feito pela Escola de Gastronomia do Senac e se encerrou com uma apresentação do grupo Ballet de Pelotas.
Doceiras ampliam produção com certificação de origem
O púbico que visitar a Fenadoce vai poder experimentar os tradicionais e famosos doces pelotenses com selo de autenticidade. São 15 doces (dos mais de 200 encontrados na feira) produzidos por algumas doçarias da cidade com selo que garante qualidade e receita original. Desde o ano passado, no entanto, o Projeto Polo de Doces de Pelotas, uma parceria entre o Sebrae/RS, CDL Pelotas e Associação dos Produtores de Doces de Pelotas, visa ampliar o número de doçarias que possuem essa certificação para que, em 2017, apenas empresas com o selo possam comercializar os doces tradicionais na Fenadoce.
Atualmente, 11 doçarias fazem parte desse processo, e quatro delas já possuem o selo. “Este é um processo importante, em que as doceiras recebem toda a orientação, com consultoria técnica e de negócios, diagnóstico para melhorias no processo de produção e manual de boas práticas”, explica Jussara Cruz Argoud, gestora do projeto Qualificar os Serviços de Alimentação Fora do Lar – Polo Gastronômico de Pelotas do Sebrae/RS. Além disso, por participarem desse processo, essas empresas estão recebendo um apoio de 20% no valor do espaço na Fenadoce 2016.
A certificação foi conquistada pela Associação dos Produtores de Doces de Pelotas, entidade criada com o objetivo de fortalecer o setor, proteger as receitas e estimular a inovação e o desenvolvimento das empresas associadas. Constituída em 2008, com o apoio do Projeto Polo de Doces de Pelotas e conduzida pelo Sebrae/RS, a associação reúne um grupo de empresários do setor do doce da cidade.
A Tuca Doces é uma das empresas que está passando pelo processo. “Para nós, o certificado é algo muito bom. É importante para valorizar não só os doces, como também as doceiras e, claro, aumentar as nossas vendas”, afirma Sandra Beatriz Lopes Siqueira, da Tuca Doces, empresa que, há 20 anos, expõe na Cidade do Doce da Fenadoce.
Para Maria Alzira Rosa Carreira, da Delícias Portuguesas, tanto a certificação quanto a presença na Fenadoce são vitrines para o trabalho. “Para nós, que aderimos o processo de certificação, é muito importante, pois garante a qualidade da receita. Isso faz com que o cliente possa comer o produto com tranquilidade, pois sabe a qualidade do que está na receita. É importante para alavancar os negócios”, avalia. A empresa tem 18 anos e, desde então, está na Fenadoce.
A pioneira nesse processo é Maria Helena Lubke Jeske, presidente da Associação dos Produtores de Doces de Pelotas e dona da Imperatriz Doces Finos. Para ela, a ampliação do número de empresas com doces certificados fortalece do setor. “O crescimento da empresa com a certificação é muito grande e valoriza todos os produtos, não apenas os doces tradicionais, mas toda a produção ganha. O doce pelotense vai mais longe e todos ganham com isso”, destaca Maria Helena.
Os 15 doces protegidos pelo selo são bem-casado, quindim, ninho, camafeu, olho de sogra, pastel de santa clara, papo de anjo, fatia de braga, trouxas de amêndoas, queijadinha, broinha de coco, beijinho de coco, amanteigado, panelinha de coco, além dos doces cristalizados de frutas. As 11 empresas que fazem o processo de certificação são: Delícias Portuguesas; Doces Santa Clara; Dona Xica Doces de Pelotas; Fábrica de Doce Monalu; Imperatriz Doces Finos; Mestre Kuka; Nanda Doces; Nina Doces; Renata Doces; Tuca Doces e V. N. Doces Delícias.

 

Festival de Gastronomia ganha destaque na Fenadoce em Pelotas

Município: Pelotas

Evento recebe anualmente cerca de 250 expositores e 300 mil visitantes CRÉDITO: REVERSO COMUNICAÇÃO/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Evento recebe anualmente cerca de 250 expositores e 300 mil visitantes CRÉDITO: REVERSO COMUNICAÇÃO/DIVULGAÇÃO/CIDADES

A 24ª edição da Fenadoce, que acontece de 25 de maio a 12 de junho, representa a afirmação de uma das atividades propostas em 2015 e que visa colocar Pelotas definitivamente no mapa gastronômico do país: o Festival de Gastronomia. Neste ano, o foco da programação estará voltado ao debate do significado do Doce de Pelotas como um patrimônio imaterial do Brasil, já que a oficialização está em fase final no Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). Temas como a alimentação escolar, a agricultura familiar e o turismo gastronômico também serão debatidos.
De acordo com a coordenadora do festival, Jussara Dutra, a semente que foi plantada na edição de 2015 colocou o município em evidência. “Existe um antes e um depois do Festival Gastronômico em Pelotas. Mudou o olhar da cidade e também de fora quanto a sua importância gastronômica e o seu potencial, além de ter proporcionado novos contatos para a região. Pelotas é uma cidade que está se firmando como destino gastronômico e a produção das doceiras tem forte influência nesse contexto”, destaca Jussara.
A temática do festival estará centrada na questão da patrimonialização do Doce de Pelotas pelo Iphan. Segundo Jussara, mais temas serão tratados, como a alimentação escolar através da proposta de um seminário de qualificação das cozinheiras, o crescente turismo gastronômico na cidade, a relação entre alimentação e saúde, os trabalhos culturais abordando o cinema e a literatura que retratam a gastronomia e, ainda, será aberto um espaço para discutir a importância do investimento em pesquisas na área. Além disso, a Feira da Agricultura Familiar retorna neste ano com um espaço ampliado.
A programação completa contará ainda com exposição fotográfica das imagens registradas no festival de 2015, oficina de doces tradicionais, fórum gastronômico com aula show, palestras e rodada de negócios, mostra de cinema, chef na escola e o jantar em homenagem aos 30 anos da Fenadoce, no dia 10 de junho. Para Jussara, o Festival de Gastronomia da Fenadoce é uma realidade daqui para frente: “é um festival que veio para ficar”.
A Fenadoce recebe anualmente cerca de 250 expositores e 300 mil visitantes. São 170 mil metros quadrados de feira, sendo 22 mil metros quadrados de área coberta. Em 2015, foram vendidos 2,3 milhões de doces nos 19 dias de evento.
Anuário Cultural será lançado durante o evento para promover artistas da cidade
O conceito da Fenadoce deste ano é Para uma grande plateia, um doce espetáculo, criado para celebrar os 30 anos da feira e, em especial, homenagear a população do município, berço de grandes artistas e uma cidade que recebe número expressivo de atividades culturais o ano todo. Alinhado a esse propósito e reforçando o já tradicional perfil cultural da Fenadoce, nasce o Anuário Cultural – Pelotas 2016, projeto que abre espaço para dar mais visibilidade aos artistas pelotenses. “Esta é mais uma forma que encontramos de fazer uma reverência aos nossos artistas e aos pelotenses por formarem esse público fiel e qualificado, que sempre prestigia as atividades culturais na Fenadoce e fora dela”, explica Carlos Humberto Delevati, membro do conselho gestor da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) Pelotas. O lançamento do anuário será durante a feira, na forma de e-book, e podem se inscrever gratuitamente artistas de diversas áreas.
O projeto foi idealizado em parceria com a Agência Incomum, responsável por toda a identidade visual da Fenadoce. Conforme Daniel Moreira, diretor de criação da Incomum, o anuário será um retrato dos artistas da cidade no momento atual. Para ele, a iniciativa abre portas para os artistas da cidade. “É uma forma de mostrar para o público a vastidão e abrangência da arte de Pelotas, de divulgá-los para público e contratantes, bem como ser útil para produtores que buscam artistas na cidade”, afirma Moreira.
Os artistas já podem se inscrever no site www.fenadoce.com.br/anuario_cultural até o dia 29 de maio. Cada inscrito terá seu CPF e IP armazenados para evitar fraudes. O artista enviará uma foto que represente ele ou o seu trabalho. O regulamento completo também pode ser encontrado no site.
Serviço
O que: Feira Nacional do Doce – Fenadoce 2016
Data: 25 de maio a 12 de junho
Local: centro de eventos Fenadoce (avenida Presidente Goulart com a BR-116)
Horário: de segunda a sexta-feira das 14h às 23h, e sábados, domingos e feriados das 10h às 23h
Ingressos: de segunda a sexta-feira R$ 8,00 por pessoa e R$ 10,00 por veículo, e sábados, domingos e feriados R$ 10,00 por pessoa e R$ 13,00 por veículo. Crianças até seis anos não pagam ingresso e estudantes identificados com a carteira estudantil e idosos acima de 60 anos pagam 50% do valor
Site: www.fenadoce.com.br
Facebook: www.facebook.com/fenadoce