Projeto da Universidade de Passo Fundo visa colocar propriedades da erva-mate em alimentos

Município: Passo Fundo

Pesquisa vai ser feita dentro do Programa de Pós-Graduação em Ciência e Tecnologia de Alimentos da UPF, com apoio da equipe UPFTec CRÉDITO: GELSOLI CASAGRANDE/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Pesquisa vai ser feita dentro do Programa de Pós-Graduação em Ciência e Tecnologia de Alimentos da UPF, com apoio da equipe UPFTec CRÉDITO: GELSOLI CASAGRANDE/DIVULGAÇÃO/CIDADES

São muitos os gaúchos que gostam de fazer um lanche e tomar um chimarrão nos fins de tarde. E se fosse possível aproveitar as propriedades funcionais da erva-mate também para o pão de queijo? É isso que a Universidade de Passo Fundo (UPF), por meio de um projeto de pesquisa do Programa de Pós-Graduação em Ciência e Tecnologia de Alimentos (UPF/PPGCTA), vai fazer. O projeto foi aprovado pela secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul e será desenvolvido dentro da área de abrangência do Conselho de Desenvolvimento da Região da Produção (Corede), Polo de Inovação Tecnológica da Região da Produção. Intitulada Erva-mate como componente funcional no desenvolvimento de processos e produtos alimentares, a pesquisa conta com o apoio da equipe UPFTec.
De acordo com a professora que coordena o projeto, dra. Telma Elita Bertolin, o propósito da pesquisa é quebrar a ideia de que a Ilex paraguariensis St. Hil (erva-mate) pode apenas ser utilizada para o chimarrão e mostrar que ela pode ser ingrediente na construção de novos produtos e processos. Segundo a pesquisadora, hoje existem muitos estudos que mostram que a erva-mate tem potencial funcional como antioxidante e como redutor do colesterol e tem perfil lipídico, provocando a aceleração do metabolismo e desencadeando ações anti-inflamatórias. Nesse contexto, a professora ressalta a necessidade de que a indústria de alimentos se potencialize cada vez mais para o desenvolvimento de alimentos que tragam mais saúde para o homem.
Com o objetivo de criar uma nova possibilidade, a equipe, que conta com a participação de diversos acadêmicos, inova com a criação de um pão de queijo com erva-mate. “Tivemos a ideia de fazer um produto que tem bastante aceitação no mercado, que é o pão de queijo. O projeto pretende desenvolver processos e produtos alimentares, com a inovação de produzir microcápsulas do extrato de erva-mate que podem ser adicionadas aos produtos, garantindo a manutenção das propriedades funcionais dessa substância”, explicou.
De acordo com a aluna do PPGCTA Cíntia Gris, que integra o grupo de pesquisadores, o extrato da erva-mate pode ser protegido de condições ambientais, como luz e temperatura, no intuito de preservar as suas capacidades funcionais. A proposta da encapsulação surge justamente para criar uma forma de proteger essas propriedades e garantir que tanto o pão de queijo quanto qualquer outro produto que venha a ser feito com esse ingrediente seja consumido com os benefícios oferecidos pela planta. “A encapsulação atua como uma técnica de proteção dessas propriedades, para que se consiga adicionar o extrato ao produto e o consumidor possa, de fato, consumir esses benefícios”, destacou.
Pão de queijo será produzido com extrato do produto
O projeto pretende desenvolver o processo de microencapsulação de extrato de erva-mate para o uso em produtos alimentícios e tem como objetivo caracterizar as propriedades funcionais do extrato microencapsulado de erva-mate. A partir disso, a equipe quer desenvolver o pão de queijo com o uso do extrato microencapsulado de erva-mate. Com o pão na mesa, eles ainda vão realizar a difusão tecnológica e capacitações ao setor produtivo da região.
Um primeiro nome já foi definido. O produto será chamado de Pão de queijo gauchinho. Para que ele saia do papel, os processos de desenvolvimento da microencapsulação já estão em andamento. De acordo com a professora Telma, a partir dessa nova técnica de encapsulação, abre-se um leque para projetar novos produtos.
Para a realização desse projeto, foi firmada uma parceria com a empresa Belém Indústria e Comércio de Produtos Alimentícios (Belemix), de Passo Fundo. “O projeto se propõe a desenvolver o pão de queijo na empresa e, na sequência, colocá-lo no mercado, fazendo também um trabalho de extensão, disponibilizando à comunidade as informações e a formação. Outra parceria firmada foi com a empresa Inovamate de Ilópolis, que está incubada no UPF Parque e que trabalhará conosco em algumas ações”, lembrou a coordenadora.

 

Jornada Nacional de Literatura de Passo Fundo lança aplicativo oficial do evento

Município: Passo Fundo

Aplicativo da Jornada já está disponível para download para Android e iOS CRÉDITO: GELSOLI CASAGRANDE/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Aplicativo da Jornada já está disponível para download para Android e iOS CRÉDITO: GELSOLI CASAGRANDE/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Na 16ª edição da Jornada Nacional de Literatura, o público não fará apenas a leitura prévia das obras dos escritores que estarão participando de uma das maiores movimentações literárias da América Latina, que acontece na cidade. Além de ler, estudantes, professores e a comunidade em geral terão a oportunidade de interagir com os livros, por meio do JornadApp, aplicativo oficial da jornada, que tem como base obras literárias. O lançamento da plataforma aconteceu na última quarta-feira, dia 21 de junho, na Universidade de Passo Fundo (UPF), durante o segundo encontro do curso de extensão para formação dos agentes de leitura, que atuarão no período da Pré-Jornada e Pré-Jornadinha.
O JornadApp integra as atividades da Pré-Jornada e da Pré-Jornadinha, que envolvem o período de leitura das obras dos autores que participarão da Jornada e da Jornadinha, em outubro. O programa consiste em um jogo por aplicativo em sistema Android ou iOS, disponibilizando download e upload de dados. A plataforma, para as atividades de Pré-Jornadinha ficará aberta até o dia 17 de julho para cumprimento das tarefas, que serão avaliadas pela comissão das Jornadas Literárias.
O sistema possui duas funcionalidades e atinge públicos diferentes. Uma delas é o JornadApp na Escola, que é uma espécie de game, destinado aos alunos do Ensino Fundamental e integra a Pré-Jornadinha. Já a outra funcionalidade abrange o Projeto Transversais: rotas leitoras, que também integra a Pré-Jornada e é voltada a qualquer pessoa, em especial o público jovem, que terá que percorrer rotas pela cidade de Passo Fundo, “caçando” personagens e demais informações de obras indicadas para a jornada.
O JornadApp acompanha as novas formas de difusão da literatura no meio digital. Um dos coordenadores da Jornada, Miguel Rettenmaier, ressalta que a literatura, que por muitos anos ficou limitada ao universo real, físico, agora segue a tendência da vida, que está cada vez mais on-line. “Os computadores e os mobiles são os novos habitats da escrita e, sobretudo, da leitura, no novo enlace das palavras com o som e a imagem. A difusão da literatura em meio digital, assim, parte dos livros digitalizados e alcança as demais publicações nas redes, até outros dispositivos, mais provocativos quanto à interação direta com a recepção”, destaca Rettenmaier.
O aplicativo é considerado inovador na área da gamificação da leitura e uma forma de tornar a leitura um hábito prazeroso. “É um software com jogos que têm como base de conteúdo as obras literárias. De alguma forma, esses jogos buscam mediar a leitura por um apelo que é também elemento essencial da leitura da literatura: o prazer, o enigma”, enfatiza a também coordenadora da jornada, Fabiane Verardi Burlamaque.
A vice-reitora de Extensão e Assuntos Comunitários da UPF, Bernadete Maria Dalmolin, ressalta que o aplicativo contribui com a democratização da leitura e da literatura, um dos principais objetivos da jornada. “Com o intuito de, de forma prazerosa, democratizar a literatura e a leitura, pensamos em maneiras de fazer com que elas chegassem mais próximas da comunidade. E, dessa forma, surgiu a ideia do aplicativo, que é uma forma atrativa de incentivar a leitura, com o propósito de contribuir para uma sociedade mais crítica e reflexiva, capaz de fazer transformações positivas no mundo”, ressalta a vice-reitora.
O software foi desenvolvido por Thiago Vanzo Ambrosi, com conteúdo elaborado pela comissão organizadora das jornadas, com apoio de alunos e voluntários. “Logo que a comissão da jornada me apresentou a ideia, percebi que era algo inovador. O aplicativo integra várias funcionalidades de interação em um celular como leitura de QRcode e posicionamento georreferenciado, por meio de mapas. O usuário tem que ter o conhecimento prévio das obras para poder interagir e responder às atividades. É o melhor dos dois mundos: integra o conhecimento literário e os recursos da tecnologia”, comenta o desenvolvedor do aplicativo. A BSBIOS está patrocinando o aplicativo.
A 16ª Jornada Nacional de Literatura e a 8ª Jornadinha Nacional de Literatura, que acontecem de 2 a 6 de outubro, são realizadas pela UPF e pela prefeitura. Os eventos contam com os patrocínios do Banrisul, da Companhia Riograndense de Saneamento (Corsan), do Serviço Social da Indústria (Sesi), da BSBIOS e da Companhia Zaffari & Bourbon e com o apoio do Ministério da Cultura, além da parceria cultural do Serviço Social do Comércio (Sesc), dentre outras empresas e órgãos. O aplicativo pode ser baixado por meio de lojas on-line de aplicativos App Store (IOS) e Play Store (Android).

 

Alunos de Passo Fundo realizam visita ao parque Banhado da Vergueiro

Município: Passo Fundo

Estudantes conheceram mais sobre áreas de biomas e resíduos sólidos urbanos CRÉDITO: PREFEITURA MUNICIPAL DE PASSO FUNDO/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Estudantes conheceram mais sobre áreas de biomas e resíduos sólidos urbanos CRÉDITO: PREFEITURA MUNICIPAL DE PASSO FUNDO/DIVULGAÇÃO/CIDADES

O Dia Mundial do Meio Ambiente, comemorado em 5 de junho, motiva todos os anos no mês de junho uma agenda coletiva dedicada ao tema. Em Passo Fundo, uma das atividades realizadas foi a visitação de escolas ao Parque Ambiental Banhado da Vergueiro. Com apoio da equipe da secretaria municipal de Meio Ambiente, os estudantes conheceram mais sobre áreas de biomas e resíduos sólidos urbanos. Entre a visita guiada pelo parque e as atividades na Sala Verde, os alunos tiveram experiências práticas de conteúdos trabalhados em sala de aula com apoio da bióloga Kéllen Tolotti Fraga e do geógrafo Glauco Polita.
Segundo o chefe do Núcleo de Educação Ambiental Wagner Pacheco, a ação incluiu alunos de Educação Infantil, Ensino Fundamental e Ensino Médio. As turmas também conferiram a exposição Referências Poéticas da Natureza, da artista Maria Lucina Busato Bueno, que fica no hall de entrada do parque até o dia 28 de junho. As palestras e a visitação ao Parque Ambiental Banhado da Vergueiro acontecem durante todo o ano. Para agendamento, as escolas devem entrar em contato com o Núcleo de Educação Ambiental pelo telefone (0xx54) 3317-2529.
Outra atividade que já iniciou e segue até o dia 5 de julho é a campanha que incentiva o descarte correto de óleo de cozinha. Coordenada pela secretaria de Meio Ambiente, diversos pontos de coleta estão disponíveis pela cidade. De acordo com dados da secretaria, o consumo médio de óleo no País é de 15 litros por brasileiro/ano. Quando o óleo é despejado na pia e cai na rede de esgoto doméstica, boa parte dele gruda nas paredes das tubulações e absorve restos de alimentos. Como consequência, sistemas de encanamento e caixas de gordura ficam entupidos, e isso pode estimular o aparecimento de baratas e ratos. Outro fator importante é que as estações de tratamento de água e esgoto não estão preparadas para receber grandes volumes de óleos despejados diariamente pelas residências. Um litro de óleo de fritura, por exemplo, pode contaminar até 25 mil litros de água.

 

Professores participam de formação de agentes de leitura em Passo Fundo

Município: Passo Fundo

Atividade foi realizada no auditório da Biblioteca Central da Universidade de Passo Fundo CRÉDITO: GELSOLI CASAGRANDE/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Atividade foi realizada no auditório da Biblioteca Central da Universidade de Passo Fundo CRÉDITO: GELSOLI CASAGRANDE/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Uma das primeiras ações da Pré-Jornada e da Pré-Jornadinha foi realizada na última quarta-feira, dia 31 de maio, no auditório da Biblioteca Central, Campus I da Universidade de Passo Fundo (UPF). Cerca de 150 professores participaram do curso de formação de agente de leitura, promovido pela comissão organizadora da 16ª Jornada e da 8ª Jornadinha Nacional de Literatura, que acontecem de 2 a 6 de outubro, em Passo Fundo. O curso é gratuito e terá atividades ao longo dos meses que antecedem a Jornada.
Os agentes de leitura serão os responsáveis pela mobilização e pelo planejamento da leitura das obras em cada escola durante as ações da Pré-Jornada e da Pré-Jornadinha, que são o período de leitura e a análise das obras dos autores que participarão das Jornadas Literárias, em outubro. De acordo com um dos coordenadores da Jornada, professor Miguel Rettenmaier, o curso visa capacitar os professores, que serão os multiplicadores da leitura de tais obras nas escolas. “Esses professores serão uma espécie de embaixadores da Jornada. Eles também são os responsáveis pela formação de leitores, por isso possuem um papel fundamental e uma responsabilidade muito grande nesse processo”, enfatiza Rettenmaier.
Durante o encontro, foi feita uma demonstração das práticas leitoras e da proposta de multiplicação de leitura. Além disso, foi apresentado um resumo de uma das principais novidades da Pré-Jornada e Pré-Jornadinha, o JornadApp, que é o aplicativo oficial da Jornada, patrocinado pela Bsbios, e que será divulgado em breve pela organização do evento. Nas atividades em que esse aplicativo será utilizado, os agentes terão papel fundamental.
Tais agentes serão formados nas ações da Jornada e, posteriormente, certificados, em um processo permanente de fortalecimento das ações de leitura. Na atual modalidade, o Projeto A leitura multiplicada: a formação do agente de leitura envolverá profissionais de educação da rede pública e privada de Passo Fundo e região. O curso terá uma duração de 40 horas e ocorrerá nas modalidades presencial e on-line, com difusão e aplicação de materiais produzidos pela organização das Jornadas Literárias nas demandas dos agentes de leitura.
A professora Fabiane Verardi Burlamaque, também coordenadora da Jornada, revela que, entre os objetivos do Projeto Agentes de leitura, está o de envolver alunos e professores nas Jornadas Literárias, cujo papel é incentivar a leitura, o encontro de leitores, escritores, artistas, pesquisadores, professores, educadores, alunos, intelectuais e comunidade leitora. “Queremos mobilizar a cidade, em especial as escolas, os professores, que possuem um papel essencial na formação de leitores. O curso de formação é uma forma de orientar, mas, acima de tudo, de valorizar esse profissional, que terá o papel de incentivar os alunos a ler, interpretar e escrever, valorizando a leitura, o escritor, o livro e a literatura”, salienta Fabiane.
A Jornada Nacional de Literatura é uma movimentação cultural permanente que tem como objetivo formar leitores críticos, autônomos e esteticamente sensíveis. Os agentes de leitura têm uma importância significativa nesse contexto. “Eu vejo o agente de leitura não como alguém que ensina a leitura, mas alguém que contagia a leitura. A leitura permeia por várias disciplinas. Penso que ela é imprescindível e fundamental para tornar leitores críticos do mundo”, declara o agente de leitura, o professor Jair Pereira Junior.
A 16ª Jornada Nacional de Literatura e a 8ª Jornadinha Nacional de Literatura são realizadas pela Universidade de Passo Fundo (UPF) e pela prefeitura. Os eventos contam com os patrocínios do Banrisul, da Companhia Riograndense de Saneamento (Corsan), do Serviço Social da Indústria (Sesi), da Bsbios e da Companhia Zaffari & Bourbon e com o apoio do Ministério da Cultura, além da parceria cultural do Serviço Social do Comércio (Sesc), dentre outras empresas e órgãos. As inscrições para a Jornada e para a Jornadinha estão abertas e são limitadas. Os interessados devem se inscrever no portal www.upf.br/16jornada. A programação completa também está disponível no site da Jornada. Mais informações podem ser obtidas pelo e-mail jornada@upf.br ou pelo telefone (0xx54) 3316-8368.
O que é a Pré-Jornada e a Pré-Jornadinha
A Pré-jornada e a Pré-Jornadinha acontecem nos meses que antecedem a Jornada e a Jornadinha, por meio de encontros para análise e interpretação das obras cujos autores participarão da 16ª Jornada Nacional de Literatura e da 8ª Jornadinha Nacional de Literatura. Em 2017, a Pré-Jornada estará associada também ao trânsito dos leitores pela cidade de Passo Fundo. A Pré-Jornadinha, que envolve alunos do 1º ao 9º ano do Ensino Fundamental, contará com a participação de professores da UPF, da prefeitura e da 7ª Coordenadoria de Educação do Estado do Rio Grande do Sul, que atuarão como mediadores do conhecimento, auxiliando no desenvolvimento das atividades propostas no material de apoio que será constituído de atividades em meio digital, elaboradas para aplicação em salas de aula, na conexão via computadores e mobiles.

 

Biblioteca recebe livros da Jornadinha Nacional de Literatura

Município: Passo Fundo

No total, serão 61 títulos e mais de mil obras disponíveis aos alunos  CRÉDITO: FABÍOLA HAUCH/DIVULGAÇÃO/CIDADES

No total, serão 61 títulos e mais de mil obras disponíveis aos alunos CRÉDITO: FABÍOLA HAUCH/DIVULGAÇÃO/CIDADES

As primeiras obras da 8ª Jornadinha Nacional de Literatura começam a chegar na Biblioteca Municipal Arno Viuniski. No total, serão 61 títulos e mais de mil livros disponíveis aos alunos das escolas da cidade. Entre histórias reais e de fantasia, letras e desenhos, impressões e cores, muita leitura acontecerá nos próximos meses. Em 2017, a biblioteca municipal entra em sintonia com as Jornadas Literárias e acaba sendo a ligação entre as escolas e a Pré-Jornadinha, que é o período de leitura e análise das obras dos autores que participarão, realizada com alunos do 1º ao 9º ano do Ensino Fundamental. Todo o trabalho é feito para o grande dia, a 8ª Jornadinha Nacional de Literatura, que deve reunir 20 mil participantes do público infantil e juvenil.
A coordenadora do Núcleo do Livro, Leitura e Literatura do município, que organiza as atividades do espaço, destaca que a compra dos livros é essencial para realizar o trabalho nas escolas. “Temos 61 títulos e 20 exemplares de cada. Dentro desta quantidade, vamos oferecer para as escolas um formato de circuito. Cada escola pode vir semanalmente buscar dois títulos, levando 40 livros para trabalhar com os alunos. Durante esta semana, é feita a leitura e os trabalhos de debate e interpretação. Após o período, novos livros podem ser retirados. Para leituras mais complexa ou extensas, é possível renovar por mais uma semana”, explicou ela.
São 35 escolas municipais de Ensino Fundamental que irão participar e contar com todo o apoio da equipe da biblioteca. Os agentes de leitura também são importantes neste processo, são eles que mobilizarão e planejarão a leitura literária em cada instituição de ensino durante os meses que antecedem a Jornada e a Jornadinha. Segundo a professora Suzana, as escolas municipais já estão organizadas para ter um representante cada. “Essas pessoas serão mediadores, contarão com o apoio da prefeitura, através da biblioteca, e da equipe da Jornada pela Universidade de Passo Fundo (UPF). Eles irão orientar e estar por dentro de todas as novidades, ajudando os professores no trabalho com os alunos”, disse. Dentro de algumas semanas, chegarão os 58 títulos da 16ª Jornada Nacional de Literatura, que serão oferecidos para escolas e comunidade em geral.
Os agentes serão formados nas ações da Jornada e, posteriormente, certificados, em um processo permanente de fortalecimento das ações de leitura. O curso é gratuito, e as inscrições são destinadas a professores representantes de escolas. O curso será de 40 horas e ocorrerá nas modalidades presencial e on-line, com difusão e aplicação de materiais produzidos pela organização das Jornadas Literárias nas demandas dos agentes de leitura.
As inscrições para quem deseja atuar como agente de leitura e participar do curso de formação devem ser feitas até hoje. O curso de extensão A leitura multiplicada: a formação do agente de leitura, ocorrerá amanhã, dia 31 de maio, no auditório da Biblioteca Central da UPF, Campus I. Estão sendo oferecidos dois horários para a realização do curso: às 14h ou às 19h. Os professores deverão optar por um dos encontros. As inscrições devem ser efetuadas no site www.upf.br/agenda, em Inscrições para Eventos, e escolher o evento A leitura multiplicada: a formação do agente de leitura (secure.upf.br/eventos/eventos/181). As Jornadas Literárias acontecem de 2 a 6 de outubro na cidade. A realização é da UPF e da prefeitura.