Escola Georgina Rosado ganha nova biblioteca em Passo Fundo

Município: Passo Fundo

Espaço ganhou decoração especial, incluindo elementos que remetem à literatura CRÉDITO: FABÍOLA HAUCH/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Espaço ganhou decoração especial, incluindo elementos que remetem à literatura CRÉDITO: FABÍOLA HAUCH/DIVULGAÇÃO/CIDADES

A leitura e a formação do leitor orientam o trabalho realizado pela equipe da direção e de professores da Escola Municipal de Ensino Fundamental (Emef) Georgina Rosado. Em função disso, um espaço muito importante está nascendo na escola: a nova biblioteca. Antes, a sala onde eram guardados os livros dividia espaço com a Sala de Recursos. Com adaptações internas, a Sala de Recursos ficou maior para atender os alunos e a biblioteca foi para outro lugar. Com o nome de Biblioteca Monteiro Lobato, a nova morada dos livros ganhou acolhimento com cores, tapetes, almofadas, quadros e painéis feitos pelos próprios alunos, além de elementos que remetem à literatura como bonecos do Visconde de Sabugosa e os óculos do Harry Potter.
Para a diretora da escola, Elizete Flores, a ideia é refletir um ambiente que liga os alunos ao mundo dos livros. “A biblioteca para a Escola Georgina Rosado é um espaço muito importante. Nossos alunos leem muito, são leitores. Isso é reflexo do ensino e do projeto da escola que formam leitores. Procuramos sempre renovar nossos livros, principalmente trazendo livros atuais, além dos clássicos”, explicou. Os livros estão separados por temáticas: fantasia, romance, clássico, infantis. Ao entrar na sala, os alunos também contam com uma prateleira em destaque que semanalmente será atualizada com livros diferentes.
A biblioteca também é um espaço lúdico e que ajuda em práticas leitoras com os alunos dos anos iniciais. “Temos um projeto, que é a Sacola Literária. Os alunos levam livros para casa, leem junto com a família e, depois, em sala de aula incentivamos que eles contem e compartilhem as histórias lidas, façam desenhos. Quando esses alunos estão nos anos finais, a leitura já é um hábito”, destacou Elizete, que ainda lembra que, na Jornada Nacional de Literatura de 2017, os alunos leram 32 livros por meio das práticas propostas.
A prefeitura de Passo Fundo, através da secretaria municipal de Educação, ajudou com parte da pintura e com os mobiliários da nova biblioteca; a outra parte da pintura, as lâmpadas e as cortinas foram feitas com recursos da própria escola. No último dia 9, durante a 43ª edição do Bairro a Bairro, realizado na Escola Georgina Rosado, no bairro Lucas Araújo, o prefeito Luciano Azevedo anunciou o investimento de R$ 600 mil para a reforma total da escola.

Obras da avenida Brasil continuam na 1ª etapa com serviços paralelos em Passo Fundo

Município: Passo Fundo

Ao todo, a obra terá quatro fases e várias etapas em cada uma delas CRÉDITO: HENRIQUE PAZUCH/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Ao todo, a obra terá quatro fases e várias etapas em cada uma delas CRÉDITO: HENRIQUE PAZUCH/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Nos últimos dias, o cronograma de trabalhos da avenida Brasil está sendo adaptado pela equipe. O motivo é a interrupção da produção de cimentos asfálticos de petróleo (CAP), anunciada pela Petrobras, devido a problemas em duas unidades. Até lá, a pavimentação está suspensa e as equipes realizam serviços paralelos como drenagem e intervenções no canteiro central e paradas de ônibus do trecho.
Em nota, foi reiterado que a disponibilidade de asfalto para a Refinaria Alberto Pasqualini (Refap), que atende o Rio Grande do Sul, deve ser normalizada em breve, com previsão de retomada na segunda-feira, dia 28. Assim que normalizada a situação, a pavimentação volta. No momento, os serviços estão voltados para a retirada do basalto do canteiro central para fazer a ciclovia e o caminhódromo, de acordo com o projeto; drenagem de um trecho na calçada do Stock Center e colocação de pavimento rígido nas paradas de ônibus do trecho, que começa no trevo da BR-285, sentido bairro/centro.
Ao todo, a obra terá quatro fases e várias etapas em cada uma delas. As etapas seguintes são: 2ª etapa – rua dr. Verdi de Césaro até o trevo da BR-285; 3ª etapa – trevo da BR-285 até a rua Dr. Verdi de Césaro; e 4ª etapa – Dr. Verdi de Césaro até a avenida Rui Barbosa. O projeto geral prevê a revitalizada da principal avenida da cidade para recuperar e modernizar a infraestrutura de cerca de 5,5 quilômetros entre o trevo da BR-285 e a rua 20 de Setembro. As obras são realizadas pela empresa Bolognesi Infraestrutura Ltda., vencedora da licitação realizada pela prefeitura.
As obras estão divididas em três projetos: o primeiro abrange pavimentação, ciclovia, drenagem, acessibilidade e sinalização; o segundo compreende ampliação e substituição da rede de esgoto; e o terceiro inclui melhorias na rede de infraestrutura elétrica. O investimento total será de R$ 17 milhões, incluindo recursos da prefeitura, financiamento do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e convênio com a Companhia Riograndense de Saneamento (Corsan).
Na parte de pavimentação serão utilizados quatro métodos diferentes, de acordo com a situação atual do pavimento, diagnosticada nos levantamentos técnicos. Em alguns locais, por exemplo, será necessário substituir todo o pavimento, já em outros, apenas a camada de asfalto. Nos pontos de parada de ônibus, será executado pavimento em concreto para evitar deformações excessivas.
O caminhódromo e a ciclovia terão cerca de dois quilômetros de extensão, do trevo da BR-285 até a rua Rodrigues Alves, no bairro Petrópolis. Já os passeios públicos serão adequados às normas de acessibilidade em todos os trechos. A rede de infraestrutura elétrica e lógica será implementada em toda a extensão da obra e servirá, futuramente, para receber por via subterrânea a iluminação dos canteiros centrais, a rede de fibra ótica para o sistema de videomonitoramento e a rede de lógica para implantação de sistemas de informatização das áreas públicas do município. Por último, a rede de drenagem será modernizada para evitar alagamentos.

Medicina da Universidade de Passo Fundo recebe selo de qualidade do Saeme

Município: Passo Fundo

Acreditação atesta excelência do ensino médico oportunizado pela universidade CRÉDITO: GELSOLI CASAGRANDE/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Acreditação atesta excelência do ensino médico oportunizado pela universidade CRÉDITO: GELSOLI CASAGRANDE/DIVULGAÇÃO/CIDADES

A cidade se consolidou como um polo de referência na área da saúde a partir da implantação da Faculdade de Medicina da Universidade de Passo Fundo (FM/UPF), em 1970. Desde então, a faculdade possibilitou a formação de profissionais que atuam no Brasil e no exterior, e tem sido reconhecida pela excelência no ensino médico. Em 2018, após um longo período de avaliação, a Faculdade de Medicina da UPF foi acreditada pelo Sistema de Acreditação de Escolas Médicas
(Saeme). Com isso, de um universo de mais de 300 escolas de Medicina no País, a faculdade da UPF se tornou uma das 13 a receber a certificação no Brasil. Se consideradas somente as privadas e comunitárias, há apenas três instituições que recebem essa acreditação, sendo a UPF uma delas.
A acreditação consiste em um selo de qualidade que é concedido pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) e pela Associação Brasileira de Educação Médica (Abem). Conforme o diretor da Faculdade de Medicina da UPF, professor Gilberto Borges Bortolini, a adesão ao processo foi voluntária e reforça a intenção da unidade acadêmica em buscar a qualificação constante das metodologias e da formação que proporciona aos futuros médicos. “A avaliação oportuniza comprovar excelência em diferentes aspectos, tanto em requisitos educacionais quanto no que diz respeito ao perfil dos docentes, à qualidade da gestão e à infraestrutura disponível”, aponta ele.
O processo, segundo Bortolini, contou com várias etapas que iniciaram a partir da adesão voluntária e do preenchimento on-line de um questionário. Após essa etapa, a faculdade de Medicina realizou uma autoavaliação, por meio de uma plataforma on-line, para, então, terem início as visitas externas dos avaliadores. “Foi mais de um ano de avaliação até chegarmos ao parecer final”, conta o diretor da unidade, que recebeu duas visitas de avaliadores, os quais conheceram toda a estrutura da faculdade.
O sistema de acreditação utiliza para avaliação os indicadores de qualidade do curso e conceitua com insuficiente e suficiente as diferentes dimensões que compreendem a faculdade, desde a gestão educacional até o programa de ensino, os corpos docente e discente, e o ambiente. Para Bortolini, receber uma acreditação de um sistema como o
Saeme evidencia a qualidade de ensino oferecida, por ser um sistema independente do governo, e, além disso, o relatório final produzido pela avaliação acaba se tornando uma ferramenta de gestão.
Outro ponto fundamental sobre a acreditação, conforme o diretor, é a vantagem em relação à mobilidade internacional. “O Saeme tem seus procedimentos operacionais de acordo com os parâmetros da World Federation for Medical Education (WFME), o que permite que os alunos das escolas acreditadas tenham maior mobilidade para sua formação internacional”, destaca, ressaltando que, a partir de 2023, todos os médicos que se inscreverem para obter certificação do Educational Commission for Foreign Medical Graduates (ECMFG) – que possibilita a certificação para atuação internacional – deverão ser egressos de escolas acreditadas por esse sistema.

Alunos do Quiosque da Leitura fazem apresentação de fim de ano em Passo Fundo

Município: Passo Fundo

Na ocasião, cerca de 200 crianças que participaram das oficinas em 2017 subiram ao palco CRÉDITO: GLENDA VÍVIAN/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Na ocasião, cerca de 200 crianças que participaram das oficinas em 2017 subiram ao palco CRÉDITO: GLENDA VÍVIAN/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Com um auditório lotado, os alunos do Quiosque de Leitura Roberto Pirovano Zanatta fizeram, na noite de 13 de dezembro, a apresentação de encerramento das atividades do ano. As cerca de 200 crianças que participaram das oficinas oferecidas pelo Quiosque durante o ano de 2017 subiram ao palco do auditório do Colégio Notre Dame para apresentar o espetáculo Brasil, letras e músicas – A formação identitária do Brasil através de literatura e da música.
As apresentações foram o resultado do aprendizado durante as oficinas de teatro, violão, produção textual, canto coral e iniciação musical. A oferta dessas modalidades, e mais o xadrez, fazem parte do projeto Sábado é dia de oficina no quiosque, realizado em parceria com prefeitura, através do Núcleo do Livro da secretaria de Educação. Com o projeto, todos os sábados, manhã e tarde, são oferecidas aulas gratuitas para crianças de todas as idades.
Esta parceria entre a prefeitura, através da secretaria de Educação, e Instituto Roberto Zanatta, responsável pelo Quiosque, é muito importante para oferecer outras ferramentas de ensino para o público infantil de Passo Fundo, segundo o secretário de Educação, Edemilson Brandão. “Este é um projeto que começou tímido, com poucas crianças, e hoje está com dificuldades para atender a toda a procura. Com o passar dos anos, tomou uma dimensão muito grande, graças ao empenho de toda a equipe ligada ao Quiosque e à parceria do Instituto Roberto Zanatta”, destaca.
Raquel Pirovano, diretora do instituto, lembra que se trata de uma entidade sem fins lucrativos e que oferece oportunidades para as crianças. “Através dessa parceria com a Secretaria de Educação, conseguimos atender, neste ano, 205 crianças, das mais variadas realidades e regiões da cidade”, comenta. Raquel ressaltou, ainda, que a apresentação de encerramento foi uma forma de mostrar o que é trabalhado durante as oficinas.
O investimento no futuro das crianças representa o que há de primordial em uma sociedade, segundo o vice-prefeito, João Pedro Nunes. Para ele, o projeto desenvolvido entre a prefeitura e o instituto é o que essa nova geração precisa: outras formas de aprender. “Eu me sinto orgulhoso e feliz de ser vice-prefeito de uma cidade que se preocupa tanto com as pessoas, onde existem pessoas que se preocupam com os outros”, ressalta.
Proporcionar atividades para crianças e adolescentes, tendo como pano de fundo a leitura, é o principal objetivo das oficinas oferecidas pelo Quiosque de Leitura Roberto Pirovano Zanatta. Com parceria da prefeitura, neste ano, o projeto ofereceu turmas de teatro, xadrez, iniciação musical – com canto coral e violão, produção textual e inglês musical.

Projeto de visitação ao Espaço Cultural em Passo Fundo recebeu 900 alunos

Município: Passo Fundo

Atividade tem o acompanhamento de professores e guias das secretarias de Cultura e de Educação CRÉDITO: PREFEITURA MUNICIPAL DE PASSO FUNDO/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Atividade tem o acompanhamento de professores e guias das secretarias de Cultura e de Educação CRÉDITO: PREFEITURA MUNICIPAL DE PASSO FUNDO/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Uma ação que busca incentivar o conhecimento de um dos locais onde está grande parte da história do município Assim é o Projeto Visitação ao Espaço Cultural Roseli Doleski Pretto, que, neste ano, reuniu mais de 900 alunos de 32 escolas. A iniciativa começou após as revitalizações que mudaram completamente o complexo que, além de guardar a memória da história da cidade, é um patrimônio cultural. A visita é realizada com o acompanhamento dos professores e também por guias integrantes das secretarias de Cultura e de Educação, que revelam a história de cada prédio histórico e sua importância para a cidade.
“Para termos uma ideia, no mês de março, quando abrimos o sistema para realizar a agenda das visitas, ficamos totalmente preenchidos já na segunda semana, gerando uma fila de espera. Além disso, é evidente a aceitação do roteiro por parte dos alunos e professores, pois a visitação possibilita abordar temas de forma interdisciplinar pelos alunos, enriquecendo o trabalho do professor nas suas escolas de origem”, disse a coordenadora do Núcleo do Livro, Leitura e Literatura do município, que organiza as atividades da Biblioteca Municipal, Suzana Einloft.
Criado a partir da Lei nº 4.097, de 24/12/2003, em homenagem à artista plástica Roseli Doleski Pretto (in memoriam), o Espaço Cultural Roseli Doleski Pretto compreende as instalações do Teatro Municipal Múcio de Castro, Museu de Artes Visuais Ruth Schneider (Mavrs) e Museu Histórico Regional (MHR), Biblioteca Pública Municipal Arno Viuniski, Academia Passo-Fundense de Letras e Instituto Histórico de Passo Fundo (IHPF).
Roseli Doleski Pretto, com formação em Desenho e especialização em Arte, Teorias e Métodos pelo Instituto de Artes da Universidade de Passo Fundo (UPF), foi desenhista, pintora, gravadora, e atuou como professora da Faculdade de Artes e Comunicação da UPF até o ano de 2002. Seu trabalho e legado está vinculado à Coordenação da Jornada Nacional de Literatura desde sua primeira edição. Seu principal envolvimento foi nas atividades paralelas, integrando a literatura às demais expressões da arte. Suas marcas sempre foram o seu entusiasmo e sensibilidade, que a moveram em todos os momentos de preparação das jornadas, criando cartazes de divulgação, cenários de fundo de palco, angariando recursos para a realização do encontro literário. Roseli idealizou e coordenou o Museu de Artes Visuais Ruth Schneider e o Museu Histórico Regional de Passo Fundo de 1996 a 2002, quando faleceu. No ano de 2003, foi homenageada com o Espaço Cultural Roseli Doleski Pretto, por sua atuação na área cultural da cidade.