Medicina da Universidade de Passo Fundo recebe selo de qualidade do Saeme

Município: Passo Fundo

Acreditação atesta excelência do ensino médico oportunizado pela universidade CRÉDITO: GELSOLI CASAGRANDE/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Acreditação atesta excelência do ensino médico oportunizado pela universidade CRÉDITO: GELSOLI CASAGRANDE/DIVULGAÇÃO/CIDADES

A cidade se consolidou como um polo de referência na área da saúde a partir da implantação da Faculdade de Medicina da Universidade de Passo Fundo (FM/UPF), em 1970. Desde então, a faculdade possibilitou a formação de profissionais que atuam no Brasil e no exterior, e tem sido reconhecida pela excelência no ensino médico. Em 2018, após um longo período de avaliação, a Faculdade de Medicina da UPF foi acreditada pelo Sistema de Acreditação de Escolas Médicas
(Saeme). Com isso, de um universo de mais de 300 escolas de Medicina no País, a faculdade da UPF se tornou uma das 13 a receber a certificação no Brasil. Se consideradas somente as privadas e comunitárias, há apenas três instituições que recebem essa acreditação, sendo a UPF uma delas.
A acreditação consiste em um selo de qualidade que é concedido pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) e pela Associação Brasileira de Educação Médica (Abem). Conforme o diretor da Faculdade de Medicina da UPF, professor Gilberto Borges Bortolini, a adesão ao processo foi voluntária e reforça a intenção da unidade acadêmica em buscar a qualificação constante das metodologias e da formação que proporciona aos futuros médicos. “A avaliação oportuniza comprovar excelência em diferentes aspectos, tanto em requisitos educacionais quanto no que diz respeito ao perfil dos docentes, à qualidade da gestão e à infraestrutura disponível”, aponta ele.
O processo, segundo Bortolini, contou com várias etapas que iniciaram a partir da adesão voluntária e do preenchimento on-line de um questionário. Após essa etapa, a faculdade de Medicina realizou uma autoavaliação, por meio de uma plataforma on-line, para, então, terem início as visitas externas dos avaliadores. “Foi mais de um ano de avaliação até chegarmos ao parecer final”, conta o diretor da unidade, que recebeu duas visitas de avaliadores, os quais conheceram toda a estrutura da faculdade.
O sistema de acreditação utiliza para avaliação os indicadores de qualidade do curso e conceitua com insuficiente e suficiente as diferentes dimensões que compreendem a faculdade, desde a gestão educacional até o programa de ensino, os corpos docente e discente, e o ambiente. Para Bortolini, receber uma acreditação de um sistema como o
Saeme evidencia a qualidade de ensino oferecida, por ser um sistema independente do governo, e, além disso, o relatório final produzido pela avaliação acaba se tornando uma ferramenta de gestão.
Outro ponto fundamental sobre a acreditação, conforme o diretor, é a vantagem em relação à mobilidade internacional. “O Saeme tem seus procedimentos operacionais de acordo com os parâmetros da World Federation for Medical Education (WFME), o que permite que os alunos das escolas acreditadas tenham maior mobilidade para sua formação internacional”, destaca, ressaltando que, a partir de 2023, todos os médicos que se inscreverem para obter certificação do Educational Commission for Foreign Medical Graduates (ECMFG) – que possibilita a certificação para atuação internacional – deverão ser egressos de escolas acreditadas por esse sistema.

Alunos do Quiosque da Leitura fazem apresentação de fim de ano em Passo Fundo

Município: Passo Fundo

Na ocasião, cerca de 200 crianças que participaram das oficinas em 2017 subiram ao palco CRÉDITO: GLENDA VÍVIAN/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Na ocasião, cerca de 200 crianças que participaram das oficinas em 2017 subiram ao palco CRÉDITO: GLENDA VÍVIAN/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Com um auditório lotado, os alunos do Quiosque de Leitura Roberto Pirovano Zanatta fizeram, na noite de 13 de dezembro, a apresentação de encerramento das atividades do ano. As cerca de 200 crianças que participaram das oficinas oferecidas pelo Quiosque durante o ano de 2017 subiram ao palco do auditório do Colégio Notre Dame para apresentar o espetáculo Brasil, letras e músicas – A formação identitária do Brasil através de literatura e da música.
As apresentações foram o resultado do aprendizado durante as oficinas de teatro, violão, produção textual, canto coral e iniciação musical. A oferta dessas modalidades, e mais o xadrez, fazem parte do projeto Sábado é dia de oficina no quiosque, realizado em parceria com prefeitura, através do Núcleo do Livro da secretaria de Educação. Com o projeto, todos os sábados, manhã e tarde, são oferecidas aulas gratuitas para crianças de todas as idades.
Esta parceria entre a prefeitura, através da secretaria de Educação, e Instituto Roberto Zanatta, responsável pelo Quiosque, é muito importante para oferecer outras ferramentas de ensino para o público infantil de Passo Fundo, segundo o secretário de Educação, Edemilson Brandão. “Este é um projeto que começou tímido, com poucas crianças, e hoje está com dificuldades para atender a toda a procura. Com o passar dos anos, tomou uma dimensão muito grande, graças ao empenho de toda a equipe ligada ao Quiosque e à parceria do Instituto Roberto Zanatta”, destaca.
Raquel Pirovano, diretora do instituto, lembra que se trata de uma entidade sem fins lucrativos e que oferece oportunidades para as crianças. “Através dessa parceria com a Secretaria de Educação, conseguimos atender, neste ano, 205 crianças, das mais variadas realidades e regiões da cidade”, comenta. Raquel ressaltou, ainda, que a apresentação de encerramento foi uma forma de mostrar o que é trabalhado durante as oficinas.
O investimento no futuro das crianças representa o que há de primordial em uma sociedade, segundo o vice-prefeito, João Pedro Nunes. Para ele, o projeto desenvolvido entre a prefeitura e o instituto é o que essa nova geração precisa: outras formas de aprender. “Eu me sinto orgulhoso e feliz de ser vice-prefeito de uma cidade que se preocupa tanto com as pessoas, onde existem pessoas que se preocupam com os outros”, ressalta.
Proporcionar atividades para crianças e adolescentes, tendo como pano de fundo a leitura, é o principal objetivo das oficinas oferecidas pelo Quiosque de Leitura Roberto Pirovano Zanatta. Com parceria da prefeitura, neste ano, o projeto ofereceu turmas de teatro, xadrez, iniciação musical – com canto coral e violão, produção textual e inglês musical.

Projeto de visitação ao Espaço Cultural em Passo Fundo recebeu 900 alunos

Município: Passo Fundo

Atividade tem o acompanhamento de professores e guias das secretarias de Cultura e de Educação CRÉDITO: PREFEITURA MUNICIPAL DE PASSO FUNDO/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Atividade tem o acompanhamento de professores e guias das secretarias de Cultura e de Educação CRÉDITO: PREFEITURA MUNICIPAL DE PASSO FUNDO/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Uma ação que busca incentivar o conhecimento de um dos locais onde está grande parte da história do município Assim é o Projeto Visitação ao Espaço Cultural Roseli Doleski Pretto, que, neste ano, reuniu mais de 900 alunos de 32 escolas. A iniciativa começou após as revitalizações que mudaram completamente o complexo que, além de guardar a memória da história da cidade, é um patrimônio cultural. A visita é realizada com o acompanhamento dos professores e também por guias integrantes das secretarias de Cultura e de Educação, que revelam a história de cada prédio histórico e sua importância para a cidade.
“Para termos uma ideia, no mês de março, quando abrimos o sistema para realizar a agenda das visitas, ficamos totalmente preenchidos já na segunda semana, gerando uma fila de espera. Além disso, é evidente a aceitação do roteiro por parte dos alunos e professores, pois a visitação possibilita abordar temas de forma interdisciplinar pelos alunos, enriquecendo o trabalho do professor nas suas escolas de origem”, disse a coordenadora do Núcleo do Livro, Leitura e Literatura do município, que organiza as atividades da Biblioteca Municipal, Suzana Einloft.
Criado a partir da Lei nº 4.097, de 24/12/2003, em homenagem à artista plástica Roseli Doleski Pretto (in memoriam), o Espaço Cultural Roseli Doleski Pretto compreende as instalações do Teatro Municipal Múcio de Castro, Museu de Artes Visuais Ruth Schneider (Mavrs) e Museu Histórico Regional (MHR), Biblioteca Pública Municipal Arno Viuniski, Academia Passo-Fundense de Letras e Instituto Histórico de Passo Fundo (IHPF).
Roseli Doleski Pretto, com formação em Desenho e especialização em Arte, Teorias e Métodos pelo Instituto de Artes da Universidade de Passo Fundo (UPF), foi desenhista, pintora, gravadora, e atuou como professora da Faculdade de Artes e Comunicação da UPF até o ano de 2002. Seu trabalho e legado está vinculado à Coordenação da Jornada Nacional de Literatura desde sua primeira edição. Seu principal envolvimento foi nas atividades paralelas, integrando a literatura às demais expressões da arte. Suas marcas sempre foram o seu entusiasmo e sensibilidade, que a moveram em todos os momentos de preparação das jornadas, criando cartazes de divulgação, cenários de fundo de palco, angariando recursos para a realização do encontro literário. Roseli idealizou e coordenou o Museu de Artes Visuais Ruth Schneider e o Museu Histórico Regional de Passo Fundo de 1996 a 2002, quando faleceu. No ano de 2003, foi homenageada com o Espaço Cultural Roseli Doleski Pretto, por sua atuação na área cultural da cidade.

Produtores participam de Dia de Campo sobre Hortaliças em Passo Fundo

Município: Passo Fundo

Atividade foi realizada na propriedade de Vilson Terres e Vanderlei Cézar Lea CRÉDITO: VANESSA ALMEIDA DE MORAES/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Atividade foi realizada na propriedade de Vilson Terres e Vanderlei Cézar Lea CRÉDITO: VANESSA ALMEIDA DE MORAES/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Mais de 650 produtores de 65 municípios estiveram em Passo Fundo na última quinta-feira, dia 30 de novembro, na localidade de Bela Vista, participando do Dia de Campo sobre Hortaliças, realizado pelo terceiro ano consecutivo, na propriedade de Vilson Terres e Vanderlei Cézar Leal. O evento contou com seis estações técnicas, estandes de empresas parceiras e produtos da agricultura familiar. O Dia de Campo sobre Hortaliças foi promovido pela Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater), pela prefeitura – por meio da Secretaria municipal do Interior -, pelo Sindicato dos Trabalhadores Rurais, Cresol e Sicredi, com apoio de diversas empresas e entidades.
Os agricultores participantes puderam conferir nas estações técnicas diversas informações, tecnologias e novidades ligadas à produção de hortaliças. A Bayer apresentou o Programa Integrado de Manehjo Bayer HFF com foco em produto biológico. O Instituto Federal do Rio Grande do Sul mostrou, por meio dos canteiros, tecnologia de aplicação em hortaliça. A AgroLife falou sobre tecnologia vegetal. Os representantes da Isla trouxeram uma gama de diferentes hortaliças, entre pepinos, tomates, abóboras e beterraba. A Hortipasso apresentou em sua estação sistemas hidropônicos e semihidropônicos para morango e tomates. Já os engenheiros agrônomos da Emater Rodrigo Batistella e Virgínia Crestani Viero mostraram o cultivo do morango em ambiente protegido.
De acordo com o gerente regional da Emater, Oriberto Adami, o contexto da produção de hortaliças na região está dento do planejamento da instituição. “Foi um evento que começou com o foco de atender uma demanda municipal e, hoje, tornou-se difusão de conhecimento para todo o Estado”, avaliou. O secretário municipal do Interior, Antônio Bortolotti, que representou o prefeito Luciano Azevedo, destacou a importância do evento como local de transmissão de conhecimento e ressaltou a importância do agricultor como produtor de alimentos.
Para o engenheiro agrônomo da Emater de Passo Fundo e um dos idealizadores do Dia de Campo, Alessandro Davesac, o resultado tem sido melhor a cada edição. “Tivemos um excelente evento, promovido a muitas mãos, contamos com a participação do público e das empresas parceiras que acreditaram na importância do Dia de Campo”, avaliou. Ele destaca que, em Passo Fundo, de 5% a 8% do que se consome é produzido na cidade. Portanto, segundo ele, o mercado é promissor. Conforme o agricultor de São João da Urtigam Joel Moterle, que há cerca de 10 anos está na atividade, o evento foi muito bom. “A gente é carente de informação. Nada melhor do que ver a atividades e as experiências na prática para conseguir melhorar na nossa propriedade”, disse.

Programa oportuniza ingresso de alunos no Ensino Superior em Passo Fundo

Município: Passo Fundo

Neste ano, a procura pelo Tô Dentro registrou mais de 300 inscrições para as 200 vagas disponíveis CRÉDITO: JOÃO HENRIQUE PAZUCH/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Neste ano, a procura pelo Tô Dentro registrou mais de 300 inscrições para as 200 vagas disponíveis CRÉDITO: JOÃO HENRIQUE PAZUCH/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Escolher uma profissão não é tarefa fácil para muitos adolescentes que pensam em seguir os estudos, assim como conseguir uma boa nota no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e a aprovação em vestibulares quando a escolha do curso é decidida. Os motivos podem ser diversos, mas o principal ainda é a falta de oportunidade em conseguir uma boa preparação. Pensando nisso, a prefeitura oferece, desde 2013, o Programa Tô Dentro, um curso preparatório gratuito para quem busca abrir as portas do Ensino Superior.
Apenas neste ano, a procura pelo programa registrou mais de 300 inscrições para as 200 vagas disponíveis. Após um ano de muito estudo, revisão de conteúdos para as provas e orientação dos professores para dar segurança aos alunos, muitos já comemoram a aprovação. Com ingresso garantido para os cursos de Artes Visuais e de Moda, Leonardo de Faria Chaves, de 21 anos, conta o que o Tô Dentro representa em sua vida. “O Programa Tô Dentro foi um grande idealizador dos meus estudos, porque antes eu não tinha uma metodologia de como proceder para começar a estudar. Então foi um norteador, que acarretou na minha aprovação nos cursos de Moda e de Artes Visuais. O curso possibilitou esclarecimento de inúmeras formas, seja das áreas de conhecimento de domínio ou não. Sem a disponibilidade do curso pela prefeitura, talvez eu não tivesse a aprovação na universidade”, ressalta Chaves.
Acompanhando as turmas desde o início, a coordenadora da Universidade Popular, Márcia Leida, afirma que é gratificante a conquista dos alunos. “A maioria dos nossos alunos não teria condições financeiras de fazer um curso preparatório. A receptividade nas aulas são ótimas, e a relação com os professores é de confiança. Ficamos felizes com os resultados e por poder ajudar estes estudantes a conquistar um lugar no Ensino Superior”, destaca. Caloura de Fisioterapia, Letícia de Moraes Pereira, de 16 anos, fala da importância de oportunidades. “É um curso muito importante e que deveria sempre existir, pois ajuda os adolescentes que não têm condições. Ajuda muito mesmo! Foi o curso que me deu mais coragem para fazer as provas. No início, eu sentia que não estava preparada nem para fazer o Enem”, comenta.
Aprovada nos cursos de Medicina Veterinária e de Direito, Natali Gross da Silva, de 17 anos, está feliz com o resultado. “Foi uma experiência grande e importante em minha vida. Valeu a pena! Os professores foram excelentes e queridos. Aqui, aprendi um conhecimento que não tive muito na escola. Estou muito realizada!”, finaliza. O Programa Tô Dentro é uma iniciativa da prefeitura. É desenvolvido pela secretaria de Educação, através do Núcleo de Educação de Jovens e Adultos da Coordenadoria da Universidade Popular. O objetivo é preparar gratuitamente os alunos que desejam obter aprovação na prova do Enem e ter acesso ao Ensino Superior de forma gratuita, total ou parcial.