Laboratório municipal de Parobé realiza análise de mosquitos e larvas

Município: Parobé

Espaço funciona desde janeiro e permite a identificação das amostras em até 24 horas CRÉDITO: PREFEITURA MUNICIPAL DE PAROBÉ/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Espaço funciona desde janeiro e permite a identificação das amostras em até 24 horas CRÉDITO: PREFEITURA MUNICIPAL DE PAROBÉ/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Funcionando desde 23 de janeiro, o laboratório municipal, que está junto do departamento de Vigilância em Saúde, já efetuou mais de 150 análises de mosquitos e larvas. Quem coordena as ações do laboratório é a bióloga e coordenadora da Vigilância em Saúde Circe Kayser, que recebe as larvas recolhidas pelos agentes comunitários, que percorrem os bairros da cidade. Circe possui a qualificação fornecida pelo Laboratório Central do Estado (Lacen-RS) e suas análises estão dispensadas de serem enviadas para revisão, sendo assim, o município ganha na rapidez no resultado sobre o qual tipo de larva é. “Antes, quando enviávamos para Porto Alegre, o prazo era de até 20 dias. Então perderíamos muito tempo, em 20 dias os mosquitos infectados podem desenvolver um processo migratório para outro bairro, por exemplo, o que dificultaria em uma ação favorável contra o mosquito. Hoje, com este novo sistema, podemos identificar pela manhã e durante a tarde fazer uma ação no local e na região, podendo atuar de uma forma muito mais rápida”, comenta a bióloga.
Os 31 agentes comunitários foram instruídos sobre como agir, capturar e levar as larvas ao laboratório para análise, como relata a agente de Endemias Aline Vieira. “Fizemos um trabalho de capacitação com os agentes, para que eles possam conscientizar a população sobre os cuidados que devem ter em relação ao Aedes aegypti e também sobre como proceder quando encontrar algum ponto em que exista uma larva de mosquito”. Desta forma, são cobertos aproximadamente três mil imóveis por mês. Porém, a grande dificuldade é com imóveis fechados ou abandonados, onde o acesso é dificultado.
O mosquito causador de doenças como zika, dengue e chikungunya é o Aedes aegypti, mas o mais comum no município é o Aedes albopictus, que é muito semelhante e costuma confundir a população. A forma de diferenciar é através de uma marca que o aegypti possui no dorso, mas que, dificilmente, é perceptível ao olho nu. Parobé é uma cidade considerada infestada, pois possui focos do mosquito Aedes aegypti nos bairros Alexandria, Laranjeiras e Paraíso, o que causa precaução à laborista. “Um município é considerado infestado quando apresenta, dentro do prazo de um ano, a larva do aegypti. Sendo assim, como encontramos em março deste ano um foco do aegypti, Parobé ficará até, no mínimo, março de 2018, constando como infestada. Isso não significa que haja o vírus por aqui. Mas o risco é grande, pois sabemos que em cidades próximas existem focos de mosquitos infectados, portanto, basta que alguém seja picado em alguma dessas cidades e passe a portar o vírus. Quando um mosquito de Parobé picar uma pessoa infectada, teremos então o foco do mosquito infectado. É uma luta constante. Uma guerra contra o mosquito”, comenta Circe.
Neste período que antecede o inverno, a incidência de mosquito diminui, mas não acaba. Para que o laboratório tivesse todas as condições adequadas para que as análises fossem feitas, o município recebeu um microscópio da secretaria de Saúde do Estado. Os cuidados nessa época são principalmente com piscinas. “O pessoal costuma deixar as piscinas de lado neste período, mas é nelas que os mosquitos podem se proliferar, durante o inverno. O uso de cloro e ligar a piscina uma vez por semana, fazer a água movimentar, evita que os mosquitos se proliferem”, alerta a bióloga.

 

11ª edição da Feira da Melancia tem sucesso de público em Parobé

Município: Parobé

Mais de 18 mil pessoas visitaram a Rua Coberta durante os 10 dias de evento CRÉDITO: ARIEL LIMA/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Mais de 18 mil pessoas visitaram a Rua Coberta durante os 10 dias de evento CRÉDITO: ARIEL LIMA/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Dez dias de muito sabor na Rua Coberta integraram a 11ª Feira da Melancia, e o que fica é o gostinho de quero mais. Ao todo, os 13 produtores rurais do município venderam 65 toneladas da fruta. Além disso, as vendas de outros produtos também atingiram números apreciáveis: 3,2 mil espigas de milho e 1,1 tonelada de feijão. Já na praça de alimentação, foram comercializados aproximadamente 10.300 produtos, como pães, cucas, pastéis, batata frita, sorvete, enroladinho, mel e outros itens da agricultura familiar e derivados da melancia. Conforme a comissão organizadora do evento, mais de 18 mil pessoas visitaram a Rua Coberta da Praça 1º de Maio e aproveitaram a feira.
Para uma das principais parceiras da Associação dos Produtores Rurais e Psicultores de Parobé (Aprop) e coordenadora da Emater do município, Veridiane Coelho, o trabalho para a próxima edição da Feira da Melancia já começa a partir de agora. “Quero parabenizar os agricultores pelo empenho. Sabemos que temos muito trabalho e já passamos a pensar na Feira de 2018. A Emater se coloca à disposição, tanto para o incentivo em linha de crédito como planejamento das lavouras”, comenta.
O presidente da Aprop, Hilário Penz, fez um agradecimentos durante o cerimonial de encerramento, e também destacou que os preparativos para a Feira do Peixe estão prestes a se iniciar. “Como representante da associação, quero agradecer à prefeitura, à câmara de vereadores, à vigilância sanitária, à Emater, à Brigada Militar e ao Corpo de Bombeiros, que nos ajudaram a organizar e realizar este evento. E, claro, um agradecimento especial aos nossos visitantes. Temos que pensar na próxima Feira da Melancia e também na Feira do Peixe deste ano, que é mais uma oportunidade para nossos produtores mostrarem seu trabalho”, salientou Penz.
Já o prefeito interino, Moacir Jagucheski, indica que, para os próximos, uma nova estrutura deve ser pensada para a Feira da Melancia. “Conversamos com os agricultores durante a semana e, pensando no futuro, temos que arranjar um espaço maior para os produtores, um lugar com melhor acesso, para as próximas feiras. Nós, como representantes do povo, temos a obrigação de fomentar a melhora da Feira da Melancia, para que a cada ano os produtores rurais vendam mais e fortaleçam a agricultura familiar do município”, finaliza.
Já a noite do dia 20 de janeiro foi de música na Rua Coberta. Realizado dentro da programação da Feira da Melancia, o 2º Festival de Talentos reuniu 11 artistas locais que interpretaram canções de diversos estilos, entre eles sertanejo universitário, sertanejo de raiz, música gaúcha e música popular brasileira. A iniciativa tem como objetivo promover um espaço para que os moradores da região apresentem suas habilidades musicais. O corpo de jurados, formado por integrantes do Conselho Municipal da Cultura, definiu como grande vencedor o grupo Nanda Pimenta & Banda, que cantou o sucesso Chão de Giz, de Zé Ramalho.

 

Projeto Descarte o Descartável busca diminuir o consumo de copos plásticos na prefeitura de Parobé

Município: Parobé

Projeto reduz despesas, diminui a produção do resíduo sólido e reeduca para a prática de hábitos saudáveis PREFEITURA MUNICIPAL DE PAROBÉ/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Projeto reduz despesas, diminui a produção do resíduo sólido e reeduca para a prática de hábitos saudáveis CRÉDITO: PREFEITURA MUNICIPAL DE PAROBÉ/DIVULGAÇÃO/CIDADES

A prefeitura, por meio da secretaria municipal de Meio Ambiente, lançou o projeto Descarte o Descartável, com a finalidade de reduzir o consumo de copos plásticos no prédio público. Com a medida, foram entregues canecas de cerâmica para todos os funcionários, assim os copos plásticos dos bebedouros de água serão consumidos apenas pelos visitantes.

O projeto da administração engloba três finalidades: reduzir despesas, diminuir a produção do resíduo sólido e reeducar para a prática de hábitos saudáveis. O tema sustentabilidade do planeta, atualmente em destaque em todos os setores da sociedade, torna todos os cidadãos responsáveis por suas ações que, de alguma forma, causam impactos ao meio ambiente.
Atitudes triviais como o uso desenfreado de copos plásticos descartáveis, que aparentemente são inofensivos, geram grande volume de resíduos sólidos, causadores de impactos ambientais negativos. Esses impactos não se verificam somente quanto ao descarte, pois, desde a extração de sua matéria-prima até a sua disposição final e reciclagem, passam por processos que geram emissão de gases de efeito estufa (CO² e metano) e danificam o solo.
Para mitigar esse impacto negativo, faz-se necessário não só uma mudança de atitude, mas principalmente formar consciência de eco-responsabilidade de cada um. A grande massa de usuários dos copos de plásticos descartáveis na prefeitura municipal são os servidores e os munícipes, razão pela qual, com o objetivo de buscar a simpatia para com a mudança de hábito, os servidores foram agraciados com o fornecimento de canecas de louça, com a logomarca da administração.

 

Vigilância em Saúde de Parobé mobiliza a população contra a Dengue

Município: Parobé

Semanalmente, os agentes de endemias montam e monitoram as armadilhas larvitrampas em 56 pontos nos bairros do município CRÉDITOS: PREFEITURA MUNICIPAL DE PAROBÉ - DIVULGAÇÃO/CIDADES

A Vigilância em Saúde de Parobé, em parceria com os técnicos da secretaria estadual de Saúde, começaram, na semana passada, uma mobilização no bairro Integração contra a Dengue. Em visitas aos moradores, a equipe realizou a delimitação de foco no bairro, por ter um resultado positivo de larvas do mosquito transmissor (Aedes aegypti) no bairro.
Informada pelo Laboratório Central de Saúde Pública do Estado (Lacen), sobre a existência de um foco, imediatamente, a Vigilância iniciou as atividades de delimitação de área, ou seja, a partir do foco, em um raio de 300 metros, a equipe está visitando e vistoriando todos os imóveis para pesquisa, orientação e coleta de larvas.
Semanalmente, os agentes de endemias montam e monitoram as armadilhas larvitrampas em 56 pontos nos bairros do município. As armadilhas são colocadas em locais estratégicos, de acordo com as orientações do Ministério da Saúde. No final de fevereiro, em uma dessas armadilhas, quatro larvas do mosquito foram encontradas nas imediações.
Para prevenir o inseto Aedes aegypti, é necessário um trabalho em conjunto com a comunidade, que não pode deixar objetos com água acumulada, desde tampinhas de garrafas, casca de ovos, vasos de flores, sacos plásticos, até piscinas ou grandes depósitos sem os devidos cuidados, ou seja, tudo que possa conter água parada proporciona um ótimo lugar de desova para o inseto. Marili Bitencourt, coordenadora da Vigilância em Saúde, convida a comunidade a participar dessa luta contra o mosquito: “Se cada um fizer sua parte, vamos eliminar esse mosquito do município”, finaliza.

HSFA presta atendimento de saúde para futuras mamães de Parobé

Município: Parobé

Mães ganham mais qualidade nos atendimentos, com orientações clínicas sobre o bem-estar do bebê MARCO QUINTANA/JC

A partir do mês de março, o Programa Saúde da Mulher e da Criança em Parobé contará com a parceria do Hospital São Francisco de Assis (HSFA) no cuidado com a mamãe e com o bebê. No último mês de gestação, a mãe poderá contar com o apoio de uma equipe do HSFA e da secretaria de Saúde para acolher e orientar sobre os primeiros meses depois do nascimento da criança. Reunião entre a equipe de acolhimento da gestante ocorreu no último dia 18, na sede da secretaria.
A equipe será a responsável por prestar informações sobre o pré e o pós-parto, os cuidados que devem ser tomados com o recém nascido e com a amamentação. Também, em médio prazo, o hospital contará com um ambulatório de alto risco gestacional. De acordo com o diretor técnico do HSFA e coordenador de obstetrícia, Tadeu Stringari, é importante destacar que o pré-natal continuará ocorrendo na Saúde da Mulher, e o hospital prestará um apoio no atendimento. Ele ainda conta que os pré-natais de baixo risco, nos próximos meses, poderão ser realizados também nas Unidades Básicas de Saúde.
Segundo a diretora de Saúde, Maris Vilande, o objetivo desta iniciativa é descentralizar o atendimento de acordo com as políticas de atenção básica, promovendo um acompanhamento gestacional integrado entre todos os espaços de saúde do município.
Para o prefeito, Cláudio Silva, esta parceria trará mais qualidade nos atendimentos e mais segurança às mães, que terão além de acompanhamento e tratamento, orientações clínicas sobre ações que devem ser tomadas para garantir a saúde e o bem estar da mâe e do seu bebê.