Projeto Arte e Turismo apresenta Termas e Longevidade em Porto Alegre

Município: Cotiporã, Nova Prata, Protásio Alves, Veranópolis, Vila Flores

Artesanato polonês e degustação de produtos típicos são algumas das atrações que poderão ser conferidas CRÉDITO: ANA CRIS PAULUS/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Artesanato polonês e degustação de produtos típicos são algumas das atrações que poderão ser conferidas CRÉDITO: ANA CRIS PAULUS/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Nesta sexta-feira, o Roteiro Turístico Termas e Longevidade vai participar do Projeto Arte e Turismo no Museu de Arte do Rio Grande do Sul (Margs), em Porto Alegre. A ação para divulgação turística da região foi organizada a convite da secretaria do Turismo, Esporte e Lazer (Setel) em parceria com o Margs, onde acontecem as atividades, com entrada franca.
A programação se inicia às 10h, com experiências feitas pelos empreendedores do roteiro, como L’Arte Ceccato, com cerâmica; Kariane Modelski, com arte polonesa; SPA Day com algumas terapias, entre outras atividades envolvendo os visitantes com o que eles encontram nos atrativos turísticos dos municípios de Cotiporã, Nova Prata, Protásio Alves, Veranópolis e Vila Flores. À tarde, às 14h, no Auditório Margs, acontece a abertura oficial com talentos culturais e divulgação do Roteiro Turístico Termas e Longevidade; já às 15h, no Café do Margs, será servido coquetel com degustação de produtos típicos do roteiro e apresentação musical. Durante toda a tarde, haverá divulgação de materiais informativos no Foyer.
Para o grupo Gestor do Termas e Longevidade, esta é mais uma oportunidade de divulgar a região na capital gaúcha, mostrando os atrativos e despertando a curiosidade no público para visitar o roteiro. Em 2016, o Termas e Longevidade já participou de várias feiras estaduais e o resultado está no aumento do número de turistas que tem escolhido o roteiro para passear, aproveitar as férias e desfrutar de experiências únicas de cultura, lazer e arte, bem como de gastronomia, bem estar e saúde.

 

Primeiro roteiro turístico de Nova Prata é lançado

Município: Nova Prata

Solenidade de lançamento aconteceu em março CRÉDITO: EDIANE BUSSOLOTTO/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Solenidade de lançamento aconteceu em março CRÉDITO: EDIANE BUSSOLOTTO/DIVULGAÇÃO/CIDADES

No dia 20 de março, uma solenidade marcou três importantes momentos: a entrega da revitalização da igreja evangélica luterana, o lançamento do roteiro turístico religioso e a assinatura da lei municipal que cria o museu municipal da Imigração Alemã no prédio onde funcionava a escola Armando Busatto. Desde maio de 2015, a administração municipal, através da secretaria de Indústria, Comércio e Turismo e do departamento de Cultura da secretaria de Educação e Cultura, juntamente com a Atuaserra e a Emater, tem desenvolvido um trabalho de planejamento para implantação de rotas e roteiros turísticos no município.Em seu pronunciamento, o secretário de Indústria, Comércio e Turismo, Everson Marca, agradeceu a toda a equipe que trabalhou para que esse dia chegasse e, em especial, à família Gnat, que guardou os objetos da igreja durante o período em que esteve desativada.
O presidente do conselho municipal de Turismo (Comtur) e representante da Emater, Adílio Guadagnin, falou sobre a importância das parcerias para o desenvolvimento dos trabalhos e fez um chamamento aos empreendedores da cidade para se engajarem na prospecção de novas rotas. Na ocasião, o presidente da Atuaserra Jorge Capellari e a diretora executiva da entidade, Beatriz Paulus, relataram trechos de suas vidas que tiveram relação com o turismo religioso e a alegria de estar participando desse momento histórico para o município.
Em seu pronunciamento, o pastor Vanderlei Vorpagel disse que tudo tem seu tempo e pediu para que os munícipes valorizem e ajudem a preservar a história da igreja, que tem mais de 120 anos. Já o padre Constante Pazza afirmou que se aprende a caminhar e a se fortalecer juntos e que o importante é somar para construir o bem comum, independente das diferenças.
O vice-prefeito Sérgio Sottili parabenizou toda a equipe pelo trabalho de revitalização da igreja e de construção do roteiro turístico religioso e garantiu que “a parte física da história não tem meio termo, ou se preserva ou se perde” e que a comunidade luterana tem muita história. Já o prefeito Volnei Minozzo falou sobre a importância do desenvolvimento turístico para os mais diversos setores do município e destacou que Nova Prata tem muita história para preservar e se tornar mais uma referência em turismo na região da Serra Gaúcha.
Logo após os pronunciamentos, as autoridades e a comunidade luterana realizaram o descerramento da fita e o secretário Everson Marca entregou a chave para que a família Gnat abrisse a porta da Igreja. Em seguida, o pastor Vorpagel conduziu o culto de encerramento das atividades.

Congregação luterana surgiu da colonização alemã

A congregação luterana surgiu no município através da colonização de imigrantes alemães na Linha Bento Gonçalves a partir de 1890. Estes, em sua maioria de confissão evangélica luterana, sob a liderança do pastor Carl Platzeck, tiveram presença imponente no início da colonização.
Segundo relato encontrado no livro História de Nova Prata, de Geraldo Farina, a igreja luterana foi construída nos anos de 1891 e 1892. Portanto, é considerado o prédio mais antigo do gênero no município. Em 2010, foi assinado o decreto de tombamento definitivo, para fins de preservação do Patrimônio Cultural e Natural da cidade. Já no ano passado, esse decreto foi alterado para incluir a área do cemitério.
A administração municipal, com recursos da Outorga Onerosa, vinculada à secretaria de Planejamento e do Ambiente, promoveu, no início de 2016, a sua recuperação, tanto na parte estrutural como na pintura, sob a coordenação do arquiteto Marcelo Nedeff, que contou inicialmente com a mão de obra da secretaria de Obras e Saneamento e, na sua parte final, através de empresa contratada.

Solenidade teve reencontro de ex-alunos

Na cerimônia, a presença de pessoas que estudaram na capela-escola foi marcante. Um exemplo é o de Lorena Ghering, de 64 anos, que contou ter frequentado os quatro anos do Ensino Fundamental naquela capela.
O reencontro com os colegas foi de alegria, nostalgia, lembranças e da menção de uma das professoras que ministraram as aulas, Genoveva Rigotti Langer, que há mais de 50 anos lecionou naquela capela-escola. Outras ex-alunas também se reencontraram no evento, como Elma Aiofi, de 67 anos; Maria Ghering Vivan, de 75 anos; e Dalila Pletsch Busatto Savaris, de 74 anos.
A secretária executiva da Atuaserra, Beatriz Paulus, em seu pronunciamento, contou que também estudou em uma capela e falou das atividades escolares que eram desenvolvidas durante a semana e da preparação que acontecia na sexta-feira para deixar a capela pronta para o culto do domingo. “Talvez esta seja uma das únicas capelas que ainda mantêm esta memória”, enfatizou Beatriz.
De acordo com historiadores, era comum nas comunidades de colonização alemã, as capelas abrigarem as escolas, como é o caso da Igreja Luterana revitalizada. A organização da comunidade ao redor da capela proporcionava atividades de lazer e, ao mesmo tempo, representava um lugar de preservação de costumes e hábitos que, aos poucos, foram sendo assimilados pelos brasileiros.

Memorial ficará em antiga escola

O prédio da antiga escola municipal Armando Busato, através da Lei Municipal nº 9462/2016, de 24 de fevereiro de 2016, foi transformado em museu municipal da Imigração Alemã. Neste ano, a administração municipal propôs Projeto de Lei, o qual foi aprovado pela câmara de vereadores. A lei foi assinada pelo prefeito Volnei Minozzo e pelos vereadores Sebastião da Costa Mamede e Antônio de Oliveira, durante a solenidade realizada na manhã de 20 de março.
O espaço será adequado no decorrer dos próximos meses para ser o memorial da Colonização Alemã e Luterana no município. O acervo será montado a partir de doações dos moradores. objetos, fotografias e livros que tenham valor significativo para esta parcela da população serão registrados em livro próprio, com todos os dados de catalogação, bem como o nome do doador.

Locais ricos em simbologismo fazem parte da rota

A criação do roteiro turístico religioso é fruto do trabalho das equipes da secretaria municipal de Indústria, Comércio e Turismo, da Atuaserra, da Emater e de representantes das comunidades. Desde maio do ano passado, foram realizadas visitas e estudos juntamente com profissionais da arquitetura, história e arqueologia sacra em igrejas, cemitérios e capitéis.
Foram selecionados para integrar o roteiro turístico religioso locais que possuem uma iconografia variada e rica em simbologismo, como a igreja Matriz São João Batista e o santuário de Nossa Senhora Aparecida; capelas de madeira que representam o início das colonizações italiana, polonesa e alemã; capelas de alvenaria de estilos diversos; capela no bairro São Peregrino e gruta Nossa Senhora de Lourdes; os capitéis de São Cristóvão, de Santo Antão e de Santo Antônio; e os cemitérios polonês, alemão e italiano.

 

Celebração da Páscoa em Nova Prata aguarda visitantes com eventos especiais

Município: Nova Prata

Praça será palco de mais um evento inédito - a Feira de Páscoa com artesanato CRÉDITO: VANICE DAL MAGRO/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Praça será palco de mais um evento inédito – a Feira de Páscoa com artesanato CRÉDITO: VANICE DAL MAGRO/DIVULGAÇÃO/CIDADES

O município vem se tornando referência regional com a oferta de eventos inéditos para a comunidade e visitantes. Tanto as iniciativas de produtores de eventos privados como as desenvolvidas pela administração municipal estão ganhando destaque na região Uva e Vinho e divulgando o roteiro turístico Termas e Longevidade.
Neste ano, o Festival de Verão movimentou a cidade com atrações que agradaram o público, e os próximos eventos serão com as atividades da Páscoa. Já no último dia 16, teve início a Feira de Páscoa, na Praça Mansur Elias, com comercialização de chocolates, artesanatos, entre outros produtos. A feira acontece das 14h às 18h30min, até o dia 26 de março.
Na manhã desta quinta-feira, dia 24, às 11h, a cidade irá sediar a Feira do Peixe Vivo, na Feira do Produtor, com comercialização de várias espécies. A realização é da secretaria municipal de Agricultura e Abastecimento, da Emater e feirantes. À noite, acontece a reabertura do Moinho, casa de shows referência em música eletrônica e em rock, que retoma as atividades este ano.
O sábado de Páscoa também terá evento inédito na Praça da Bandeira. A partir das 15h, acontece o Circo de Solerun, que comemora o primeiro ano da cervejaria homônima. O evento terá lançamento de um novo rótulo: a cerveja do Radicci, que,em parceria com Iotti, criador do personagem consagrado no Estado, passa a produzir uma pilsen de litro. A tarde também terá exposição de carros antigos, espaço kids, banho de cerveja, food trucks, malabares, show da banda Sedan 1.300, além da Kombi da Solerun com comercialização das suas cervejas artesanais. No mesmo sábado, à noite, a All Time Music Hall abre suas portas para uma festa especial, com muita música e chope.
A população e visitantes também podem participar das celebrações religiosas que acontecem na Igreja Matriz. Na quinta-feira, às 20h, haverá missa. Na Sexta-Feira Santa, dia 25, às 15h, acontece a Celebração da Paixão do Senhor. No sábado, dia 26, às 20h, será celebrada a Vigília Pascal, e, no domingo, dia 27, serão celebradas missas às 8h e às 18h.

 

Lavoura de canola é opção econômica para os agricultores de Nova Prata

Município: Nova Prata

Produtores têm custos menores no cultivo e a plantação não recebe nenhum tratamento químico CRÉDITO: EDIANE BUSSOLOTTO/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Quem passa pelo interior dos municípios de Nova Prata, Vila Flores e Fagundes Varela pode apreciar lindas plantações de canola, uma novidade para a agricultura da região. Neste período, as plantas estão em plena floração e o amarelo predomina junto ao verde do meio rural. Os agricultores foram incentivados pela Coopibi a plantar os grãos, que são ricos em óleo de baixo teor de ácido erúcico, originários do Canadá. Após sete anos de pesquisa e adaptação, em 2015 efetivamente, foram plantados cerca de 200 hectares de canola pela região. Na propriedade de Sidinei e Elizeu Prescendo, na Fazenda da Pratinha II, interior de Nova Prata, foram plantados cerca de 10 hectares de canola e a família está contente em ver a lavoura crescendo e florida.
A plantação de canola é uma opção de cultura de inverno, que também está associada à melhoria do solo e, principalmente, é uma alternativa econômica aos agricultores, uma vez que têm custos menores de produção e a plantação não recebe nenhum tratamento químico. Nas plantações, esperam-se ganhos iguais ou superiores ao cultivo da soja. Na lavoura dos Prescendo espera-se colher de 20 a 30 sacos de canola por hectare.
Na cadeia produtiva, quem ganha também são as abelhas que encontram nas flores da canola muito alimento para a produção de mel. Um dos desafios da plantação da canola está na colheita. Os grãos da planta são relativamente pequenos e requerem adequação e ajustes nas plataformas das máquinas para evitar perdas. Darlei Boito, que costuma prestar serviço de colheitadeira na região, está trabalhando para modificar as plataformas e garantir uma boa colheita nas lavouras de canola.
Para os agricultores de Nova Prata, a secretaria de Agricultura e Abastecimento apoia com serviços de máquinas para melhorias no acesso às propriedades rurais, além da limpeza e ampliação das lavouras. A canola foi desenvolvida através de melhoramento de plantas convencionais a partir de colza, uma planta oleaginosa já utilizada em civilização antiga como combustível.
O nome canola foi escolhido pela diretoria da Associação de Colza do Canadá em 1970. No entanto, uma série de fontes, incluindo The Free Dictionary, continuam a afirmar que ele representa Can(adian) + o(il) + l(ow) + a(cid). Uma contração que significa azeite canadense de baixo teor de ácido erúcico.
A canola (Brassica napus L. e Brassica rapa L.) planta da família das crucíferas (como o repolho e as couves), pertence ao gênero Brassica. Os grãos de canola produzidos no Brasil possuem em torno de 24 a 27% de proteína e de 34 a 40% de óleo. O óleo de canola é considerado um dos óleos mais saudáveis que existem no mercado por causa do baixo conteúdo de gordura saturada e alto (quase 60%) conteúdo de gorduras monoinsaturadas. Ele tem um sabor muito leve e é bom para cozinhar ou como tempero para saladas.
A canola também é utilizada para produção de biodiesel e de farelos para a produção de rações para animais. As plantações de canola são encontradas no Canadá, Europa, Austrália e China. No Rio Grande do Sul, os primeiros registros da plantação desses grãos são de 1974.

Parceiros incentivam novos hábitos por meio de oficinas gratuitas em Nova Prata

Município: Nova Prata

Busca pela qualidade de vida é a meta da prefeitura, com alternativas que aliam exercícios físicos e alimentação saudável CRÉDITO: PREFEITURA MUNICIPAL DE NOVA PRATA/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Aliar a pratica de exercícios físicos com a alimentação saudável é fundamental para quem busca qualidade de vida. Produtos industrializados podem conter tóxicos extremamente prejudiciais. É importante conhecer o que se está consumindo, e para isso, é necessário prestar muita atenção nos rótulos das embalagens (os ingredientes que o produto contém e a quantidade) e, sempre que possível, optar por alimentos naturais, livres de agrotóxicos. Praticar exercícios físicos regular ou frequentemente também faz muito bem à saúde, além de reforçar a musculatura e o sistema cardiovascular, estimula o sistema imunológico, prevenindo doenças como colesterol, obesidade, depressão, entre outras.

Neste cenário, a administração municipal, através da secretaria de Assistência Social e do Centro de Referência de Assistência Social, oferece oficinas de ginástica, karatê e yoga na cidade. Interessados devem estar inscritos no Cadastro Único, cumprindo a exigência de ter renda familiar de até três salários mínimos. As inscrições para as oficinas de ginástica e yoga já estão abertas, e os interessados podem conferir vagas e informações pelo telefone (0xx54) 3242-4511.

Outra alternativa saudável que acompanha este ritmo de vida é a Feira do Produtor, que oferece produtos totalmente livres de agrotóxicos, bolachas, cucas e pães caseiros, integrais, suco natural de uva, e outros itens. A Feira do Produtor está na Praça Mansur Elias (travessa entre as avenidas Presidente Vargas e Borges de Medeiros, em frente ao Supermercado Porta). O horário de atendimento nas sextas-feiras é das 13h às 18h, e aos sábados das 7h às 11h30min.