Festival Internacional de Folclore leva emoção ao palco da diversidade em Nova Petrópolis

Município: Nova Petrópolis

Apresentações de grupos folclóricos, Jogos Germânicos e celebração marcaram primeiros dias do evento CRÉDITO: MARGARIDA NEUMANN/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Apresentações de grupos folclóricos, Jogos Germânicos e celebração marcaram primeiros dias do evento CRÉDITO: MARGARIDA NEUMANN/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Nova Petrópolis é reduto cultural de diversas partes do mundo, todas unidas em uma grande festa de integração até 29 de julho. O Festival Internacional de Folclore reúne a diversidade que une povos, consagrando as diferenças que tornam todos iguais. O primeiro fim de semana do maior evento cultural da serra gaúcha contou com emoção, história, cores, ritmos e costumes, emocionando o público que lotou a Rua Coberta e a Praça das Flores. No sábado, dia 14, a avenida XV de Novembro se transformou em uma passarela para a diversidade de cores, ritmos e expressões. Espectadores lotaram as ruas e vibraram com a mistura que encheu os olhos e os corações em um desfile repleto de vida e amor ao folclore. Os grupos folclóricos locais retomaram a história dos 160 Anos da Colônia Provincial de Nova Petrópolis, e os visitantes demonstraram sua cultura ao longo do trajeto, recebendo os aplausos do público.
O espetáculo A travessia: memórias de uma odisseia, protagonizado pelos integrantes da Associação dos Grupos de Danças Folclóricas Alemãs de Nova Petrópolis e pelo Centro de Tradições Gaúchas (CTG) Pousada da Serra, estreou no palco da diversidade no dia 15 de julho, e surpreendeu pela produção. Contou com música ao vivo, canto, dança, teatro e documentário, narrando os desafios dos primeiros imigrantes por meio das palavras de grandes memorialistas. O relato de Antônio Sidekun, Vitor Gans, Ovídio Hillebrand, Cláudio Weber, Eugênio Spier, Gessy Deppe, Mário Konzen e Renato Urbano Seibt (in memorian) conduziu o público à travessia daqueles que embarcaram com destino ao Brasil. Por preservar, ensinar e compartilhar seus conhecimentos tão fundamentais para manter viva a memória de Nova Petrópolis, os memorialistas foram homenageados pela comissão organizadora do 46º Festival Internacional de Folclore.
A travessia: memórias de uma odisseia lembrou daqueles que nunca chegaram, milhares de emigrantes sepultados nas ondas do oceano. E, com a magia que o folclore proporciona, fez ressuscitar os náufragos, conduzindo-os a uma nova chance de completarem sua jornada. Ao final do espetáculo, entre lágrimas e encantamento, o público não poupou aplausos, descobrindo que gloriosas vitórias exigem muita coragem e que grandes sacrifícios levam à conquista de lindos sonhos. O espetáculo volta ao palco dia 29 de julho, às 19h30min, na Rua Coberta.
Mensagens de respeito, tolerância e amor também foram elevadas no palco do festival durante a Celebração da vida, da paz e da diversidade. Representantes de grupos folclóricos locais e visitantes, unidos pela diferença, rogaram pelo bem durante a reflexão. Os músicos do Grupo Acordes deram o tom ao momento, emocionando o público com canções inspiradoras. Ao fim da celebração, simbolizando gratidão e esperança, mudas de plantas foram entregues ao público na intenção de propagar e perpetuar bons sentimentos e ações positivas.
Ao longo do primeiro fim de semana, grupos folclóricos encheram o palco da diversidade com sua cultura, música e dança. Mais de 15 apresentações folclóricas abrilhantaram o evento. Países como Nova Zelândia, Colômbia, Paraguai e Argentina receberam calorosos aplausos da plateia. Grupos folclóricos regionais e locais também brilharam no palco do Festival Internacional de Folclore. Muitos outros, vindos da Áustria, do Chile e do Uruguai; além dos estados brasileiros do Pará, Paraíba, Bahia, Ceará, Espírito Santo, Minas Gerais e Goiás, ainda pisarão no palco da diversidade.
Os grupos folclóricos disputaram os Jogos Germânicos, na modalidade Bolão de corda, no sábado, no palco da Rua Coberta. No domingo, foi a vez da modalidade Debulhar o milho, na Praça das Flores. Ao longo do evento, ainda serão realizadas as modalidades chope em metro, rachar lenha e arremesso de chope.
Durante os 17 dias do festival, ocorre, também, a tradicional Feira de Artesanato, que comercializa artigos e artefatos de 24 expositores de quatro países, além do nacional e local. A feira está aberta diariamente, das 9h às 21h, junto ao evento. Além disso, a praça de alimentação reúne deliciosas opções de gastronomia típica, lanches e bebidas.
Neste ano, 46 grupos folclóricos marcam presença no Festival Internacional de Folclore, que conta com oito grupos folclóricos internacionais, sete nacionais, oito regionais e 23 grupos locais confirmados. Todos se apresentam na Rua Coberta, localizada na Praça das Flores. Com o tema A diversidade é o que nos une, a Cidade Jardim da Serra Gaúcha e Capital Nacional do Cooperativismo recebe mais de 1,5 mil dançarinos, músicos, artesãos e apreciadores das culturas de todos os povos. A comissão organizadora espera receber mais de 130 mil pessoas ao longo do evento.
O 46º Festival Internacional de Folclore prossegue até 29 de julho, com atrações diárias. O evento é uma realização da Associação dos Grupos de Danças Folclóricas Alemãs (AGDFA-NP) e prefeitura. O festival integra o calendário anual da Organização Internacional de Folclore e Artes Populares (IOV).

Festival Sabores da Colônia se inicia com festa em Nova Petrópolis

Município: Nova Petrópolis

Evento segue até o próximo dia 24, aos fins de semana CRÉDITO: MARCELO MOURA/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Evento segue até o próximo dia 24, aos fins de semana CRÉDITO: MARCELO MOURA/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Um grande desfile marcou a abertura oficial do 5º Festival Sabores da Colônia de Nova Petrópolis no último sábado, dia 9 de junho. Autoridades municipais e grupos folclóricos percorreram a avenida 15 de Novembro vestidos à caráter, exaltando os costumes da colônia e a tradição germânica. A abertura oficial ocorreu após o desfile, no Parque Aldeia do Imigrante, com direito a jogos germânicos, danças folclóricas, bandinha típica alemã e Encontro com Herta. No domingo, dia 10, o evento seguiu com apresentações de danças folclóricas e com a música da Banda Municipal de Nova Petrópolis.
O prefeito Regis Luiz Hahn, o vice-prefeito Charles Paetzinger e o secretário de Turismo, Indústria e Comércio, Paulo Staudt, conduziram o desfile de abertura do evento, que teve início na Praça das Flores e prosseguiu até o Parque Aldeia do Imigrante. O presidente da câmara municipal de Vereadores, Oraci de Freitas; a primeira-dama do município, Marion Spier Hahn; vereadores e secretários municipais também desfilaram ao lado de grupos de danças folclóricas alemãs.
O mascote do evento; o representante da Urbanes Empreendimentos, Hélio Júnior, empresa que detém a concessão do Parque Aldeia do Imigrante; a vice-primeira-dama do município, Sandra Fernandes; a rainha do Folclore Alemão, Morgana Neumann; a 1ª princesa, Stéfani Wiltgen Gregórius; e a 2ª princesa, Eduarda Francine Weschenfelder, juntaram-se às autoridades no Coreto do Parque Aldeia do Imigrante para a cerimônia oficial de abertura do evento.
Para o secretário de Turismo, Indústria e Comércio de Nova Petrópolis, Paulo Staudt, o Festival Sabores da Colônia é uma demonstração da riqueza da cultura colonial. “É com muito orgulho que organizamos a quinta edição deste evento em um lugar tão especial quanto o Parque Aldeia do Imigrante. Queremos proporcionar experiências únicas aos visitantes, por isso, temos o melhor da gastronomia típica, produtos coloniais e da cultura germânica de Nova Petrópolis”, destacou o secretário, que aproveitou para divulgar que o público dos três primeiros dias de evento foi de 7.855 pessoas.
De acordo com Hahn, o Festival Sabores da Colônia existe graças a um grande trabalho coletivo. “Se estamos aqui hoje, comemorando a abertura de mais uma edição do Festival Sabores da Colônia, é porque muitas pessoas trabalharam juntas. Resgatamos este evento por saber de sua importância e acertamos ao fazer isto. Todos os anos, muitas pessoas visitam este festival, comprovando sua representatividade”, declarou o prefeito.
Após os pronunciamentos, autoridades municipais e visitantes participaram do jogo germânico pregar o prego, iniciando a programação cultural do evento. A personagem Herta Klein, que conduziu a abertura do festival, seguiu animando o público com seu show de humor no Coreto do Parque Aldeia do Imigrante. Em seguida, o Böhmerlandtanzgruppe apresentou danças folclóricas alemãs. Na Aldeia Histórica, o coro Misto São Lourenço Mártir, de Linha Brasil, se apresentou para os visitantes. A Bandinha Típica Recanto da Serra encerrou a tarde com o melhor da música germânica.
Na manhã de domingo, 10 de junho, a Bandinha Típica Alemã Sol de Verão abriu a programação do festival. À tarde, o CTG Pousada da Serra levou a cultura gaúcha para o evento, e o Volkstanzgruppe Edelstein apresentou danças folclóricas alemãs para o público. A Banda Municipal de Nova Petrópolis tocou clássicos da música internacional e canções tradicionais alemãs no Coreto do Parque Aldeia do Imigrante. A tarde de música se encerrou com a Bandinha Típica Alemã Sol de Verão.
Além das atrações culturais, os visitantes encontraram o melhor da gastronomia típica e de produtos coloniais de Nova Petrópolis no Parque Aldeia do Imigrante. Cucas e pães nos fornos à lenha, pastel, Appfelstrudel, Waffel, pão com linguiça, Pretzel, chá, café e café com leite, além de chope, petiscos coloniais e produtos orgânicos, são comercializados no evento. Na Aldeia Histórica, é realizada a Aldeia Viva, com personagens caracterizados recriando os tempos de antigamente em meio aos prédios reconstruídos em técnica enxaimel.
O 5º Festival Sabores da Colônia segue até o dia 24 de junho, sempre de sexta-feira a domingo, das 9h às 17h30min, com entrada franca. O evento é uma promoção da prefeitura, por meio da secretaria municipal de Turismo, Indústria e Comércio. O evento conta com o patrocínio de Sicredi e apoio da Rota Romântica e Casa Cooperativa. Mais informações podem ser obtidas no site www.novapetropolis.rs.gov.br ou na página facebook.com/novapetropolisrs.

29º Festimalha oferece atrações para aquecer visitantes em Nova Petrópolis

Município: Nova Petrópolis

Malhas, gastronomia e chopp incluem as opções do evento CRÉDITO: MAURO STOFFEL/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Malhas, gastronomia e chopp incluem as opções do evento CRÉDITO: MAURO STOFFEL/DIVULGAÇÃO/CIDADES

O primeiro frio do ano chegou, prometendo aquecer as vendas dos 45 malheiros que participam do 29º Festimalha. O maior evento de moda tricô do Sul do Brasil segue de quinta-feira a domingo, das 10h às 19h, no Centro de Eventos, até 3 de junho.  A diretora do Departamento de Malharias da Associação Comercial e Industrial de Nova Petrópolis (Acinp) – promotora do evento -, Michele Arend, disse que todos estavam ansiosos pela chegada das baixas temperaturas. E ela ainda lembra que a diversidade de malhas comercializadas vai muito além do inverno, oferecendo peças mais leves, ideais para a meia estação.
Visitar o Festimalha é mergulhar na cultura produtiva da cidade, que não só mantém viva a produção de malhas passada de geração a geração, como também apresenta as tendências que ditam a moda do momento. As malharias, em sua maioria familiares, empregam amor em cada peça confeccionada, seguindo o exemplo das avós que tricotavam manualmente as malhas que vestiam a família inteira.
Nos fins de semana, o visitante é recepcionado pelo Fassbierwagen, um pequeno caminhão estacionado em frente ao Centro de Eventos, que comercializa cerveja artesanal elaborada na cidade. Avançando pelos corredores, é possível conferir de perto a diversidade e qualidade das malhas, além de acessórios para compor o look. Desfiles semanais colocam na passarela a sofisticação das malhas.
A cultura germânica também está presente no Espaço Alimentação. Pão de mel e o tradicional bolinho de batata são atrações típicas em um espaço que oferece lanches rápidos, refeições completas, além de doces, chás e alfajores produzidos na cidade.
Para quem prefere degustar uma cerveja artesanal feita na cidade, descontrair assistindo TV ou jogando pebolim e fliperama, o Maridódromo é o espaço ideal. Habitado por homens e mulheres, o espaço está equipado ainda com sofás, área de leitura e mesa de sinuca. O ambiente fica no segundo piso do Centro de Eventos.
Ainda, para garantir maior tranquilidade aos pais que desejam fazer suas compras, o Festimalha oferece o espaço da recreação infantil, onde crianças de três a 12 anos podem permanecer em segurança com profissionais qualificados. Crianças de dois e três anos podem entrar no Espaço Baby, desde que os responsáveis estejam próximo. O serviço é oferecido no segundo piso do Centro de Eventos e, nesta edição, tem como atrações amarelinha, escalada de pneus coloridos e outras diversas atividades.

Nova Petrópolis conta com bandas marciais em todas escolas

Município: Nova Petrópolis

Aproximadamente 170 estudantes participam de 11 grupos musicais escolares CRÉDITO: MARCELO MOURA/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Aproximadamente 170 estudantes participam de 11 grupos musicais escolares CRÉDITO: MARCELO MOURA/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Pela primeira vez, todas as escolas de Nova Petrópolis possuem uma banda marcial. O feito foi alcançado graças ao investimento de R$ 47.104,60 da secretaria municipal de Educação, Cultura e Desporto, que adquiriu 300 instrumentos musicais e disponibilizou dois regentes que realizam ensaios nas instituições de ensino. O Projeto das Bandas Marciais Escolares envolve, aproximadamente, 170 estudantes, que participam dos ensaios de 11 grupos musicais em escolas municipais, estaduais e particulares.
Ao todo, a administração municipal investiu R$ 39.105,40 na compra de instrumentos musicais, tais como pratos, liras, quadritons, bumbo, surdo e tarol. Além disso, o regente Leandro Sudbrack foi contratado para ministrar ensaios e reger as bandas das escolas estaduais 1º de Maio, Padre Amstad e São José. O valor do contrato é de R$ 7.999,20 e compreende o período de março a dezembro de 2018. O coordenador de Atividades Extracurriculares de Nova Petrópolis, Jessé da Conceição, é responsável por reger as bandas das escolas municipais Pedro Beck Filho, Augusto Guilherme Gaedicke, Otto Hoffmann e Luiz Loeser, além dos colégios particulares Frederico Michaelsen e Bom Pastor e dos estaduais Padre Werner e Piá.
Para o secretário municipal de Educação, Cultura e Desporto Ricardo Lawrenz, reativar e criar novas bandas marciais nas escolas de Nova Petrópolis qualifica ainda mais a educação no município. “Além de ser uma atividade cultural riquíssima, participar de uma banda marcial faz com que os estudantes desenvolvam suas relações interpessoais e aprimorem suas noções de disciplina. Proporcionar que todas as escolas de Nova Petrópolis possuam suas bandas marciais faz parte de um projeto maior, que vai culminar com a apresentação de todas elas em um grande desfile alusivo à Independência do Brasil”, explicou o secretário.
As bandas marciais escolares se apresentaram em eventos do município realizados em 2017, tais como as comemorações da Semana da Pátria, Festival da Primavera – Frühlingsfest e Natal no Jardim da Serra Gaúcha. A previsão para 2018 é que as bandas se apresentem em eventos culturais, educativos e turísticos promovidos pela administração municipal.

Festimalha começa hoje no Centro de Eventos de Nova Petrópolis

Município: Nova Petrópolis

No último sábado, preview do evento contou com desfile e antecipou um pouco do que a feira vai oferecer CRÉDITO: MAURO STOFFEL/DIVULGAÇÃO/CIDADES

No último sábado, preview do evento contou com desfile e antecipou um pouco do que a feira vai oferecer CRÉDITO: MAURO STOFFEL/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Seguindo o mote Descubra o Festimalha que combina com você e com dois dias a mais que a edição anterior, a Associação Comercial e Industrial de Nova Petrópolis (Acinp) – promotora do Festimalha – aposta na qualidade das malhas, na diversidade das atrações, no potencial turístico e na presença do frio para esquentar as vendas da feira, que se inicia hoje. A projeção é de atrair 100 mil visitantes – cinco vezes a população da cidade – e vender o equivalente a 30% da produção anual de malhas (1 milhão de peças com o processamento de 500 toneladas de fios). “O Festimalha não coloca apenas na vitrine o melhor da produção em malhas de Nova Petrópolis como também é essencial para o crescimento e desenvolvimento das empresas”, destaca o presidente da entidade, José Paulo Boelter.
O setor malheiro, importante cadeia produtiva da cidade, é responsável por gerar cerca de 2 mil empregos diretos. Além disso, a atividade também preserva forte apelo cultural com a manutenção de um ofício que nasceu com a imigração alemã e que se mantém vivo e em constante evolução. Atualmente, a cidade, conhecida como o Jardim da Serra Gaúcha, possui uma malharia para cada 328 habitantes, uma marca invejável que evidencia o perfil cooperativo da comunidade.
Entre os destaques do evento, estão o Concurso Top Model Terceira Idade, com inscrições que se encerram nesta sexta-feira, dia 27 de abril; desfiles de moda oficiais; desfile Minha Mãe é Top; Encontro de Rainhas; maridódromo; recreação infantil; e apresentações musicais. Na parte externa, o público será recepcionado por uma bandinha, acompanhada pelo Fassbierwagen comercializando chopp. O ponto alto do Festimalha é que 100% da produção das malhas é local, o que torna o produto diferenciado e carregado de exclusividade com design próprio. Diversidade, conforto e afeto permeiam o ambiente mesclado por modelagens, fios e estilos variados. São peças modernas e genuinamente nova-petropolitanas, que vestem brasileiros de todas as idades e que estão à disposição num único lugar.
No último sábado, dia 21, a neblina que invadiu a cidade emprestou ainda mais charme ao Preview Festimalha, realizado na Praça das Flores, das 14h às 18h. Muita música, chimarrão, chopp, feira de adoção de animais e, claro, um desfile exclusivo, que mostrou uma prévia do que será a maior feira de malha tricot do Sul do Brasil atraíram o público, integrando comunidade e visitantes. O evento também foi marcado por muita música, que ajudou a aquecer o astral de diferentes tribos. Para acompanhar, houve o tradicional chope e muito chimarrão.
Abraçando a proposta social de adoção responsável de animais, o Preview Festimalha abrigou uma feira de adoção de animais da Organização Não Governamental (ONG) Focinho Amigo. Sensibilizados com a causa, três pessoas, uma de Porto Alegre, uma de Cachoeirinha e outra de Nova Petrópolis, deram novos lares a três gatinhos. Na avaliação do vice-presidente da Focinho Amigo, Anderson Krauspenhar Altreider, a ação foi positiva, tanto pelas adoções quanto pela venda. “O dinheiro arrecadado com a venda de camisas, copos, agendas, cadernos, réguas e adesivos nos ajuda a manter animais em tratamento que aguardam para serem adotados”, explica. Hoje, a entidade está com 15 animais.
Para o presidente da Acinp, o Preview Festimalha anuncia que o inverno chegou. “Organizamos o evento para a comunidade. O Preview Festimalha é o ‘esquenta Festimalha’. Agora, é torcer que o frio nos abrace e que todos façam bons negócios”, comentou Boelter. O Festimalha acontece de hoje a 3 de junho, de quintas-feiras a domingos, no Centro de Eventos de Nova Petrópolis, reunindo 61 expositores, sendo 45 malharias, 11 pontos de alimentação e cinco expositores de acessórios. Na primeira semana, devido ao feriado de 1 de maio, a feira seguirá ininterrupta por 11 dias. Serão 27 dias de feira ao total, e o público poderá conferir as novidades apresentadas por 61 expositores, sendo 45 malharias, cinco estandes de acessórios e 11 pontos gastronômicos.