Horto municipal de Nova Petrópolis aprimora resultados com melhorias e novas abordagens

Município: Nova Petrópolis

Capacitação dos servidores interfere de forma positiva na qualidade das plantas CRÉDITO: ADRIANA MONTEIRO ARRIAL/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Capacitação dos servidores interfere de forma positiva na qualidade das plantas CRÉDITO: ADRIANA MONTEIRO ARRIAL/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Os 13 profissionais do horto municipal dedicam tempo e carinho ao manejo das flores e plantas que ornamentam os atrativos turísticos, espaços públicos, ruas e avenidas da cidade. A equipe é responsável por todos os processos de cultivo das flores que enfeitam o Jardim da Serra Gaúcha e encantam moradores e aqueles que visitam Nova Petrópolis. E, neste ano, melhorias e novas abordagens foram estabelecidas no setor para aprimorar os resultados.
“Mudamos o método de trabalho no horto municipal. Trabalhamos com substrato adequado à técnica que oferece qualidade e sanidade à planta e isenta ervas daninhas; sementes de boa genética; manejo de maneira alinhada com todos os funcionários e qualificação dos servidores sobre podas, irrigação, adubação e assuntos relacionados ao cultivo e à manutenção para melhorar a qualidade, a beleza e a durabilidade das plantas”, destaca o diretor do horto municipal, Alexandre Lanius Silva.
O local de cultivo das flores do Jardim da Serra Gaúcha foi reorganizado. Duas estufas foram reformadas e outra, com estrutura de metal, foi renovada. Um sistema de irrigação com bomba foi instalado para realizar uma irrigação mais eficiente e, em cada estufa, há um sistema de fertirrigação. A câmara de germinação ainda precisa ser finalizada para proporcionar crescimento rápido e parelho das mudas.
A primeira estufa do horto municipal é de pré-cultivo, que recebe as mudas geradas por sementes. Nesse local, também são feitas as reproduções de espécies com estacas vegetais de plantas já existentes. Depois, todas essas mudas são repicadas e reservadas em outras estufas. “Várias mudas de árvores das espécies chorão, extremosa, acer e plátano foram plantadas a campo, no terreno do lado de cima do horto municipal. Essas árvores devem ser replantadas em locais públicos daqui a três anos, quando atingirem a altura necessária”, explica o diretor Alexandre Lanius Silva.
A equipe do horto também trabalha na reforma de vasos e de bancos públicos com aplicação da técnica bauernmalerei, a autêntica pintura alemã, e no levantamento da metragem dos canteiros para mensurar a necessidade de produção de flores a longo prazo. “Atualmente, produzimos mais de 180 mil mudas de flores e plantas no horto municipal. Com o levantamento de informações, melhorias e novas abordagens no setor, a estimativa é produzir cerca de 500 mil mudas em 2019”, ressalta o secretário adjunto de Turismo, Indústria e Comércio de Nova Petrópolis, Gilnei Mücke.
A equipe do horto municipal conta com o apoio da secretaria de Obras e Serviços Públicos, que disponibiliza brita, saibro, pó de brita, maquinário e funcionários para ações; e também com auxílio técnico da secretaria de Agricultura e Meio Ambiente. Neste ano, a prefeitura já investiu cerca de R$ 40 mil em materiais de trabalho, reforma das estufas e da bomba de água, sistema de irrigação, plugs de mudas, entre outros itens para o setor. “O horto precisa de um olhar especial porque requer planejamento. E, para que nossa cidade esteja sempre florida, temos que investir em melhorias e garantir que Nova Petrópolis honre o título de Jardim da Serra Gaúcha”, enfatiza Mücke

8º Festival da Primavera é lançado no município

Município: Nova Petrópolis

Maior evento de paisagismo e flores do sul do Brasil ocorre de 20 a 30 de setembro CRÉDITO: MAURO STOFFEL/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Maior evento de paisagismo e flores do sul do Brasil ocorre de 20 a 30 de setembro CRÉDITO: MAURO STOFFEL/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Nova Petrópolis está pronta para receber a estação mais perfumada e colorida do ano. O lançamento oficial do 8º Festival da Primavera – Frühlingsfest ocorreu na última quinta-feira, no Gastropub Edelbrau. Na ocasião, os convidados conheceram as novidades da edição 2018 do maior evento de paisagismo e flores do Sul do Brasil.
O Festival da Primavera contará com mais de 30 expositores e comerciantes dispostos na Rua Coberta e na Praça das Flores. Durante 11 dias de programação, os visitantes terão a oportunidade de adquirir diversos tipos de flores e artigos para jardins, poderão conferir o trabalho de paisagistas e tendências do segmento, participar de minioficinas temáticas e aproveitar as atrações culturais. O evento também proporciona qualificação técnica e excelentes oportunidades de negócios. O festival é aberto ao público e tem entrada franca.
Em sua 8ª edição, o Festival da Primavera abordará a importância de todas as criaturas na natureza por meio de uma exposição de abelhas sem ferrão – animais essenciais para o equilíbrio da natureza – e apresentações teatrais relacionadas ao tema. Já o Concurso Fotográfico tem por objetivo evidenciar a beleza e as peculiaridades do município durante todo o ano, e lança como temática Nova Petrópolis nas quatro estações. As riquezas do interior também poderão ser apreciadas durante a Caminhada da Primavera. A Caminhada Fotográfica pretende eternizar em foto os belos cenários que compõem o interior do Jardim da Serra Gaúcha. O Festival da Primavera valoriza também a musicalidade presente em Nova Petrópolis por meio das atrações culturais ao longo da programação, propiciando um ambiente leve e descontraído.
A Rainha do Folclore Alemão, Morgana Neumann, apresentou o cerimonial do evento, anunciando os destaques da edição 2018. Detalhes e novidades do 8º Festival da Primavera – Frühlingsfest, bem como o spot e o vídeo de divulgação do evento, foram apresentados pelo secretário municipal adjunto de Turismo, Indústria e Comércio Gilnei Mücke e pela integrante da pasta Ana Carla Freitas. Servidores do horto municipal, sob a coordenação de Alexandre Lanius, participaram da cerimônia fazendo a entrega de suculentas, doadas por Giovan Câmara, como presente aos convidados. A mascote do evento, Borboleta Tuca, em uma intervenção, anunciou a proximidade da primavera. A cantora Elena Pellenz deu o tom à cerimônia, abrilhantando a noite.
O vice-prefeito municipal, em exercício no cargo de prefeito, Charles Paetzinger, acompanhado pela esposa Sandra Fernandes, declarou que o Festival da Primavera “engrandece, enaltece e orgulha a comunidade de Nova Petrópolis”. Paetzinger também parabenizou os servidores do horto municipal, trabalhadores engajados em promover a beleza dos jardins no município, e enalteceu a importância daqueles que acreditam e investem no Festival da Primavera, reverenciando patrocinador, apoiadores e parceiros do evento.
Quebrando protocolos, o secretário municipal de Turismo, Indústria e Comércio Paulo Roberto Staudt homenageou, cantando, os 160 Anos da Colônia Provincial de Nova Petrópolis e as heranças deixadas pelos imigrantes, como a arte de cultivar jardins, por exemplo. Staudt teve o acompanhamento do músico e secretário adjunto de Agricultura e Meio Ambiente Pedro Canísio Schneider, para a sonora surpresa.
O secretário Staudt também destacou o crescimento turístico de Nova Petrópolis e enalteceuo trabalho realizado em prol do turismo na cidade, seja pelo poder público ou pela iniciativa privada. “Recebemos cerca de 2 milhões de turistas por ano; participaremos de 13 feiras de turismo realizados no País ao longo deste ano; investiremos mais de R$ 1 milhão na realização de eventos no município; evoluímos do conceito C para B no ranking do turismo brasileiro; ocupamos a 14ª melhor posição. Nosso turismo é cultural e este é nosso diferencial, estamos crescendo e é preciso celebrar”, enfatizou.
“Nova Petrópolis também é um destino para o turismo de negócios. O Festival da Primavera é prova disso. Aqui se produz paisagismo com qualidade e este evento propicia estabelecer contatos profissionais muito positivos”, pontuou o membro da comissão organizadora, Maiquel Scherer. O presidente da câmara municipal de vereadores Oraci de Freitas destacou o trabalho realizado pelo horto municipal. “Estes trabalhadores são os verdadeiros responsáveis pelo título de Jardim da Serra Gaúcha que Nova Petrópolis ostenta”, disse Freitas. Após a conclusão do cerimonial, foi oferecido um jantar preparado pelo Gastropub Edelbrau especialmente para a ocasião.
O 8º Festival da Primavera – Frühlingsfest ocorre de 20 a 30 de setembro de 2018, diariamente, das 9h às 19h, na Rua Coberta, junto à Praça das Flores, em Nova Petrópolis. O evento é uma realização da prefeitura e tem o patrocínio de Sicredi Pioneira-RS. São parceiros Universidade Feevale; Salix Paisagismo e Meio Ambiente; Toni Backes Paisagismo e Arquitetura; Associação Tchon Ji, Associação Rio-Grandense de Floricultura (Aflori); NovaMel; e Revista Natureza. São apoiadores: Rossetto Equipamentos Fotográficos; Mauro Stoffel; Stoffel Digital; Nova Imóveis e Turismo; Turm Vídeo; Hotel Petrópolis; Gastropub Edelbrau; e Cervejaria Edelbrau.

Festival Internacional de Folclore leva emoção ao palco da diversidade em Nova Petrópolis

Município: Nova Petrópolis

Apresentações de grupos folclóricos, Jogos Germânicos e celebração marcaram primeiros dias do evento CRÉDITO: MARGARIDA NEUMANN/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Apresentações de grupos folclóricos, Jogos Germânicos e celebração marcaram primeiros dias do evento CRÉDITO: MARGARIDA NEUMANN/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Nova Petrópolis é reduto cultural de diversas partes do mundo, todas unidas em uma grande festa de integração até 29 de julho. O Festival Internacional de Folclore reúne a diversidade que une povos, consagrando as diferenças que tornam todos iguais. O primeiro fim de semana do maior evento cultural da serra gaúcha contou com emoção, história, cores, ritmos e costumes, emocionando o público que lotou a Rua Coberta e a Praça das Flores. No sábado, dia 14, a avenida XV de Novembro se transformou em uma passarela para a diversidade de cores, ritmos e expressões. Espectadores lotaram as ruas e vibraram com a mistura que encheu os olhos e os corações em um desfile repleto de vida e amor ao folclore. Os grupos folclóricos locais retomaram a história dos 160 Anos da Colônia Provincial de Nova Petrópolis, e os visitantes demonstraram sua cultura ao longo do trajeto, recebendo os aplausos do público.
O espetáculo A travessia: memórias de uma odisseia, protagonizado pelos integrantes da Associação dos Grupos de Danças Folclóricas Alemãs de Nova Petrópolis e pelo Centro de Tradições Gaúchas (CTG) Pousada da Serra, estreou no palco da diversidade no dia 15 de julho, e surpreendeu pela produção. Contou com música ao vivo, canto, dança, teatro e documentário, narrando os desafios dos primeiros imigrantes por meio das palavras de grandes memorialistas. O relato de Antônio Sidekun, Vitor Gans, Ovídio Hillebrand, Cláudio Weber, Eugênio Spier, Gessy Deppe, Mário Konzen e Renato Urbano Seibt (in memorian) conduziu o público à travessia daqueles que embarcaram com destino ao Brasil. Por preservar, ensinar e compartilhar seus conhecimentos tão fundamentais para manter viva a memória de Nova Petrópolis, os memorialistas foram homenageados pela comissão organizadora do 46º Festival Internacional de Folclore.
A travessia: memórias de uma odisseia lembrou daqueles que nunca chegaram, milhares de emigrantes sepultados nas ondas do oceano. E, com a magia que o folclore proporciona, fez ressuscitar os náufragos, conduzindo-os a uma nova chance de completarem sua jornada. Ao final do espetáculo, entre lágrimas e encantamento, o público não poupou aplausos, descobrindo que gloriosas vitórias exigem muita coragem e que grandes sacrifícios levam à conquista de lindos sonhos. O espetáculo volta ao palco dia 29 de julho, às 19h30min, na Rua Coberta.
Mensagens de respeito, tolerância e amor também foram elevadas no palco do festival durante a Celebração da vida, da paz e da diversidade. Representantes de grupos folclóricos locais e visitantes, unidos pela diferença, rogaram pelo bem durante a reflexão. Os músicos do Grupo Acordes deram o tom ao momento, emocionando o público com canções inspiradoras. Ao fim da celebração, simbolizando gratidão e esperança, mudas de plantas foram entregues ao público na intenção de propagar e perpetuar bons sentimentos e ações positivas.
Ao longo do primeiro fim de semana, grupos folclóricos encheram o palco da diversidade com sua cultura, música e dança. Mais de 15 apresentações folclóricas abrilhantaram o evento. Países como Nova Zelândia, Colômbia, Paraguai e Argentina receberam calorosos aplausos da plateia. Grupos folclóricos regionais e locais também brilharam no palco do Festival Internacional de Folclore. Muitos outros, vindos da Áustria, do Chile e do Uruguai; além dos estados brasileiros do Pará, Paraíba, Bahia, Ceará, Espírito Santo, Minas Gerais e Goiás, ainda pisarão no palco da diversidade.
Os grupos folclóricos disputaram os Jogos Germânicos, na modalidade Bolão de corda, no sábado, no palco da Rua Coberta. No domingo, foi a vez da modalidade Debulhar o milho, na Praça das Flores. Ao longo do evento, ainda serão realizadas as modalidades chope em metro, rachar lenha e arremesso de chope.
Durante os 17 dias do festival, ocorre, também, a tradicional Feira de Artesanato, que comercializa artigos e artefatos de 24 expositores de quatro países, além do nacional e local. A feira está aberta diariamente, das 9h às 21h, junto ao evento. Além disso, a praça de alimentação reúne deliciosas opções de gastronomia típica, lanches e bebidas.
Neste ano, 46 grupos folclóricos marcam presença no Festival Internacional de Folclore, que conta com oito grupos folclóricos internacionais, sete nacionais, oito regionais e 23 grupos locais confirmados. Todos se apresentam na Rua Coberta, localizada na Praça das Flores. Com o tema A diversidade é o que nos une, a Cidade Jardim da Serra Gaúcha e Capital Nacional do Cooperativismo recebe mais de 1,5 mil dançarinos, músicos, artesãos e apreciadores das culturas de todos os povos. A comissão organizadora espera receber mais de 130 mil pessoas ao longo do evento.
O 46º Festival Internacional de Folclore prossegue até 29 de julho, com atrações diárias. O evento é uma realização da Associação dos Grupos de Danças Folclóricas Alemãs (AGDFA-NP) e prefeitura. O festival integra o calendário anual da Organização Internacional de Folclore e Artes Populares (IOV).

Festival Sabores da Colônia se inicia com festa em Nova Petrópolis

Município: Nova Petrópolis

Evento segue até o próximo dia 24, aos fins de semana CRÉDITO: MARCELO MOURA/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Evento segue até o próximo dia 24, aos fins de semana CRÉDITO: MARCELO MOURA/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Um grande desfile marcou a abertura oficial do 5º Festival Sabores da Colônia de Nova Petrópolis no último sábado, dia 9 de junho. Autoridades municipais e grupos folclóricos percorreram a avenida 15 de Novembro vestidos à caráter, exaltando os costumes da colônia e a tradição germânica. A abertura oficial ocorreu após o desfile, no Parque Aldeia do Imigrante, com direito a jogos germânicos, danças folclóricas, bandinha típica alemã e Encontro com Herta. No domingo, dia 10, o evento seguiu com apresentações de danças folclóricas e com a música da Banda Municipal de Nova Petrópolis.
O prefeito Regis Luiz Hahn, o vice-prefeito Charles Paetzinger e o secretário de Turismo, Indústria e Comércio, Paulo Staudt, conduziram o desfile de abertura do evento, que teve início na Praça das Flores e prosseguiu até o Parque Aldeia do Imigrante. O presidente da câmara municipal de Vereadores, Oraci de Freitas; a primeira-dama do município, Marion Spier Hahn; vereadores e secretários municipais também desfilaram ao lado de grupos de danças folclóricas alemãs.
O mascote do evento; o representante da Urbanes Empreendimentos, Hélio Júnior, empresa que detém a concessão do Parque Aldeia do Imigrante; a vice-primeira-dama do município, Sandra Fernandes; a rainha do Folclore Alemão, Morgana Neumann; a 1ª princesa, Stéfani Wiltgen Gregórius; e a 2ª princesa, Eduarda Francine Weschenfelder, juntaram-se às autoridades no Coreto do Parque Aldeia do Imigrante para a cerimônia oficial de abertura do evento.
Para o secretário de Turismo, Indústria e Comércio de Nova Petrópolis, Paulo Staudt, o Festival Sabores da Colônia é uma demonstração da riqueza da cultura colonial. “É com muito orgulho que organizamos a quinta edição deste evento em um lugar tão especial quanto o Parque Aldeia do Imigrante. Queremos proporcionar experiências únicas aos visitantes, por isso, temos o melhor da gastronomia típica, produtos coloniais e da cultura germânica de Nova Petrópolis”, destacou o secretário, que aproveitou para divulgar que o público dos três primeiros dias de evento foi de 7.855 pessoas.
De acordo com Hahn, o Festival Sabores da Colônia existe graças a um grande trabalho coletivo. “Se estamos aqui hoje, comemorando a abertura de mais uma edição do Festival Sabores da Colônia, é porque muitas pessoas trabalharam juntas. Resgatamos este evento por saber de sua importância e acertamos ao fazer isto. Todos os anos, muitas pessoas visitam este festival, comprovando sua representatividade”, declarou o prefeito.
Após os pronunciamentos, autoridades municipais e visitantes participaram do jogo germânico pregar o prego, iniciando a programação cultural do evento. A personagem Herta Klein, que conduziu a abertura do festival, seguiu animando o público com seu show de humor no Coreto do Parque Aldeia do Imigrante. Em seguida, o Böhmerlandtanzgruppe apresentou danças folclóricas alemãs. Na Aldeia Histórica, o coro Misto São Lourenço Mártir, de Linha Brasil, se apresentou para os visitantes. A Bandinha Típica Recanto da Serra encerrou a tarde com o melhor da música germânica.
Na manhã de domingo, 10 de junho, a Bandinha Típica Alemã Sol de Verão abriu a programação do festival. À tarde, o CTG Pousada da Serra levou a cultura gaúcha para o evento, e o Volkstanzgruppe Edelstein apresentou danças folclóricas alemãs para o público. A Banda Municipal de Nova Petrópolis tocou clássicos da música internacional e canções tradicionais alemãs no Coreto do Parque Aldeia do Imigrante. A tarde de música se encerrou com a Bandinha Típica Alemã Sol de Verão.
Além das atrações culturais, os visitantes encontraram o melhor da gastronomia típica e de produtos coloniais de Nova Petrópolis no Parque Aldeia do Imigrante. Cucas e pães nos fornos à lenha, pastel, Appfelstrudel, Waffel, pão com linguiça, Pretzel, chá, café e café com leite, além de chope, petiscos coloniais e produtos orgânicos, são comercializados no evento. Na Aldeia Histórica, é realizada a Aldeia Viva, com personagens caracterizados recriando os tempos de antigamente em meio aos prédios reconstruídos em técnica enxaimel.
O 5º Festival Sabores da Colônia segue até o dia 24 de junho, sempre de sexta-feira a domingo, das 9h às 17h30min, com entrada franca. O evento é uma promoção da prefeitura, por meio da secretaria municipal de Turismo, Indústria e Comércio. O evento conta com o patrocínio de Sicredi e apoio da Rota Romântica e Casa Cooperativa. Mais informações podem ser obtidas no site www.novapetropolis.rs.gov.br ou na página facebook.com/novapetropolisrs.

29º Festimalha oferece atrações para aquecer visitantes em Nova Petrópolis

Município: Nova Petrópolis

Malhas, gastronomia e chopp incluem as opções do evento CRÉDITO: MAURO STOFFEL/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Malhas, gastronomia e chopp incluem as opções do evento CRÉDITO: MAURO STOFFEL/DIVULGAÇÃO/CIDADES

O primeiro frio do ano chegou, prometendo aquecer as vendas dos 45 malheiros que participam do 29º Festimalha. O maior evento de moda tricô do Sul do Brasil segue de quinta-feira a domingo, das 10h às 19h, no Centro de Eventos, até 3 de junho.  A diretora do Departamento de Malharias da Associação Comercial e Industrial de Nova Petrópolis (Acinp) – promotora do evento -, Michele Arend, disse que todos estavam ansiosos pela chegada das baixas temperaturas. E ela ainda lembra que a diversidade de malhas comercializadas vai muito além do inverno, oferecendo peças mais leves, ideais para a meia estação.
Visitar o Festimalha é mergulhar na cultura produtiva da cidade, que não só mantém viva a produção de malhas passada de geração a geração, como também apresenta as tendências que ditam a moda do momento. As malharias, em sua maioria familiares, empregam amor em cada peça confeccionada, seguindo o exemplo das avós que tricotavam manualmente as malhas que vestiam a família inteira.
Nos fins de semana, o visitante é recepcionado pelo Fassbierwagen, um pequeno caminhão estacionado em frente ao Centro de Eventos, que comercializa cerveja artesanal elaborada na cidade. Avançando pelos corredores, é possível conferir de perto a diversidade e qualidade das malhas, além de acessórios para compor o look. Desfiles semanais colocam na passarela a sofisticação das malhas.
A cultura germânica também está presente no Espaço Alimentação. Pão de mel e o tradicional bolinho de batata são atrações típicas em um espaço que oferece lanches rápidos, refeições completas, além de doces, chás e alfajores produzidos na cidade.
Para quem prefere degustar uma cerveja artesanal feita na cidade, descontrair assistindo TV ou jogando pebolim e fliperama, o Maridódromo é o espaço ideal. Habitado por homens e mulheres, o espaço está equipado ainda com sofás, área de leitura e mesa de sinuca. O ambiente fica no segundo piso do Centro de Eventos.
Ainda, para garantir maior tranquilidade aos pais que desejam fazer suas compras, o Festimalha oferece o espaço da recreação infantil, onde crianças de três a 12 anos podem permanecer em segurança com profissionais qualificados. Crianças de dois e três anos podem entrar no Espaço Baby, desde que os responsáveis estejam próximo. O serviço é oferecido no segundo piso do Centro de Eventos e, nesta edição, tem como atrações amarelinha, escalada de pneus coloridos e outras diversas atividades.