Emater capacita extensionistas na área de homeopatia no Cetam de Montenegro

Município: Montenegro

Com 14 módulos, o curso segue até dezembro e busca sensibilizar os agricultores quanto ao uso da ferramenta CRÉDITO: LARISSA MACHADO/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Uma capacitação em Homeopatia foi realizada recentemente no Centro de Formação de Agricultores de Montenegro (Cetam), vinculado à Emater, com a participação de mais de 50 pessoas, entre extensionistas rurais de diferentes formações, de todas as regiões administrativas da instituição, professores da Ufrgs e da Escola Técnica de Viamão, dois agricultores ecológicos e um agrônomo da Ecocitrus. O curso sobre homeopatia tem 14 módulos, somando de 200 horas/aula, e foi desenvolvido em uma parceria entre Emater, SDR, Escola Biocentrus e a Universidade Federal de Viçosa (UFV). Da Emater participaram veterinários, agrônomos, técnicos agropecuários, biólogos, nutricionistas e pedagogas.

O oitavo módulo foi ministrado por um extensionista rural da Emater do Paraná, com a realização de diagnóstico pelos alunos, a partir de temas relacionados ao Cetam: Sistemas Vegetais, Sistemas Animais, Recursos Naturais, Solos e Recursos Humanos. De acordo com o gestor de cursos do Cetam, o médico veterinário Gustavo Krahl de Vargas, o objetivo da capacitação é permitir aos extensionistas rurais o uso dessa importante ferramenta terapêutica em suas atividades junto às comunidades rurais. “A homeopatia pode ser aplicada nos diferentes sistemas produtivos, seja cultivos ou principalmente criações, contribuindo inclusive com aqueles agricultores que iniciaram um redesenho de suas propriedades para uma produção agroecológia, permitindo assim estabelecerem com mais segurança um processo de transição”, destaca Vargas.

Além das aulas teóricas e expositivas, os alunos desenvolverão em grupo um trabalho de conclusão de curso, no qual terão de estabelecer um diagnóstico e proposição de tratamento homeopático. Este trabalho oportuniza aos alunos diagnosticar e indicar o uso da homeopatia em sistemas rurais. Ao final do curso, terão de apresentar os resultados destes estudos em um seminário em dezembro. A realização deste curso oportunizou a criação de outra capacitação de 40 horas para agricultores e demais públicos, previsto para iniciar no Cetam ainda no segundo semestre deste ano. Segundo Vargas, o objetivo é sensibilizar os agricultores quanto ao uso desta ferramenta e popularizar a ciência.