Projeto Taramandahy promoveu oficina de tecnologias ecoeficientes em Maquiné

Município: Maquiné

Oficina conduziu mutirão no reboco da obra construída para o município CRÉDITO: PROJETO TARAMANDAHY/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Oficina conduziu mutirão no reboco da obra construída para o município CRÉDITO: PROJETO TARAMANDAHY/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Recentemente, um mutirão realizou o reboco na parede de barro do Centro de Informações Turísticas (CIT) de Maquiné. A oficina de Construção com terra crua, reboco em parede de barro lotou o espaço interno do CIT com um público que não perdeu nenhum detalhe da apresentação teórica do biólogo e permacultor Jeferson Timm, do Instituto Ambiental Daterra. A atividade é uma das Oficinas de Implementação de Tecnologias Ecoeficientes do Projeto Taramandahy – Fase III, proposto pela Ação Nascente Maquiné (Anama), patrocinado pela Petrobras, por meio do Programa Petrobras Socioambiental e governo federal. Ela ajudou a promover a Educação Ambiental através de estratégias sustentáveis para a gestão dos recursos hídricos da bacia do rio Tramandaí.
A exposição era intercalada pela curiosidade e por dúvidas dos participantes, além de relatos do ecólogo e coordenador do projeto, Dilton de Castro, sobre os materiais utilizados para construir o centro em 2010, pelo então Projeto de Desenvolvimento Ecoturístico de Maquiné, executado também pela Anama. A estrutura do prédio foi bioconstruída com paredes de pau a pique – barro e restos de madeira de serrarias -, madeira local, vidros reciclados oriundos de indústrias de ônibus, garrafões de vinho que servem tanto para formar a parede, quanto para iluminar naturalmente o ambiente, além de telhas provenientes de demolições. A construção com terra crua se desenvolveu em todo mundo há milhares de anos, sendo uma das tecnologias que contribui com a diminuição da produção de resíduos de construções tradicionais, que acabam por impactar os cursos d’água.
No momento em que se faziam os testes misturando a terra, areia e silte (grão de tamanho intermediário entre areia e argila), todos se mantiveram concentrados. Após o almoço no Canto da terra armazém café, colocaram a mão e o pé na mistura composta de argila, areia e esterco bovino e equino fermentado, a fim de rebocar a estrutura.
Entre os participantes estavam pessoas da comunidade local, representantes da prefeitura, Mbyá Guaranis da Aldeia Tekoa Ka’aguy Porã de Maquiné, estudantes de Biologia, moradores da região, educadores da rede de Educação Ambiental do Litoral Norte, entre tantos outros. Também esteve presente a responsável pelo departamento de Turismo do município, Anelise Mansan, que assumiu recentemente a pasta e que, segundo o secretário de Desenvolvimento, Agricultura, Turismo e Meio Ambiente do município, Luciano Almeida Alves, deve utilizar o espaço do CIT. Alves reforçou que esta atividade é muito importante para conscientizar a população da representatividade do CIT, em ser uma bioconstrução e o único espaço de órgão público bioconstruído com base na permacultura, que ele conheça no Rio Grande do Sul.
Ao fim do dia, o CIT ficou de cara nova para continuar realizando as atividades dos conselhos municipais de Turismo e Meio Ambiente e recebendo os visitantes no período de veraneio. Para o facilitador da oficina, Jeferson Timm, “ajudar a reformar uma bioconstrução de 10 anos em praça pública foi uma satisfação e mostra como Maquiné está bem amparado e no caminho certo”. Timm chamou a atenção também para a interação entre os participantes e para a possibilidade de ter contribuído para uma melhoria das tecnologias de construção dos indígenas.

Feira da Biodiversidade oferece produtos naturais neste sábado em Maquiné

Município: Maquiné

Feira terá alimentos orgânicos, cosmética, farmácia natural, artesanato com fibras vegetais, entre outros CRÉDITO: PREFEITURA MUNICIPAL DE MAQUINÉ/DIVULGAÇÃO/CIDADES

O Projeto Taramandahy – Fase II realizará a Feira da Biodiversidade de Maquiné que, integrada à Semana do Meio Ambiente, celebra também o Dia Internacional da Biodiversidade, cujo tema de 2015 é Biodiversidade Para o Desenvolvimento Sustentável. A feira contará com produtores de alimentos orgânicos, plantas alimentícias não convencionais, cosmética e farmácia natural, artesanato com fibras vegetais, panificados caseiros, sementes crioulas, abelhas nativas sem ferrão, frutas da Mata Atlântica, apresentação de teatro de bonecos com Marcelo Tcheli, além de receitas, boa conversa e chimarrão.
Na ocasião, será apresentada a mostra fotográfica do livro Paisagens de Maquiné, produzido pelo Projeto Recuperação do Rio Maquiné (2010-2012), patrocinado pela Petrobras, através do Programa Petrobras Ambiental. Também serão expostas publicações sobre a região da Bacia Hidrográfica do Tramandaí e distribuídos materiais sobre as experiências efetivadas pelo Projeto Taramandahy, em agroecologia, tecnologias ecoeficientes, gestão dos recursos hídricos e recuperação de mata ciliar, entre outras.
A feira é uma ação do Projeto Taramandahy-Fase II, patrocinado pela Petrobras, através do Programa Petrobras Socioambiental, que incentiva práticas com foco no fortalecimento de modelos de produção e formação de redes solidárias que valorizem a sustentabilidade, a agricultura familiar e a sociobiodiversidade, em uma perspectiva de equilíbrio entre produção, consumo e meio ambiente. O evento ocorre neste sábado, dia 6, entre 7h30min e meio dia, na Praça da Paróquia Santo André Avelino. Informações: (0xx51) 3628-1018.

Posto de saúde adquire conjunto odontológico para PSF Barra do Ouro

Município: Maquiné

Os pacientes que utilizam o tratamento odontológico no posto de saúde da Barra do Ouro estão contando com uma novidade. Foi adquirido recentemente um conjunto odontológico para o posto. Na Barra do Ouro a secretaria municipal de Saúde passou a utilizar desde setembro de 2009 o PSF – Programa de Saúde da Família – onde agentes de saúde vão até as residências das pessoas verificando a necessidade de um atendimento médico ou odontológico. Através desse sistema os agentes marcam as consultas, poupando assim os pacientes de irem ao posto só para isso e evitando possíveis lotações.

Conforme destacou o dentista Anderson A Schimidt Buske, que atua nessa unidade desde o segundo semestre de 2008, o PSF proporciona ao médico ou dentista trabalhar com mais tranquilidade. Complementando e atualizando o trabalho dos dentistas do PSF, o conjunto odontológico, que é composto de uma cadeira odontológica completa, custou R$ 7.735,00.