Encontros estaduais de línguas ocorrem em 25 de agosto em Lajeado

Município: Lajeado

Submissão de trabalhos pode ser realizada até o dia 10 de agosto CRÉDITO: BRUNA LAÍS ALVES/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Submissão de trabalhos pode ser realizada até o dia 10 de agosto CRÉDITO: BRUNA LAÍS ALVES/DIVULGAÇÃO/CIDADES

O curso de Letras da Univates promove, no dia 25 de agosto, o XVIII Encontro Estadual de Professores de Língua Inglesa, o XIII Encontro Estadual de Professores de Língua Espanhola e o I Encontro Estadual de Professores de Língua Portuguesa como Língua Adicional. Os eventos, que ocorrem de forma concomitante, recebem inscrições de resumos para comunicação oral e relato de experiências até o dia 10 de agosto.
Os eventos são voltados a docentes da Educação Básica, pesquisadores e acadêmicos de licenciatura. Os participantes terão oportunidade de vivenciar um momento de imersão nas temáticas de ensino de língua inglesa, de língua espanhola e de língua portuguesa como língua adicional, no intuito de aprimorarem aprendizagens interdisciplinares na área.
A programação terá oficinas das 13h30min às 15h30min, seguidas dos Grupos de Trabalhos com a apresentação das produções científicas. Haverá exposição de livros e materiais didáticos. Às 19h30min, ocorre a conferência Novas perspectivas para a sala de aula de língua adicional, com a doutora Anamaria Welp, da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Ufrgs), no auditório do Prédio 11.
As inscrições podem ser realizadas no site do evento ao valor de R$ 30,00 para professores e alunos da Univates e R$ 60,00 para o público externo. A divulgação dos trabalhos aceitos ocorre no dia 18 de agosto, e o envio dos textos completos pode ser realizado até 31 de setembro. A programação completa e as normas para submissão de trabalhos podem ser conferidas no site www.univates.br/evento/encontro-linguas. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (0xx51) 3714-7000, ramal 5945.
O XVIII Encontro Estadual de Professores de Língua Inglesa, o XIII Encontro Estadual de Professores de Língua Espanhola e o I Encontro Estadual de Professores de Língua Portuguesa como Língua Adicional têm como objetivo promover a reflexão e a discussão acerca das práticas de ensino de línguas, com enfoque na qualificação docente; viabilizar a socialização de subsídios teóricos e metodológicos para o ensino de línguas; e oportunizar espaço para formação continuada que garanta o aprimoramento da qualidade do ensino de línguas na região.

 

Projeto promove atividades para crianças na primeira infância em Lajeado e Taquari

Município: Lajeado, Taquari

Festival dos Pitocos vai promover momentos de contato com a arte de maneira lúdica e prazerosa CRÉDITO: KÁTIA BRESSANE/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Festival dos Pitocos vai promover momentos de contato com a arte de maneira lúdica e prazerosa CRÉDITO: KÁTIA BRESSANE/DIVULGAÇÃO/CIDADES

O Festival dos Pitocos, que acontece neste sábado e domingo em Taquari (na Lagoa Armênia) e nos dias 15 e 16 de julho em Lajeado (no Parque dos Dick), surge para atender um público singular: crianças ainda na primeira infância e suas famílias. Existem diversas opções de entretenimento infantil, porém, nem todas respeitam o ritmo, o olhar e o foco das crianças na faixa etária de zero a seis anos. Esse projeto busca oferecer um ambiente que respeite as necessidades dos pequenos e de seus familiares, possibilitando a troca efetiva de afetos e experiências em diferentes manifestações artísticas, como teatro, dança, literatura e música, possibilitando o contato de crianças com seu primeiro evento cultural.
O festival colabora, desta maneira, para a formação dos pequenos, criando o hábito de participar de atividades culturais, contribuindo para o desenvolvimento de suas relações sociais e familiares, funções cognitivas, maturidade emocional e aprimoramento de linguagem. A ideia nasceu das atrizes e produtoras culturais Ágata Baú e Juliana Brondani, a partir de uma constatação pessoal: a falta de opções de entretenimento infantil para suas filhas, ambas na faixa etária que o projeto pretende atender.
Muitas ofertas de entretenimento para esse público são de atrações televisivas, que isolam a criança do contato social e de produtos culturais genuinamente produzidos com linguagem local, que resgatam folclore, cantigas, lendas, hábitos e costumes da cultura popular. Assim, serão oferecidas atrações que prezem pela pesquisa de linguagem e abordagem pedagógica adequada ao público infantil, contribuindo para a oferta de estímulos positivos.
A cenografia do festival vai levar ares lúcidos aos locais, durante dois dias de atividades em cada cidade, com programação totalmente gratuita, em espaços nos quais todos serão convidados a participar. Espetáculos de artes cênicas e música; atividades literárias; e debates sobre educação, cultura, entretenimento e políticas públicas especiais para crianças serão oferecidos em Lajeado e Taquari (edição contemplada pelo edital Pró-Cultura-RS – Fundo de Apoio à Cultura (FAC) Regional da secretaria de Estado da Cultura, Turismo, Esporte e Lazer) e Porto Alegre (edição a ser realizada no Shopping Total nos dias 15 e 16 de outubro) aproveitando locais já utilizados pela população para momentos de lazer.
O Festival dos Pitocos levará atrações produzidas em Porto Alegre para o público do interior do Estado, proporcionando aos pequenos espectadores momentos de contato com a arte de maneira lúdica e prazerosa. A curadoria do festival selecionou espetáculos capazes de oferecer estímulos positivos ao desenvolvimento das crianças, contribuindo para sua familiarização com experiências artístico-culturais, atuando no desenvolvimento de plateias e estimulando a circulação e a fruição de produtos culturais desenvolvidos por artistas e grupos gaúchos.
Na programação de fim de semana em cada local, com abertura no sábado, às 14h, e encerramento no domingo, às 18h, estarão espetáculos como Tóin, com a Muovere Cia. de Dança; Cantos de Linho, de Lã, poemas de Dilan Camargo e direção de Liane Venturella; Cuidado que Ronca, com o grupo Cuidado que Mancha; além do Projeto Kombina, leitura e contação de histórias, coordenado pela escritora
Christina Dias. O projeto marca também o lançamento da produtora B B Projetos Culturais, na qual as amigas e parceiras de trabalho desenvolvem estratégias culturais para marcas e artistas atingirem resultados por meio de projetos criativos e éticos.

 

Estratégia de leitura adequada auxilia na compreensão de texto

Município: Lajeado

Leitor deve escolher a forma como lê de acordo com seu objetivo naquela leitura CRÉDITO: TIAGO SILVA/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Leitor deve escolher a forma como lê de acordo com seu objetivo naquela leitura CRÉDITO: TIAGO SILVA/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Ler bem é uma necessidade. Interagir com o conhecimento adquirido pela leitura é uma habilidade essencial nos dias de hoje. Por isso, ter consciência do modo como se lê auxilia na qualificação da compreensão do texto. Há várias estratégias que podem auxiliar o leitor. Duas delas, por exemplo, são a leitura do tipo top-down e a do tipo bottom-up. Se o leitor quiser “folhear” um jornal para se manter atualizado sobre as notícias do dia, pode optar pela leitura top-down. Mas, se quiser se aprofundar em um tema, precisa escolher a do tipo bottom-up.
Conforme a doutora em Linguística Kári Lúcia Forneck, coordenadora do curso de Letras da Univates, a leitura bottom-up necessita de mais atenção, é mais linear e o foco é direcionado às particularidades do tema. “Quando você usa esse tipo de leitura, provavelmente você sabe previamente menos sobre o conteúdo do texto. É uma leitura feita mais nos detalhes. É uma estratégia de compreensão das minúcias para o todo”, enfatiza.
Já o modelo top-down segue o processo inverso: “é do todo para as partes”, afirma a pesquisadora de linguística, apontando que os conhecimentos prévios do leitor têm um peso importante nesse processo. “As relações entre o conhecimento novo e o que o leitor já tem são mais diretas na leitura top-down. Não há muito esforço de leitura. Você lê meia dúzia de palavras e já sabe, em um plano geral, do que trata o texto”, relata Kári.
“O modo como se lê tem a ver, primeiro, com o meu propósito com aquele texto e, segundo, com que tipo de conhecimento eu já tenho sobre aquele assunto”, esclarece a doutora. Essa clareza é chamada, na linguística, de metacognição: quando o leitor tem consciência do jeito como lê. “Ter essa consciência significa que você se torna mais proficiente e adapta seu modo de ler aos objetivos de leitura”, entende a professora.
Para Kári, o fato de o brasileiro apresentar tanta dificuldade em leitura, de modo geral, decorre do modo como essa questão é tratada na educação básica. Nas escolas, ainda falta mais desenvolvimento de duas questões primordiais: a compreensão e a interpretação do texto, que são atividades diferentes. “A gente pensa que, se o sujeito se alfabetizou, ele segue no piloto automático depois. Mas não lhe ensinaram a automonitorar o seu processo de leitura.” Esse reflexo aparece depois, em índices negativos para o Brasil como o Pisa, o mais importante exame educacional do mundo, elaborado pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (Ocde).
No último levantamento, divulgado em dezembro de 2016, os estudantes brasileiros tiveram desempenho abaixo da média nas três áreas avaliadas (ciências, leitura e matemática). Entre as 72 nações, o relatório mostra o Brasil na 63ª posição em ciências, na 59ª em leitura e na 66ª colocação em matemática. No quadro geral, quase metade (44,1%) dos estudantes brasileiros obteve performance abaixo do nível dois da prova, em uma escala de um a seis.
Kári entende que esse baixo desempenho em leitura pode limitar a forma como as pessoas interagem com o mundo. Ao lembrar do filme A Chegada (The Arrival, 2016) ficção científica de Denis Villeneuve, em que uma linguista é recrutada para desvendar as intenções de alienígenas que aterrissam na Terra , a professora explica sobre a Hipótese Sapir-Whorf: em síntese, essa hipótese, embora controversa, sustenta que a linguagem influencia o pensamento. “Eu consigo entender o mundo ao meu redor conforme minha abrangência linguística. Se meu vocabulário é restrito, por exemplo, o modo como eu racionalizo minhas experiências de vida também se restringe”, afirma a professora.

 

Pós-Graduação em Ensino de Ciências Exatas celebra 10 anos na Univates, em Lajeado

Município: Lajeado

Com mais de 120 diplomados, mestrado da Univates reúne estudantes de diferentes estados do Brasil CRÉDITO: TUANE EGGERS/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Com mais de 120 diplomados, mestrado da Univates reúne estudantes de diferentes estados do Brasil CRÉDITO: TUANE EGGERS/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Neste ano, o Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências Exatas (Ppgece) da Univates completa 10 anos. Para comemorar essa data, o mestrado oferece uma programação especial aos estudantes e mais de 120 diplomados. “É um orgulho muito grande essa comemoração. Há 10 anos, tivemos o desafio de implementar o curso de pós-graduação e, agora, juntamos nossos esforços para manter sua qualidade”, afirma a professora Miriam Marchi, que acompanha o curso desde o início. Miriam destaca a união dos professores no esforço em prol do mestrado.
Inicialmente regular, o programa também começou a oferecer o regime modular em 2011. A possibilidade fez com que estudantes de outros estados pudessem integrar o Ppgece, já que as aulas passaram a ser oferecidas em três semanas de janeiro e três de julho. Para se ter uma ideia, dos atuais 38 alunos matriculados, 27 são de fora do Estado.
A mestranda Marglis Rech iniciou o curso em janeiro deste ano e afirma estar satisfeita e envolvida com o programa. “Estou feliz por ter escolhido a Univates para a realização desse sonho”, conta. Natural de Sobradinho, mas vivendo em Santa Cruz do Sul desde 1999, Marglis explica que escolheu o curso por ele aprofundar os conhecimentos na área de sua formação, Licenciatura em Matemática. “Destaco a credibilidade do centro universitário e o bom desempenho desta instituição segundo avaliações nacionais. Além disso, são disponibilizados docentes com extensa produção e ótimas infraestrutura e proposta curricular”, garante.
O diplomado do curso Jefferson Nascimento é natural de Belém, no Pará. “Interessei-me pelas linhas de pesquisas. Havia uma possibilidade de eu trabalhar na área de modelagem e simulação computacional voltada para o ensino de Física, o que era o meu desejo na época”, explica sobre a escolha do curso. Nascimento conta que recentemente começou a trabalhar com modelagem computacional, faz doutorado em Salvador e que ganhou um prêmio de destaque científico da Rede TV do Pará.
O Ppgece já passou por três modificações no currículo, sempre buscando a aproximação com o que o mercado exige. “Qual é o nosso campo de trabalho? Qual perfil de professor as escolas exigem?”, exemplifica Miriam. No segundo semestre deste ano, a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) deve enviar mais uma avaliação do curso, que é realizada de quatro em quatro anos e refere-se ao período de 2013 a 2016. “Estamos aguardando o retorno da Capes para, a partir do retorno, realizar novas mudanças”, conta.
Alusivo ao aniversário, o curso promove uma programação especial. No dia 21 de julho, das 14h às 17h, haverá palestra com o professor dr. Marco Antonio Moreira sobre Importância dos mestrados profissionais e do Ensino em Ciências Exatas. À noite, às 19h, quem coordena o momento é a professora dra. Maira Ferreira, falando sobre Formação de professores para o ensino de Ciências e Matemática. Ambas as palestras ocorrem no auditório do Prédio 9.
No sábado, dia 22, às 8h30min, diplomados do mestrado participarão de uma mesa-redonda, momento seguido de coquetel, na sala 102 do Prédio 2. As inscrições podem ser feitas de forma gratuita pelo site www.univates.br/sistemas/inscricoes/process-1148.

 

Univates oferece pós-graduação na modalidade a distância em Lajeado

Município: Lajeado

Geografia do Brasil contemporâneo - território e sociedade é um dos cursos oferecidos CRÉDITO: ELISE BOZZETTO/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Geografia do Brasil contemporâneo – território e sociedade é um dos cursos oferecidos CRÉDITO: ELISE BOZZETTO/DIVULGAÇÃO/CIDADES

A Univates oferece para o próximo semestre três novos cursos de pós-graduação lato sensu na modalidade a distância: Filosofia e contemporaneidade – fundamentação ética e formação humana, Geografia do Brasil contemporâneo – território e sociedade e História do Brasil contemporâneo – historiografia, territorialidade e movimentos sociais. Os cursos se iniciam em setembro de 2017 e se estendem até abril de 2019, totalizando 370 horas de atividades cada um.
O investimento para qualquer um dos cursos é de 20 parcelas de R$ 298,00. Para diplomados da Univates, a mensalidade é de R$ 268,20. As inscrições podem ser feitas pelo site univates.br/pos-graduacao até o dia 8 de agosto.
Também para 2017B, 15 cursos lato sensu presenciais oferecem novas turmas: Ações em estimulação precoce; Atenção multidisciplinar em oncologia; Avaliação de impactos e recuperação ambiental; Currículo e docência nos Anos Iniciais: Perspectivas e desafios contemporâneos; Dietoterapia nos ciclos da vida; Direito e processo do trabalho; Educação Infantil; Gestão e cuidado em saúde; Letramento, leitura e escrita; MBA em Gestão e engenharia de processos; Pedagogia empresarial; Processos de produção televisiva, audiovisual e de novas tecnologias; Produção de moda e styling; Supervisão e gestão educacional e tecnologia de alimentos.
Além desses cursos, algumas especializações da área de gestão recebem inscrições até 31 de julho de 2017, mesmo já estando em andamento: MBA em Finanças e controladoria, MBA em Gestão empreendedora de negócios, MBA em Gestão empresarial, MBA em Gestão estratégica de pessoas e MBA em Marketing.