Sala Lilás de Acolhimento é inaugurada em Imbé

Município: Imbé

Local funcionará junto ao prédio da Delegacia de Polícia Civil, no bairro Courhasa CRÉDITO: PREFEITURA MUNICIPAL DE IMBÉ/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Local funcionará junto ao prédio da Delegacia de Polícia Civil, no bairro Courhasa CRÉDITO: PREFEITURA MUNICIPAL DE IMBÉ/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Foi inaugurada, na última terça-feira, dia 22, a Sala Lilás de Acolhimento, espaço para acolher mulheres vítimas de violência doméstica e familiar. O local funcionará junto ao prédio da Delegacia de Polícia Civil (DP) da cidade, na avenida Paraguassú, nº 3.271, bairro Courhasa. Participaram da cerimônia o vice-prefeito Ique Vedovato; a secretária da Mulher e Direitos Humanos (Semdhi), Joseleine Barbosa; o delegado regional de Polícia Civil, Heraldo Chaves Guerreiro; o titular da DP de Imbé, Antonio Carlos Ractz Junior; e a presidente da subseção de Tramandaí da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Amanda do Nascimento da Silveira, entre outras autoridades. A iniciativa, idealizada pela prefeitura, através da Semdhi, conta com apoio da DP do município. O atendimento na delegacia acontecerá sempre às terças e quintas-feiras, das 9h às 11h. Nos demais dias, o acolhimento acontecerá na sede da Semdhi, no Prédio Anexo I da prefeitura (avenida Paraguassú, nº 2.017, Centro).
Este espaço será reservado e dedicado exclusivamente ao acolhimento humanizado de mulheres que tenham sofrido algum tipo de violência doméstica ou familiar. O vice-prefeito lembrou o esforço do governo municipal para viabilizar a construção da nova sede da DP, onde está situada a Sala Lilás. “A disponibilização de um espaço reservado e com boa estrutura resultará em um trabalho fundamental para que as mulheres que passam por estes casos de violência se sintam acolhidas e seguras”, afirma Ique. Já o delegado regional parabenizou os órgãos envolvidos na criação do espaço. “A violência à mulher é cada vez mais latente. Precisamos de iniciativas como esta em todos os municípios para tentar minimizar este problema que é muito sério”, destaca Guerreiro.
O delegado titular da DP de Imbé revela que o aumento dos índices de violência doméstica e familiar foram fundamentais para que o espaço fosse criado. “Conversamos com a administração municipal desde o ano passado para dar este acolhimento às vítimas de violência doméstica. Somente neste ano, temos mais de 100 casos registrados aqui na DP de Imbé. Aqui, a mulher vai encontrar a possibilidade de se abrir, contar o que está passando, narrar estas dificuldades e encontrar encaminhamentos com suporte social e psicológico para sair deste ambiente que traumatiza as vítimas”, explica Ractz. “Teremos toda esta rede de acolhimento para combater de vez a violência doméstica no nosso município”, complementa.
A titular da Semdhi lembrou que a Sala de Acolhimento dará à vítima todos os encaminhamentos necessários neste tipo de situação, orientando de acordo com cada necessidade detectada diante dos casos relatados. “Aqui nós vamos orientar as mulheres que são vítimas de violência, através do registro da ocorrência, encaminhamento jurídico, psicológico ou qualquer outra necessidade para ampará-las nestes momentos difíceis”, afirma Josi. “Formamos uma rede com psicólogos, órgãos públicos, assistentes sociais e jurídicos, em um trabalho que tem como principal objetivo a redução dos índices de violência à mulher e atendimento a essas vítimas”, finaliza.