Obras de duplicação da avenida Centenário continuam avançando em Gravataí

Município: Gravataí

Projeto é um dos principais no que diz respeito à mobilidade urbana do município CRÉDITO: PREFEITURA MUNICIPAL DE GRAVATAÍ/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Projeto é um dos principais no que diz respeito à mobilidade urbana do município CRÉDITO: PREFEITURA MUNICIPAL DE GRAVATAÍ/DIVULGAÇÃO/CIDADES

A duplicação do primeiro trecho de dois quilômetros da avenida Centenário, entre a rótula da avenida Adolfo Inácio Barcelos e entroncamento com a ERS-118, já avança com a etapa de colocação de asfalto. A obra, que conta com recursos próprios da prefeitura, faz parte de um conjunto de ações para resolver o problema de congestionamento das pontes do Parque dos Anjos, com a finalidade de melhorar a mobilidade e o fluxo do trânsito do município.
Para resolver, quatro obras de infraestrutura foram estruturadas, que são a duplicação das pontes, a revitalização da avenida Adolfo Inácio de Barcelos, a reformulação da rótula próxima ao Ginásio Aldeião e a duplicação da Centenário. “Optamos por começar pela duplicação dessa avenida, pois não havia ainda a municipalização de todo o trecho, nós tínhamos apenas um convênio com o Estado”, salientou o secretário municipal de Mobilidade Urbana, Alison Silva. Ainda de acordo com o secretário da pasta, a estrutura de base está 60% concluída. Atualmente, a etapa de colocação do asfalto já está em torno de 25% pronta. “Devemos finalizar esta obra em abril, com todo o lado direito da via, no sentido ERS–118 e, assim, iniciar o outro lado”, ressaltou Silva.
Após a finalização do asfalto, será instalado o canteiro central, para contribuir com a segurança dos motoristas e pedestres, além da troca de todos os acessos de entrada da cidade, com a realização de novos que já foram projetados para diminuir os gargalos. Já a parte da rede de esgoto pluvial está em processo de revisão e será toda revitalizada, com a resolução de problemas que vêm sendo enfrentados há anos em alguns pontos. “Essa é uma obra estruturada para dar uma melhor qualidade de vida para os moradores do município, mas também está entre as quatro obras para resolver o congestionamento das pontes do Parque dos Anjos”, concluiu o secretário. A revitalização da Adolfo Inácio de Barcelos deve iniciar no mês de abril, e a duplicação das pontes e a rótula estão em fase de execução de projeto.

Educação ambiental é trabalhada no Programa Gravataí eu faço por ti

Município: Gravataí

Primeira-dama se reuniu com equipes diretivas para oferecer atividades do projeto no decorrer do ano letivo CRÉDITO: HIURI SOUZA/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Primeira-dama se reuniu com equipes diretivas para oferecer atividades do projeto no decorrer do ano letivo CRÉDITO: HIURI SOUZA/DIVULGAÇÃO/CIDADES

A conscientização sobre a natureza e o meio ambiente é um dos grandes desafios do mundo atual e a melhor estratégia para abordar esta temática é trabalhar a educação ambiental desde os primeiros anos de vida. Com esse objetivo a prefeitura, através do gabinete da primeira-dama (GPD), em parceria com a secretaria da Educação (Smed), realizou um encontro de formação na última quarta-feira, dia 7, com as equipes diretivas das 75 escolas municipais. A proposta, segundo a primeira-dama Patrícia Bazotti Alba, é incluir as atividades do Programa Gravataí eu faço por ti ao longo do ano letivo nas instituições de ensino da rede.
Segundo Patrícia, o programa foi concebido para difundir os princípios da sustentabilidade e da conscientização ambiental, possuindo uma grande abrangência, uma vez que traz como proposta o trabalho de forma integrada entre as secretarias municipais e escolas, através dos professores, funcionários e alunos, pesquisadores e profissionais da área, além da sociedade em geral.
“Entre as atividades propostas para serem executadas junto às comunidades escolares estão a elaboração da Agenda 21 Escolar, a implantação da coleta seletiva nas escolas que ainda não possuem, com o descarte correto dos resíduos, a criação de pontos de entrega voluntária de óleo vegetal pós-consumo e eletroeletrônicos, a implementação de composteiras, hortas escolares, o cultivo de plantas medicinais e a criação de bancos de sementes nativas e crioulas”, disse Patrícia.
Se acordo com a secretária da Smed, Sonia Oliveira, “a educação ambiental pode ser entendida como toda ação educativa que contribui para a formação de cidadãos conscientes da preservação do meio ambiente e aptos à tomarem decisões coletivas sobre questões ambientais necessárias para o desenvolvimento de uma sociedade sustentável”. Dessa forma, sua aplicação não se restringe ao universo escolar, mas também às comunidades.
“Incentivamos os alunos a adquirirem consciência ecológica a partir de pequenos gestos, como reaproveitar a água das chuvas para regar plantas e limpar o pátio; não deixar a torneira aberta enquanto escovam os dentes; jogar papel de bala e qualquer resíduo na lixeira correspondente; enfim, práticas que eles também levam para suas casas e compartilham com suas famílias. É um grande ciclo”, completou a primeira-dama Patrícia, que acompanha as turmas de alunos em visitas ao aterro sanitário e à Cooperativa dos Catadores, ensinando sobre a importância da separação correta do lixo.
Além dos passeios aos locais de reciclagem, a prefeitura realiza visitas técnicas ao rio Gravataí, em parceria com a Fundação Municipal do Meio Ambiente (FMMA). Lá, os estudantes têm a oportunidade de conhecer mais sobre as condições do rio que abastece a cidade e boa parte da região metropolitana que, infelizmente, sofre com a poluição ao longo de seu curso através do despejo de lixo e dejetos não tratados que prejudicam a todos.
O Programa Gravataí eu faço por ti também propõe mudanças de comportamento na execução das atividades diárias na administração pública. A economia de folhas e tinta com impressões e o reaproveitamento de papéis como rascunho; a redução de custos com energia, desligando computadores e luzes quando não forem utilizados e sempre ao fim do expediente; além de outras ações que impactam diretamente na preservação dos recursos naturais, são trabalhadas anualmente junto aos funcionários e colaboradores da prefeitura.
As ações também despertam a conscientização a partir do plantio de flores em locais de descarte irregular de lixo, para que a população não jogue resíduos em beira de asfaltos, canteiros ou terrenos. “Os ecopontos estão aí para isso. Todos os meses, são cerca de R$ 280 mil desperdiçados no recolhimento de entulhos e lixo despejados em locais inapropriados, ocasionando outros danos, como problemas à saúde em virtude das condições sanitárias impróprias que o lixo acumulado gera”, alertou Patrícia. “Não é preciso ações grandiosas para fazer a diferença junto à natureza e para a preservação do meio ambiente. Basta cada um fazer a sua parte no seu cantinho do planeta, que para nós é Gravataí, que já estaremos contribuindo muito para melhorarmos o meio em que vivemos”, finalizou a primeira-dama.

Workshop Inclusivo promove momento lúdico a alunos de Gravataí

Município: Gravataí

Atividade ocorreu no dia 29 de novembro e contou com desfile de carros estilizados CRÉDITO: PREFEITURA MUNICIPAL DE GRAVATAÍ/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Atividade ocorreu no dia 29 de novembro e contou com desfile de carros estilizados CRÉDITO: PREFEITURA MUNICIPAL DE GRAVATAÍ/DIVULGAÇÃO/CIDADES

O Boulevard do Gravataí Shopping Center virou pista de corrida na tarde de 29 de novembro. Com direito a desfile com os carros estilizados, narração, música e uma torcida que deu exemplo de empolgação, a Corrida Divertida – realizada durante o 6º Workshop Inclusivo, desenvolvido pelo Núcleo de Educação Especial da secretaria municipal da Educação (Smed), oportunizou aos alunos com deficiência do município um momento lúdico com o objetivo de trabalhar a inclusão, incentivar a autonomia e combater atitudes discriminatórias de modo a cultivar sociedades mais acolhedoras e respeitosas.
Além da inclusão, também houve muita emoção. Já era possível flagrar as primeiras lágrimas de familiares, professores e público em geral logo na apresentação das categorias que participaram da brincadeira, que incluíam carrinhos feitos de papelão movidos com os pés, bicicletas e cadeiras de rodas customizadas pilotadas pelos participantes fantasiados de super-heróis e personagens de seriados clássicos do universo infantil.
A corrida foi apenas uma das atividades que aconteceram durante o Workshop Inclusivo. Também houve oficinas interativas realizadas por professores do Atendimento Educacional Especializado (AEE), contação de história e uma mostra fotográfica com registros dos professores das salas de recursos (ambientes adaptados das escolas do município onde são atendidos alunos com deficiência) durante as atividades realizadas com seus alunos ao longo deste ano. A secretária da Educação Sonia Oliveira diz que é gratificante existir profissionais que se dedicam com tamanho engajamento com a educação inclusiva, elogiando o empenho e dedicação de toda a equipe responsável por concretizar o evento.
Iniciado há seis anos, o Workshop Inclusivo surgiu a partir da necessidade de aproximar comunidade, professores e alunos com deficiência, para integrar e promover trocas de experiências. A atividade é realizada em diferentes formatos a cada edição, ampliando cada vez mais a capacitação e desenvolvimento dos profissionais atuantes na área da Educação Especial. Já foram realizados ciclos de palestras, oficinas para professores e apresentação de relatos de profissionais e familiares, conscientizando cada vez mais pessoas sobre a importância direcionar esforços para a inclusão socioeducativa.
O Núcleo de Educação Especial é a equipe de assessoria do departamento Pedagógico da Smed que trabalha apenas com a educação de alunos com deficiência do município. São realizadas formações, palestras, oficinas e capacitações para professores especializados. As salas de recursos foram criadas pelo governo federal, através do Programa Implantação de Salas de Recursos Multifuncionais, com o objetivo de disponibilizar às escolas ambientes dotados de equipamentos, mobiliários e materiais didáticos e pedagógicos para a oferta do atendimento educacional especializado a fim de prover condições de acesso, participação e aprendizagem no ensino regular aos alunos com deficiência. O núcleo foi criado por meio da Portaria nº 13, de 24 de abril de 2007. Os municípios indicam escolas para receberem os recursos adquiridos pelo governo federal. Em Gravataí são 43 escolas e cerca de 800 alunos atendidos.

Lei garante exame para detectar toxoplasmose durante o pré-natal em Gravataí

Município: Gravataí

Primeira-dama recebeu família, que agradeceu pelos exames e tratamento oferecidos ao filho CRÉDITO: PREFEITURA MUNICIPAL DE GRAVATAÍ/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Primeira-dama recebeu família, que agradeceu pelos exames e tratamento oferecidos ao filho CRÉDITO: PREFEITURA MUNICIPAL DE GRAVATAÍ/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Trabalhar a prevenção no âmbito da saúde, garantindo o acesso aos serviços e exames para toda a população, é uma prioridade do prefeito Marco Alba, e, na última quarta-feira, dia 22, as ações foram elogiadas pela gravataiense Damires Vargas. A primeira-dama Patrícia Bazotti Alba recebeu a visita da família da dona de casa que foi agradecer à prefeitura pelos exames gratuitos realizados durante o pré-natal que possibilitaram a detecção de toxoplasmose no filho caçula ainda durante a gravidez. Hoje com nove dias, o pequeno Otávio segue recebendo, pelo Sistema Único de Saúde (SUS), todo o tratamento e acompanhamento médico necessários para combater o protozoário.
“Minha família e eu ficamos muito agradecidos, pois, graças ao apoio da prefeitura, conseguimos fazer os exames durante o pré-natal e também agora, que nosso filho nasceu. É muito bom poder dividir essa experiência e saber que não somos os únicos que passamos por isso, e, principalmente, que estamos tendo todo o suporte e tratamento que ele precisa”, agradeceu Damiris.
A primeira-dama compartilhou que vivenciou a mesma situação, já que, durante a gestação de seu filho Vitor, também contraiu toxoplasmose e, graças ao exame antecipado, não sofreu danos. “Se não tratada, os efeitos podem ser perigosos no aspecto neurológico e também no sistema ocular do futuro bebê. Hoje, esses exames são garantidos a todas as gestantes gratuitamente através da Lei Estadual Vitor e também pelo Programa Bebê Saúde, instituído em Gravataí em 2013”, disse Patrícia.
A lei estadual é de autoria do prefeito Marco Alba enquanto deputado estadual e torna obrigatório o exame pelo SUS para detectar a infecção da toxoplasmose durante o pré-natal às gestantes e aos recém-nascidos. Pelo Bebê Saúde, ficam assegurados os cuidados de saúde desde a gestação até os seis anos de idade para famílias em situação de vulnerabilidade social. Estão entre as diretrizes do programa a garantia ao acesso das gestantes aos exames do pré-natal, como de sangue e urina. Para os recém-nascidos, fica assegurada a realização dos testes do olhinho, pezinho, orelhinha e coraçãozinho.

Gravataí estuda implantar biogás para processamento do lixo

Município: Gravataí

Alternativa inédita e sustentável otimiza a separação de resíduos e transforma lixo orgânico em energia CRÉDITO: PREFEITURA MUNICIPAL DE GRAVATAÍ/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Alternativa inédita e sustentável otimiza a separação de resíduos e transforma lixo orgânico em energia CRÉDITO: PREFEITURA MUNICIPAL DE GRAVATAÍ/DIVULGAÇÃO/CIDADES

A cidade pode ser a primeira do País a contar com uma tecnologia inédita para a separação e destinação final de resíduos. No dia 8 de novembro, o prefeito, Marco Alba, recebeu o diretor comercial da Sebigás do Brasil, Lorenzo Pianigiani, para conhecer a metodologia que trabalha com a transformação do lixo orgânico em biogás, através da biodigestão, uma alternativa de geração de energia elétrica em substituição ao gás natural. O projeto também contempla a otimização da separação de resíduos iniciais.
“Com a implantação desta tecnologia, estima-se uma redução para 30% da quantidade de rejeitos que hoje são transportados e aterrados em Minas do Leão. Além da diminuição de custos, que atualmente giram em torno de R$ 11,5 milhões anuais para o transbordo, transporte e destinação final, temos a possibilidade de converter o lixo em biogás e gerar energia para iluminação pública, escolas e postos de saúde, por exemplo”, completou o prefeito.
O biogás também pode ser utilizado na produção de gás natural veicular (GNV) para abastecer frotas de veículos, como ônibus escolares. O processo de biogestão também possibilita a confecção de fertilizantes e adubos, que podem ser utilizados nas plantações dos pequenos produtores rurais, impulsionando o trabalho dos agricultores de Gravataí. Segundo o secretário municipal de Habitação, Saneamento e Projetos Especiais, Luiz Zaffalon, a tecnologia é inédita no Brasil, e a projeção de resultados é de uma redução estimada em 63 toneladas/dia. “É importante salientar que este projeto visa adequar Gravataí à Lei Nacional dos Resíduos, que determina que apenas os rejeitos sejam destinados aos aterros sanitários”, informou Zaffalon.
A primeira-dama do município e mentora do programa de preservação ambiental Gravataí, eu faço por ti, Patrícia Bazotti Alba, fez questão de integrar a comitiva em visita ao aterro sanitário, a fim de apresentar a estrutura já existente no município para separação dos resíduos. “Estamos buscando alternativas sustentáveis para tratar a questão do lixo de maneira responsável, com baixo custo e menos impacto ambiental. A Associação e a Cooperativa dos Catadores já fazem um trabalho de triagem e separação dos resíduos sólidos, e nós queremos aprimorar ainda mais este serviço e agregar a destinação final também do lixo orgânico”, disse. Na ocasião, também esteve presente o secretário titular de Serviços Urbanos, Francisco Pinho, e seu adjunto, Paulo Garcia; e o diretor-presidente da Fundação Municipal de Meio Ambiente, Jackson Müller; além de membros da secretaria de Serviços Urbanos e funcionários do Aterro Sanitário Municipal.