Público lota auditório durante Seminário de Trânsito de Gravataí

Município: Gravataí

Evento ocorreu nas Faculdades QI na última quarta-feira e integrou a Semana Nacional do Trânsito CRÉDITO: CRISTINE LUIZA SCHMIDT/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Evento ocorreu nas Faculdades QI na última quarta-feira e integrou a Semana Nacional do Trânsito CRÉDITO: CRISTINE LUIZA SCHMIDT/DIVULGAÇÃO/CIDADES

O 1º Seminário de Trânsito de Gravataí, realizado pela prefeitura, por meio da secretaria municipal de Mobilidade Urbana (Semurb), lotou o auditório das Faculdades QI na noite da última quarta-feira. Integrando a Semana Nacional do Trânsito, o evento reuniu grande público composto por especialistas em trânsito, gestores no âmbito de diversos municípios, fiscais e profissionais da área, além de estudantes.
Com o tema Nós somos o trânsito!, o seminário abordou diversos aspectos de mobilidade urbana, apresentou conceitos, cases de sucesso e as principais obras realizadas em Gravataí, que foram destacadas pelo prefeito Marco Alba. “Esta semana, anunciamos o lançamento do edital de duplicação das pontes do Parque dos Anjos, sem dúvidas uma das maiores obras de mobilidade urbana da história da cidade”, disse o prefeito.
“Também trabalhamos no âmbito das inovações, criando o aplicativo Time Bus, implantando uma central de controle da frota de ônibus coletivo, adotando o estacionamento rotativo que democratiza o uso das vagas, instalando mais de 300 novas paradas de ônibus, além de estarmos duplicando a avenida Centenário e outras que já duplicamos, como a Jorge Amado, Brasil e Itacolomi”, compartilhou o prefeito.
“Estamos executando os maiores avanços que Gravataí já teve em termos de mobilidade, através da qualificação profissional das equipes técnicas e de um trabalho de gestão organizado e planejado, visando ao bem-estar, à segurança e à fluidez no trânsito da nossa cidade para toda a população”, completou o prefeito, desejando um bom evento a todos os presentes.
O secretário da Semurb Alison Silva falou sobre o aumento da frota em Gravataí. “Tivemos um crescimento na ordem de 200% entre 2001 e 2017. Somente no último ano, contabilizamos cerca de 150 mil veículos na cidade, e uma média de 18 novos carros emplacados por dia”, disse. “As duplicações que fizemos de vias estratégicas de grande circulação, além de mudanças de sentidos, alças de acesso e até mesmo a onda verde na principal avenida da cidade, são alguns exemplos de ações feitas em nosso governo para tentar atender um pouco melhor essa demanda”, frisou.
Outras atividades preventivas contra acidentes que visam reduzir os índices de mortalidade no trânsito também foram citadas pelo secretário, tais como as edições da Balada Segura e a instalação de radares móveis. Já o presidente do Conselho Nacional de Trânsito, Luiz Noé, presente no evento, lembrou que “o processo de mobilidade não depende apenas de quem tem carro, mas sim de cada cidadão da cidade, seja ele motorista, passageiro ou pedestre”.
Eduardo Biavati, mestre em Sociologia pela Universidade de Brasília (UnB), escritor e especialista em Educação e Segurança no Trânsito também participou como palestrante do evento, que foi conduzido pelo ex-secretário da Semurb Adão de Castro, responsável pela pasta entre 2013 e 2017. Também estiveram presentes no Seminário Alexandre Zum, especialista em Trânsito; o vice-prefeito Áureo Tedesco; e o diretor acadêmico das Faculdades QI Luiz Denicol. O evento contou com o apoio das Escolas e Faculdades QI de Gravataí, Sogil, Centro de Formação de Condutores (CFC) Carlão, CFC Rumo Certo, Depósito Help e Salgadinhos Garcia.

Alunos de Gravataí realizam visita ao aterro sanitário

Município: Gravataí

Ação faz parte do Programa Gravataí eu faço por ti, do gabinete da primeira-dama CRÉDITO: PREFEITURA MUNICIPAL DE GRAVATAÍ/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Ação faz parte do Programa Gravataí eu faço por ti, do gabinete da primeira-dama CRÉDITO: PREFEITURA MUNICIPAL DE GRAVATAÍ/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Um dia com foco nas ações efetivas de sustentabilidade, pensando no futuro do planeta e da humanidade: foi isso que os alunos da Escola Municipal de Ensino Fundamental Especial para Surdos (Emees) e cerca de 100 estudantes das turmas do  primeiro ao quinto ano da Escola Municipal de Ensino Fundamental (Emef) Cecília Meireles vivenciaram na visita ao aterro sanitário Santa Tecla, na Costa do Ipiranga. “Uma das ações do projeto sobre educação ambiental junto às escolas é essa visitação ao aterro. A gente quer fazer com que as escolas tenham o ensino mais prático e que tragam efeitos relevantes para o dia a dia sobre a conscientização ambiental”, salientou o vice-presidente da Fundação Municipal do Meio Ambiente (FMMA), Rafael Evaldt.
A ação faz parte do Programa Gravataí eu faço por ti, do gabinete da primeira-dama, em parceria com a FMMA, com a secretaria municipal de Agricultura e Abastecimento (SMAA), e com a secretaria municipal de Serviços Urbanos (SMSU). “Essa visita faz as crianças entenderem o processo de reciclagem, da separação dos resíduos desde o seu início, passando por todas as etapas até chegar ao seu destino final”, ressaltou a diretora técnica da FMMA, Daniela Dietrich.
Durante o passeio, os alunos foram orientados sobre todo o processo que ocorre, desde a passagem dos caminhões pela balança, sobre a estação de transbordo, até o envio para Minas do Leão, onde o material inutilizável é descartado. As crianças também foram orientadas sobre a separação e o descarte correto de resíduos, além de observarem os processos da reciclagem. De acordo com o fiscal da SMSU no aterro, Eli Dornelles, responsável por guiar as visitas, “em média, são 200 toneladas de lixo diariamente no município”. Ele ainda destacou que a coleta do lixo orgânico é feita por 12 caminhões, enquanto a coleta seletiva conta com cinco.
“Essa experiência foi muito legal e importante para as crianças. Parabenizamos a organização do projeto, pois aprendemos muito e vamos levar todo o aprendizado para a escola e para as nossas famílias”, relatou a diretora da Emees, Marlei Urssulin da Rosa. Para a vice-diretora da Emef Cecília Meireles, Carmem Lucia Lemes, “é fundamental os alunos vivenciarem na prática o que aprendem em sala de aula”. O Programa Gravataí eu faço por ti tem como objetivo fomentar práticas de sustentabilidade e cuidados com o meio ambiente no município através de ações práticas de conscientização. A iniciativa foi condecorada com o Selo de Compromisso Ambiental na categoria Órgão Público.

Obras de duplicação da avenida Centenário continuam avançando em Gravataí

Município: Gravataí

Projeto é um dos principais no que diz respeito à mobilidade urbana do município CRÉDITO: PREFEITURA MUNICIPAL DE GRAVATAÍ/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Projeto é um dos principais no que diz respeito à mobilidade urbana do município CRÉDITO: PREFEITURA MUNICIPAL DE GRAVATAÍ/DIVULGAÇÃO/CIDADES

A duplicação do primeiro trecho de dois quilômetros da avenida Centenário, entre a rótula da avenida Adolfo Inácio Barcelos e entroncamento com a ERS-118, já avança com a etapa de colocação de asfalto. A obra, que conta com recursos próprios da prefeitura, faz parte de um conjunto de ações para resolver o problema de congestionamento das pontes do Parque dos Anjos, com a finalidade de melhorar a mobilidade e o fluxo do trânsito do município.
Para resolver, quatro obras de infraestrutura foram estruturadas, que são a duplicação das pontes, a revitalização da avenida Adolfo Inácio de Barcelos, a reformulação da rótula próxima ao Ginásio Aldeião e a duplicação da Centenário. “Optamos por começar pela duplicação dessa avenida, pois não havia ainda a municipalização de todo o trecho, nós tínhamos apenas um convênio com o Estado”, salientou o secretário municipal de Mobilidade Urbana, Alison Silva. Ainda de acordo com o secretário da pasta, a estrutura de base está 60% concluída. Atualmente, a etapa de colocação do asfalto já está em torno de 25% pronta. “Devemos finalizar esta obra em abril, com todo o lado direito da via, no sentido ERS–118 e, assim, iniciar o outro lado”, ressaltou Silva.
Após a finalização do asfalto, será instalado o canteiro central, para contribuir com a segurança dos motoristas e pedestres, além da troca de todos os acessos de entrada da cidade, com a realização de novos que já foram projetados para diminuir os gargalos. Já a parte da rede de esgoto pluvial está em processo de revisão e será toda revitalizada, com a resolução de problemas que vêm sendo enfrentados há anos em alguns pontos. “Essa é uma obra estruturada para dar uma melhor qualidade de vida para os moradores do município, mas também está entre as quatro obras para resolver o congestionamento das pontes do Parque dos Anjos”, concluiu o secretário. A revitalização da Adolfo Inácio de Barcelos deve iniciar no mês de abril, e a duplicação das pontes e a rótula estão em fase de execução de projeto.

Educação ambiental é trabalhada no Programa Gravataí eu faço por ti

Município: Gravataí

Primeira-dama se reuniu com equipes diretivas para oferecer atividades do projeto no decorrer do ano letivo CRÉDITO: HIURI SOUZA/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Primeira-dama se reuniu com equipes diretivas para oferecer atividades do projeto no decorrer do ano letivo CRÉDITO: HIURI SOUZA/DIVULGAÇÃO/CIDADES

A conscientização sobre a natureza e o meio ambiente é um dos grandes desafios do mundo atual e a melhor estratégia para abordar esta temática é trabalhar a educação ambiental desde os primeiros anos de vida. Com esse objetivo a prefeitura, através do gabinete da primeira-dama (GPD), em parceria com a secretaria da Educação (Smed), realizou um encontro de formação na última quarta-feira, dia 7, com as equipes diretivas das 75 escolas municipais. A proposta, segundo a primeira-dama Patrícia Bazotti Alba, é incluir as atividades do Programa Gravataí eu faço por ti ao longo do ano letivo nas instituições de ensino da rede.
Segundo Patrícia, o programa foi concebido para difundir os princípios da sustentabilidade e da conscientização ambiental, possuindo uma grande abrangência, uma vez que traz como proposta o trabalho de forma integrada entre as secretarias municipais e escolas, através dos professores, funcionários e alunos, pesquisadores e profissionais da área, além da sociedade em geral.
“Entre as atividades propostas para serem executadas junto às comunidades escolares estão a elaboração da Agenda 21 Escolar, a implantação da coleta seletiva nas escolas que ainda não possuem, com o descarte correto dos resíduos, a criação de pontos de entrega voluntária de óleo vegetal pós-consumo e eletroeletrônicos, a implementação de composteiras, hortas escolares, o cultivo de plantas medicinais e a criação de bancos de sementes nativas e crioulas”, disse Patrícia.
Se acordo com a secretária da Smed, Sonia Oliveira, “a educação ambiental pode ser entendida como toda ação educativa que contribui para a formação de cidadãos conscientes da preservação do meio ambiente e aptos à tomarem decisões coletivas sobre questões ambientais necessárias para o desenvolvimento de uma sociedade sustentável”. Dessa forma, sua aplicação não se restringe ao universo escolar, mas também às comunidades.
“Incentivamos os alunos a adquirirem consciência ecológica a partir de pequenos gestos, como reaproveitar a água das chuvas para regar plantas e limpar o pátio; não deixar a torneira aberta enquanto escovam os dentes; jogar papel de bala e qualquer resíduo na lixeira correspondente; enfim, práticas que eles também levam para suas casas e compartilham com suas famílias. É um grande ciclo”, completou a primeira-dama Patrícia, que acompanha as turmas de alunos em visitas ao aterro sanitário e à Cooperativa dos Catadores, ensinando sobre a importância da separação correta do lixo.
Além dos passeios aos locais de reciclagem, a prefeitura realiza visitas técnicas ao rio Gravataí, em parceria com a Fundação Municipal do Meio Ambiente (FMMA). Lá, os estudantes têm a oportunidade de conhecer mais sobre as condições do rio que abastece a cidade e boa parte da região metropolitana que, infelizmente, sofre com a poluição ao longo de seu curso através do despejo de lixo e dejetos não tratados que prejudicam a todos.
O Programa Gravataí eu faço por ti também propõe mudanças de comportamento na execução das atividades diárias na administração pública. A economia de folhas e tinta com impressões e o reaproveitamento de papéis como rascunho; a redução de custos com energia, desligando computadores e luzes quando não forem utilizados e sempre ao fim do expediente; além de outras ações que impactam diretamente na preservação dos recursos naturais, são trabalhadas anualmente junto aos funcionários e colaboradores da prefeitura.
As ações também despertam a conscientização a partir do plantio de flores em locais de descarte irregular de lixo, para que a população não jogue resíduos em beira de asfaltos, canteiros ou terrenos. “Os ecopontos estão aí para isso. Todos os meses, são cerca de R$ 280 mil desperdiçados no recolhimento de entulhos e lixo despejados em locais inapropriados, ocasionando outros danos, como problemas à saúde em virtude das condições sanitárias impróprias que o lixo acumulado gera”, alertou Patrícia. “Não é preciso ações grandiosas para fazer a diferença junto à natureza e para a preservação do meio ambiente. Basta cada um fazer a sua parte no seu cantinho do planeta, que para nós é Gravataí, que já estaremos contribuindo muito para melhorarmos o meio em que vivemos”, finalizou a primeira-dama.

Workshop Inclusivo promove momento lúdico a alunos de Gravataí

Município: Gravataí

Atividade ocorreu no dia 29 de novembro e contou com desfile de carros estilizados CRÉDITO: PREFEITURA MUNICIPAL DE GRAVATAÍ/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Atividade ocorreu no dia 29 de novembro e contou com desfile de carros estilizados CRÉDITO: PREFEITURA MUNICIPAL DE GRAVATAÍ/DIVULGAÇÃO/CIDADES

O Boulevard do Gravataí Shopping Center virou pista de corrida na tarde de 29 de novembro. Com direito a desfile com os carros estilizados, narração, música e uma torcida que deu exemplo de empolgação, a Corrida Divertida – realizada durante o 6º Workshop Inclusivo, desenvolvido pelo Núcleo de Educação Especial da secretaria municipal da Educação (Smed), oportunizou aos alunos com deficiência do município um momento lúdico com o objetivo de trabalhar a inclusão, incentivar a autonomia e combater atitudes discriminatórias de modo a cultivar sociedades mais acolhedoras e respeitosas.
Além da inclusão, também houve muita emoção. Já era possível flagrar as primeiras lágrimas de familiares, professores e público em geral logo na apresentação das categorias que participaram da brincadeira, que incluíam carrinhos feitos de papelão movidos com os pés, bicicletas e cadeiras de rodas customizadas pilotadas pelos participantes fantasiados de super-heróis e personagens de seriados clássicos do universo infantil.
A corrida foi apenas uma das atividades que aconteceram durante o Workshop Inclusivo. Também houve oficinas interativas realizadas por professores do Atendimento Educacional Especializado (AEE), contação de história e uma mostra fotográfica com registros dos professores das salas de recursos (ambientes adaptados das escolas do município onde são atendidos alunos com deficiência) durante as atividades realizadas com seus alunos ao longo deste ano. A secretária da Educação Sonia Oliveira diz que é gratificante existir profissionais que se dedicam com tamanho engajamento com a educação inclusiva, elogiando o empenho e dedicação de toda a equipe responsável por concretizar o evento.
Iniciado há seis anos, o Workshop Inclusivo surgiu a partir da necessidade de aproximar comunidade, professores e alunos com deficiência, para integrar e promover trocas de experiências. A atividade é realizada em diferentes formatos a cada edição, ampliando cada vez mais a capacitação e desenvolvimento dos profissionais atuantes na área da Educação Especial. Já foram realizados ciclos de palestras, oficinas para professores e apresentação de relatos de profissionais e familiares, conscientizando cada vez mais pessoas sobre a importância direcionar esforços para a inclusão socioeducativa.
O Núcleo de Educação Especial é a equipe de assessoria do departamento Pedagógico da Smed que trabalha apenas com a educação de alunos com deficiência do município. São realizadas formações, palestras, oficinas e capacitações para professores especializados. As salas de recursos foram criadas pelo governo federal, através do Programa Implantação de Salas de Recursos Multifuncionais, com o objetivo de disponibilizar às escolas ambientes dotados de equipamentos, mobiliários e materiais didáticos e pedagógicos para a oferta do atendimento educacional especializado a fim de prover condições de acesso, participação e aprendizagem no ensino regular aos alunos com deficiência. O núcleo foi criado por meio da Portaria nº 13, de 24 de abril de 2007. Os municípios indicam escolas para receberem os recursos adquiridos pelo governo federal. Em Gravataí são 43 escolas e cerca de 800 alunos atendidos.