Mostra Flores terá feira de Agronegócios neste fim de semana em Flores da Cunha

Município: Flores da Cunha

Setor agrário terá destaque, com Seminário Agroindustrial e exposição de máquinas e produtos agrícolas CRÉDITO: ASSESSORIA DA MOSTRA FLORES/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Setor agrário terá destaque, com Seminário Agroindustrial e exposição de máquinas e produtos agrícolas CRÉDITO: ASSESSORIA DA MOSTRA FLORES/DIVULGAÇÃO/CIDADES

O setor agrário terá um destaque especial neste fim de semana da Mostra Flores, com atividades voltadas para o produtor rural, mas que contemplam também o público em geral. Será possível conhecer lançamentos e novidades do setor agrário e também comprar produtos diferenciados na Feira Agroindustrial, onde agroindústrias de cinco municípios estarão expondo geleias, sucos e doces, entre outras ofertas.
A programação se inicia neste sábado, quando ocorre o Seminário Agroindustrial, que dará ênfase ao tema Políticas Agrícolas e Sucessão Familiar, um assunto atual e que tem sido debatido nos principais meios de comunicação. O seminário ocorre na parte da manhã, na sede do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Flores da Cunha e Nova Pádua (STR) – avenida 25 de Julho, nº 1.732, Centro -, e contará com duas palestras. A primeira será com o presidente da Federação dos Trabalhadores na Agricultura no Rio Grande do Sul (Fetag-RS), Carlos Joel da Silva, que falará sobre Políticas públicas agrícolas.
O evento também contará com o jovem agricultor e pesquisador Vanderlei Lermen, que ganhou fama nas redes sociais ao mostrar sobre a sua vida no interior de Boa Vista do Buricá. Ele falará sobre as perspectivas da juventude rural e os fatores que influenciam a permanência ou não dos jovens na agricultura. A entrada para o seminário é gratuita e a expectativa é de que mais de 100 agricultores de diversos municípios participem da ação. Após o seminário, haverá visita ao Parque da Vindima e almoço.
As atividades agrícolas se estendem ainda com a exposição de máquinas, pulverizadores e insumos agrícolas. Empresas voltadas ao setor agrário, como Unyterra, Florença, Agrimar, Sotrima, TKA Guindastes, Tramontini, Agrocaxias, John Deere, MCA, entre outras, estarão apresentando novidades e lançamentos de maquinários e tratores para os agricultores. E, no domingo, para animar o dia, haverá show italiano com o Grupo Ricordi e demais apresentações artísticas.
A feira tem por objetivo fortalecer o setor agrário e contribuir para o aperfeiçoamento dos produtores rurais. “Essa é a sexta edição da Feira Agroindustrial, sendo um evento bastante importante para o setor agrícola porque oferece capacitação e valorização da agricultura familiar, bem como proporciona uma troca de experiência entre os agricultores, informações e exposições da tecnologia agrícola, além da comercialização de produtos das agroindústrias. Nossa expectativa é de um excelente evento, já que toda a cadeia produtiva estará envolvida neste cenário e com a participação de agricultores de diversos municípios”, destaca o presidente do STR, Olir Schiavenin.

Obras do Casarão dos Veronese entram na reta final em Flores da Cunha

Município: Flores da Cunha

Restauração se iniciou no primeiro semestre de 2015 e será entregue oficialmente no dia 15 de dezembro CRÉDITO: PREFEITURA MUNICIPAL DE FLORES DA CUNHA/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Restauração se iniciou no primeiro semestre de 2015 e será entregue oficialmente no dia 15 de dezembro CRÉDITO: PREFEITURA MUNICIPAL DE FLORES DA CUNHA/DIVULGAÇÃO/CIDADES

O prefeito Lídio Scortegagna visitou, na última quarta-feira, dia 29 de novembro, o trabalho de restauração do Casarão dos Veronese, no distrito de Otávio Rocha. O prédio, construído em 1898, está na fase final de obras, faltando apenas destalhes de ajardinamento, colocação de bloquetos no estacionamento, testes nos acessos com acessibilidade e a colocação da estrutura de móveis.
A obra, que se iniciou no primeiro semestre de 2015, será entregue oficialmente no dia 15 de dezembro, às 10h, na comunidade de Otávio Rocha. O principal símbolo arquitetônico da imigração italiana na cidade e um dos únicos do Rio Grande do Sul está sendo restaurado com recursos provenientes da Lei Estadual de Incentivo à Cultura (LIC), com patrocínio das empresas Florense e Keko, além da prefeitura, com investimento de aproximadamente R$ 3 milhões. O ato de inauguração deverá contar com a presença do governador do Estado, José Ivo Sartori, integrantes das famílias que residiram no local, patrocinadores, além de representantes da comunidade e entidades.
O projeto em execução é do arquiteto Edegar Bittencourt da Luz e propôs adequações ao projeto original, elaborado em 2008, que, pela defasagem do tempo e com o aumento da degradação, era tecnicamente inadequado. Foram buscadas soluções para o avançado processo de deterioração das alvenarias de pedra e barro, que estavam em péssimo estado e com perigo de desmoronamento, entre outros dados técnicos obtidos a partir da atualização dos levantamentos e diagnóstico das patologias da construção, bem como das normas edilícias e de prevenção que passaram a vigorar nos últimos anos, como aquelas vinculadas à acessibilidade e prevenção de incêndio, a nova proposta foi aprovada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico do Estado (Iphae).
A nova solução estrutural conta com coberturas metálicas e a utilização de vidros, evitando a sobrecarga de um telhamento em telha de barro. Também foi analisado que, como a edificação não continha mais o telhado, não deveria se fazer uma imitação das telhas de barro e sim construir uma nova cobertura contemporânea, atendendo as cartas patrimoniais no âmbito internacional.

Grupo SOU realiza apresentações no Espaço Cultural São José em Flores da Cunha

Município: Flores da Cunha

O amor me fez assim terá três sessões, hoje e nos dias 17 e 18 de novembro, sempre às 20h CRÉDITO: NATANE AREZE/DIVULGAÇÃO/CIDADES

O amor me fez assim terá três sessões, hoje e nos dias 17 e 18 de novembro, sempre às 20h CRÉDITO: NATANE AREZE/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Uma história feliz, mas à beira dos deslizes humanos, a louca paixão equilibrando-se em um circo de vaidades, incertezas, desesperanças. Desta forma é traçado o espetáculo O amor me fez assim que o SOU – Cantadores de Histórias estreia neste mês. Em três sessões, nos dias de hoje, sexta-feira (17) e sábado (18) de novembro, sempre às 20h, no Espaço Cultural São José (rua Barros Cassal, nº 777). A apresentação começará pontualmente e não será permitida a entrada após o início.
Pelas canções de compositores como Altemar Dutra, Dolores Duran, Odair José, Perla, Lupicínio Rodrigues, Bartô Galeno, Waldick Soriano e a Banda Calypso, entre outros, o grupo cantará os detalhes da história, em uma linha tênue entre amor e ódio, confiança e arrependimento: o teatro das relações; marionetes em um enredo de esperanças e frustrações. “Um repertório brasileiro, bem popular, narra o enredo do espetáculo enquanto um repertório internacional mostra o profundo sentimento dos protagonistas. A busca, o encontro e os desencontros. Alegria, mágoa, delírios e desprezo”, descreve o diretor do espetáculo Renato Filippini.
O Grupo SOU – Cantadores de Histórias, vinculado à Associação Cultural Camerata Florense, associação sem fins lucrativos que existe e funciona graças à contribuição espontânea dos sócios através do Mecenato Cultural e cachês de apresentações, surgiu em dezembro de 2013. A proposta do grupo é a realização de performances em locais e momentos inesperados, além de concertos e espetáculos. Desde sua criação, o SOU atua na dinamização de pesquisa, produção e divulgação da música vocal enriquecendo o cenário artístico da cidade e da região. Sua trajetória soma o incentivo à educação do público, a formação de plateia e a criação do senso crítico através da sensibilização da música como forma de entendimento social.
Os ingressos para o espetáculo estarão à venda por R$ 20,00, com os cantores, no Insieme Caffe (avenida 25 de Julho, nº 1.503). A classificação etária é a partir de oito anos. Mais informações podem ser obtidas com o diretor artístico Renato Filippini, pelo telefone (0xx54) 99977-8379.

Estudantes de Flores da Cunha apresentam alternativas para permanecerem na zona rural

Município: Flores da Cunha

Foram mostrados diagnósticos financeiros, patrimoniais e de gestão para pequenos empreendimentos CRÉDITO: PREFEITURA MUNICIPAL DE FLORES DA CUNHA/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Foram mostrados diagnósticos financeiros, patrimoniais e de gestão para pequenos empreendimentos CRÉDITO: PREFEITURA MUNICIPAL DE FLORES DA CUNHA/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Alunos de quatro escolas do município apresentaram, na noite da última segunda-feira, dia 6, no Espaço Cultura São José, os trabalhos de conclusão do Projeto Jovem na Zona Rural. Participaram das atividades os alunos de 9º ano das escolas municipais Benjamin Constant, Rio Branco e Francisco Zilli, além de estudantes da Escola Estadual Antônio de Souza Neto. Ao longo do ano, foram realizados estudos sobre a produção agrícola, gestão de propriedades rurais, visitas técnicas e palestras, que serviram de subsídio para a elaboração do projeto de inovação que cada escola desenvolveu em propriedades rurais, durante os últimos seis meses, e com a coordenação dos professores de matemática.
Os alunos apresentaram diagnósticos financeiros, patrimoniais e de gestão para pequenos empreendimentos que já estão em andamento no interior de Flores da Cunha. Foram destacadas as produções de morangos, flores, compotas de cenoura e cebola, e a fabricação da farinha de casca de uva. Acompanharam as apresentações o prefeito Lídio Scortegagna; as secretárias de Educação, Ana Paula Zamboni Weber, e da Agricultura, Stella Pradella; o presidente da câmara de vereadores, Moacir Ascari; os vereadores Ademir Barp e Claudete Gaio Conte; o presidente da Cooperativa Nova Aliança, Alceu Dalle Molle; representantes da Escola Família Agrícola da Serra Gaúcha, da Universidade de Caxias do Sul (UCS) e da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater); além dos professores e pais.
O projeto, que chegou na quinta edição, tem o objetivo de preparar os jovens residentes na zona rural para a escolha profissional, apresentando aspectos da agricultura em geral, as profissões ligadas ao ramo e as vantagens de permanecer no interior. São oferecidos estudos sobre a produção agrícola, gestão de propriedades rurais, visitas técnicas e palestras, para a elaboração de um projeto de inovação nas propriedades rurais. A referência deste ano nas palestras e visitas técnicas foi a Escola Família Agrícola da Serra Gaúcha. A instituição de ensino, que funciona na Terceira Légua, em Caxias do Sul, oferece curso técnico em Agropecuária concomitante ao Ensino Médio.

Inauguração do Casarão dos Veronese já tem data definida em Flores da Cunha

Município: Flores da Cunha

Local é o principal símbolo arquitetônico da imigração italiana na cidade CRÉDITO: PREFEITURA MUNICIPAL DE FLORES DA CUNHA/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Local é o principal símbolo arquitetônico da imigração italiana na cidade CRÉDITO: PREFEITURA MUNICIPAL DE FLORES DA CUNHA/DIVULGAÇÃO/CIDADES

A obra do Casarão dos Veronese, que se iniciou em 2015, tem data para a entrega oficial: será no dia 15 de dezembro, às 10h, na comunidade de Otávio Rocha. A casa, construída em 1898, está com a última etapa de restauração e construção em andamento, com a colocação de vidros, finalização da instalação de iluminação, dos acabamentos em madeiras e das esquadrias restauradas, além do ajardinamento, da construção da rampa de acesso e do estacionamento.
O principal símbolo arquitetônico da imigração italiana na cidade e um dos únicos do Rio Grande do Sul está sendo restaurado com recursos provenientes da Lei Estadual de Incentivo à Cultura (LIC), com patrocínio das empresas Florense e Keko, além da prefeitura, com investimento de aproximadamente R$ 3 milhões. O prefeito Lídio Scortegagna e o diretor de Cultura, Michael Molon, vistaram a obra na última quinta-feira, dia 5. O ato de inauguração deverá contar com a presença do governador do Estado, José Ivo Sartori; de integrantes das famílias que residiram no local; de patrocinadores; além de representantes da comunidade e entidades.
O projeto em execução, do arquiteto Edegar Bittencourt da Luz, propôs adequações ao projeto original, elaborado em 2008, que, pela defasagem do tempo e com o aumento da degradação, era tecnicamente inadequado. Foram buscadas soluções para o avançado processo de deterioração das alvenarias de pedra e barro, que estavam em péssimo estado e com perigo de desmoronamento, entre outros dados técnicos obtidos a partir da atualização dos levantamentos e diagnóstico das patologias da construção, bem como das normas edilícias e de prevenção que passaram a vigorar nos últimos anos, como aquelas vinculadas à acessibilidade e prevenção de incêndio. A nova proposta foi aprovada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico do Estado (Iphae).
A nova solução estrutural conta com coberturas metálicas e também a utilização de vidros, evitando a sobrecarga de um telhamento em telha de barro. Também foi analisado que, como a edificação não continha mais o telhado, não deveria se fazer uma imitação das telhas de barro, e sim construir uma nova cobertura contemporânea, atendendo às cartas patrimoniais no âmbito internacional.