Estância Velha faz parceria com Senai para monitoramento de arroio

Município: Estância Velha

Para este ano, foram selecionados 12 pontos para serem monitorado CRÉDITO: PREFEITURA MUNICIPAL DE ESTÂNCIA VELHA/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Para este ano, foram selecionados 12 pontos para serem monitorado CRÉDITO: PREFEITURA MUNICIPAL DE ESTÂNCIA VELHA/DIVULGAÇÃO/CIDADES

No último dia 23 de agosto, foi dado o início no município ao Programa de Monitoramento Físico/Químico/Biológico do Arroio Estância Velha – versão 2017. Essa proposta foi iniciada em 1999, com 34 pontos de monitoramento já pré-estabelecidos, considerando a localização de empresas potencialmente poluidoras, bem como o lançamento de esgoto doméstico e outros fatores pertinentes ao estudo. Esse projeto foi aprimorado ao longo dos anos e, em 2017, teve sua continuidade, conforme o secretário municipal de Meio Ambiente e Preservação Ecológica, Edenilson Klaus.
Para 2017, considerando as demandas atuais da situação industrial e populacional, foram selecionados 12 pontos – georreferenciados, pois, assim, assegura-se a sua verdadeira locação, facilitando a localização -, para a realização do monitoramento não só físico e químico, como também biológico, que será feito em uma parceria entre a prefeitura, por meio da secretaria municipal de Meio Ambiente e Preservação Ecológica (Semape) e o  Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai).
Conforme Klaus, as coletas de água e sedimento, resultantes desta parceria serão bimestrais, e as análises, com parâmetros mais expressivos, permitirão uma radiografia fidedigna, completa e detalhada do arroio Estância Velha. “Os resultados das análises da coleta do dia 23 demonstram que houve melhora nos níveis de poluição, mas que há locais que demandam atenção da Semape e fiscalização, em um processo contínuo, para que possamos atingir níveis satisfatórios de qualidade, além do tratamento do esgoto cloacal, em fase de implantação pela Companhia Riograndense de Saneamento (Corsan) em alguns locais”, afirmou.
O Programa de Monitoramento Físico/Químico/Biológico do Arroio Estância Velha tem uma grande importância, segundo Klaus, pois serviu e serve de referência para a Semape em relação aos dados existentes e os resultados obtidos ao longo do projeto para uma gestão ambiental eficiente. “Além disso, serve de material didático para vários cursos de nível médio, graduação e especialização em universidades e escolas técnicas da região”, explicou, lembrando que, pela sua significância, o projeto fundamentou a inscrição do município no Prêmio Gestor Público da Sindicato dos Servidores Públicos da Administração Tributária do Estado do Rio Grande do Sul (Sindifisco-RS) e na Agência Nacional de Águas (ANA), onde concorre a premiação com iniciativas públicas que visam o bem-estar do cidadão e a preservação do meio ambiente.
Paralelamente, segundo o secretário, é feito desde julho um monitoramento semanal pela Semape, sempre em três pontos aleatórios, buscando oxigênio dissolvido, pH (acidez), condutividade (presença de resíduo industrial), características organolépticas (cor, odor e aspecto), presença de lixo, erosão, assoreamento, vegetação e animais. Até o este mês, a coleta será feita uma vez por semana. De outubro a abril, serão três coletas semanais em três pontos aleatórios. Os 12 pontos de coleta ao longo do arroio estão na nascente, no bairro Floresta, na Escola Curtimento Senai, no Centro (avenida 7 de Setembro), no bairro das Rosas (dois pontos), na foz balneário, no bairro Quintas, no bairro Campo Grande (dois pontos), na União dos Trabalhadores em Resíduos Especiais e Saneamento (Utresa) e no arroio Cascalho (foz).
Primeiro Circuito Bike Pelos Caminhos da Estância recebe inscrições
O feriado de 7 de setembro será marcado pelas bikes na cidade. O dia está reservado para, além do desfile cívico, o 1º Circuito Bike Pelos Caminhos da Estância, evento voltado aos praticantes de ciclismo profissional e amadores. Conforme André Fleck, responsável pelo Turismo na cidade, a ideia é fomentar os roteiros das estradas estancienses, desta vez pedalando, e a modalidade, que tem crescido muito nos últimos anos. “Percebemos isso o tempo todo nas nossas estradas”, ressalta Fleck, que complementa: “receberemos participantes da cidade, da região e do Estado, que irão percorrer cerca de 24 quilômetros no roteiro rural do município, criado neste ano e denominado Pelos caminhos da Estância”.
A concentração será na praça 1º de Maio, no Centro, a partir das 8h30min, e a saída está programada para às 9h. “No percurso, os participantes poderão sentir a transição entre o urbano e o rural, as belezas das paisagens do Interior, do Morro Agudo, dos empreendimentos rurais e da natureza de nossa terra”, relatou. A prefeita Ivete Grade está empolgada com a atividade. “Ao mesmo tempo em que fomentamos a prática do esporte, valorizamos e divulgamos nosso novo roteiro. Tenho certeza que será um sucesso”, antecipou a prefeita.
O fim do circuito também será no Centro, onde os ciclistas, após a conclusão do roteiro, fecharão o Desfile Cívico. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas tanto pelo e-mail turismo.pmev@gmail.com, pelo telefone (0xx51) 3561-5076 ou presencialmente, no Receptivo Turístico, localizado na praça 1º de Maio, de segunda a quinta-feira, das 13h às 19h, e nas sextas-feiras, das 7h às 13h. Haverá distribuição de água e frutas, pontos de apoio e sorteio de brindes.

 

Projeto fortalece o combate ao mosquito Aedes aegypti em Estância Velha

Município: Estância Velha

Iniciativa é uma parceria do Poder Público com os Clubes de Serviço Lions e Rotary CRÉDITOS: PREFEITURA MUNICIPAL DE ESTÂNCIA VELHA/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Iniciativa é uma parceria do Poder Público com os Clubes de Serviço Lions e Rotary CRÉDITOS: PREFEITURA MUNICIPAL DE ESTÂNCIA VELHA/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Enquanto as equipes do Comitê Municipal Interinstitucional de Combate ao Aedes aegypti finalizavam sua preparação para o Mutirão de Limpeza que ocorreu no último sábado, dia 5 de agosto, nos bairros Rincão dos Ilhéus e Sol Nascente, do outro lado da cidade, no Centro Municipal de Educação Ambiental Estação Ecologia (CMEA-EE), florescia a primeira flor do Projeto Crotalária, uma nova esperança no combate mais intenso ao mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya.
O Projeto Crotalária é uma parceria do Poder Público com os Clubes de Serviço Lions e Rotary, na utilização de uma ferramenta natural de combate ao Aedes aegypti. Na parceria, o Lions se encarregou da compra das sementes e o Rotary dos saquinhos para o plantio e distribuição das mudas, processo que está sendo feito na Estação Ecologia sob a coordenação da bióloga Gilceane Nunes. O plantio das sementes teve início no mês de maio e foi feito com a ajuda de rotarianos, leoninos, equipe da Estação Ecologia e voluntários. Na última semana, foi registrada a primeira flor da planta, fato que foi comemorado por todos.
Enquanto o Projeto Crotalária se desenvolve, vai ganhando simpatizantes e ultrapassando fronteiras. No começo da última semana, durante a visita técnica da Abrinq ao município, o projeto conquistou o visitante, economista César Vale, que informou que vai inscrever esta ação no Projeto Boas Práticas, da fundação.
Antes disso, entre 26 de agosto e 3 de setembro, as plantinhas saem de Estância Velha em direção à 40ª Expointer, a maior feira a céu aberto da América Latina, que será realizada em Esteio. Na oportunidade, a Estação Ecologia, junto com os centros ambientais da região, leva para exposição a sua produção, divulgando o município e o projeto, no espaço da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater). Ainda, será mostrado um relógio de plantas medicinais.

 

Projeto Renova segue com ações no Bairro das Rosas, em Estância Velha

Município: Estância Velha

Recuperação dos brinquedos da pracinha, capinas e pinturas de meio-fio são algumas das melhorias feitas no local CRÉDITO: PREFEITURA MUNICIPAL DE ESTÂNCIA VELHA/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Recuperação dos brinquedos da pracinha, capinas e pinturas de meio-fio são algumas das melhorias feitas no local CRÉDITO: PREFEITURA MUNICIPAL DE ESTÂNCIA VELHA/DIVULGAÇÃO/CIDADES

O Projeto Renova segue no Bairro das Rosas com as ações de manutenção locais, em sistema de mutirão, com acompanhamento de todas as secretarias da administração municipal. Na última quinta-feira, dia 2 de fevereiro, a prefeita Ivete Grade voltou ao bairro para acompanhar de perto os trabalhos e falar com moradores. Além dela, estiveram no local também o vice-prefeito Luciano Kroeff, secretários municipais e alguns vereadores, que acompanharam o mutirão.
Entre as ações pontuais realizadas na ocasião, seguiu a recuperação dos brinquedos da pracinha do bairro. Além disso, estão sendo feitas capinas, pinturas de meio-fio, solução de problemas como buracos e erosões e, principalmente, um levantamento das queixas dos moradores. Em todos os locais por onde as equipes passam, é montada uma estrutura para receber os moradores. As demandas que chegarem por este canal são encaminhadas a cada secretaria pertinente para a solução dos problemas.
A ideia inicial era de que em 10 dias o bairro estivesse 100% atendido, entretanto, as necessidades são muitas e a previsão é de estender ainda mais o atendimento a este que é o primeiro bairro a receber as ações do Projeto Renova. Os próximos bairros contemplados pelo projeto serão escolhidos por sorteio, até que todos recebam as melhorias.
Moradores estão satisfeitos com o projeto
Se antes o clima era de expectativa, já que era a primeira semana do Renova, na última semana a comunidade já começou a agradecer pelo atendimento. Moradora antiga do bairro, Herta Figur se emocionou ao falar da satisfação de ver sua rua limpa. “Nosso bairro era sempre esquecido. A gente agora se emociona quando vê as coisas acontecerem”, disse dona Herta.
Já sua vizinha Magali Elisa Staudt disse que agora vai poder voltar a levar as filhas na pracinha do bairro. Segundo ela, era em Ivoti que levava as meninas, de carro, para brincarem na pracinha, onde ela ia tomar chimarrão nos fins de tarde. “Eu ainda não fui até a praça. Vi que já tinham fechado o buraco que havia lá e agora sei que os brinquedos já receberam melhorias. Em muitas ocasiões, meu marido foi até à praça e cortou voluntariamente a grama para nossas filhas brincarem. Mas os brinquedos foram se deteriorando, o buraco começou a ficar perigoso, não tivemos reconhecimento pelo nosso cuidado, aí nos desmotivamos”, conta.
A prefeita destacou o retorno positivo do projeto por parte da comunidade e reforçou que a ideia não era se estender muito em cada bairro, mas as necessidades são muitas. “Esta é minha segunda visita aqui e vejo que ainda temos muito a fazer. Agora vamos pedir à comunidade que auxilie na manutenção, especialmente na pracinha, e vamos seguir com este trabalho intenso até que cheguemos a todos os cantos de Estância Velha”, disse a prefeita.

 

Comunidade de Estância Velha participa do Dia Contra as Hepatites Virais

Município: Estância Velha

População pôde realizar testes rápidos para diagnosticar possíveis doenças CRÉDITO: JOÃO VICTOR TORRES/DIVULGAÇÃO/CIDADES

População pôde realizar testes rápidos para diagnosticar possíveis doenças CRÉDITO: JOÃO VICTOR TORRES/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Na última quinta-feira, dia 28 de julho, foi celebrado o Dia Mundial contra as Hepatites Virais e, para marcar a data, o município preparou diversas ações, tanto na área central como nos bairros, para chamar atenção da população sobre a doença. As atividades foram organizadas pela prefeitura, por meio da secretaria municipal de Saúde (Semsa) e a Vigilância Epidemiológica. Na ocasião, a comunidade pôde realizar testes rápidos para diagnosticar possíveis casos de hepatites B e C. Testes de HIV e sífilis também estiveram à disposição dos estancienses na Praça 1º de Maio ou nas oito Unidades Básicas de Saúde (UBSs) mantidas pelo município.
Segundo o enfermeiro da Vigilância em Saúde (Visa), Rafael Vieira, a receptividade foi amplamente positiva durante todo o dia. “Tivemos uma alta procura pelos testes rápidos e a expectativa é de que tenhamos realizado mais de 100 exames; ressaltamos que tudo transcorreu de forma tranquila, bem como os resultados foram emitidos em, no máximo, 30 minutos para a população”, comentou Vieira.
Dilamar Menezes, de 44 anos, nunca tinha feito o teste e ficou satisfeito por ter esta oportunidade de realizar o controle. “Foi a primeira vez que realizo este tipo de exame, por isso avalio como algo muito bom. Estava passeando pela praça com a minha família e aproveitei para fazer o teste”, contou Menezes. No período da manhã, o prefeito Waldir Dilkin também acompanhou os trabalhos e aproveitou para conversar com a população e aferir seus cuidados com a saúde. “Acredito que devemos participar e também darmos o exemplo para a comunidade, fiz os testes e está tudo 100%”, destacou Dilkin.
A mobilização se iniciou logo cedo, por volta das 8h e se estendeu até as 17h. Além dessa ação, os testes rápidos também estão disponíveis nas UBSs todos os dias da semana e a população interessada pode se dirigir às unidades para efetuar os exames.
Segundo o Ministério da Saúde, as hepatites são consideradas um grave problema de saúde pública no Brasil e no mundo, pois se trata da inflamação do fígado. Pode ser causada por vírus, uso de alguns remédios, álcool e outras drogas, além de doenças autoimunes, metabólicas e genéticas. São doenças silenciosas, que nem sempre apresentam sintomas, mas quando aparecem podem ser cansaço, febre, mal-estar, tontura, enjoo, vômitos, dor abdominal, pele e olhos amarelados, urina escura e fezes claras.
No Brasil, as hepatites virais mais comuns são as causadas pelos vírus A, B e C. Existem, ainda, os vírus D e E, esse último mais frequente na África e na Ásia. Milhões de pessoas no Brasil são portadoras do vírus B ou C e não sabem. Elas correm o risco de as doenças evoluírem (tornarem-se crônicas) e causarem danos mais graves ao fígado como cirrose e câncer. Por isso, é importante ir ao médico regularmente e fazer os exames de rotina que detectam a hepatite.
Prefeitura e Guarda Municipal criam comissão para definir diretrizes da corporação
Os membros da prefeitura e o comando da Guarda Municipal (GM) estiveram reunidos no centro administrativo Gabriel Steiner no dia 29 de julho para criar uma comissão que atuará na formação de uma nova legislação que definirá, de modo definitivo, as diretrizes da corporação, bem como horário de trabalho e a atuação dos agentes. O prefeito Waldir Dilkin nomeará os membros do Controle Interno, representantes da GM e a secretaria de Administração e Segurança Pública (Semasp) para formarem o grupo de atuação.
A comitiva trabalhará em conjunto, ouvindo as reivindicações da classe e buscando uma adequação completa à Lei nº 13.022, de 8 de agosto de 2014, que transformou as guardas municipais em instituições de caráter civil, uniformizadas e armadas, para atuar na função de proteção preventiva da população. A administração tem atuado de modo permanente nesta situação e, um passo inicial foi tomado ainda no mês de abril, com a reclassificação dos agentes patrimoniais e de trânsito e segurança.
Segundo o prefeito, a função desta comissão será tratar o assunto da forma legal cabível. “Ficamos satisfeitos por este contato e proposta partir da própria Guarda Municipal e considerei o ideal, pois, com diálogo, construiremos portas para pavimentarmos o crescimento e fortalecimento da Guarda Municipal”, afirmou Dilkin. O secretário de Administração e Segurança Pública, Ivan Santos Silva, ressaltou que a prefeitura sempre foi parceira da corporação e o comando e a administração trabalham em sintonia.
O comandante da Guarda Municipal, Sílvio Marques, reforçou o bom entendimento da corporação com os gestores públicos. “Inclusive, graças a este diálogo que estamos construindo, a Guarda Municipal foi incluída na Lei Orgânica do Município e, por conta disso, não pode mais ser destituída, fato que gera mais confiança para os próprios agentes”, ponderou Marques. Atualmente, o município cedeu um novo espaço à GM, localizado junto ao Centro de Eventos Novisol, onde está instalada a sede da Guarda, na avenida Presidente Vargas, nº 2.466.

 

Feiras científicas mostram criatividade de estudantes de Estância Velha

Município: Estância Velha

Atividades ocorreram nos ambientes escolares e foram abertas à comunidade CRÉDITO: JOÃO VICTOR TORRES/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Atividades ocorreram nos ambientes escolares e foram abertas à comunidade CRÉDITO: JOÃO VICTOR TORRES/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Um trabalho coletivo construído no dia a dia, incentivando a busca do conhecimento e a descoberta dos estudantes. Com este espírito, as Escolas Municipais de Ensino Fundamental (Emefs) Marechal Cândido Rondon e Walter Jacob Bauermann dedicaram a última quarta-feira, dia 20 de julho, às mostras científicas, envolvendo os alunos dos anos iniciais e finais. As atividades ocorreram nos ambientes escolares, foram abertas à comunidade e envolveram a presença das famílias e avaliadores, que teceram observações e notas para as pesquisas nas duas unidades de ensino.
Na Emef Marechal Cândido Rondon, situada no bairro Rincão Gaúcho, 27 trabalhos foram expostos no ginásio da escola na primeira edição da Mostra de Ciências e Tecnologia (Mostracitec), envolvendo as mais diversas áreas de atuação que foram desde a biologia à educação. Pedro Lucas Santos Batista, aluno do 8º ano, pesquisou sobre os métodos de ensino em sete países diferentes, passando por todos os continentes. “O que busquei foi conhecer os métodos educacionais ao redor do mundo. A escolha desse tema aconteceu porque a educação é algo que me desperta muito interesse”, comentou.
Dentre as descobertas, Pedro Lucas revela que encontrou um elo comum na educação aplicada em Singapura, Finlândia, China, Nova Zelândia, Índia, Japão e no Canadá. “A proposta era trazer para a nossa realidade novas ideias e conhecimentos, mas percebi que as lições de ética e cidadania também estão presentes no ensino oferecido por estes países, assim como no Brasil”, concluiu o estudante. A Mostracitec teve continuidade no dia 21 de julho, com a apresentação das seis pesquisas idealizados pelos alunos dos anos iniciais.
Enquanto isso, na Emef Walter Jacob Bauermann, localizada no bairro União, 24 trabalhos foram expostos pelos alunos durante os períodos da manhã e tarde. Nas séries iniciais, uma pesquisa coletiva envolvendo todos os estudantes foi organizada. Nos anos finais, os melhores trabalhos de cada turma foram selecionados para participar da II Mostra Científica da escola.
Entre os pequenos, um dos destaques foi para a apresentação Lixeira nas paradas de ônibus. A aluna do 3º ano, Stefani da Costa dos Santos, comentou que o assunto surgiu durante as aulas e foi escolhido após uma cena ter chamado a atenção da turma. “Nos inspiramos em um cidadão que colocou uma lata de tinta como lixeira em uma parada; assim, a gente conseguiu aprender que devemos ajudar o meio ambiente”, disse. “O excesso de lixo também traz enchente”, completou Laura Michels de Oliveira, colega de Stefani.
Em ambas as escolas, os professores atuaram também como orientadores no desenvolvimento dos trabalhos científicos. Segundo a secretária de Educação e Cultura (Semec), Terezinha Roque, isso representa um importante incentivo para os jovens. “Quanto mais cedo colocamos os alunos em contato com a pesquisa, ainda mais em uma sociedade conectada e digital, estamos dando as ferramentas para as crianças e adolescentes buscarem na tecnologia um apoio para o próprio crescimento”, afirmou a titular da Semec.
Este foi o caso dos estudantes Carla Tauane de Oliveira e Vinícios Terra de Freitas, do 8º ano da Emef Walter Jacob Bauermann: após assistirem a um vídeo na internet, desenvolveram um motor de Stirling, máquina térmica de ciclo fechado e que obtém energia a partir de uma fonte externa de calor que pode ser qualquer combustível (hidrocarbonetos, biomassa, álcool), com materiais reciclados. Sob a orientação da professora Elisa Mentz, os estudantes sonham em participar da Mostratec 2016. “Neste ano, alguns trabalhos desenvolvidos pelas escolas do município participarão da feira”, adiantou Terezinha. O prefeito Waldir Dilkin também acompanhou e visitou as mostras científicas nas duas escolas municipais.
Os estudantes da Educação de Jovens e Adultos (EJA) da Escola Municipal de Ensino Fundamental Otávio Rocha também organizaram uma Feira de Ciências para apresentar à comunidade os trabalhos realizados durante o primeiro semestre nas mais diversas áreas, passando por assuntos artísticos, como o circo; saúde; educação; e direitos humanos. A mostra ocorreu no dia 13 de julho, nas dependências da instituição, no bairro Floresta. Atualmente, 130 estudantes estão matriculados na EJA e estão distribuídos em seis turmas na Escola Otávio Rocha. Para este segundo semestre de 2016, iniciado no último dia 18 de julho, mais uma turma foi aberta para os interessados em participar das aulas da Educação de Jovens e Adultos. A idade mínima para a matricula é de 15 anos.