Condições climáticas aumentam a qualidade da safra na citricultura gaúcha

Município: Estado

Umidade do solo e do ar e a ocorrência de temperaturas baixas, com as primeiras geadas, intensificam a coloração típica das frutas cítricas, com casca mais lisa e brilhante, propiciando um aspecto mais atraente CRÉDITO: ORLANDO PASSOS/DIVULGAÇÃO/JC

As condições climáticas estão bastante favoráveis para a manutenção da sanidade dos citros e para o refinamento da qualidade das frutas. Apesar de dificultar as práticas nos pomares, a elevada umidade do solo e do ar e a ocorrência de temperaturas baixas, com as primeiras geadas, intensificam a coloração típica das frutas cítricas, com casca mais lisa e brilhante, propiciando um aspecto mais atraente. De acordo com o informativo conjuntural recente elaborado pela Emater, o frio também interfere na propagação de fitopatias, como a pinta preta, uma das grandes preocupações dos citricultores nos períodos mais quentes, e torna menos intensos os prejuízos causados pela mosca das frutas. No geral, é alta a carga de frutas nas plantas na atual safra de citros, que apresentam arqueamento e até mesmo quebra de ramos onde o raleio foi feito com menor severidade.

Em locais de mesoclima mais quente, como nos vales de grandes rios, já começou a maturação e o início da colheita da bergamota da cultivar montenegrina. Assim, ocorre o incremento na oferta de citros no mercado, com constante e tênue queda na valoração. Na Região da Campanha, intensifica-se a colheita nos pomares de bergamotas e laranjas, principalmente das cultivares precoces, com produtividade acima do esperado. No Vale do Rio dos Sinos, há uma queda significativa da produção, causada pela incidência de moscas das frutas, bicho furão e pinta preta, devido à falta de controle. No Planalto Médio, as bergamotas da cultivar satsuma já foram colhidas, e as cultivares ponkan e caí estão em colheita. Os frutos para a safra 2015 estão desenvolvendo-se com um tamanho um pouco menor do que o normal.

Plantio do trigo atinge 3% da área prevista para o Rio Grande do Sul

Município: Estado

Conforme dados da Emater, a região de Ijuí é a que mais avançou no plantio do trigo, atingindo 8% de um total projetado de 331 mil hectares para esta safra CRÉDITO: KÁTIA MARCON/DIVULGAÇÃO/CIDADES

A Emater passa a monitorar, a partir da próxima semana, quinzenalmente, as condições das lavouras de trigo e sua evolução, acompanhando as condições meteorológicas durante o ciclo da cultura. O excesso de umidade no solo registrado com as chuvas dos últimos dias, não foram favoráveis para o plantio das lavouras localizadas na parte Norte do Estado, impedindo o avanço da área semeada, que alcança apenas 3% no Estado. Na safra passada, nesta mesma época, o percentual chegava a 5%. De acordo com o informativo conjuntural da Emater,

Secretaria estadual de Cultura e AES Sul lançam Prêmio Empreendedor Cultural

Município: Estado

Com a finalidade de fomentar iniciativas inovadoras e sustentáveis, democratizando o acesso ao financiamento de projetos culturais e contribuindo com o desenvolvimento de comunidades, o Prêmio Empreendedor Cultural deve movimentar a Economia Criativa em 120 municípios do Rio Grande do Sul. O prêmio tem o patrocínio da AES Sul, por meio do financiamento do Pró-Cultura – secretaria estadual da Cultura. Uma parceria inédita entre os setores privado e público. A realização é da Cida Cultural, com o apoio de uma rede de prefeituras municipais, entidades e lideranças comunitárias.

Nesta primeira edição serão destinados R$ 400 mil a projetos culturais nos segmentos de música, literatura, artes cênicas (teatro, dança e circo), e artes visuais, que, utilizando tecnologias sociais, contribuam para estimular a atividade cultural local, promovendo o desenvolvimento humano, econômico e social, fomentar empreendimentos inovadores, orientados a gerar benefícios para a comunidade de forma estruturante, democrática e sustentável, estimular a cooperação entre empreendedores culturais, lideranças comunitárias, poderes públicos municipais e a iniciativa privada, ativar redes de conhecimento e colaboração entre agentes culturais e sociais do estado, além de semear cultura de paz e respeito ao meio ambiente e à diversidade cultural.

Conforme destaca o diretor-geral da AES SUL, Antonio Carlos de Oliveira, “o princípio do prêmio é o de que um empreendimento cultural pode contribuir significativamente para o desenvolvimento sustentável de uma região – tanto permitindo que comunidades possam produzir e apreciar arte e exercer suas manifestações culturais como inovando em jeitos de empreender (transversalidades) que ativem desenvolvimento humano, aprendizado comunitário, emancipação econômica, colaboração, intercâmbio de conhecimento, cultura de Paz e consciência socioambiental.”

As inscrições estarão abertas até o dia 3 de setembro de 2012 através do portal www.empreendedorcultural.com.br. Na plataforma online serão disponibilizados o regulamento, cronograma, formulário de inscrição e as atualizações do processo. Poderão se inscrever todos os produtores culturais com cadastro habilitado no Sistema Pró-Cultura RS, pessoas jurídicas da sociedade civil organizada, de 120 municípios do Rio Grande do Sul. Os projetos serão analisados e selecionados por especialistas de notório saber, a partir dos seguintes critérios: relevância cultural e artística e adequação às finalidades do Prêmio (listadas acima). Serão priorizadas as propostas que gerarem benefícios e oportunidades a comunidades. Os projetos contemplados serão divulgados em dezembro e receberão recursos entre R$ 15 mil e R$ 40 mil.