Educação promove capacitação das equipes diretivas de Caxias do Sul

Município: Caxias do Sul

Encontros terão como foco a gestão para estratégias mais eficientes na rede municipal CRÉDITO: LAURA VELHO/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Encontros terão como foco a gestão para estratégias mais eficientes na rede municipal CRÉDITO: LAURA VELHO/DIVULGAÇÃO/CIDADES

A secretaria municipal da Educação (Smed) lançou, na manhã de 12 de julho, o 1º Ciclo de Reuniões Técnicas para Gestores da rede municipal de ensino. O primeiro encontro da reuniu cerca de 200 servidores no auditório do Sindicato dos Servidores Municipais de Caxias do Sul (Sindserv). O palestrante Gustavo Gastardelli, que atua em gestão educacional há mais de 15 anos, discutiu práticas, metodologias e estratégias que envolvem a administração de uma escola.
Outros pontos abordados foram a transparência na divulgação das ações e avaliação interna e externa do trabalho, elementos que fazem parte da gestão democrática. “É preciso investir em conhecimento para que a escola tenha um ganho significativo de competência e qualidade. Os líderes gestores em escolas precisam ser mentores com objetivos de profissionalizar, otimizar e qualificar o ensino, resultando na aprendizagem efetiva e nos aspectos administrativos”, completa.
O 1º Ciclo de Reuniões Técnicas foi pensado para o desenvolvimento contínuo dos profissionais da educação, na busca pelas melhores estratégias que tornem as ações mais eficientes. Outros três encontros estão programados até o mês de outubro. “Implementar mudanças e reformas se faz necessária em vários segmentos. Todo espaço que promove reflexão sobre a Educação, é bem-vindo. Repensar a prática, promover novas possibilidades de relações na aprendizagem, certamente contribuem positivamente para a sociedade”, explica a diretora pedagógica da Smed, Daniela Fraga.
O próximo encontro acontece no dia 30 de agosto, das 13h30min às 16h. O tema trabalhado será Os aspectos legais que compõem o fazer pedagógico, administrativo e relacional explicitados no Regimento Escolar, no Plano Municipal de Educação e na Proposta Pedagógica, construídos no coletivo da comunidade escolar. Nessa ocasião, a convidada será a presidente do Conselho Municipal da Educação, Márcia Adriana de Carvalho.
No dia 28 de setembro, no mesmo horário, o tema será Os aspectos relacionais que dizem respeito à participação real e responsável dos vários atores que compõem a comunidade escolar: alunos, professores, gestores, servidores da escola, pais, lideranças comunitárias e instituições parceiras, enfatizando as dimensões da prática coletiva e da ação compartilhada. A professora e psicóloga, doutora em Educação, Verônica Bohm será a convidada.
O terceiro encontro acontece no dia 25 de outubro, das 8h30min às 11h, com o tema Os aspectos pedagógicos focam o aluno como elemento central da gestão educativa, perpassando, em mais intensidade, os espaços curriculares que tratam da proposta pedagógica, do desenvolvimento do currículo e da avaliação do processo ensino-aprendizagem. A convidada dessa ocasião será a diretora das Escolas Interativa de Flores da Cunha e Antônio Prado, Eroni Mazzochi Koppe.

 

Ampliação da escola municipal Sete de Setembro é inaugurada em Caxias do Sul

Município: Caxias do Sul

Nova estrutura vai criar 324 novas vagas para Educação Infantil e Ensino Fundamental CRÉDITO: PETTER CAMPAGNA KUNRATH/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Nova estrutura vai criar 324 novas vagas para Educação Infantil e Ensino Fundamental CRÉDITO: PETTER CAMPAGNA KUNRATH/DIVULGAÇÃO/CIDADES

A secretaria municipal da Educação (Smed) entregou à comunidade de São Luiz da 6ª Légua as obras de ampliação da Escola Municipal de Ensino Fundamental (Emef) Sete de Setembro. A cerimônia ocorreu na manhã da última sexta-feira, dia 7 de julho, e contou com a presença do prefeito Daniel Guerra, de secretários municipais, de vereadores e da comunidade escolar. Com o novo prédio, a escola ganhará mais cinco salas de aula, um banheiro, cobertura de ligação com o prédio já existente, reformulação do acesso principal e novo cercamento, em um total de 432 metros quadrados de área construída. O investimento foi de R$ 738.939,32 com recursos próprios do município. O projeto foi desenvolvido pelo setor de Infraestrutura da Smed, com o apoio da secretaria municipal do Planejamento (Seplan).
“É um momento de celebração que confirma o compromisso da administração de fazer mais e melhor. Quero destacar aqui o esforço da comunidade escolar para que essa obra acontecesse. Quando assumimos em janeiro, não paramos em nenhum momento esse trabalho e reafirmamos o compromisso de entregar essa escola tão importante à comunidade”, afirmou o prefeito. O espaço ganhou mobiliário e começará a receber alunos no próximo ano letivo. “Nós precisamos respeitar o calendário escolar, que exige o cumprimento de 200 dias letivos no ano. Tentamos calcular se seria possível cumprir a norma tendo aulas de segunda-feira a sábado até o fim do ano. Mas, mesmo assim, não conseguiríamos atingir o que determina a lei. Por isso, as novas turmas serão recebidas em 2018. Vamos utilizar esse período para realizar um estudo de demanda da região, definindo quais turmas serão abertas na escola”, explicou a secretária da Educação, Marina Matiello.
Atualmente, a Sete de Setembro atende 274 estudantes da Educação Infantil e do 1º ao 9º ano. São 32 professores e seis funcionários. Com a inauguração, a escola passará a ter 1.216,6 metros quadrados de área construída, em um total de 10 salas de aula, além de laboratório de informática, biblioteca, sala de recursos, cozinha, refeitório, sala dos professores, banheiros e secretaria. “Era uma demanda antiga pelo crescimento do bairro. Tinha uma cobrança grande da comunidade. Com essas novas 324 vagas, vamos conseguir atender à nossa demanda de Educação Infantil e Ensino Fundamental”, comemorou a diretora da escola, Simone Baratto.
Mutirão atende os microempreendedores individuais
Orientar microempreendedores individuais (MEIs) que estão inadimplentes e apresentar alternativas para eles saírem dessa situação é a intenção de um mutirão que começou a ser realizado pela secretaria de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Emprego
(Sdete) de Caxias do Sul. Durante o trabalho, as equipes da Sdete se disponibilizaram a auxiliar os empreendedores no acesso ao Portal da Receita Federal, esclarecendo dúvidas e trazendo orientações sobre o programa de parcelamento de débitos. Esse programa é uma iniciativa do governo federal que possibilita o parcelamento das dívidas acumuladas em até 120 prestações. O prazo para solicitar esse parcelamento termina no dia 2 de outubro.
Até junho deste ano, 21.448 MEIs foram cadastrados em Caxias do Sul. Em todo o País, o número supera a marca de 7 milhões, mas o percentual de inadimplência chega a 60%. Além de estar inadimplente com o Fisco, o MEI com boletos atrasados corre o risco de não ter acesso a direitos previdenciários, como auxílio-doença, salário-maternidade e aposentadoria por invalidez. Cada benefício exige um tempo de carência, ou seja, um tempo mínimo de meses de contribuição, e a contagem da carência se inicia apenas a partir do pagamento da primeira contribuição sem atraso.
“Organizamos o mutirão para alertar sobre a importância desses empresários estarem em dia com os impostos e para evitar que eles fiquem sem os benefícios. O parcelamento das dívidas é uma alternativa aos MEIs e nós estaremos a postos na Sdete para orientá-los e atendê-los”, conta Angela de Almeida, gerente de Desenvolvimento Econômico da Sdete. O mutirão é realizado na Sdete, de segunda a sexta-feira, das 10h às 16h. A secretaria fica na rua Pinheiro Machado, nº 1.276, no 6º andar.

 

Projeto Dança Educacional leva o balé para escolas de Caxias do Sul

Município: Caxias do Sul

Arte cênica, também considerada uma atividade física, traz benefícios à saúde CRÉDITO: KARINE ZANARDI DOS SANTOS/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Arte cênica, também considerada uma atividade física, traz benefícios à saúde CRÉDITO: KARINE ZANARDI DOS SANTOS/DIVULGAÇÃO/CIDADES

A dança é uma atividade lúdica, uma forma de comunicação que se faz através do próprio corpo humano. Com o intuito de integrar arte e qualidade de vida no mesmo espaço, a secretaria municipal do Esporte e Lazer (Smel) criou o Projeto Dança Educacional. Desde junho, a ação tem levado o balé clássico para 74 estudantes da cidade e proporcionado momentos de expressão cultural, artística e corporal aos participantes. Além de uma forma de lazer, um dos principais objetivos do projeto é desenvolver a dança como exercício físico. Os benefícios dessa união são inúmeros: melhora na coordenação motora e postura dos praticantes, estímulo da memória, trabalho ósseo e musculatura do corpo.
As aulas do projeto são destinadas a estudantes dos cinco aos 12 anos, de escolas estaduais e municipais. Neste primeiro momento, as atividades estão sendo desenvolvidas para alunos do contraturno das escolas Melvin Jones, Professora Leonor Rosa e José Venzon Eberle. As aulas são divididas em três partes: iniciam-se com aquecimento por meio de exercícios variados; após, os participantes desenvolvem os movimentos e coreografias do balé clássico; e, por fim, os últimos minutos da aula são destinados ao relaxamento e alongamento. Todas as etapas fazem parte de um processo de construção, realizado no espaço escolar, com meios dinâmicos e materiais adaptados.
Bruna de Souza Borges começou a praticar o balé clássico há 14 anos em um projeto social. Desde então, tornou-se especialista na dança e nunca mais parou. Hoje, tudo o que aprendeu é repassado na iniciativa da secretaria. “Quando iniciamos as atividades nas escolas, a principal barreira encontrada foi explicar para pais e alunos que o balé também pode ser praticado por meninos. As meninas têm o encanto pela dança despertado desde cedo, com os garotos a abordagem é um pouco diferente”, explica Bruna. Um mês após o início das aulas, mudanças no pensamento e comportamento dos alunos já podem ser observadas pela especialista. “Os meninos começaram a participar das atividades, demonstrando muito interesse e concentração. Eu sempre digo que o balé é feito para quem ama dançar, independente de idade ou sexo”, complementa.

 

Equipe coleta amostras para concurso de vinhos e sucos de uva em Caxias do Sul

Município: Caxias do Sul

O engenheiro agrônomo da Smapa Flávio Hillebrand é um dos integrantes da equipe na coleta de amostras CRÉDITO: ANGELA NADIN/DIVULGAÇÃO/CIDADES

O engenheiro agrônomo da Smapa Flávio Hillebrand é um dos integrantes da equipe na coleta de amostras CRÉDITO: ANGELA NADIN/DIVULGAÇÃO/CIDADES

A secretaria municipal da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Smapa) iniciou o período de visitas às cantinas para coleta das amostras de vinho e suco de uva que participarão do XX Concurso dos Melhores Vinhos e Sucos de Uva de Caxias do Sul. O evento está na sua 20ª edição, valorizando o produto local, promovendo a sua qualificação e oferecendo às vinícolas possibilidades de negócios. Além disso, busca celebrar o fruto do trabalho das vinícolas familiares.
Desde 1997, o proprietário da Vinícola Michelon, Antônio Pedro Michelon, participa do Concurso dos Melhores Vinhos. A família Michelon trabalha com o setor vitivinícola desde a década de 1940, na região de Santa Justina, interior de Caxias do Sul. “A sensação de participar é muito gratificante para nós, vitivinicultores. O concurso mostra os produtos que a gente tem e os produtos da nossa região. Também mostra aquilo que nossos pais começaram há muito tempo. Levamos esse aprendizado com muita garra e seriedade”, destaca. Nessa mesma comunidade, foram coletadas três amostras da vinícola Lizot, que também participa do Concurso dos Melhores Vinhos há quase 20 anos.
O engenheiro agrônomo da Smapa Flávio Hillebrand é um dos profissionais que integra a equipe no processo de coleta de amostras. Hillebrand acompanha o Concurso dos Melhores Vinhos desde a sua oitava edição, em 2005. “Assim que todas as amostras estiverem recolhidas, elas passam por uma análise sensorial e físico-química com enólogos convidados”, explica. As variedades avaliadas no concurso são tinto de mesa, branco de mesa, rosado de mesa, branco vinífera, tinto vinífera, tinto vinífera engarrafado e suco de uva. Os vinhos premiados recebem troféus e poderão ser comercializados com o selo Vinho de Caxias do Sul, conforme a sua premiação.
O XX Concurso dos Melhores Vinhos e Sucos de Uva de Caxias do Sul é realizado pela Smapa, em parceria com a Rede de Vinícolas de Caxias do Sul (Revinsul) e tem o patrocínio máster de Sicredi e Programa Juntos para Competir (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas – Sebrae -, Serviço Nacional de Aprendizagem Rural – Senar – e Federação da Agricultura do Rio Grande do Sul – Farsul). Também são patrocinadores Sindicato Empresarial de Gastronomia e Hotelaria Região Uva e Vinho (Segh), Agrimar, Microsal, Irmãos Luvison, Vêneto Mercantil, Biotecsul e Aranha Indústria e Comércio.

 

Escolas Infantis da rede municipal de Caxias do Sul recebem o projeto Brincadequê

Município: Caxias do Sul

Iniciativa busca estimular as brincadeiras como prática para o desenvolvimento das crianças CRÉDITO: MILENE ROSTIROLLA/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Iniciativa busca estimular as brincadeiras como prática para o desenvolvimento das crianças CRÉDITO: MILENE ROSTIROLLA/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Três escolas infantis da rede municipal receberam, na última semana, o projeto Brincadequê. A ação, desenvolvida pela Rede Marista de Solidariedade, está na terceira edição em Caxias do Sul e acontece em parceria com a secretaria municipal da Educação (Smed). O foco é trabalhar a importância das brincadeiras na formação das crianças através de oficinas para os professores. “Brincar é coisa séria e é um ato essencial para a construção das relações da criança. Essa interação se estende por toda a vida. Nosso projeto busca promover o direito ao brincar e partilhar essa construção como atividade da expressão da cultura infantil. Queremos proporcionar o processo do aprender significativo, e não mecânico, trabalhando o desenvolvimento integral da criança”, explica a educadora do Brincadequê, Danielle dos Santos de Bairro.
Nesta edição, além das oficinas, a equipe do projeto realizou registros audiovisuais das práticas. A Escola de Educação Infantil Dr. Renan Falcão de Azevedo recebeu duas atividades lúdicas aplicadas às crianças de cinco anos da turma do Jardim II. “Após nossa adesão ao projeto, há três anos, constatamos uma melhora significativa na socialização e no convívio familiar. O envolvimento, não só das crianças, mas também das famílias, colaborou e ainda contribui para a evolução no desenvolvimento delas,” observa a coordenadora da escola, Carina de Lima Rizzon.
A escolha de Caxias do Sul para participar do projeto por três edições seguidas se deve ao envolvimento e ao potencial das escolas do município em servir como modelo para outras cidades. “É importante resgatar o brincar para que as crianças descubram na infância os grandes propósitos da vida adulta. As escolas da rede municipal são os espaços ideais para possibilitar esse processo. Elas funcionam como um local de socialização, aprendizado e escolhas que irão contribuir para o futuro e o crescimento delas como cidadão”, afirma Teresinha Mandelli Grasselli, que atua na assessoria da Educação Infantil da Smed.
O direito ao Brincar está previsto no artigo 31 da Convenção Internacional sobre os Direitos da Criança; na Constituição Federal de 1988; e no Estatuto da Criança e do Adolescente de 1990. A Rede Marista de Solidariedade, com o projeto Brincadequê, tem como objetivo formar educadores e diferentes agentes do Sistema de Garantia de Direitos para o fortalecimento do direito ao brincar na infância, em escolas, organizações não governamentais (ONGs), ruas, parques e demais espaços onde as crianças convivem.