Vinhos e sucos de uva premiados têm degustação comentada em Caxias do Sul

Município: Caxias do Sul

Cerca de 170 pessoas participaram da apresentação das amostras vencedoras no dia 14 de setembro CRÉDITO: JANAÍNA R. SILVA/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Cerca de 170 pessoas participaram da apresentação das amostras vencedoras no dia 14 de setembro CRÉDITO: JANAÍNA R. SILVA/DIVULGAÇÃO/CIDADES

A secretaria da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Smapa), junto à Rede de Vinícolas de Caxias do Sul (Revinsul), promoveu, na noite de 14 de setembro, a Degustação Comentada nos Pavilhões da Festa da Uva. Foram servidos 12 vinhos e dois sucos premiados no XX Concurso dos Melhores Vinhos e Sucos de Uva de Caxias do Sul. Além de divulgar a produção local e valorizar as vinícolas do município, o evento objetivou aproximar a comunidade das técnicas de degustação.
Na abertura, o diretor técnico do Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin), Leocir Botega, fez uma breve explanação sobre a situação atual da vitivinicultura no Brasil. Em seguida, todos os participantes provaram as amostras enquanto especialistas convidados auxiliaram na percepção das características. A degustação comentada é a última etapa do concurso, que avaliou os produtos em julho e premiou os vencedores em agosto. Ao todo, 36 vinícolas da cidade forneceram 193 amostras em sete categorias: tinto de mesa, branco de mesa, rosado de mesa, branco vinífera, tinto vinífera, tinto vinífera engarrafado e suco de uva.
A secretária da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Camila Sandri Sirena, agradeceu especialmente a todos os vitivinicultores presentes, que lutam pela melhora na qualidade dos vinhos produzidos na cidade. “Pelas regras do concurso, são premiadas no máximo 30% das amostras. Neste ano, não tivemos o troféu bronze, o que significa que todos os premiados foram ouro e prata, confirmando a excelência dos nossos vinhos”, ressaltou.
Conforme o enólogo André Gasperin, vice-presidente da Revinsul, diversos itens foram considerados na avaliação das amostras para a escolha dos premiados em julho. “Na análise sensorial técnica, levamos em consideração o aspecto visual (a cor, as nuances, por exemplo), olfativo (os aromas que se pronunciam) e gustativo (equilíbrio de açúcar e acidez, taninos, sensações táteis na boca). Em seguida, fazemos uma avaliação global e atribuímos uma nota. Os vinhos pontuados acima de 90 pontos recebem medalha de ouro”, explica.
Para o vice-presidente da Associação Brasileira de Enologia (ABE), André Peres Júnior, um dos convidados para orientar o público, a degustação comentada auxilia na divulgação do vinho nacional. “Na apresentação dos resultados de um concurso existe a garantia de serem mostrados vinhos de excelente qualidade. Outra questão muito positiva é que, desta forma, os produtores conseguem expor seus produtos e mostrar sua qualidade aos verdadeiros consumidores”, ressalta.
A mesa de avaliadores foi composta por técnicos com grande conhecimento em vinhos, como o diretor técnico do Ibravin, Leocir Botega; o enólogo e vice-presidente da Revinsul, André Gasperin; o enólogo e vice-presidente da Associação Brasileira de Enologia (ABE) André Peres Júnior; o enólogo do Laboratório Randon, Bruno Onsi; o gerente-geral do Laboratório de Referência Enológica (Laren), Plínio Manosso; a enóloga e professora do Curso de Enologia da Universidade Federal do Pampa (Unipampa), Angela Rossi Marcon; e a jornalista e editora da Revista Bon Vivant e do Jornal A Vindima, Andréa Debon.

Centro de Cultura Ordovás recebe a mostra A faxina aleatória da cidade em Caxias do Sul

Município: Caxias do Sul

Exposição de Pedro EMCB, Stang e Xadalu pode ser conferida até 3 de outubro CRÉDITO: CAROLINE SANTI PEGORARO/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Exposição de Pedro EMCB, Stang e Xadalu pode ser conferida até 3 de outubro CRÉDITO: CAROLINE SANTI PEGORARO/DIVULGAÇÃO/CIDADES

A exposição A faxina aleatória da cidade abriu na última terça-feira, dia 12 de setembro, na Galeria de Artes do Centro de Cultura Ordovás, em Caxias do Sul. A mostra apresenta três exposições em uma: A querida senhora da limpeza, Randômico: que acontece por acaso, em que há casualidade e Elementos urbanos. O trabalho é o resultado da união dos artistas Pedro EMCB, de Farroupilha; Vitor Hugo Stang, de Caxias; e Xadalu, de Porto Alegre.
Cerca de 90 pessoas conferiram os trabalhos que têm por objetivo despertar a consciência social e mostrar a beleza existente na vida de cada indivíduo. Para a coordenadora da Unidade de Artes Visuais da secretaria municipal da Cultura (SMC), Mona Carvalho, essa exposição carrega três olhares bem sensíveis sobre assuntos que as pessoas fingem não ver. “A mostra traz para dentro da Galeria expressões artísticas urbanas que vem para abrir os olhos das pessoas”, analisa. A exposição fica aberta para visitação até o dia 3 de outubro na Galeria de Artes do Centro de Cultura Ordovás, de segunda a sexta-feira, das 9h às 22h, e fins de semana e feriados, das 16h às 22h. A entrada é gratuita.
O artista Pedro EMCB é uma constante metamorfose influenciada pela arte em todos seus aspectos. Estudante de design, o gaúcho sempre teve a arte inspirando sua infância. Além de designer, músico e sonhador, Pedro é um entusiasta da vida. E é isso que ele procura celebrar na sua arte: a vida. A obra de Pedro EMCB se chama A querida senhora da limpeza, que retrata como a vida pode ser bela e ao mesmo tempo triste, dependendo de que lado você se posiciona como espectador. O artista teve a experiência de conhecer a história de vida da querida senhora da limpeza, e foi aí que veio à tona uma mistura de sentimentos, pois a senhora convidou-lhe para participar de uma celebração muito importante na vida dela.
Stang é acadêmico em Design Gráfico na Faculdade da Serra Gaúcha. Atualmente, participa de um projeto em Porto Alegre idealizado pela marca Oden Brasil, chamado Bonding Creative People (BCP) onde artistas apresentam suas artes decorrentes das ruas em vestuários. A ideia de Randômico: Que acontece por acaso, em que há casualidade surgiu por meio das pinturas realizadas na rua, buscando encontrar seres randômicos. Pessoas inusitadas sem rosto. Esses eventos randômicos são aleatórios e passam muitas vezes despercebidos pelas demais pessoas. Todas as pessoas randômicas podem trocar experiências e conhecimento. O artista acredita que essa é a essência da vida a troca de conhecimento com pessoas que nunca teve contato.
Xadalu tem na street art o centro conceitual e irradiador de sua obra. Hoje, a figura do indiozinho trabalho fundador que começou a ser colado em adesivos multiplicando-se pelas ruas de Porto Alegre é vista em mais de 60 cidades do mundo. Essa proliferação do personagem Xadalu em escala internacional amplia o alcance da denúncia sobre o apagamento das culturas indígenas que o trabalho do artista veicula. Xadalu já participou de diversas mostras coletivas e apresentou exposições individuais, exibindo seu trabalho em Porto Alegre, Berlim (Alemanha) e Florença (Itália). Foi eleito em 2012 o Melhor Artista na Expo Colex e foi um dos agraciados pelo Prêmio Humanidades 2014 do Instituto Brasileiro da Pessoa, em reconhecimento à defesa da causa indígena aliada a questões socioculturais.

Universidade de Caxias do Sul abre serviços de clínicas veterinárias à comunidade

Município: Caxias do Sul

Atendimento geral e cirurgias de baixa complexidade estarão disponíveis mediante agendamento CRÉDITO: CLAUDIA VELHO/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Atendimento geral e cirurgias de baixa complexidade estarão disponíveis mediante agendamento CRÉDITO: CLAUDIA VELHO/DIVULGAÇÃO/CIDADES

A Universidade de Caxias do Sul (UCS) abriu à comunidade, na última segunda-feira, dia 11, os serviços de atendimento clínico geral e de cirurgias de baixa complexidade prestados pelas clínicas médicas de animais de pequeno porte e de grande porte do curso de Medicina Veterinária. As consultas ocorrem exclusivamente mediante agendamento e não incluem atendimentos de urgência e emergência ou internação, estando disponíveis em duas modalidades: particular e acadêmica.
As consultas particulares são oferecidas de segunda a sexta-feira, pela manhã, com chegada do tutor e do paciente das 9h às 11h, sendo prestada por médico veterinário contratado pela UCS e por estagiários do curso. Já as consultas acadêmicas ocorrem em uma manhã por semana e às tardes, das 14h às 17h, nos dias em que ocorrem aulas práticas. É prestada pelo professor médico veterinário da disciplina, sob observação dos alunos, para instrução acadêmica. Conforme a agenda de aulas de cada semestre, a consulta acadêmica poderá ser substituída entre os turnos da manhã, tarde e noite.
Para a comunidade acadêmica, os serviços serão prestados a partir de convênios já firmados com as associações de funcionários da Fundação Universidade de Caxias do Sul (Affucs) e de docentes da UCS (Aducs). Tanto para consulta particular como para a acadêmica, o agendamento deve ser feito de segunda a sexta-feira, das 8h30min às 11h30min e das 12h45min às 17h45min, pelo telefone (0xx54) 3218-2081.
Dentro do atendimento clínico, serão disponibilizados serviços de diagnóstico por imagem. A UCS conta com dois aparelhos de última geração para exames de radiologia digital. Já para ultrassonografia digital, são três equipamentos disponíveis. Os laboratórios utilizados pelo curso, por sua vez, asseguram a realização de exames como hemogramas, de bioquímica sanguínea e de citologia, entre outros auxiliares de diagnóstico. As cirurgias disponíveis são eletivas, como castrações e remoção de tumores.
Os serviços seguem as resoluções pertinentes e o código de ética do Conselho Federal de Medicina Veterinária e os custos seguem os valores regulares de mercado. A disponibilização dos recursos da UCS deve ser ampliada também para clínicas particulares que, por meio de terceirização, poderão contratar serviços não tão comuns no mercado. O funcionamento das clínicas e esta possibilidade serão apresentados pelo coordenador do curso à Associação de Médicos Veterinários de Pequenos Animais da Serra Gaúcha (Amvep).
O recebimento de animais com tutores, explica o coordenador do curso, professor Leandro do Monte Ribas, atende a uma necessidade acadêmica. “A formação universitária na área é indissociável da prestação de serviços. O que estamos fazendo é aproveitar essa condição para estender o benefício, pensando também na comunidade”, frisa. Com programa de cinco anos, o curso de Medicina Veterinária da UCS formará os primeiros profissionais neste ano.
As duas clínicas já são utilizadas para atividades práticas – presentes em mais da metade das aulas – do curso, no atendimento de animais sob cuidado da secretaria do Meio Ambiente (desde que o município assumiu a atividade da Sociedade Amigos dos Animais – Soama). No segundo semestre de 2018, ambas estruturas serão integradas ao Hospital Veterinário da UCS, compondo o complexo de apoio à formação do aluno.

Maesa vai ser ocupada pelo município de Caxias do Sul nos próximos meses

Município: Caxias do Sul

Espaço receberá o posto 24h da Guarda Municipal e Divisão de Proteção ao Patrimônio Histórico e Cultural a partir de outubro CRÉDITO: BÁRBARA DECIMO/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Espaço receberá o posto 24h da Guarda Municipal e Divisão de Proteção ao Patrimônio Histórico e Cultural a partir de outubro CRÉDITO: BÁRBARA DECIMO/DIVULGAÇÃO/CIDADES

A ocupação da Metalúrgica Abramo Eberle S.A. (Maesa) está prestes a se tornar realidade. Durante todo o ano, a Comissão Especial de Ocupação se reuniu para debater, estudar e viabilizar a entrada permanente no local. Entre o fim de outubro e o início de novembro, a prefeitura entrará com um posto de monitoramento 24 horas da Guarda Municipal (GM), vinculado à secretaria municipal de Segurança Pública e Proteção Social (Smspps), e com a Divisão de Proteção ao Patrimônio Histórico e Cultural (Dipahc), que integra a secretaria municipal da Cultura (SMC).
“Estamos transferindo a Dipahc para a Maesa porque, além de estar dentro do plano de intenções transferir parte do poder público para o prédio, queremos demarcar a importância de preservar e proteger o patrimônio histórico, resgatando a memória daquele espaço”, explica a titular da SMC, Adriana Antunes. Em agosto, diversas etapas foram concluídas com o objetivo de possibilitar a mudança. Foram realizados o cadastro e a compra dos itens de entrada de energia no Grupo de Registro de Preços (GRP), adequação para engastamento do poste (abertura de cava, entrega e acompanhamento da instalação do poste), ligações de energia pela Rio Grande Energia (RGE) e linhas telefônicas. O trabalho foi realizado pelas equipes de manutenção da SMC e da secretaria municipal de Recursos Humanos e Logística (Smrhl).
Até 27 de outubro, o trabalho será focado nos consertos e na instalação elétrica e de fibra óptica no local. Entre o fim de outubro e o início de novembro ocorrem as mudanças do posto da GM e do Dipahc para a Maesa. Ainda em novembro, a Comissão Especial realizará a inauguração do espaço, além de um Seminário Público sobre a Maesa, dia 25.
Desde abril, a Comissão da Maesa se subdividiu em grupos de trabalho para estudar a utilização do espaço da metalúrgica dividida em 10 eixos: arquitetura do prédio; uso do prédio; história, memória acervo e educação patrimonial; artes visuais, arte e cultura; administração Maesa; teatro; mercado público; sustentabilidade ambiental; gestão sustentável do empreendimento; e impacto na vizinhança.
Para a entrada dos primeiros setores, a prefeitura criou um subgrupo da Comissão Especial composto pela Procuradoria Geral do Município (PGM), secretaria municipal do Planejamento (Seplan) e SMC. Segundo a procuradora Karin Comandulli Garcia, o grupo surgiu por conta da preocupação do município com o cumprimento de um termo de compromisso firmado com o Estado em dezembro de 2016, que estipulava o prazo de um ano para realizar a entrada do município com a posse do bem. “A insistência do grupo em cumprir o prazo também visa a preocupação em não deixar o local desocupado, para prezar pela integridade do patrimônio e segurança para o imóvel”, destaca.
UPA Zona Norte será aberta no dia 20 de setembro
A Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Zona Norte começará a atender a população no dia 20 de setembro. O ato de inauguração será realizado às 10h, com a presença do prefeito Daniel Guerra e de outras autoridades, secretários municipais, presidentes de autarquias, servidores da prefeitura e comunidade, que está convidada a participar deste momento.
O prefeito afirma que a inauguração da UPA é um marco para o município. “Desde o primeiro dia de governo, comprometemo-nos a abrir a UPA Zona Norte o mais rapidamente possível. E agora, em 20 de setembro, inauguraremos uma nova fase na saúde do município. Vamos entregar à comunidade um importante serviço de saúde, ampliando nossa capacidade de atendimento e honrando o nosso compromisso com as pessoas”, declarou o Guerra.
O atendimento à população se inicia também no dia 20 de setembro. Após o encerramento da solenidade de inauguração, a unidade será higienizada e, logo após, abre à comunidade. Estima-se em duas horas o tempo necessário para a limpeza. A secretaria municipal da Saúde (SMS) e o Instituto de Gestão e Humanização (IGH) estão ajustando os últimos detalhes para deixar a UPA pronta. Os 279 funcionários já estão contratados e passam agora por treinamentos. Na unidade, equipes de manutenção finalizam a montagem do mobiliário e a organização das salas, enquanto a engenharia clínica testa os equipamentos.
Daqui a poucos dias, a UPA Zona Norte abre as portas em pleno funcionamento com capacidade total de consultas, prevendo atender até 350 pacientes por dia. A SMS estima que a demanda no pronto-atendimento 24 Horas reduza em, pelo menos, 30% com a abertura da UPA, qualificando o atendimento de urgência e emergência prestado à população.

Prefeitura de Caxias do Sul estuda parceria para incubadora tecnológica

Município: Caxias do Sul

Diretores do campus do Instituto Federal no município entregaram proposta à Sdete CRÉDITO: PETTER CAMPAGNA KUNRATH/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Diretores do campus do Instituto Federal no município entregaram proposta à Sdete CRÉDITO: PETTER CAMPAGNA KUNRATH/DIVULGAÇÃO/CIDADES

O prefeito Daniel Guerra visitou o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul (IFRS), Campus Caxias do Sul, na tarde da última quinta-feira, dia 31 de agosto. Na ocasião, o chefe do Executivo recebeu uma proposta de convênio para implantação de uma incubadora tecnológica em parceria com o instituto. O projeto foi apresentado pelo diretor-geral do IFRS no município, Juliano Toniolo, e pelo diretor administrativo, Rodrigo Dullius.
De acordo com a proposta, o Instituto Federal criará espaços para inovação através de contêineres instalados na própria sede, no bairro Fátima, com uso compartilhado da infraestrutura de laboratórios preexistentes. A incubadora é um local destinado a pessoas que desejam abrir um negócio, mas não possuem toda a estrutura administrativa, física e empresarial necessária. Com a disposição de três contêineres, poderão ser incubadas até seis empresas, duas por módulo. De acordo com o projeto, será possível oferecer infraestrutura, capacitação e suporte, orientando os empreendedores sobre aspectos administrativos, comerciais, financeiros e jurídicos, entre outras questões essenciais ao desenvolvimento de uma empresa. A ideia é que a criação incentive o empreendedorismo e o desenvolvimento tecnológico na serra gaúcha. A implantação representará também uma oportunidade para o crescimento socioeconômico e para o fortalecimento dos arranjos produtivos locais.
Na parceria, o IFRS se propõe a arcar com todos os custos para a implantação da incubadora, além de manutenção, gestão, segurança e infraestrutura operacional. A contrapartida da prefeitura seria dar suporte administrativo, comercial, financeiro, jurídico e ambiental. Se a parceria for concretizada, o próximo passo será definir os termos do convênio, regimento interno e edital da incubadora em reuniões que devem ocorrer nos próximos meses. “Nosso governo apoia o desenvolvimento de empresas de inovação e tecnologia. Nós vamos estudar essa proposta com o intuito de que ela traga diversos benefícios para a população caxiense, principalmente a geração de novas vagas de trabalho, desenvolvimento econômico, social e profissional”, enfatiza Guerra. A visita também foi acompanhada pela secretária de Educação, Marina Mattielo, e pelo secretário de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Emprego (Sdete), Carlos Heinen.
O Campus Caxias do Sul possui mais de 7,2 mil metros quadrados de área construída com salas de aula, área administrativa, auditório, biblioteca, laboratórios de física, matemática, informática, química, metalurgia, mecânica e polímeros. Atualmente, conta com mais de 1,4 mil alunos divididos em 11 cursos regulares e projetos de extensão. O campus oferece os cursos técnicos em Química, Plásticos e Fabricação Mecânica na modalidade Integrado ao Ensino Médio; técnico em Plásticos, na modalidade subsequente; técnico em Administração, no Programa Nacional de Integração da Educação Profissional com a Educação Básica na Modalidade de Educação de Jovens e Adultos (Proeja); cursos superiores de Engenharia Metalúrgica, Engenharia de Produção, Tecnologia em Processos Gerenciais, Tecnologia em Processos Metalúrgicos e Licenciatura em Matemática; além do mestrado profissional em Tecnologia e Engenharia dos Materiais.