Canoas estará envolvida no teatro de rua durante o Festia 2015

Município: Canoas

Grupo paulista Rosa dos Ventos também se apresenta nos palcos da rua durante o festival CRÉDITO: LUIS VALENTE/DIVULGAÇÃO/CIDADES

A quinta edição do Festia – Festival de Teatro Persistência e Pé na Tábua – acontece de 10 a 20 de setembro com programação diária nos quatro quadrantes da cidade de Canoas, incluindo o centro e a periferia, com apresentações e atividades formativas totalmente gratuitas à população. O ator, cantor, instrumentista e ativista cultural Zé da Terreira será o homenageado do festival esse ano. Serão 23 atrações de 17 grupos diferentes durante 10 dias, entre atrações internacionais, nacionais e grupos locais, passarão pelos palcos das ruas, praças e auditórios da cidade artistas como César Troncoso (Uruguai), Colectivo de Teatro Callejero Xutil (México), Ágora Teatro (São Paulo), Cafuringa (Recife), Cenopoesia (Ceará, Rio Grande do Sul e Pernambuco), Trupe Circuluz (São Luiz), Bando La Trupe & Cervantes do Brasil (Natal), Pharkas Serthanejaz (Recife), Rosa dos Ventos (Presidente Prudente), Ray Lima (Maranguape) e os grupos canoenses Coletivo de Músicos de Rua, Trupe das Gracinhas, Galegos & Frangalhos e EntreVerbo.
Um dos destaques da programação fica por conta da presença do ator uruguaio César Troncoso, que estará com a montagem de Marx in Soho, peça do dramaturgo norte-americano Howard Zinn, e que será apresentado no dia 13, às 20h, no auditório Sady Fontoura Schiwitz (rua XV de Janeiro, 11). Recheado de ironias e indignação, Marx discorre sobre seus pensamentos mais simples e que nutrem suas teorias econômicas mais complexas, não deixando de fora sua própria história, cheia de percalços, inclusive seu amor pela esposa Jenny. A montagem é dirigida por Juan Tocci. Outro grande momento do festival é a peça Horácio, com direção e atuação de Celso Frateschi, que será apresentada na Praça da Juventude (rua 8, Macroquarteirão 6, no bairro Guajuviras), no dia 10, às 15h e às 19h. Este premiado monólogo, baseado no texto de Heiner Muller, envolve a plateia de forma natural, estimulando sua participação em um profundo processo de reflexão.
Através do festival, o Grupo TIA reforça o compromisso de fomentar e democratizar a cultura, de contribuir para o fortalecimento do público, de grupos e coletivos culturais que visem à construção de um mundo mais justo e de uma consolidação das redes de apoio e trocas entre estes coletivos. Pensando assim, este ano o Festia proporcionará os workshops Introdução ao Teatro Narrativo, com Celso Frateschi do Àgora Teatro (São Paulo), Palhaçaria Feminina, com Raquel Franco da Cia de Artes Trupe Circuluz (Maranhão), O Teatro Livre de Rua, com Junio Santos do Cervantes do Brasil (Rio grande do Norte), O Circo Chegou, com o Grupo Circo teatro Rosa dos Ventos (São Paulo), e Vivências Pau e Lata, com Altemir Fogo do Grupo Cultural Pau e Lata (Rio Grande do Norte).
Qualquer pessoa acima de 15 anos pode se inscrever para as atividades. São 20 vagas por workshop. Haverá a montagem de um exercício cênico a partir das experiências descobertas nos workshops. Com um único ensaio no sábado, dia 19, na Casa das Artes Villa Mimosa e apresentação no domingo, dia 20, no encerramento do 5º Festia. As inscrições vão até o dia 8. Os selecionados serão divulgados no dia 9. Para fazer a inscrição é necessário acessar o formulário disponível no site www.festivalfestia.wordpress.com.
O Festia é uma realização do Grupo TIA – Teatro Ideia & Ação – e conta com apoio da prefeitura, através da secretaria municipal de Cultura. Em quatro edições já realizadas, o festival recebeu grupos e artistas de quatro países, sete estados em mais de 60 espetáculos e 30 atividades de formação para um público estimado em mais de 15 mil pessoas. O Festia se consolida como um dos mais importantes festivais de teatro do Sul do País, com um trabalho e o comprometimento de vários artistas e parceiros engajados, consolidando o propósito de oportunizar ações culturais conjuntas com o efeito multiplicador.

Natal da Transformação envolve sustentabilidade e consciência ambiental em Canoas

Município: Canoas

Trabalho da arquiteta Virginia Manfrinato e do diretor de arte O Silva foi selecionado em primeiro lugar por meio do Concurso Público Nacional de Arte e Design para decorar o município CRÉDITO: CAROL DE GOÉS/DIVULGAÇÃO/CIDADES

A palavra sustentabilidade pode ser definida como a capacidade do ser humano interagir com o mundo, preservando o meio ambiente para não comprometer os recursos naturais das gerações futuras. Já inclusão social trata-se de um conjunto de meios e ações que combatem a exclusão aos benefícios da vida em sociedade. O projeto vencedor do edital de uma cidade gaúcha uniu os dois conceitos para apresentar um trabalho que vai muito além de iluminar e decorar as ruas da cidade – o Natal da Transformação, que fica em exibição até 6 de janeiro de 2014.

Cem mulheres, a maioria chefes de família, desempregadas ou em vulnerabilidade social, tiveram a oportunidade de receber qualificação profissional, conquistar renda própria e recuperar a autoestima por meio de um grupo de profissionais vencedores do concurso. Durante três meses, elas participaram de oficinas para produzir mais de sete mil objetos decorativos com material reciclável.

Virginia Manfrinato, arquiteta e idealizadora da proposta, defende que “a produtividade traz a questão do direito ao acesso à sociedade. A possibilidade deste grupo de mulheres terem exercido uma atividade produtiva e remunerada resulta na vivência de diferentes situações positivas e papéis sociais”. Virgínia ainda salienta que sempre deve acontecer a convivência entre as pessoas para o crescimento individual e coletivo, seja por meio da educação, do trabalho e do lazer, além de destacar que a experiência foi extremamente positiva, tanto para ela quanto para toda equipe.

Responsável pela concepção artística, o artista Silva comenta que o projeto destaca a força individual de cada uma das mulheres, que superam dificuldades diárias na vida literalmente sobrevivendo em ambientes muitas vezes hostil. “Marca a força da união, pois o trabalho de todas juntas gerou um grande cenário que pode ser apreciado por todos da cidade e das redondezas. Desejo que elas sintam isso quando virem o fruto de 3 meses de oficina e possam se sentir mais fortes para buscar a transformação em suas vidas. O material utilizado na decoração foi arrecadado em gincanas realizadas em escolas municipais da região. Cerca de 142 mil unidades de material reciclável foram utilizados90 mil garrafas pet, 25.692 caixas de tetra pak e 16.682 sacolas plásticas. Os arranjos natalinos podem ser vistos na Praça Emancipação, Praça do Avião, fachada do Paço Municipal e em duas passarelas da BR-116.

Ação educativa orienta crianças sobre a forma segura de usar elevadores e escadas rolantes

Município: Canoas, Capão da Canoa, Porto Alegre

No dia 6 de outubro, sábado, acontece no Rio Grande do Sul a ação Faça a Coisa Certa, realizada pela ThyssenKrupp Elevadores, empresa fabricante e prestadora de serviços de manutenção, que visa orientar as crianças e conscientizar os pais sobre como usar corretamente e com segurança os elevadores, as escadas e as esteiras rolantes.

A ação será realizada em parceria com quatro shoppings. Em Porto Alegre, no Barra Shopping Sul e Moinhos Shopping. Em Canoas, no Canoas Shopping e, em Capão da Canoa, no Shopping Lynemar. Além de orientações sobre o uso correto dos equipamentos, as crianças receberão um kit, contendo o gibi As Aventuras do Super Zero & Zug, que traz em linguagem didática várias situações do dia a dia e como devem agir. Uma versão digital do gibi poderá ser encontrada no site da ThyssenKrupp Elevadores www.thyssenkruppelevadores.com.br.

Outros materiais foram desenvolvidos para a garotada aprender brincando a qualquer hora e lugar: o jogo on-line Faça a Coisa Certa que também estará disponível no site da empresa e um vídeo que ensina a usar corretamente o elevador e poderá ser visto no YouTube: www.youtube.com/SeuElevador.

Este ano, a ação Faça a Coisa Certa que já está em sua 5ª edição, acontecerá em parceria com 17 shoppings em 14 cidades de nove Estados: Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Espírito Santo, Bahia, Ceará e Amazonas.

Faça a coisa certa

O sobe e desce dos elevadores e o vai e vem das escadas rolantes, muitas vezes viram brincadeiras para a garotada. É comum a criança que mora em condomínio passear sozinha de elevador, apertar botões de vários andares ou segurar a porta para o coleguinha entrar. Em outros locais, como nos shopping centers, por exemplo, a escada rolante é o objeto de desejo da garotada que se arrisca em manobras perigosas como descer em sentido contrário ou sentar nos degraus.

Apesar de parecer pura diversão, brincar no elevador ou na escada rolante não é uma atitude segura para as crianças. Por isso, é importante aprender o que é certo e errado desde pequeno. Em algumas cidades do País, leis municipais proíbem as crianças menores de 10 anos de usarem o elevador sem a presença de um adulto, ampliando a segurança dos pequenos. Já no caso das escadas e esteiras rolantes, a Norma Brasileira (NBR NM 195/1999) determina o uso de avisos de alerta nos locais onde os equipamentos serão instalados para chamar a atenção dos pais. No Rio Grande do Sul, segundo o Comando de Bombeiros da Brigada Militar, foram registradas 69 ocorrências com elevadores no primeiro semestre de 2012. Não há dados específicos sobre o número de crianças envolvidas, mas a prevenção continua sendo o melhor caminho.

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), 90% das 830 mil mortes de crianças por ano ocorrem no mundo por causa de acidentes, poderiam ser evitadas, por meio da adoção de comportamentos seguros. “A ação preventiva está na base da nossa atuação como prestadora de serviço de manutenção em elevadores. Esta mesma filosofia queremos levar aos pais e às crianças, por meio desta ação. A conscientização da população sobre a importância de um ato seguro é nosso objetivo”, atesta Sérgio Martins Cardoso, vice-presidente de Serviços da ThyssenKrupp Elevadores.