Morador do bairro Mathias Velho constrói jardim ecológico em Canoas

Município: Canoas

Mudas saíram direto do jardim da casa de Cedemar de Souza Nunes CRÉDITO: FOTOS VINICIUS THORMANN/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Mudas saíram direto do jardim da casa de Cedemar de Souza Nunes CRÉDITO: FOTOS VINICIUS THORMANN/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Ao chegar na rua Santa Catarina, no bairro Mathias Velho, para um mutirão de limpeza, a equipe da subprefeitura Noroeste se deparou com uma cena surpreendente: o amontoado de lixo descartado irregularmente na calçada está, aos poucos, dando lugar a uma colcha verde de diferentes plantas. Isso porque, ao longo de 250 metros, o morador da rua vizinha, Cedemar de Souza Nunes, vem construindo um jardim ecológico. “Chegamos para retirar os entulhos e galhos e nos deparamos com este trabalho que merece todo o apoio”, conta o subprefeito do quadrante, Márcio Antônio.
As mudas já plantadas, segundo Nunes, saíram direto do seu jardim de casa, mas agora ele precisa de mais. Por isso, a suprefeitura fará uma parceria com a secretaria do Meio Ambiente de Canoas. “Vamos buscar alternativas para trazer o que ele precisa para dar continuidade ao jardim, como plantas e terra. Outra secretaria que irá nos auxiliar é a de Serviços Urbanos, para acelerarmos a limpeza da calçada”, explica Antônio.
A ideia de revitalizar a rua nasceu do incômodo de seu Nunes em ver tanta sujeira espalhada perto de onde mora. “É muito triste o comportamento das pessoas. Encontramos de tudo por aqui: lixo, animais mortos e tudo aquilo que a população não quer mais, sendo que temos um Ecoponto aqui no bairro”, reclama o morador, que conta com a colaboração de todos. “Aqui vamos ter vários tipos de plantas, inclusive medicinais, como babosa, espinheira-santa e diversos chás curativos que a comunidade vai poder usar, mas é preciso ajudar também”, solicita.
Para quem não tem tempo para por a mão na terra, existem, ainda, outras maneiras de contribuir. Os pneus velhos que não têm serventia, correndo o risco de proliferar doenças como dengue, por exemplo, podem ser transformados em lindos canteiros com as habilidades de Nunes, que pretende pintá-los. “Quero colorir este lugar, deixar limpo e bonito”, diz o autor do projeto. Para doar qualquer material para o jardim, basta entrar em contato com a subprefeitura Noroeste pelo telefone (0xx51) 3466-1660 e solicitar a retirada.
De acordo com Antônio, a intenção é fazer a iniciativa de seu Nunes chegar até outros bairros e quadrantes como um modelo de sustentabilidade. “Precisamos reforçar, cada vez mais, que o lugar de lixo não é na rua. Pedimos, então, que as pessoas nos procurem para fazer as doações ao jardim ou deixem o que não usam mais no Ecoponto, que fica na rua Espumoso, nº 315”, destaca o subprefeito.

 

Projeto de escola de Canoas conscientiza sobre malefícios do cigarro

Município: Canoas

Proposta multidisciplinar contou com envolvimento de professores e alunos CRÉDITO: VINICIUS THORMANN/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Proposta multidisciplinar contou com envolvimento de professores e alunos CRÉDITO: VINICIUS THORMANN/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Aos 16 anos, Luíza Queiroz e Leonardo Moraes, alunos da Educação de Jovens e Adultos (EJA) da Escola Municipal de Ensino Fundamental (Emef) Rio Grande do Sul dão uma verdadeira aula sobre o que muita gente já sabe, mas não coloca em prática. Deixar de fumar é uma tarefa difícil, mas extremamente necessária. Além disso, quem nunca teve contato com o cigarro precisa conhecer todo o mal que ele causa para evitar qualquer aproximação.
Luíza e o Leonardo estão com tudo na ponta da língua graças a um projeto da EJA pensado no início do semestre e que teve o ponto alto na noite de 20 de junho. Foi uma proposta multidisciplinar, que contou com a ajuda de todos os professores e o envolvimento de todos os alunos da EJA, que, distribuídos em grupos, tiveram funções específicas no decorrer do semestre. Na quadra de esportes da escola, um pulmão gigante foi montado como uma espécie de túnel, por onde era possível transitar e verificar os malefícios do cigarro. Do outro lado, havia o pulmão saudável, totalmente livre do tabagismo.
A professora de Ciências Constancia Lopes Mendes, que coordenou o projeto juntamente com o professor de matemática Paulo Hollweg, teve as expectativas superadas com o resultado final. “Os alunos aceitaram bem a nossa proposta desde o início. Uma situação interessante é que um deles, tendo contato com toda a pesquisa, deixou de fumar ao entender o risco que estava correndo. Isso para nós é um resultado maravilhoso, que vai além da sala de aula”, comemora Constancia.
A diretora da escola, Márcia Pinho, explica que a motivação do trabalho é também a prevenção. “Nossos alunos fazem parte de um público bem juvenil, em sua maioria. A proposta é também um trabalho de prevenção, para que eles não cheguem perto do cigarro – muitas vezes, uma porta de entrada para outras drogas”, relata.
Os malefícios que o cigarro causa em todos os órgãos do corpo humano, não somente no pulmão, também fizeram parte do objeto de pesquisa do projeto. “É importante que todos saibam disso de uma forma mais técnica. Em casa tenho pessoas que fumam. Além de incentivá-los a largar o cigarro, precisamos estar atentos aos fumantes passivos também”, explica a estudante Luiza. Com relação à execução do trabalho, Leonardo afirma que não encontrou muitas dificuldades, apesar da complexidade. “Tornou-se um trabalho fácil, pois todos estavam envolvidos, cada um fazendo a sua parte”, comenta.
O trabalho fica exposto durante todo o dia para visitação das demais turmas da escola. No intervalo da manhã, a turma da Kauane Sander, de 14 anos, escutou as explicações da Luiza e do Leonardo. “Achei bem interessante e fácil de entender. Isso acaba motivando as outras turmas da escola. Com certeza vou repassar essas informações para os fumantes que conheço”, declara Kauane.

 

Prevenção da Violência contra o Idoso é tema de palestra na Ulbra de Canoas

Município: Canoas

Vice-prefeita Gisele Uequed foi uma das palestrantes do evento, realizado na última segunda-feira CRÉDITO: VINICIUS THORMANN/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Vice-prefeita Gisele Uequed foi uma das palestrantes do evento, realizado na última segunda-feira CRÉDITO: VINICIUS THORMANN/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Entre 2005 e 2015, a proporção de pessoas com 60 anos ou mais no País passou de 9,8% para 14,3%, segundo o estudo Síntese de Indicadores Sociais (SIS): uma análise das condições de vida da população brasileira 2016. A 3ª Jornada de Prevenção da Violência contra a Pessoa Idosa, realizada pela secretaria municipal de Saúde de Canoas e pela Universidade Luterana do Brasil (Ulbra), teve como enfoque diversos aspectos relacionados à proteção dessa parcela cada vez maior de brasileiros. O evento foi alusivo ao Dia Mundial de Conscientização da Violência contra a Pessoa Idosa, celebrado no dia 15 de junho.
A Diretoria da Pessoa Idosa de Canoas, porta de entrada para este tipo de demanda no município, realizou 98 atendimentos no primeiro trimestre de 2017. Do total, 33,3% são casos de abandono ou negligência e 21,1%, de agressão física. Também integram a lista ocorrências de violência psicológica/moral (21,5%) e de caráter econômico/financeiro (21,1%). O dado mais alarmante, contudo, diz respeito a quem é o autor da violência: em 83,6% o próprio filho ou filha. Os dados reforçam a importância de uma política pública voltada para a terceira idade.
No início do encontro, a vice-prefeita de Canoas Gisele Uequed e a assistente social e doutora em Gerontologia Biomédica Michelle Bertóglio Clos falaram sobre a Articulação das políticas públicas no enfrentamento à violência. A vice-prefeita ressaltou que a proteção ao idoso é um direito assegurado pela Constituição Federal e uma das prioridades da atual administração municipal. Também lembrou que o Executivo integra uma política intersetorial para atender a esta parcela da população de forma integral. “Acompanhamos durante todo o trâmite os casos que chegam até nós envolvendo as pessoas idosas. Não deixamos o idoso sem acolhimento”, reforça.
A assistente social Michele Clos salientou a necessidade de se proteger os idosos de forma plena. “O enfrentamento à violência tem a ver com cuidado, com prevenção, com atenção à pessoa idosa. Para isso, é preciso de política de saúde, de habitação, de cultura, de lazer”, lista.
O diretor da Diretoria da Pessoa Idosa Pedro Sabino destacou a integração da instituição com diversos órgãos envolvidos na área, principalmente relacionados à saúde, segurança e educação. “A nossa diretoria tem como um dos principais objetivos, justamente, a prevenção da violência contra o idoso”, frisa. Já a secretária adjunta da Saúde de Canoas, Patrícia Urrutigaray, reforçou que iniciativas com a realização da jornada, aliadas a políticas públicas que resultam em um serviço mais qualificado para a população. O atendimento na Diretoria do Idoso (rua 15 de janeiro, nº 15, sala 702) é realizado de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h. Contatos podem ser feitos pelo telefone (0xx51) 3425-7609.

 

Crianças de Canoas aprendem sobre a preservação da natureza

Município: Canoas

Alunos da Escola Meu Pedacinho de Chão participaram de caminhada e plantaram três mudas de árvores CRÉDITO: VINICIUS THORMANN/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Alunos da Escola Meu Pedacinho de Chão participaram de caminhada e plantaram três mudas de árvores CRÉDITO: VINICIUS THORMANN/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Alunos da Escola Municipal de Educação Infantil (Emei) Meu Pedacinho de Chão realizaram, no dia 13 de junho, a IV Caminhada do Meio Ambiente. O evento marcou o encerramento de diversas atividades promovidas pela instituição do bairro Rio Branco sobre importância da preservação da natureza. Após darem a volta na quadra pedindo a preservação da natureza e o cuidado com os animais, os pequenos plantaram mudas de árvores frutíferas.
Durante o ano – e, em especial, na semana municipal do meio ambiente -, os alunos realizam atividades que abordam temas como o cuidado com rios, mares e animais. A aluna Micaela Ramirez Roque, de cinco anos, participou da caminhada acompanhada do pai Claison Soares Roque, que diz apoiar a iniciativa da escola. “As crianças são o nosso futuro e precisam aprender sobre plantar, não jogar lixo no chão, não maltratar uma formiguinha sequer”, destaca.
A diretora da Meu Pedacinho de Chão Deborah de Medeiros ressalta que o intuito é despertar nos alunos, desde cedo, o respeito com a natureza. “O objetivo é o de conscientizar os alunos, as famílias e a comunidade em geral sobre a importância do cuidado e da valorização da natureza”, reforça. A confecção de cartazes em casa, buscando o envolvimento dos familiares, foi uma das ações propostas.
As mudas de árvores plantadas pelos alunos foram cedidas pela secretaria do Meio Ambiente. “É importante semear a conscientização dos cuidados com o meio ambiente desde cedo”, afirma a diretora da Educação Ambiental da secretaria, Mari Celeste Santos. O subprefeito do quadrante sudoeste Carlos Eri também salientou como fundamental o trabalho com os pequenos. Eri lembrou, inclusive, o fato de os alagamentos terem relação direta com a falta de conscientização das pessoas que descartam lixo em locais inadequados. A atividade estava prevista para ocorrer no Dia Mundial do Meio Ambiente, celebrado em 5 de junho, mas precisou ser adiada em função da chuva.

 

Meio Ambiente conscientiza sobre o descarte correto de resíduos em Canoas

Município: Canoas

Secretaria ofereceu informações sobre coleta seletiva e descarte de lixo eletrônico CRÉDITO: VINICIUS THORMANN/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Secretaria ofereceu informações sobre coleta seletiva e descarte de lixo eletrônico CRÉDITO: VINICIUS THORMANN/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Quem passou pela Praça da Emancipação na tarde da última segunda-feira, dia 5 de junho, viu uma série de resíduos sólidos sobre uma mesa, embalados separadamente e etiquetados. Todos tinham preço: o quilo do isopor valia R$ 1,50; da lata de alumínio, R$ 3,30; das embalagens Tetra Pak, R$ 0,33; e do jornal, R$ 0,30. Esses são os valores pagos às cooperativas pelos resíduos que são recicláveis. O lixo seco que é recolhido na coleta seletiva é encaminhado para as cinco cooperativas de Canoas, onde hoje trabalham 136 pessoas.
“Para a maioria das pessoas é lixo. Para nós, é a matéria-prima do nosso trabalho. É importante as pessoas terem dois lixos em casa, um para resíduos orgânicos e outro para secos. O resto é conosco, nós separamos os resíduos do lixo seco que chegam pela coleta seletiva. Além de ajudar o meio ambiente, isso garante o sustento de várias famílias”, destaca a cooperada Ana Cláudia Silveira Rosa, da Cooperativa de Trabalho Amigas e Amigos Solidários (Cooarlas).
Também estiveram na Praça da Emancipação representantes da Cooperativa de Reciclagem Tecnológica (Coopertec), que recolhe o lixo eletrônico e providencia o descarte adequado, sem custos à população. “É fundamental dar o destino correto aos resíduos eletroeletrônicos, porque além de serem extremamente prejudiciais ao meio ambiente, demoram para decompor na natureza e oferecem risco de contaminação”, alerta o presidente da Coopertec José Crispim Soares.
Entre os resíduos que podem ser destinados à Coopertec, estão todo o tipo de equipamentos de informática, fios e cabos, baterias, geladeiras, freezer, liquidificador, televisões e controle remoto. A Coopertec pode ser acionada pelos telefones (0xx51) 98276-5704, 99756-9565, 99470-7966 e 98416-9301.
Além da diretoria de Resíduos e Coleta Seletiva, comandada pelo diretor Luiz Carlos Júnior, a diretoria de Educação Ambiental também esteve na Praça da Emancipação divulgando o seu trabalho. “Estamos distribuindo húmus e demonstrando as hortas verticais, que são uma opção para pequenos espaços e que implantamos em algumas escolas. Durante toda a Semana do Meio Ambiente, estamos realizando também plantio de mudas, palestras e atividades nas escolas”, relata a diretora de Educação Ambiental da secretaria de Meio Ambiente Mari Celeste Cancelli dos Santos. A diretoria de parques e praças também participou do evento, divulgando informações sobre a doação de mudas, poda de árvores, limpeza de praças e realização de eventos em praças.
Mudas de árvores são plantadas no município
Dentro da programação da semana do Meio Ambiente da cidade, foi realizado na última terça-feira, dia 6 de junho, o plantio de 100 mudas de árvores em três diferentes pontos do município. As mudas foram divididas entre a praça da Escola Municipal de Educação Infantil Anísio Teixeira, na rua Ernesto Che Guevara, Loteamento Pôr do Sol; na praça do Residencial Capri, na rua Dr. Breno Roberto Cassel, Jardim Ideal; e na praça do Residencial Bela Vista II, na avenida Açucena.
A ação contou com a presença de membros do Lions Club Canoas Centro, em alusão ao Centenário do Lions Internacional. O pedido para o plantio das árvores foi feito pela própria entidade. De acordo com o biólogo da secretaria municipal do Meio Ambiente (SMMA) Mauro Proença, as espécies de árvores são todas nativas e frutíferas. “Temos exemplares de Araçá, Cambuim, Pitanga, entre outros. Com estes tipos de árvores, nós conseguimos atrair algumas espécies de aves para a região, diversificando também a fauna”, explica Proença.
Estiveram presentes no evento o diretor de praças e parques da SMMA Érico Inda, além dos membros do Lions Club Canoas Centro, o presidente Iltamar Rodrigues; o primeiro vice-presidente, Carlos Alberto Maack; o assessor para trabalhos com surdos, Arlei Fortes; a diretora social, Marilene Neumann; a vice-diretora social, Ana Vieser; Denério Neumann e sua esposa, Roneida Vieira.