Inventário de emissões de gases de efeito estufa é apresentado em Canoas

Município: Canoas

Iniciativa visa a formulação de políticas públicas para a redução da emissão de poluentes CRÉDITO: DERLI COLOMO JÚNIOR/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Iniciativa visa a formulação de políticas públicas para a redução da emissão de poluentes CRÉDITO: DERLI COLOMO JÚNIOR/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Na última sexta-feira, o município deu mais um passo importante na implementação de uma agenda climática com a realização do seminário Impactos da mudança climática em áreas urbanas e o desafio da governança local. Na ocasião, foi apresentado o 1º Inventário de Emissões de Gases de Efeito Estufa (GEE) do município, que é uma peça técnica fundamental para o desenvolvimento de ações e políticas públicas que visam a redução da emissão de poluentes.
O evento aconteceu no salão da Câmara de Indústria, Comércio e Serviços de Canoas (Cics) e reuniu autoridades, lideranças locais e representantes da Rede Global Governos Locais pela Sustentabilidade (Iclei), principal associação mundial de governos locais dedicados ao desenvolvimento sustentável. O objetivo do seminário foi conscientizar as autoridades locais sobre a importância e a necessidade da implantação de políticas públicas no município, de forma a cumprir as obrigações assumidas junto ao governo federal.
A vice-prefeita Gisele Uequed destaca que Canoas é uma das cidades pioneiras do Rio Grande do Sul na implementação de uma agenda climática. Junto com Porto Alegre, o município está entre os associados da Rede Global Iclei. “Em 2017, assumimos esse compromisso junto ao Iclei para transformar Canoas em uma cidade ambientalmente responsável e sustentável. Estamos pensando no futuro do município, por isso, não medimos esforços para identificar as nossas fontes produtoras de gases de efeito estufa com o objetivo de pensar em ações e políticas públicas para reduzir a emissão desses poluentes em nossa cidade”, destaca Gisele.
O secretário do Meio Ambiente (SMMA) Paulo Paim explica que o primeiro inventário de Canoas foi desenvolvido com a participação de todas as secretarias municipais, que apontaram as principais fontes diretas e indiretas da emissão de gases. “A partir desses dados, o inventário foi desenvolvido através de uma metodologia específica do Iclei. O perfil de emissões de gases da cidade está relacionado à mobilidade e aos resíduos sólidos. Agora, será possível elaborar estratégias de redução de emissão de gases, bem como viabilizar ações para que o município se adapte às mudanças climáticas”, ressalta o secretário.
Sobre os próximos passos, Paim afirma que, com o inventário, o município está credenciado a ser apresentado pelo Iclei a empresas nacionais e internacionais que necessitam de credenciamento internacional como empresas sustentáveis, através da compra de créditos de carbono. “As empresas poderão financiar os nossos projetos que visam a mudança da matriz energética do município. Além disso, Canoas terá que criar um comitê de enfrentamento para diminuir a geração de gases de efeito estufa, o que envolve o poder público e a sociedade”, completa.
A iniciativa está sendo conduzida pela secretaria de Meio Ambiente, através da diretoria de Licenciamento, Fiscalização e Monitoramento. Ainda estão envolvidos no projeto as demais secretarias municipais, Cics e Ministério Público de Canoas.
Ainda, na manhã da última sexta-feira, a vice-prefeita Gisele recebeu em seu gabinete a engenheira ambiental e urbana do Iclei, Iris Coluna, e o chefe das áreas responsáveis pela mitigação das emissões de gases de efeito estufa e adaptação às mudanças climáticas, José Miguez, para uma conversa informal sobre os problemas climáticos e ambientais que preocupam lideranças políticas.
Gisele reforçou o compromisso de Canoas com a sustentabilidade e colocou o município à disposição do Iclei para continuar avançando no enfrentamento à emissão de poluentes. Sobre a importância da iniciativa, Miguez afirma: “Saber o nível de emissão de poluentes é essencial para que, em uma segunda etapa, seja possível realizar medidas e programas para reduzir essas emissões. Enquanto isso, o Iclei promove, junto com a prefeitura, capacitações com funcionários públicos para o desenvolvimento dessa agenda climática”.

Envelhecimento e inclusão social são debatidos em evento em Canoas

Município: Canoas

Seminário Internacional Sesc de Envelhecimento aconteceu nesta semana, no Teatro do Sesc CRÉDITO: TONY CAPELLÃO/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Seminário Internacional Sesc de Envelhecimento aconteceu nesta semana, no Teatro do Sesc CRÉDITO: TONY CAPELLÃO/DIVULGAÇÃO/CIDADES

O 3º Seminário Internacional Sesc de Envelhecimento, que aconteceu na última segunda e terça-feira, no teatro do Serviço Social do Comércio (Sesc) de Canoas, na avenida Guilherme Schell, nº 5.340, reuniu centenas de pessoas em torno da temática A sociedade como um espaço de envelhecimento e inclusão social. O grande destaque da programação foi o pesquisador Frank Oswald, da Universidade de Frankfurt (Alemanha), que ministrou a palestra Gerontologia ambiental. Transmitida ao vivo pelos canais oficiais do Sesc-RS na internet, a palestra ministrada pelo professor Oswald combinou teoria científica com exemplos práticos e pode ser conferida na íntegra no site www.youtube.com/sescrs.
Segundo o pesquisador, comumente observamos apenas os aspectos funcionais do envelhecimento, mas precisamos pensar na integração dessas pessoas com o ambiente. Pertencimento, integração e conforto são fundamentais para um processo de envelhecimento saudável. Isso é possível, por exemplo, através das dinâmicas com os bairros, que têm como consequências a construção de um senso de comunidade. “Processos de agência refletem em conduta diária, atividades cotidianas. Caminhar pelo bairro produz caminhos, identidade e pertencimento. Temos que ser parte da vizinhança”, sugere Oswald. O pesquisador vai além: pondera que a união entre ambiente e pessoa também se aplica à rotina doméstica, desde a organização do lar a gestos considerados banais, como com quem ou o que assistir na televisão, como aproveitar o espaço interno e em qual momento parar para a contemplação, por exemplo, das pessoas que passam pela rua.
Segundo a gerente de Educação e Ação Social do Sesc-RS Lisângela Antonini, o seminário tem o propósito de instigar a reflexão sobre o bem-estar dos idosos em relação aos ambientes urbanos. Conforme Johannes Doll, professor na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Ufrgs), a iniciativa é uma excelente oportunidade para reverberar a discussão além dos ambientes comuns ao tema. “Não é uma questão individual nem social, mas de diálogo comum entre todos os entes”, conclui Doll.
O seminário é uma realização do Sistema Fecomércio-RS/Sesc em parceria com o Centro de Estudos Europeus e Alemães (Ufrgs/Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul – Pucrs) e apoio do Conselho Estadual da Pessoa Idosa do RS, Sistema Fecomércio-RS/Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac) e prefeitura de Canoas, e recursos do Fundo Estadual da Pessoa Idosa (Funepi).
Programa Gerações completa um ano do seu lançamento
Há um ano, durante o 2º Seminário Internacional Sesc de Envelhecimento, o prefeito Luiz Carlos Busato lançou o programa que iria modificar a vida dos idosos da cidade. Em agosto de 2017, o Programa Gerações foi apresentado ao público e, desde então, tem mostrado excelentes resultados. Na tarde da última terça-feira, durante a terceira edição do mesmo seminário, o prefeito Busato retornou ao palco de apresentação do Gerações para contar como está sendo a experiência deste primeiro ano de programa.
Durante o painel, os participantes do seminário puderam ouvir relatos de três integrantes do programa. Os idosos gravaram depoimentos em vídeo, contando, brevemente, um pouco da vivência nesses últimos meses. O Gerações vai formar a sua primeira turma de 60 idosos em setembro. Até o início das aulas, em março, a prefeitura realizou os trâmites de inscrições e sorteio das vagas.
Em sua fala, o prefeito recapitulou os principais pontos do Gerações e a motivação para a criação do programa. “Há muitas barreiras que isolam o idoso do convívio social, e a exclusão digital é uma delas. O Gerações está mudando esses padrões, fazendo com que essas pessoas agreguem novos conhecimentos e voltem a ser socialmente ativas, quebrando essas barreiras que os impedem de se inserir em diversos meios”, ressalta Busato.
Em parceria com o Senac, o programa, inédito no País, oferece aulas teóricas e práticas. As aulas teóricas acontecem sempre no turno da tarde, duas vezes por semana, com duração de quatro horas. Já a parte prática do Gerações consiste na realização de estágios em órgãos da prefeitura, três vezes por semana. Das 60 vagas, 29 foram destinadas para idosos com renda de até dois salários-mínimos, 29 para os que não possuem renda e duas vagas destinadas a idosos com deficiência. Foram formadas duas turmas, cada uma com 30 alunos. Além do kit contendo material escolar e camisetas, os idosos ainda recebem uma bolsa-auxílio mensal no valor de R$ 727,00.

Construção de duas novas escolas infantis se inicia em Canoas

Município: Canoas

Instituições serão construídas nos bairros Harmonia e Niterói CRÉDITO: DERLI COLOMO JÚNIOR/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Instituições serão construídas nos bairros Harmonia e Niterói CRÉDITO: DERLI COLOMO JÚNIOR/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Na última quinta-feira, a prefeitura deu início às obras de construção de duas novas escolas de Educação Infantil que irão beneficiar centenas de famílias das comunidades dos bairros Niterói e Harmonia. Juntas, as duas instituições irão receber 752 novos alunos e vão contribuir para a virada histórica conquistada pela atual gestão, que, em apenas 18 meses, reduziu em 50% o déficit de vagas em Educação Infantil, zerando o déficit da pré-escola. As escolas devem entrar em funcionamento no meio do ano que vem.
A prefeita em exercício, Gisele Uequed, lembrou que a falta de vagas para crianças de até seis anos era uma das principais reclamações da população há anos. “Recebíamos, em todos os bairros da cidade, queixas de pais que não tinham onde deixar as crianças. Estamos trabalhando de maneira contínua para reduzir o déficit, e essas escolas vêm para contribuir com isso”, afirmou.
A futura Escola Municipal de Educação Infantil (Emei) do bairro Harmonia será na rua Rio dos Sinos, nas proximidades da Escola Municipal de Ensino Fundamental (Emef) Gonçalves Dias. Já a Emei do Niterói será na rua Itamar de Mattos Maia, local que também receberá um Centro de Referência de Assistência Social (Cras). Ambas serão construídas em terrenos próprios da prefeitura, que têm 2,8 mil metros quadrados de área. O espaço contempla 10 salas de aula, playground, jardim, cozinha, refeitório, lactário, sala de higienização, lavanderia, sanitários, área coberta, depósito, sala multiuso e salas administrativas. As duas escolas totalizam um investimento de R$ 4.894.476,94.
O início dessas obras é fruto do trabalho em conjunto de diversas secretarias municipais. As pastas trabalharam para recuperar os valores junto ao governo federal e possibilitaram que, efetivamente, as construções se iniciassem. Além da prefeita em exercício, participaram da solenidade o prefeito Luiz Carlos Busato, que compareceu mesmo estando afastado; secretários da administração; representantes das empresas contratadas para a execução dos serviços; professores; e alunos da rede municipal de educação.

Bikeco já recolheu quase 17 toneladas de recicláveis em Canoas

Município: Canoas

Iniciativa, que integra o Programa Canoas Sem Carroças, é reconhecida pela população CRÉDITO: VINICIUS THORMANN/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Iniciativa, que integra o Programa Canoas Sem Carroças, é reconhecida pela população CRÉDITO: VINICIUS THORMANN/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Quase 17 toneladas de materiais recicláveis foram recolhidos nos primeiros 30 dias de funcionamento do Bikeco no Centro de Canoas. O trabalho foi realizado pelos recicladores que utilizam as bicicletas ecológicas (Bikecos) para coletar papelão, plástico, pet, latinhas, entre outros. A iniciativa integra o Programa Canoas Sem Carroças, da prefeitura, que prevê a proibição da circulação de carroças em toda a cidade dentro de dois anos. A proibição se iniciou pelo Centro e o programa envolve diversas secretarias municipais.
Os dados ainda apontam que, no período, foram realizadas três blitze educativas para conscientizar os canoenses sobre o Canoas Sem Carroças, nas quais foram abordados 600 condutores. Atualmente, estão em atividade no Centro 10 bicicletas ecológicas, acopladas a gaiolas, onde são armazenados os resíduos recicláveis. Já a Cooperativa de Catadores de Materiais Recicláveis de Canoas (Coopcamate) conta com 14 recicladores cooperados.
O Bikeco foi lançado em junho deste ano como uma alternativa às carroças de tração animal no Centro de Canoas. Além dos números, o programa também tem alcançado grande impacto social. Os recicladores Simeão Cardozo Rodrigues e Antônio Gabriel da Fonseca Garcia foram dois dos contemplados com a oportunidade de trabalhar na cooperativa. “Antes, eu vendia bala na rua e, quando tinha um tempo, fazia reciclagem. Agora, consigo sustentar toda a minha família com o Bikeco”, comenta Rodrigues, que tem quatro filhos.
Já Garcia, pai de dois filhos, um que ainda está a caminho, estava desempregado e comemora a oportunidade de trabalhar com o Bikeco: “Para mim, a reciclagem é uma profissão, é o meu sustento e a minha responsabilidade diária. Sei que moradores e comerciantes já estão esperando logo pela manhã que eu passe para pegar o material. Antes, as pessoas deixavam os resíduos recicláveis nas calçadas, agora já esperam a gente chegar para entregar, isso ajuda muito também na aparência da cidade, deixa Canoas mais bonita”.
A proprietária de um dos comércios na rua Cândido Machado, Débora Pellegrini, diz que é fã do Bikeco e que toda manhã já separa o material para a entrega. “Já tenho um carinho especial pelos meninos do Bikeco. Quando os vejo virando a esquina, já vou buscar o material reciclável. Eles tocam a buzina da bicicleta, levo tudo o que tenho para frente da loja e eles vêm buscar, já temos uma parceria”, relata. Débora ainda afirma que o projeto “é bom para o meio ambiente, para os animais – que não sofrem mais -, para os trabalhadores que garantem seu salário e, também, para incentivar comerciantes e a população a separar o lixo corretamente e a não jogar em qualquer lugar”.
O coordenador do Programa Canoas Sem Carroças, Alex Szekir, também comemora o sucesso que o Bikeco vem tendo. “Acredito que conseguimos atingir nosso objetivo inicial, que era proibir a circulação de carroças de tração animal no Centro em defesa dos animais, bem como realizar o cadastramento social de carroceiros, realizar ações de qualificação desses coletores, fazer a adequação e qualificação da coleta seletiva de resíduos sólidos na região e proporcionar melhorias na mobilidade urbana”, diz. Szekir ainda ressalta que o projeto deve ser ampliado em breve para outros bairros de Canoas, com o objetivo de atender a uma lei que determina que, no prazo de dois anos, todas as carroças de tração animal devem ser proibidas no município.
Os recicladores destacam a importância de a população realizar a separação do lixo. “As pessoas devem separar o lixo orgânico do restante do material que pode ser reciclado, para que possamos pegar para a reciclagem. Já os vidros quebrados devem ser enrolados em um jornal para que ninguém se corte”, explica Rodrigues. Entre os materiais recicláveis, estão diversos tipos de vidro, papel, papelão, metal, plástico, tecido e componentes eletrônicos.

Juventude de bairro de Canoas se mobiliza por um espaço de cidadania

Município: Canoas

Espaço Multicultural Guajuviras será lançado na Semana Municipal da Juventude, em agosto CRÉDITO: DERLI COLOMO JÚNIOR/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Espaço Multicultural Guajuviras será lançado na Semana Municipal da Juventude, em agosto CRÉDITO: DERLI COLOMO JÚNIOR/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Um amplo espaço cercado por muros bem no coração do Guajuviras esconde a efervescência artística, cultural e cidadã do bairro. São mais de 30 jovens mobilizados em fomentar a cidadania do segundo bairro mais populoso de Canoas e o com a maior diversidade cultural da cidade. As lideranças locais estão engajadas em transformar a sede da escola de samba Unidos do Guajuviras em um espaço sociocultural. “O Guajuviras é um bairro pulsante, temos muitos talentos escondidos aqui que precisam de um espaço para desenvolver suas potencialidades e mostrar para Canoas que aqui há cultura, mobilização e diversidade artística”, ressalta a psicóloga e voluntária Letícia Peres.
O Projeto Espaço Multicultural Guajuviras é a solução encontrada pela juventude do bairro para fomentar suas potencialidades e oportunizar um local para oficinas e capacitações, possibilitando uma renda para os moradores do bairro. “Além de cultura e arte, queremos oferecer diversas oficinas que possam gerar renda para a comunidade. A ideia é agregar os moradores do Guajuviras, os empreendedores sociais e o poder público em um espaço de desenvolvimento da cidadania”, completa Letícia.
Morador do bairro há 30 anos, o rapper Adriano Peixoto, conhecido como D Play, faz questão de desconstruir a percepção que muitas pessoas têm do bairro: “O Guajuviras é conhecido como um bairro violento, mas há muitos artistas aqui da música, da literatura, da dança e das artes plásticas, bem como empreendedores, estudantes e universitários, que, muitas vezes, precisam de um local para compartilhar ideias e experiências. Por isso, o Espaço Multicultural é praticamente uma incubadora de projetos, onde esses talentos poderão se encontrar para desenvolver seu potencial. Então, queremos também centralizar e potencializar outros projetos que já acontecem no bairro, trazendo a comunidade para dentro do local”. D Play ainda afirma que estão buscando parceiros da sociedade civil para apoiar a iniciativa.
Um dos incentivadores do projeto, o secretário especial da Juventude da prefeitura, Rubielson Medeiros, destaca que “o Guajuviras tem uma característica especial, pois os jovens daqui são protagonistas de suas histórias. São vários artistas, estudantes e empreendedores jovens que buscam uma mobilização social em prol de toda a comunidade. O espaço será uma referência cultural e de cidadania para Canoas, um modelo a ser seguido. Os jovens organizados e mobilizados do bairro promovem soluções inovadoras para os desafios da juventude”.
O Espaço Multicultural Guajuviras será lançado durante a programação da Semana da Juventude, no dia 11 de agosto, com diversas atividades, como mutirão de grafite, capoeira, apresentação de dança, taekwondo, contação de história, teatro, mostra de filme e palestras sobre saúde, e contará com a mobilização da força jovem e dos escoteiros para uma caminhada da rótula do Guajuviras até o espaço. A programação se iniciará às 9h e se estenderá até as 17h, na quadra da escola de samba Unidos do Guajuviras, na avenida 17 de Abril.
Com o tema Juventude, um fazer de cidadania, a 12ª Semana da Juventude de Canoas acontecerá entre os dias 6 e 11 de agosto com o objetivo de valorizar o jovem canoense, promovendo conhecimento, reflexão, diversão, lazer, esporte, cultura, informação e troca de experiências em uma ampla programação. Ainda, a Semana Municipal da Juventude também tem como propósito promover eventos como palestras, teatroe  música para estabelecer o debate e a reflexão sobre as temáticas que abordam os diversos aspectos do relacionamento entre os jovens. O evento é uma iniciativa da diretoria da Juventude da prefeitura.