Hortas e composteiras auxiliam no aprendizado de educação ambiental em Canoas

Município: Canoas

Alunos assistem a palestras e consomem alimentos plantados na própria escola CRÉDITO: VINICIUS THORMANN/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Alunos assistem a palestras e consomem alimentos plantados na própria escola CRÉDITO: VINICIUS THORMANN/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Alunos da rede municipal de ensino recebem educação ambiental diariamente por meio das hortas escolares e do uso de composteiras nas escolas. A composteira é uma espécia de caixa de madeira, onde são depositados restos de alimentos, como cascas de frutas e verduras e cascas de ovo vindos da própria cozinha da escola. Em cerca de seis meses, esse material se transforma em adubo orgânico, que é utilizado nas hortas. “A compostagem é uma forma de aproveitamento de resíduos orgânicos, cujo resultado é a formação do adubo rico em nutrientes. Esse adubo é usado nas hortas, que são uma maneira de oferecer às crianças a experiência de observar a transformação de semente e mudas em alimentos saudáveis”, explica a diretora de Educação Ambiental da secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Smas), Mari Celeste Cancelli dos Santos.
Atualmente, 21 escolas municipais possuem horta ativada, 26 escolas têm composteiras ativas e 23 estão em processo de ativação da compostagem. A adesão ao programa de educação ambiental não é obrigatória. Na Escola Municipal de Educação Infantil (Emei) Cara Melada, no bairro Guajuviras, as crianças plantam, colhem e consomem couve, repolho, alface, chás e temperos. “Eles mesmos colhem e fazem a salada. Eles gostam muito”, conta a secretária da escola, Roseli Xavier. A escola possui 189 alunos entre seis meses e seis anos de idade.
Além de promover a educação ambiental, a composteira também possibilita economia à escola, que passou a poupar cerca de R$ 60,00 mensais com a redução do uso de sacos de lixo. “Entre 60% e 65% do lixo produzido aqui na escola é reaproveitável. Isso não é lixo, é matéria-prima, que vira um importante composto que é usado na horta. As crianças podem comer verduras totalmente orgânicas. A ideia é que elas aprendam e levem esse conhecimento para casa”, relata o assessor da diretoria de Educação Ambiental Derli Petry, que, além de fazer as composteiras e auxiliar as escolas na manutenção das hortas, faz palestras para os alunos.
Derli destaca a importância do cuidado que se deve ter com a composteira para evitar mau cheiro e proliferação de ratos. “Eu oriento o pessoal que trabalha na cozinha das escolas que optam por ter a composteira. O trabalho só dá certo se a cozinha pegar junto. Podem ser colocados na composteira cascas de frutas e verduras, borra de café, erva de chimarrão, casca de ovo, folhas, mas não pode restos de comida, nada que tenha tempero”, explica.
Em parceria com a diretoria de Parques e Praças, a diretoria de Educação Ambiental vai iniciar o plantio de árvores nas escolas para garantir as brincadeiras na sombra aos alunos. Serão plantadas árvores nativas e frutíferas, como laranjeiras, jabuticabeiras e bergamoteiras, vindas do viveiro do parque Getúlio Vargas (Capão do Corvo), local onde também há seis composteiras.

 

Atividades especiais lançam Programa de Esporte e Lazer em Canoas

Município: Canoas, Sem categoria

Início das aulas ocorreu no último dia 16 de março CRÉDITO: PREFEITURA MUNICIPAL DE CANOAS/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Início das aulas ocorreu no último dia 16 de março CRÉDITO: PREFEITURA MUNICIPAL DE CANOAS/DIVULGAÇÃO/CIDADES

A secretaria municipal de Esporte e Lazer (Smel) marcou, na última quinta-feira, dia 16 de março, o início das atividades do Programa de Lazer, Atividade Física e Saúde (Plafs) nos diferentes espaços esportivos da cidade. A organização mobilizou os frequentadores em aulas especiais no Parque do Capão do Corvo, Centro de Esporte e Lazer Mathias Velho, Praça da Juventude Nelson Mandela, Centro de Esporte e Lazer São José, Praça CEU e Centro Martin Luther King.
No Capão do Corvo, os frequentadores lotaram a sala de ginástica para acompanhar a aula de zumba do professor João Henrique da Silva Neto. Entre os alunos, a pedagoga Helena Trevisan, moradora do bairro Marechal Rondon, relata que frequenta o parque há 20 anos e hoje faz as aulas de local e zumba. “Acredito que a população precisa valorizar espaços como este, que proporcionam aulas de graça. Mantenho meu preparo físico aqui sem precisar pagar com musculação fora”, contou Helena, destacando entre outros benefícios a formação de grupos de amigos que convivem juntos há anos. “Quase todos os alunos se conhecem”, acrescentou.
Para quem precisa queimar calorias, a zumba é uma excelente opção, garante o professor João Henrique. “No mínimo, o aluno perde 500 calorias, podendo chegar até mil, dependendo da intensidade do treinamento. A zumba, por exemplo, permite a socialização dos alunos, gasto calórico. Inclusive pessoas portadoras de deficiência podem fazer, assim como alunos da terceira idade ou com problemas de lesão. O professor consegue adaptar o ritmo ao perfil do público”, explicou o professor. Para participar das aulas oferecidas no município, o aluno precisa fazer a inscrição no local, já levando um atestado médico.
O titular da Smel Roberto Tietz frisa a importância do trabalho estratégico das atividades esportivas oferecidas no município. “Quem faz uma aula está cuidando do corpo e como consequência evitando problemas de saúde futuros, apenas para citar um exemplo”, disse Tietz.

 

Mutirão Odontológico atende 195 pacientes em Canoas na sua segunda etapa

Município: Canoas

Iniciativa ocorreu no último sábado, dia 18, e contou com uma equipe de 30 profissionais CRÉDITO: PREFEITURA MUNICIPAL DE CANOAS/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Iniciativa ocorreu no último sábado, dia 18, e contou com uma equipe de 30 profissionais CRÉDITO: PREFEITURA MUNICIPAL DE CANOAS/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Depois de realizar 147 atendimentos no dia 2 de fevereiro, o Mutirão de Odontologia teve sua segunda etapa cumprida no último sábado, dia 18. A iniciativa, que acontece no Centro de Especialidades Odontológicas (CEO), atendeu 195 pessoas e contou com uma equipe de 30 profissionais, formada por cirurgiões dentistas, especialistas em Edondontia e Periodontia, cirurgiões bucomaxilofaciais, técnicos e auxiliares em Saúde Bucal.
Para essa fase, 600 pacientes da demanda reprimida – que chegava a 2,3 mil consultas na área odontológica no início de janeiro – foram contatados para receber atendimento. Dos 260 que agendaram a consulta, 65 não compareceram, o que representa um índice de ausência de 25%. De acordo com a secretaria municipal de Saúde, o não comparecimento implica na retirada automática da lista dos mutirões, que já têm as próximas edições marcadas para os dias 11 e 25 de março.
“Nós temos pacientes esperando há dois anos por atendimento, então essa é uma oportunidade de acesso ao tratamento bucal, por isso é importante que ele compareça. Adiar mais ainda dessa consulta pode agravar a situação, levando até a perda de dentes que poderiam ser recuperados, dependendo do caso”, alerta a coordenadora odontológica Alessandra Valdez.
A espera por atendimento, que pode chegar a mais de um ano em algumas especialidades odontológicas, deverá ser reduzida depois de a agenda ser colocada em dia. “Fiz hoje um tratamento de canal e já reagendei para continuar o procedimento no próximo mutirão”, conta a auxiliar administrativa Alessandra Furtado, que aguardava atendimento desde junho de 2016.
Já a aposentada Rosi Ballejo, que até pouco tempo tinha plano de saúde, foi beneficiada com o mutirão assim que decidiu utilizar o Sistema Único de Saúde (SUS). “Acabei esperando apenas 15 dias pela consulta com o dentista em função do mutirão. Estou muito surpresa e satisfeita, pois imaginei que enfrentaria longas filas agora que os planos ficaram caros para mim”, relata. O cidadão que precisar de atendimento odontológico e que não tiver consulta marcada nos mutirões poderá procurar uma das 28 Unidades Básicas de Saúde (UBSs) do município.

 

Programa Criança Feliz será implantado em Canoas

Município: Canoas

Programa foi apresentado aos profissionais envolvidos na iniciativa intersetorial CRÉDITO: VINICIUS THORMANN/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Programa foi apresentado aos profissionais envolvidos na iniciativa intersetorial CRÉDITO: VINICIUS THORMANN/DIVULGAÇÃO/CIDADES

 

Diversas pesquisas científicas indicam que os primeiros anos de vida são decisivos para o desenvolvimento humano integral. A realidade de muitas famílias de baixa renda, no entanto, não permite que a primeira infância seja tratada com cuidado e atenção. Pensando nisso, o governo federal, por meio do Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário (MDSA), criou o Programa Criança Feliz, que visa acompanhar os primeiros passos de crianças de zero a seis anos junto às suas famílias.
Lançado em outubro de 2016, o programa elegeu os municípios aptos a implantá-lo nesta primeira fase e, entre os 110 escolhidos no Rio Grande do Sul, está Canoas. Por ter um histórico de atuação preventiva no desenvolvimento infantil por meio do Primeira Infância Melhor (PIM), que funciona desde 2003, a cidade é uma das poucas no País com experiência prévia neste tipo de acompanhamento social.
Com termo de aceite assinado, o município agora se prepara para a capacitação para realizar o Programa Criança Feliz, que foi oficialmente apresentado na tarde da última quinta-feira, dia 9 de fevereiro, aos profissionais envolvidos na iniciativa intersetorial. O encontro aconteceu na secretaria de Desenvolvimento Humano e Social – responsável por mediar o projeto -, e contou com a presença do titular da pasta, Vandré Padilha, do coordenador do PIM, Bebeto Azevedo; do secretário de Relações Institucionais, Airton Souza; da secretária de Saúde, Rosa Groenwald; e membros dos setores encarregados.
Após 14 anos de trabalho voltado a crianças inseridas em situação de vulnerabilidade social, o PIM vai atuar lado a lado com o Criança Feliz, que surge no âmbito federal para atender ao Marco Legal da Primeira Infância, instituído no ano de 2016 pela Lei nº 13.257. A legislação ressalta a necessidade da integração de esforços da União, dos estados, dos municípios, das famílias e da sociedade no sentido de promover e defender os direitos das crianças e ampliar as políticas que promovam o desenvolvimento na primeira infância.
Na prática, o programa irá acompanhar semanalmente as famílias compostas de crianças de zero a seis anos por meio de visitas a domicílio. As ações vão integrar áreas como saúde, assistência social, educação, justiça e cultura. No município, a meta é assistir a evolução de 500 crianças por ano nesta primeira etapa. O Criança Feliz deverá priorizar gestantes e crianças de até três anos de idade beneficiárias do Programa Bolsa Família, crianças de até seis anos que recebem o Benefício de Prestação Continuada e aquelas afastadas do convívio familiar por medida protetiva.

 

Canoas oferece aulas de musculação gratuitas à população

Município: Canoas

São oferecidas aulas de musculação com instrutor quatro vezes por semana, em diferentes horários CRÉDITO: VINICIUS THORMANN/DIVULGAÇÃO/CIDADES

São oferecidas aulas de musculação com instrutor quatro vezes por semana, em diferentes horários CRÉDITO: VINICIUS THORMANN/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Para quem quer manter a forma no município e não pode investir altos valores em academias privadas, uma excelente opção é oferecida dentro do Centro Olímpico Municipal, no bairro Igara. Quatro vezes por semana e em diferentes horários, sendo um especial para a terceira idade, são oferecidas aulas de musculação, com instrutor presente no local e equipamentos modernos. O gerente do centro Paulo Lopes explica os requisitos necessários para quem pretende fazer aula no local. “A idade mínima é de 15 anos. O aluno precisa levar um atestado médico atualizado e documento de identidade. Aprovado, o instrutor prepara o treino de acordo com os objetivos”, explicou.
Conforme Lopes, o espaço possibilita a obtenção dos mesmos resultados de uma academia privada. “Temos todos os exercícios tradicionais, bicicletas ergométricas, cross over, leg press, cadeira flexo-extensora, banco de supino, remada, puxada, voador peitoral e dorsal. Cabe ao aluno optar pela hipertrofia (ganho de massa muscular) ou exercícios de resistência muscular localizada para definição e manutenção da musculatura. Nossos instrutores são registrados no Conselho Regional de Educação Física (Cref)”, acrescentou.
O espaço conta com alunos fiéis. A aposentada Nazaré Leon, de 70 anos, moradora do Igara, frequenta a academia há 25 anos. “Meus filhos e netos também já frequentaram. Nunca precisei pagar para me manter em forma”, ressalta Nazaré, que, além de musculação, faz aulas de localizada, alongamento e ginástica. Para Adriana Rosso, que mora no bairro Estância Velha, a proximidade dos instrutores é um diferencial. “A sensação é que não existe uma relação de cliente, como na academia. O professor tem um atenção especial conosco”, conta a moradora, que há dois anos faz musculação.