Seminário de Gestão de Pessoas reúne grande público em Bento Gonçalves

Município: Bento Gonçalves

Encontro da ADRH-BG teve reflexões, atualização de conhecimento e networking em dia de intensa programação CRÉDITO: LARISSA SPASIN/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Encontro da ADRH-BG teve reflexões, atualização de conhecimento e networking em dia de intensa programação CRÉDITO: LARISSA SPASIN/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Os mais de 400 profissionais que participaram do 8º Seminário de Gestão de Pessoas, promovido pela Associação de Recursos Humanos de Bento Gonçalves (ADRH-BG) experimentaram um dia diferente de reflexão, atualização de conhecimento e networking. Com programação intensa, o encontro concentrou suas atividades no dia 12 de setembro, no Dall’Onder Grande Hotel, oferecendo um circuito de palestras com qualificados conferencistas, atrações artísticas e acesso a novidades apresentadas por empresas e prestadores de serviço ligados à área.
“Esse encontro foi uma oportunidade única para compartilhar e desfrutar do conhecimento de especialistas sobre aquele que é o principal desafio na gestão de pessoas: engajar. Vivemos um momento de transformação, em que novas demandas chegam a uma velocidade jamais vista na rotina das pessoas no ambiente de trabalho. Conduzir as equipes por esse caminho é o papel que esperamos dos líderes na área de Gestão de Pessoas: que sejam inspiradores, formem alianças, atraiam e desenvolvam talentos comprometidos com o sucesso das empresas. O seminário certamente contribui ao incitar a reflexão acerca dessa realidade”, disse a presidente da entidade ADRH-BG, Lisandra Bresiani.
Debatendo o tema Engajamento: a verdadeira excelência das organizações de sucesso, nomes como Eduardo Shinyashiki, Soraia Schutel, Constança Meirelles, Silvana Mello, Nelson Bittencourt e Mario Sérgio Cortella compartilharam seus pontos de vista acerca desse conceito.
Eduardo Shinyashiki apresentou Excelência: um espetáculo refinado, perfeito!, uma palestra energizante, que sentenciou que a excelência começa a ser construída quando a pessoa está aberta a receber novas informações ou conhecimentos, mostrando-se disposta a evoluir. Ele comentou, também, sobre os novos conceitos que norteiam o mundo do trabalho. “Na década de 1980, o desafio do líder era delegar responsabilidades. Hoje, é engajar, no sentido de mostrar como a empresa é coerente com os valores e princípios da equipe. Somente dessa forma é possível dar sentido ao trabalho e obter, portanto, o comprometimento”, disse.
Soraia Schutel falou sobre Engajamento com propósito: ressignificando o sentido do trabalho. Diante da constatação de que 80% da população ativa no Brasil se declara infeliz no trabalho, Soraia fez um alerta: “Fomos educados para a cultura do ter, e não pelo valor do ser. Essa distância gigante entre o ‘ter’ e o ‘ser’ é o que gera pouco engajamento e, porque não dizer, felicidade no universo do trabalho. A autorrealização da pessoa requer que ela esteja conectada com seus grandes sonhos e saiba o propósito de fazer aquilo que está fazendo, especialmente se essas ações estiverem vinculadas a um objetivo maior”, disse. Quando as empresas conseguem atrair colaboradores alinhados com o propósito organizacional – processo que é fruto do autoconhecimento empresarial – elas são eficazes em vender o “porquê” daquilo que fazem – com influência direta nos resultados obtidos.
Constança Meirelles, com a palestra Você, o protagonista do seu futuro, afirmou categoricamente que a carreira não pode ser um fardo para o colaborador. Constança destacou o papel do líder enquanto agente capaz de ajudar as pessoas da equipe a descobrirem aquilo que as motiva. “É preciso ajudar os indivíduos no processo de autoconhecimento: quem eu sou, o que eu faço, onde estou e o que me move. Caso contrário, o profissional é atropelado pela falta de contato com a essência de sua existência”, disse.
Já Silvana Mello apresentou Engajamento e o papel da liderança: potencializando pessoas e equipes na busca de resultados com excelência, uma palestra interativa, quando convidou os participantes a refletirem sobre o que significa ser um líder atualmente. “Lembremos sempre: uma liderança forte e consistente eleva o patamar de engajamento da empresa. A liderança, hoje, colaborativa, é fundamental para reduzir o gap de engajamento que acomete a maior parte das empresas. Por isso, o líder precisa estar ciente de seu impacto e de seu legado: ele tem obrigação consigo, com os clientes, com os colaboradores, com a organização e com a comunidade onde está inserido.”
Nelson Bittencourt falou sobre Construção e manutenção de equipes engajadas: realidade ou utopia?. Em um universo caoticamente contaminado pela urgência com que as inovações são apresentadas, é fundamental que as pessoas estejam dispostas a praticar o exercício da atualização permanente, porém, na medida certa – sem abrir mão de estar em contato com sua essência. “Esse equilíbrio verdadeiro é o que torna possível a construção de uma equipe coesa: integrada em um mesmo propósito e aberta ao novo.”
Por fim, Mario Sérgio Cortella apresentou a palestra Cenários turbulentos, mudanças velozes: negação, proteção ou superação?. Atração mais aguardada da programação, Cortella cativou o auditório durante uma palestra expositiva que pontuou os tempos modernos com pinceladas de filosofia. Com incisões fortemente reflexivas, convidou os participantes a pensarem acerca de seu comportamento – criticou o conformismo, a omissão e a falta de coragem. Também convidou o público a refletir sobre a diferença entre ser idoso e ser velho. “Idoso é aquilo que tem muita idade, mas velho é qualquer um que acredita já ter visto de tudo e já ter aprendido tudo o que precisa saber. Quando a pessoa deixa de estar aberta ao novo, ela fica velha”, conclui.

Eles na Cozinha celebra 40 anos da Liga de Combate ao Câncer

Município: Bento Gonçalves

Jantar beneficente ocorreu na noite de 26 de agosto, reunindo mais de mil participantes e 18 cozinhas CRÉDITO: FABIANO MAZZOTTI/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Jantar beneficente ocorreu na noite de 26 de agosto, reunindo mais de mil participantes e 18 cozinhas CRÉDITO: FABIANO MAZZOTTI/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Um show de solidariedade, acompanhado pelo melhor da gastronomia e marcado pela emoção – assim foi a XIX edição da comenda Eles na Cozinha, jantar beneficente promovido pela Liga de Combate ao Câncer de Bento Gonçalves. O encontro reuniu mais de mil pessoas no hall do Parque de Eventos na noite do último sábado, dia 26. Além de experimentar as delícias de 18 cozinhas, com cardápios exclusivos e ricos em sabor, o público pôde acompanhar um dos momentos mais marcantes na história da entidade assistencial: a comemoração de seu 40º aniversário de fundação.
“Preparamos tudo com muito amor para compartilhar com a comunidade essa passagem tão especial para nós, e também como forma de retribuir todo o carinho e acolhida que recebemos da sociedade diariamente, ano após ano. Tenham certeza que esse apoio é o que dá força para cada uma de nós, voluntárias, procurarmos fazer sempre mais pelas pessoas”, disse a presidente Maria Lúcia Gava Severa.
A celebração dos 40 anos da entidade teve apresentação de um vídeo institucional e, entre os destaques, a homenagem à voluntária Geli Farina, uma das idealizadoras da Liga em Bento Gonçalves e reconhecida como grande incentivadora de seus projetos. Também a atual presidente, Maria Lúcia Gava Severa, e sua diretoria receberam o agradecimento público pela dedicação e comprometimento com a causa.
O compromisso da entidade com a continuidade do trabalho em prol de quem luta contra o câncer foi, mais uma vez, renovado graças ao sucesso do Eles na Cozinha – cuja arrecadação é integralmente revertida para a manutenção dos atendimentos oferecidos, atualmente, a cerca de 800 pacientes por mês. Quem procura a Liga encontra suporte multidisciplinar e diversas formas de auxílio no processo de tratamento da doença, conforme a necessidade de cada paciente.
O gostinho da solidariedade do jantar beneficente Eles na Cozinha foi, em 2017, preparado pelas 18 cozinhas participantes desta edição: Cinex, Pratomil, Associação das Indústrias de Móveis do Estado do Rio Grande do Sul (Movergs), Sindicato das Indústrias do Mobiliário de Bento Gonçalves (Sindmóveis), Carraro, Todeschini, Zegla, Dalmóbile, Piva, Promob, Câmara de Indústria e Comércio (CIC)/ExpoBento, Multimóveis, Ameb, Bertolini, Geremia, Akeo, Super Apolo e Câmara de Dirigente Lojistas (CDL). Os convidados puderam degustar, também, as entradas oferecidas pela Casa da Ovelha e a sobremesa da Gelato Leopoldina, além da coffee-table oferecida pelo café Dolce Gusto – Nestlé, participando, pela primeira vez, como parceira do jantar, e da Itallinny Biscotteria. A festa seguiu com show ao vivo da banda Sunset.

 

Inscrições para Avaliação Nacional de Vinhos, em Bento Gonçalves, abrem nesta terça-feira

Município: Bento Gonçalves

Degustadores interessados em participar poderão garantir vaga pelo site da ABE CRÉDITO: JEFERSON SOLDI/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Degustadores interessados em participar poderão garantir vaga pelo site da ABE CRÉDITO: JEFERSON SOLDI/DIVULGAÇÃO/CIDADES

O evento mais concorrido do Brasil pelos apreciadores de vinhos se aproxima. Trata-se da 25ª Avaliação Nacional de Vinhos – Safra 2017. Depois de inscritas pelas vinícolas, coletadas e avaliadas às cegas por enólogos, as amostras serão apresentadas para um público de 850 apreciadores, que degustará na taça 16 vinhos classificados entre os 30% representativos da safra. Este grande momento será no dia 23 de setembro e a corrida para garantir a vaga se inicia às 8h30min de amanhã, dia 29 de agosto, pelo site da Associação Brasileira de Enologia (ABE) – entidade promotora -, www.enologia.org.br.
A experiência, única no mundo, leva o participante a mergulhar no universo dos vinhos brasileiros. São mais de oito horas de evento, entre abertura, degustação e comentários, homenagens, prova de espumantes e almoço. Um momento também de aprendizado e confraternização. Para o presidente da ABE, enólogo Edegar Scortegagna, é importante que o público fique atento ao período das inscrições, pois as vagas costumam esgotar no primeiro dia. “A Avaliação Nacional de Vinhos é a maior degustação de vinhos de uma safra do mundo e, por isso, um evento muito disputado. A paixão e curiosidade pelo mundo do vinho une centenas de pessoas de todo o Brasil e do exterior”, ressalta.
A 25ª Avaliação Nacional de Vinhos – Safra 2017 superou os números das quatro últimas edições, alcançando 332 amostras de 59 empresas. Até o dia 31 deste mês, os vinhos serão todos coletados nas vinícolas e durante o mês de agosto serão avaliados às cegas por um grupo de mais de 100 enólogos brasileiros. Com a chancela da Organização Internacional da Vinha e do Vinho (OIV) e da União Internacional de Enólogos (Uioe), as degustações seguem normas internacionais sob coordenação técnica da Embrapa Uva e Vinho, que sedia em seu Laboratório de Análise Sensorial a prova dos vinhos. A avaliação também conta com o apoio do Instituto Federal do Rio Grande do Sul (IFRS) – campus Bento Gonçalves e da Universidade Federal do Pampa (Unipampa) – campus Dom Pedrito.
O resultado é compartilhado com o grande público no dia 23 de setembro, no maior momento do vinho brasileiro. 16 amostras, classificadas entre os 30% representativos da safra 2017, são degustadas às cegas por todos, que somente ao final do evento ficam sabendo as variedades e vinícolas. Cada amostra é comentada por um dos convidados especiais que integram o painel de comentaristas. Assim, o evento segue seu caráter lúdico e educativo, permitindo a cada participante fazer sua própria análise e comparar suas impressões com as de especialistas no assunto.
O investimento para associado é de R$ 250,00. Não associados pagam R$ 310,00. A partir deste ano, a Fundaparque, administradora do Parque de Eventos onde ocorre a avaliação, passará a cobrar R$ 10,00 para o estacionamento. A cobrança será aplicada a todos os veículos que acessarem o parque, oferecendo cobertura de seguro, além de atuar com uma equipe responsável pela orientação e segurança do local.

 

Lideranças empresariais visitam obras da nova sede de entidades em Bento Gonçalves

Município: Bento Gonçalves

Prédio vai acolher as novas sedes do CIC-BG, da Movergs e do Sindmóveis CRÉDITO: EXATA COMUNICAÇÃO/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Prédio vai acolher as novas sedes do CIC-BG, da Movergs e do Sindmóveis CRÉDITO: EXATA COMUNICAÇÃO/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Marco do fortalecimento do associativismo em Bento Gonçalves, o prédio que acolherá as novas sedes do Centro da Indústria, Comércio e Serviços da cidade (CIC-BG), da Associação das Indústrias de Móveis do Estado do Rio Grande do Sul (Movergs) e do Sindicato das Indústrias do Mobiliário de Bento Gonçalves (Sindmóveis) recebeu a visita de representantes das três entidades na manhã de 12 de agosto – oportunidade em que conheceram algumas das particularidades das instalações, cuja previsão de entrega é no mês de novembro deste ano.
O complexo tem 5,2 mil metros quadrados de área construída, contando pavimentos que abrigarão área administrativa, salas, garagem e auditório para 700 pessoas. Esse espaço é um dos destaques da engenharia da obra – mesmo alocado no piso térreo, consegue manter amplos vãos livres, sem a interferência de pilares estruturais. Tal solução é fruto do uso de vigas de concreto protendido, extremamente resistente e frequentemente utilizado em pontes e viadutos. Opção segura, permitiu manter a funcionalidade pretendida para o auditório sem qualquer comprometimento à estrutura da edificação. O prédio também tem elevadores e garagem coberta.
Muito além dos diferenciais estruturais que garantem conforto e comodidade, o projeto tem relevante significado também político – assinala a proposta de trabalho conjunto das entidades em favor dos setores que representam e, principalmente, do desenvolvimento socioeconômico de toda a região. “Estamos protagonizando uma das conquistas mais relevantes de nossa história, que revela a maturidade das instituições e o compromisso de somarmos esforços em favor do bem coletivo”, disse o presidente do CIC-BG, Laudir Miguel Piccoli.
Momento ímpar na trajetória das entidades, a entrega da nova sede é, também, demonstração de como o cooperativismo gera resultados positivos, na opinião do presidente da Movergs, Volnei Benini. “Essa é uma vitória para o segmento empresarial e que certamente vai permitir que tenhamos muitas outras conquistas em conjunto”, avaliou. Para o presidente do Sindmóveis, Edson Pelicioli, a nova estrutura vai possibilitar que o sindicato ofereça mais e melhores serviços a seus associados. “Esse é um projeto que se iniciou em 2004 e pode ser viabilizado pela parceria entre as entidades. Precisamos sempre exaltar o associativismo desse projeto, que é um dos pilares na atuação do Sindmóveis e uma das razões que elevaram o cluster moveleiro local à posição de destaque que ocupa hoje. Esse centro empresarial trará desenvolvimento para Bento Gonçalves, na medida em que estreita ainda mais os laços entre as entidades e as oportunidades de atuação conjunta”, disse.
Durante o encontro, a comitiva foi recepcionada pelo diretor da Construtora Poletto, Cedamir Poletto, responsável pela execução da obra, que conduziu a visita técnica pelos pavimentos e conheceu algumas das características do projeto. A construção da nova sede é fruto de uma aliança entre o CIC-BG, Sindmóveis e Movergs, que usufruirão do prédio. Além dessas três entidades, também a Associação das Empresas de Construção Civil do Vale dos Vinhedos (Ascon Vinhedos), o Sindicato Empresarial de Gastronomia e Hotelaria Região Uva e Vinho (Segh), o Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Vale do Vinhedos (Simplavi) e o Sindicato das Empresas de Transportes de Cargas de Bento Gonçalves (Sindibento) já confirmaram a aquisição de salas no imóvel para abrigar suas sedes administrativas.

 

Pesquisador da Embrapa palestra em aula inaugural do IFRS em Bento Gonçalves

Município: Bento Gonçalves

Luciano Gebler falou aos alunos do curso de Agronomia na última quinta-feira, dia 10 CRÉDITO: EXATA COMUNICAÇÃO/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Luciano Gebler falou aos alunos do curso de Agronomia na última quinta-feira, dia 10 CRÉDITO: EXATA COMUNICAÇÃO/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Para não correr o risco de ser penalizado pela fiscalização ambiental por descuido ou despreparo, o ideal é o produtor traçar um plano de gestão na área. A recomendação é do agrônomo e pesquisador da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) Luciano Gebler, conferencista da aula inaugural do curso de Agronomia do Instituto Federal do Rio Grande do Sul (IFRS) – Campus Bento Gonçalves, ocorrida na última quinta-feira, dia 10, na sede do educandário. Também evento satélite do Seminário Brasileiro de Gestão Ambiental de Agropecuária a ser realizado na Feira de negócios e tecnologia em resíduos, águas, efluentes e energia (Fiema) Brasil 2018 – encontro promovido pela Fundação Proamb – a aula-palestra teve como tema Por que nos preocuparmos com a gestão ambiental na propriedade rural?
Falando a uma plateia formada por representantes do poder público, entidades, lideranças, alunos, agrônomos e técnicos agrícolas, Gebler reiterou a importância da classe ao ser a responsável por estabelecer a comunicação com o agricultor, traduzindo a linguagem técnica para o dia a dia do produtor. “Muitos fazem, ainda hoje, o que o pai e o avô faziam. Por isso, nós temos que levar a legislação ambiental a eles, mostrar a importância de conhecer a lei e os códigos, bem como lembra-los de que existem assessorias e entidades especializadas para oferecer o suporte necessário e auxiliar no cumprimento dessas normas que, apesar de antigas, recentemente começaram a ser fiscalizadas”, disse o agrônomo, mestre em Engenharia Ambiental pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e doutor em Recursos Hídricos e Saneamento Ambiental pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Ufrgs). “Na área ambiental, tudo é melhor se for tratado antecipadamente do que posteriormente. É melhor preparar a propriedade do que incorrer em algum problema com a lei”, orientou.
Para ele, o mais difícil é mudar a mentalidade das pessoas, já que muitos aspectos relacionados à agricultura se transformaram nos últimos anos. “Uma vez tu compravas a terra e ela era tua. Hoje não, ela tem que cumprir sua função social. Então, se não dava nada em 1988 (época da Constituição), hoje não temos mais certeza. Se não mudarmos com essa questão ambiental, vem o fiscal e faz você mudar, porque senão vai preso”. Segundo ele, desempenhar uma gestão ambiental adequada depende da identificação dos riscos derivados de determinada atividade, pois assim saberá como proceder nas situações mais emergenciais da propriedade. Em muitos casos – ou na maioria deles -, tudo será relativo. “Água não faz mal, mas se você tomar 50 litros, você vai morrer”, comparou. “Tudo é risco, nada é risco, depende da dose”.
Nesse contexto, situa o agrotóxico, produto com mais de 2 mil princípios ativos em diferentes famílias químicas. “Tenho três ministérios dizendo que é seguro, e eles fizeram testes. Pouca gente domina todo o ciclo dos agrotóxicos. Ele é seguro na forma dispersa e inseguro na forma concentrada”, explicou. Por isso, disse que esses produtos precisam ser manejados sobre um piso, o que facilita sua remoção em caso de queda – caso contrário, contaminará o solo. Por motivos assim, a gestão ambiental é – e continuará sendo – assunto na pauta das propriedades rurais. Esse planejamento pode começar com o próprio produtor fazendo o mapeamento da área – a partir de um croqui, do Cadastro Ambiental Rural ou de softwares como o Google Maps – e descobrindo os pontos de riscos ambientais (ecológicos, sociais e econômicos). Com a ajuda de técnicos, então, pode gerenciar os riscos – o que fazer primeiro, como fazer – e apresentar as soluções – responsabilidade e temporalidade. Aos alunos, Gebler deixou como recomendação: “não olhem a gestão ambiental como uma coisa estranha e sim como uma parte importante da vivência dentro do curso”.
A Fiema Brasil – feira de negócios, tecnologia e conhecimento em meio ambiente – chega a sua oitava edição em 2018, agendada para ocorrer de 10 a 12 de abril, no Parque de Eventos de Bento Gonçalves. Com previsão de reunir 200 expositores e público visitante de aproximadamente 10 mil pessoas, está consolidada como importante encontro estratégico no segmento de gestão ambiental. Além das oportunidades de negócio, tem uma agenda concomitante de atividades voltadas para a transmissão de conhecimentos na programação de eventos do Fiemacon. Quem assina sua realização é a Fundação Proamb, entidade com mais de 25 anos de atuação em soluções ambientais. Mais informações podem ser obtidas no site www.fiema.com.br.