Diretoria da Pessoa com Deficiência de Canoas promove oficina de braile

Município: Canoas

Atividade reuniu servidores públicos e convidados e abordou os aspectos práticos do funcionamento do sistema CRÉDITO: VINICIUS THORMANN/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Atividade reuniu servidores públicos e convidados e abordou os aspectos práticos do funcionamento do sistema CRÉDITO: VINICIUS THORMANN/DIVULGAÇÃO/CIDADES

A diretoria municipal da Pessoa com Deficiência, em parceria com a secretaria municipal de Cultura e Turismo e a Associação dos Deficientes Visuais de Canoas (Adevic), promoveram, na última quinta-feira, dia 4, uma oficina em alusão ao Dia Mundial do Braille. A atividade reuniu servidores públicos e convidados e abordou os aspectos práticos do funcionamento do sistema.
Além das dificuldades na acessibilidade física, as pessoas com deficiência também enfrentam barreiras na comunicação e aprendizado. Para deficientes visuais, o problema poderia ser ainda maior. Isso porque o conhecimento, seja na educação ou na informação, em geral, se dá pela leitura. Sem enxergar, deficientes visuais jamais poderiam ter o prazer de ler um livro ou se informar. Criado há quase 200 anos por Louis Braille, na França, o braille tornou-se o meio indispensável na formação social e política de cegos, possibilitando processo de alfabetização.
A oficina consistiu em uma explanação teórica sobre a origem e estrutura do Sistema Braille, além de atividades práticas sobre o processo de leitura e escrita utilizado por pessoas cegas. Foram mostrados e experimentados materiais específicos que possibilitam a aprendizagem do Sistema Braille, tais como reglete e punção e máquina braile. A atividade contou com a presença da presidente do Conselho Municipal dos Direitos das Pessoas com Deficiência, Kelly Oliveira, e de diretores da secretaria especial de Integração Institucional e da secretaria municipal da Educação.
O diretor da Pessoa com Deficiência, Jair Silveira, afirmou que a oficina “faz parte de uma das metas da diretoria para 2018: a execução do Projeto Calendário Cultural Inclusivo”. O diretor também salientou a importância do Sistema Braille para o segmento das pessoas com deficiência, pois ele atende o deficiente visual que, através da escrita e da leitura, proporciona a informação e a comunicação dentro do processo de inclusão.