Bikeco já recolheu quase 17 toneladas de recicláveis em Canoas

Município: Canoas

Iniciativa, que integra o Programa Canoas Sem Carroças, é reconhecida pela população CRÉDITO: VINICIUS THORMANN/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Iniciativa, que integra o Programa Canoas Sem Carroças, é reconhecida pela população CRÉDITO: VINICIUS THORMANN/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Quase 17 toneladas de materiais recicláveis foram recolhidos nos primeiros 30 dias de funcionamento do Bikeco no Centro de Canoas. O trabalho foi realizado pelos recicladores que utilizam as bicicletas ecológicas (Bikecos) para coletar papelão, plástico, pet, latinhas, entre outros. A iniciativa integra o Programa Canoas Sem Carroças, da prefeitura, que prevê a proibição da circulação de carroças em toda a cidade dentro de dois anos. A proibição se iniciou pelo Centro e o programa envolve diversas secretarias municipais.
Os dados ainda apontam que, no período, foram realizadas três blitze educativas para conscientizar os canoenses sobre o Canoas Sem Carroças, nas quais foram abordados 600 condutores. Atualmente, estão em atividade no Centro 10 bicicletas ecológicas, acopladas a gaiolas, onde são armazenados os resíduos recicláveis. Já a Cooperativa de Catadores de Materiais Recicláveis de Canoas (Coopcamate) conta com 14 recicladores cooperados.
O Bikeco foi lançado em junho deste ano como uma alternativa às carroças de tração animal no Centro de Canoas. Além dos números, o programa também tem alcançado grande impacto social. Os recicladores Simeão Cardozo Rodrigues e Antônio Gabriel da Fonseca Garcia foram dois dos contemplados com a oportunidade de trabalhar na cooperativa. “Antes, eu vendia bala na rua e, quando tinha um tempo, fazia reciclagem. Agora, consigo sustentar toda a minha família com o Bikeco”, comenta Rodrigues, que tem quatro filhos.
Já Garcia, pai de dois filhos, um que ainda está a caminho, estava desempregado e comemora a oportunidade de trabalhar com o Bikeco: “Para mim, a reciclagem é uma profissão, é o meu sustento e a minha responsabilidade diária. Sei que moradores e comerciantes já estão esperando logo pela manhã que eu passe para pegar o material. Antes, as pessoas deixavam os resíduos recicláveis nas calçadas, agora já esperam a gente chegar para entregar, isso ajuda muito também na aparência da cidade, deixa Canoas mais bonita”.
A proprietária de um dos comércios na rua Cândido Machado, Débora Pellegrini, diz que é fã do Bikeco e que toda manhã já separa o material para a entrega. “Já tenho um carinho especial pelos meninos do Bikeco. Quando os vejo virando a esquina, já vou buscar o material reciclável. Eles tocam a buzina da bicicleta, levo tudo o que tenho para frente da loja e eles vêm buscar, já temos uma parceria”, relata. Débora ainda afirma que o projeto “é bom para o meio ambiente, para os animais – que não sofrem mais -, para os trabalhadores que garantem seu salário e, também, para incentivar comerciantes e a população a separar o lixo corretamente e a não jogar em qualquer lugar”.
O coordenador do Programa Canoas Sem Carroças, Alex Szekir, também comemora o sucesso que o Bikeco vem tendo. “Acredito que conseguimos atingir nosso objetivo inicial, que era proibir a circulação de carroças de tração animal no Centro em defesa dos animais, bem como realizar o cadastramento social de carroceiros, realizar ações de qualificação desses coletores, fazer a adequação e qualificação da coleta seletiva de resíduos sólidos na região e proporcionar melhorias na mobilidade urbana”, diz. Szekir ainda ressalta que o projeto deve ser ampliado em breve para outros bairros de Canoas, com o objetivo de atender a uma lei que determina que, no prazo de dois anos, todas as carroças de tração animal devem ser proibidas no município.
Os recicladores destacam a importância de a população realizar a separação do lixo. “As pessoas devem separar o lixo orgânico do restante do material que pode ser reciclado, para que possamos pegar para a reciclagem. Já os vidros quebrados devem ser enrolados em um jornal para que ninguém se corte”, explica Rodrigues. Entre os materiais recicláveis, estão diversos tipos de vidro, papel, papelão, metal, plástico, tecido e componentes eletrônicos.