Bento em Dança segue com apresentações até este sábado em Bento Gonçalves

Município: Bento Gonçalves

25ª edição do festival deve reunir mais de 6 mil bailarinos CRÉDITO: SOLANGE AVELINO/DIVULGAÇÃO/CIDADES

25ª edição do festival deve reunir mais de 6 mil bailarinos CRÉDITO: SOLANGE AVELINO/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Apenas nos dois primeiros dias de Bento em Dança, 161 coreografias povoaram o palco de um dos mais importantes festivais do País em uma mistura de gêneros que coloca em cena a performance de crianças e adolescentes da Argentina, Brasil, Chile, Itália, Uruguai e Venezuela. A 25ª edição, que se iniciou no dia 7 de outubro, será embalada por 627 coreografias nas oito noites de concursos, 18 oficinas durante o dia, além de apresentações na Mostra Aberta em dois palcos montados na cidade. O festival segue até sábado, dia 14, devendo reunir mais de 6 mil bailarinos. Os espetáculos acontecem no pavilhão E do Parque de Eventos de Bento Gonçalves e os ingressos podem ser adquiridos no local por R$ 20,00.
A apresentação do primeiro bailarino do Theatro Municipal do Rio de Janeiro Cícero Gomes, e da primeira solista Melissa Oliveira, foi o grande destaque da noite de abertura com a exibição do Grand Pas de Deux do Cisne Negro que faz parte do terceiro ato do Ballet Lago dos Cisnes. Dramático, o balé é dividido em quatro atos, com música de Tchaikovsky composta em 1876, e coreografia de Marius Petipá e Lev Ivanov, estreada em 1895. Eles se apresentaram entre os dois blocos do concurso, que, nesta edição, já começou no primeiro dia do evento em razão do grande número de coreografias inscritas.
Somente no dia 7, foram 76 coreografias de balé clássico de repertório e do neoclássico e clássico livre. No domingo, dia 8, o número subiu para 85, contemplando, ainda, Técnicas Contemporâneas de Dança. Os mesmos gêneros seguem até hoje. Nesta quarta-feira, dia 11, é que começam a figurar estilo livre, jazz e danças urbanas. E, para quem aprecia danças populares e sapateado, a noite de sexta-feira, 13, é a indicada.
No último dia do festival, 14, acontece a Gala de Encerramento, com a apresentação dos grandes vencedores, um espetáculo para quem aprecia a arte. Para a presidente do Bento em Dança, Erci Grapiglia, o festival celebra a pluralidade cultural e dá voz à dança. “Nesses 25 anos, ajudamos a transformar alunos em grandes bailarinos, viabilizamos intercâmbios que transformaram a vida de muitos estudantes e promovemos a dança como uma expressão artística. E fizemos tudo isso por amor à arte, por compreender que através da dança é possível comunicar, emocionar, interagir”.
Durante o dia, também no pavilhão E, milhares de bailarinos se dedicam ao aperfeiçoamento profissional em oficinas ministradas por 13 professores especializados em diferentes áreas. Serão 69 horas de aulas, em uma maratona que reúne técnica, sensibilidade, habilidade, dedicação e muito treino. A programação se inicia às 9h e segue até às 16h com oficinas em espaços simultâneos montados especialmente para proporcionar aos bailarinos, além do contato com grandes nomes da dança, a oportunidade de evoluir tecnicamente. Bento em Dança é uma realização da Associação Cultural Bento Gonçalves e conta com o patrocínio da Companhia Energética Rio das Antas (Ceran), da Companhia Riograndense de Saneamento (Corsan) e do Banrisul.