Fórum de Educação reúne mais de 2 mil educadores em Novo Hamburgo

Município: Novo Hamburgo

Objetivo do encontro é promover o compartilhamento de experiências com base no protagonismo CRÉDITO: BÁRBARA VIACAVA/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Objetivo do encontro é promover o compartilhamento de experiências com base no protagonismo CRÉDITO: BÁRBARA VIACAVA/DIVULGAÇÃO/CIDADES

O primeiro dia de recesso escolar da rede municipal de ensino foi de formação para os educadores. Promovido pela prefeitura, a partir da secretaria de Educação (Smed), o 14º Fórum de Educação foi realizado, simultaneamente, em dez diferentes espaços da cidade. A temática foi Falas em Rede: aprendizagens e protagonismo no processo pedagógico. Cerca de 2,2 mil educadores participaram do fórum.
O objetivo do encontro é promover o compartilhamento de experiências com base no protagonismo. Os temas foram divididos em dois eixos: o primeiro sobre aprendizagens e protagonismo na infância, e o segundo sobre aprendizagens e protagonismo na adolescência, na juventude e na fase adulta. Em cada um dos espaços, professores apresentam trabalhos desenvolvidos nas escolas municipais com diferentes temáticas que envolvem o universo da Educação, como sustentabilidade, inclusão, gestão escolar e alfabetização.
O fórum também destina espaço para o debate. “É uma troca de experiência única, a oportunidade de dialogar e refletir sobre as diferentes aprendizagens, mostrando o protagonismo docente, que influencia também no protagonismo estudantil”, destaca a secretária de Educação, Cristiane Sousa Costa, que acompanhou a atividade ao lado da diretora de Educação, Elize Huegel Pires.
Para a professora da Escola Municipal de Ensino Fundamental (Emef) Irmão Nilo, Rozane Schweig, este é um importante momento de formação. “É uma troca de culturas e teorias que mudam de uma escola para outra. Alguns trabalhos me remeteram a minha infância, sobre o resgate de brincadeiras, do aconchego, do abraço”, resumiu. O agente comunitário de Saúde, Carlos Athayde, também participou do encontro compartilhando suas experiências de trabalho. “É um espaço maravilhoso para compartilhar boas ideias, pois todas as regiões se unem e trocam suas experiências. Com certeza quem está participando terá outras boas ideias para replicar em suas comunidades. É uma luz para criar novos projetos”, afirmou.
Ao todo, nos dez espaços, 114 educadores apresentaram seus trabalhos e 41 expuseram banners. A Smed reunirá as produções, descritas em artigos, na publicação dos anais do 14º Fórum Municipal de Educação.

 

Projeto do curso de Psicologia da Univates oferece apoio a mulheres de Lajeado

Município: Lajeado

Cerca de 80 mulheres já participaram do programa, que existe desde 2014 CRÉDITO: ELISE BOZZETTO/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Cerca de 80 mulheres já participaram do programa, que existe desde 2014 CRÉDITO: ELISE BOZZETTO/DIVULGAÇÃO/CIDADES

A Lei Maria da Penha prevê o atendimento integral às mulheres em situação de violência. Mas tirar a legislação do papel ainda é um desafio que precisa ser superado. As vítimas acabam percorrendo um caminho fragmentado e cheio de dificuldades em busca da justiça, deparando-se com problemas de transporte, repetição de relatos e violência institucional, sendo atendidas muitas vezes por profissionais pouco sensibilizados que reproduzem as discriminações contra a mulher nos serviços de atendimento.
O caminho para sair da situação de violência é árduo e o apoio é fundamental. O Serviço de Assistência Jurídica da Univates (Sajur) faz a defesa gratuita de vítimas de violência pela Lei Maria da Penha. Sensibilizados com as dificuldades enfrentadas pelas mulheres, que em muito transcendem a questão legal, os profissionais do Sajur desenvolveram, em parceria com o curso de Psicologia da Univates, um projeto para acolher, apoiar e dar suporte às mulheres na continuidade de sua luta pela liberdade.
O Projeto Recomeçar, assim batizado pelo grupo de mulheres que dele participa, foi criado em 2014, por meio do projeto de extensão Ações de Suporte à Lei Maria da Penha. Vinculado ao Sajur, o projeto é realizado pelas disciplinas de estágio do curso de Psicologia. Todas as semanas, um grupo de estagiárias faz a mediação do encontro de mulheres em situação de violência doméstica. Até hoje, cerca de 80 mulheres já contaram suas histórias, apoiaram-se e encontraram no grupo um recomeço para suas vidas.
As estudantes Geni Inês Antoniazzi e Ana Maria Kist, ambas do 8º semestre do curso de Psicologia, admiram a autonomia que o grupo desenvolveu. “Foi de fato um recomeço para essas mulheres. Elas viraram grandes protagonistas. Hoje, no grupo, elas sabem discernir quando uma precisa falar mais que a outra. A rede de apoio que se formou foi fundamental e de grande crescimento para todas”, comenta Geni. O grupo também formou diversas militantes pelo fim da violência. “Muitas mulheres que conseguiram sair da violência hoje são porta-vozes da busca pela justiça. Ministram palestras, participam de entidades, dão suporte às novas ingressantes quanto aos caminhos a serem percorridos, serviços que funcionam e os que não funcionam também”, relata Ana.
Mas o começo, como qualquer começo, foi dolorido. “No início, há resistência, medo, vergonha da fala. Em contrapartida, os vínculos que vão sendo estabelecidos no grupo, a confiança, tornam essas mulheres uma verdadeira rede de apoio”, enfatiza Geni. “Elas aprendem a se respeitar e a respeitar a trajetória de cada uma, o que fortalece e enriquece o grupo, gerando autonomia. Esse estágio me mostrou como é importante escutar e ter respeito pela história de cada um”, revela Ana.
Para as estudantes, não há uma solução pronta e a intervenção que o curso faz é mínima. Há, sim, uma mediação, uma escuta, um espaço para que o apoio parta do próprio grupo. “Não há uma solução pronta, é construída com elas uma ressignificação das experiências de cada uma”, finaliza Geni. O grupo se reúne todas as terças-feiras, das 14h30min às 15h30min, nos períodos de março a junho e de agosto a dezembro. Os encontros são realizados na sede do Sajur (avenida Benjamin Constant, nº 2.718, bairro Florestal). Pode participar a comunidade atendida pelo Sajur e pela rede de serviços. As mulheres acolhidas podem levar seus filhos, pois o Sajur conta com um espaço lúdico para as crianças. Mais informações podem ser obtidas de terça a quinta-feira, das 8h às 12h e das 13h30min às 17h30min, pelo telefone (0xx51) 3714-7038 ou pelo e-mail sajur@univates.br.

 

Seminário nacional vai abordar o ensino de línguas e da literatura em Lajeado

Município: Lajeado

Evento acontece entre os dias 24 e 26 de agosto CRÉDITO: TUANE EGGERS/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Evento acontece entre os dias 24 e 26 de agosto CRÉDITO: TUANE EGGERS/DIVULGAÇÃO/CIDADES

De 24 a 26 de agosto, a Univates realiza, por meio do curso de Letras, o Seminário Nacional de Ensino de Línguas e de Literatura. O evento chega a sua terceira edição e engloba os encontros estaduais de professores de Língua Portuguesa e Literatura, Língua Inglesa e Língua Espanhola. O objetivo do seminário é promover trocas de experiências e aprendizagens.
Dentre as abordagens que serão trabalhadas, estão reflexões sobre o currículo da área da linguagem, a formação do leitor do ponto de vista linguístico e literário e a interface com as mídias digitais, além de um debate sobre o uso de materiais didáticos para o ensino de línguas. A programação reúne as atividades do VIII Encontro Estadual de Professores de Língua Portuguesa e de Literatura, XVII Encontro Estadual de Professores de Língua Inglesa e XII Encontro Estadual de Professores de Língua Espanhola, com espaço para oficinas de leitura, escrita e de teatro; mostra de curtas; exposição de livros; painéis e grupos de trabalhos.
Por ser aberto à comunidade, o evento integra docentes de diferentes instituições de ensino – em especial da Educação Básica, acadêmicos da Univates e de outras universidades, pesquisadores e estudiosos e representantes das secretarias municipais de Educação. O evento tem o apoio da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes). O valor da inscrição para participar do seminário varia entre R$ 40,00 e R$ 60,00. Mais informações podem ser obtidas no site do seminário, pelo e-mail snell@univates.br ou pelo telefone (0xx51) 3714-7000, ramal 5553.
Professores, acadêmicos e pesquisadores podem apresentar seus trabalhos referentes a temas em debate no seminário. Os autores podem optar por enviar resumos nas categorias Comunicação Científica ou Relato de Experiência. Nessas categorias, eles devem escolher entre os eixos temáticos Práticas de ensino de língua materna; Práticas de ensino de língua estrangeira; Literatura e formação do leitor; e Linguagens e Ensino.
A submissão dos resumos pode ser feita, até o dia 7 de agosto, pelo site www.univates.br/evento/encontro-linguas. No dia 20 de agosto serão divulgados os trabalhos aceitos, os quais deverão ser enviado de forma completa, também pelo site do evento, até 31 de agosto.

 

Projeto estuda aplicação de nanomateriais no setor calçadista em Novo Hamburgo

Município: Novo Hamburgo

Ideia é chegar a protótipos para serem aplicados no material têxtil utilizado no setor CRÉDITO: ANA KNEVITZ /DIVULGAÇÃO/CIDADES

Ideia é chegar a protótipos para serem aplicados no material têxtil utilizado no setor CRÉDITO: ANA KNEVITZ /DIVULGAÇÃO/CIDADES

Os nanomateriais são substâncias que são fabricadas e utilizadas em escala muito pequena. Esses materiais, na escala nano, podem apresentar propriedades diferentes de quando em escala macro, o que faz com ofereçam muitas utilidades técnicas. Na Universidade Feevale, um projeto de pesquisa estuda a utilização de nanomateriais na indústria têxtil-calçadista, uma área ainda pouco desenvolvida no Rio Grande do Sul.
Coordenado pelo professor Fernando Dal Pont Morisso, o Projeto Preparação de material nanoestruturado a ser utilizado na indústria têxtil e calçadista tem o objetivo de preparar materiais têxteis contendo óleos essenciais nanoencapsulados de longo período de liberação. De acordo com o professor Morisso, a ideia do projeto, conduzido no Laboratório de Estudos Avançados em Materiais, é chegar a protótipos de nanomateriais para serem aplicados no material têxtil utilizado no setor coureiro-calçadista.
Os pesquisadores estudam métodos de se produzir esse nanomaterial que será depositado no tecido que será um dos componentes do calçado, o qual pode ter várias possibilidades de uso, entre as quais, os óleos essenciais para hidratação, para tratamento de cicatrizes, para evitar o odor, entre outros. Uma das substâncias trabalhadas, por exemplo, é a policaprolactona com óleo de citronela, que tem propriedades repelentes e antifúngicas. “A fricção com o tecido quebraria as nanocápsulas que contêm o material, liberando a substância”, explica Morisso.
Entre os parâmetros, serão analisados os polímeros (macromoléculas) certos a serem utilizados, qual o melhor solvente, quanto o material deve ser agitado, em qual temperatura, qual o PH (nível de acidez) ideal, entre outros, com o fim de desenvolver uma metodologia de preparação. Após depositado no tecido, o material nanoestruturado passará por avaliações que determinarão se ele ficou efetivamente impregnado e se possui resistência à lavagem, entre outros parâmetros. “Estamos trabalhando em escala laboratorial, que deverá ser adaptada para a escala industrial quando a tecnologia for transferida para a empresa, pois deverão ser estudados novos parâmetros”, diz o professor.
O investimento total do projeto, que foi assinado em 2014 pela então secretaria da Ciência, Inovação e Desenvolvimento Tecnológico (Scit) do estado do Rio Grande do Sul, chega ao montante de cerca de R$ 1 milhão. São parceiros a Dublauto Gaúcha e o Instituto Brasileiro de Tecnologia do Couro, Calçado e Artefatos (IBTeC). A equipe conta com 13 pessoas, entre professores, mestrandos, bolsistas de iniciação científica e apoio administrativo.
O projeto prevê a realização de várias ações para socializar os resultados obtidos na pesquisa. Entre esses, está o evento Inovação tecnológica em nanomateriais, que acontece nos dias 18 e 19 de agosto, das 18h às 22h, no auditório do prédio branco, no Campus II da Feevale (ERS-239, nº 2.755). Participarão pesquisadores de diversas instituições de ensino, profissionais e empresários da área. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas pelo e-mail eventonano@feevale.br. São apoiadores o Feevale Techpark, a Dublauto Gaúcha, o Instituto Brasileiro de Tecnologia do Couro, Calçado e Artefatos (IBTeC) e a secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia (SDECT). Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (0xx51) 3586-8800, ramal 9000, 9252 ou 8761.
Entenda a escala nanométrica
– Um nanômetro corresponde a um bilionésimo de metro – tão diminuto que beira o nível molecular.
– Os materiais trabalhados na Feevale estão compreendidos na faixa de 200 nanômetros.
– As funções que um componente apresenta na dimensão manométrica nem sempre são as mesmas que esse mesmo componente apresenta na dimensão macroscópica.

 

II Fórum de Gestão de Pessoas consolida importância do tema em Garibaldi

Município: Garibaldi

Evento aconteceu no último dia 13 de julho e reuniu 70 pessoas CRÉDITO: FERNANDA DE ANTONI FARIAS/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Evento aconteceu no último dia 13 de julho e reuniu 70 pessoas CRÉDITO: FERNANDA DE ANTONI FARIAS/DIVULGAÇÃO/CIDADES

A Associação de Pequenas e Médias Empresas de Garibaldi (Apeme), juntamente com a Bortolini Móveis, Hospital Beneficente São Pedro e Humanizare Consultoria, promoveu o II Fórum de Gestão de Pessoas de Garibaldi. O evento reuniu 70 pessoas, no último dia 13 de julho, no auditório da Bortolini Móveis. Participaram da atividade gestores de recursos humanos de empresas, entidades e instituições, empresários e estudantes.
A programação iniciou com a palestra Inteligência emocional e comunicação na condução de equipes, apresentada por Mirieli Colombo. Mirieli é fonoaudióloga, especialista em voz, especialista em dinâmica dos grupos pela Sociedade Brasileira de Dinâmica dos Grupos (SBDG), master em programação neurolinguística, coaching pela Sociedade Brasileira de Coaching (SBC), além de possuir grande experiência como instrutora e consultora. Mirieli destacou os pilares da inteligência emocional e da comunicação assertiva, além de explicar o diferente perfil que as pessoas das equipes têm e o quanto isso contribui para o sucesso das ações planejadas.
A Unimed Nordeste/RS apresentou, através da coordenadora de Gestão de Pessoas, Letícia Carra Balen, seu case premiado pela Associação de Recursos Humanos (ARH) Serrana em 2015. Letícia ressaltou as políticas e estratégias de Gestão de Pessoas, alinhadas ao planejamento estratégico e ao propósito da Unimed Nordeste/RS, que é uma das cinco maiores do Brasil.
Após o intervalo e coffee break, Gustavo Balbinot apresentou a palestra Gestão e espiritualidade. Graduado em Filosofia e Teologia, Balbinot possui especialização em Psicopedagogia do Ensino Superior e mestrado em Educação. Gustavo propôs reflexões sobre espiritualidade, a forma como conduzimos as relações e fez os participantes refletirem sobre comportamentos e atitudes e sobre as prioridades de suas vidas. O palestrante ainda apresentou canções populares e de sua autoria, tornando o momento agradável e reflexivo.
A Apeme promoverá mais uma ação focada para Gestão de Pessoas ainda em 2016. Trata-se do Seminário de Liderança Compartilhando experiências, aprimorando habilidades. O evento acontecerá no dia 1 de outubro, um sábado. A programação está sendo finalizada e em breve será divulgada. As vagas são limitadas. Outras informações podem ser obtidas pelo telefone (0xx54) 3462-2755, pelo WhatsApp 9642-6444 ou pelo e-mail projetos@apeme.com.br.