Vencedores do Concurso Anual Literário recebem premiações em Caxias do Sul

Município: Caxias do Sul

Solenidade ocorreu no café da Casa da Cultura na última semana CRÉDITO: RÓGER RUFFATO/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Solenidade ocorreu no café da Casa da Cultura na última semana CRÉDITO: RÓGER RUFFATO/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Familiares e amigos dos oito vencedores do 52º Concurso Anual Literário de Caxias do Sul se reuniram no café da Casa da Cultura para acompanhar a solenidade de premiação na noite da última quarta-feira, dia 13. A cerimônia contou com a apresentação do grupo Vocal Ampliato. O escritor Paulo Ribeiro recebeu o título de melhor obra literária – Prêmio Vivita Cartier – por O transgressor. Outros sete autores também foram premiados nas categorias de contos, crônicas e poesias.
Segundo o secretário da Cultura, Joelmir da Silva Neto, o concurso literário é um estímulo para que novos escritores se destaquem na cidade e propaguem o gosto pela leitura e escrita. “A Literatura é uma ferramenta de transformação. Então, só temos a agradecer tanto a quem se inscreveu no concurso quanto a quem trabalha nos bastidores para dar continuidade a esse prêmio, que tem o objetivo de reconhecer profissionais da escrita e instigar novos talentos”, comentou.
No total, 17 trabalhos foram inscritos para concorrer nesta edição como melhor obra e outros 62 nas categorias de textos inéditos. Os primeiros lugares de cada categoria ganharam um troféu e certificado. Os segundos e terceiros colocados receberam medalha e certificado. Já o vencedor do Prêmio Vivita Cartier recebeu troféu, certificado e uma quantia de R$ 7.723,20 em dinheiro.
O escritor Paulo Ribeiro falou em nome dos vencedores na cerimônia de premiação. “Esse livro (O transgressor) é a história da minha vida. Tive muitas dúvidas antes de publicá-lo, mas é também literatura, e isso fala mais alto. Concursos literários são fundamentais para incentivar escritores a continuarem mostrando seu trabalho, já que essa é uma oportunidade que, mais do que lucros, visa o compartilhamento, pois é feita por amor à escrita”, pontuou.
Logo após a entrega das premiações, Ribeiro e a patrona da 34ª Feira do Livro de Caxias do Sul, Rejane Romani Rech, participaram de um colóquio sobre a arte da escrita, mediado pelo bibliotecário Cássio Immig. Os textos premiados nesta 52ª edição do concurso serão reunidos em uma publicação a ser lançada em outubro, durante a Feira do Livro.
Conheça os premiados
Prêmio Vivita Cartier
Paulo Ribeiro
Contos
1º lugar: Ronaldo Velho Bueno
2º lugar: Gean Carlos de Oliveira
3º lugar: Lara Guedes Kliger da Silva
Crônica
1º lugar: Daiane Ramos Borges
2º lugar: Lara Guedes Kliger da Silva
3º lugar: Denise Werner de Oliveira
Poesia
1º lugar: Nilcéia Pereira Kremer
2º lugar: Ricardo de Marco Pereira
3º lugar: sem classificação

Escola Georgina Rosado ganha nova biblioteca em Passo Fundo

Município: Passo Fundo

Espaço ganhou decoração especial, incluindo elementos que remetem à literatura CRÉDITO: FABÍOLA HAUCH/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Espaço ganhou decoração especial, incluindo elementos que remetem à literatura CRÉDITO: FABÍOLA HAUCH/DIVULGAÇÃO/CIDADES

A leitura e a formação do leitor orientam o trabalho realizado pela equipe da direção e de professores da Escola Municipal de Ensino Fundamental (Emef) Georgina Rosado. Em função disso, um espaço muito importante está nascendo na escola: a nova biblioteca. Antes, a sala onde eram guardados os livros dividia espaço com a Sala de Recursos. Com adaptações internas, a Sala de Recursos ficou maior para atender os alunos e a biblioteca foi para outro lugar. Com o nome de Biblioteca Monteiro Lobato, a nova morada dos livros ganhou acolhimento com cores, tapetes, almofadas, quadros e painéis feitos pelos próprios alunos, além de elementos que remetem à literatura como bonecos do Visconde de Sabugosa e os óculos do Harry Potter.
Para a diretora da escola, Elizete Flores, a ideia é refletir um ambiente que liga os alunos ao mundo dos livros. “A biblioteca para a Escola Georgina Rosado é um espaço muito importante. Nossos alunos leem muito, são leitores. Isso é reflexo do ensino e do projeto da escola que formam leitores. Procuramos sempre renovar nossos livros, principalmente trazendo livros atuais, além dos clássicos”, explicou. Os livros estão separados por temáticas: fantasia, romance, clássico, infantis. Ao entrar na sala, os alunos também contam com uma prateleira em destaque que semanalmente será atualizada com livros diferentes.
A biblioteca também é um espaço lúdico e que ajuda em práticas leitoras com os alunos dos anos iniciais. “Temos um projeto, que é a Sacola Literária. Os alunos levam livros para casa, leem junto com a família e, depois, em sala de aula incentivamos que eles contem e compartilhem as histórias lidas, façam desenhos. Quando esses alunos estão nos anos finais, a leitura já é um hábito”, destacou Elizete, que ainda lembra que, na Jornada Nacional de Literatura de 2017, os alunos leram 32 livros por meio das práticas propostas.
A prefeitura de Passo Fundo, através da secretaria municipal de Educação, ajudou com parte da pintura e com os mobiliários da nova biblioteca; a outra parte da pintura, as lâmpadas e as cortinas foram feitas com recursos da própria escola. No último dia 9, durante a 43ª edição do Bairro a Bairro, realizado na Escola Georgina Rosado, no bairro Lucas Araújo, o prefeito Luciano Azevedo anunciou o investimento de R$ 600 mil para a reforma total da escola.

Feira do Livro de Gramado terá 80 atrações na programação

Município: Gramado

Cerimônia de abertura será nesta sexta-feira, às 15h, e contará com a presença do patrono Leonid Streliaev CRÉDITO: MANUELA TEIXEIRA/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Cerimônia de abertura será nesta sexta-feira, às 15h, e contará com a presença do patrono Leonid Streliaev CRÉDITO: MANUELA TEIXEIRA/DIVULGAÇÃO/CIDADES

A 22ª Feira do Livro de Gramado se inicia nesta sexta-feira, levando para a comunidade e para os visitantes 80 atrações em sua programação, que vai se dividir entre a Rua Coberta da cidade e ações descentralizadas nos bairros e nas escolas. Além disso, a Rua Coberta receberá também 17 expositores e contação de histórias, oficinas, apresentações culturais, lançamento de livros e bate-papo com escritores. A estimativa da organização é de que 75 mil pessoas prestigiem o evento.
A Cia. Lisi Berti, a Faces Produções, o Grupo Só Rindo e o ator Rodrigo Bach farão intervenções teatrais, trazendo a literatura de maneira diferenciada ao público. Já as ações descentralizadas têm o foco de levar a cultura e a literatura para os bairros e ocorrerão nas escolas da rede de ensino, no Centro de Cultura da Várzea Grande e na Biblioteca Pública Municipal Cyro Martins. A cerimônia de abertura será às 15h de sexta-feira, e contará com a presença do patrono Leonid Streliaev, de autoridades do município e terá a apresentação do Travelling Souls Duo, com Ástrid e Leandro Godoi.
Ao longo dos 10 dias de feira, várias atividades terão o patrono Streliaev como protagonista. Com 68 anos e 17 livros publicados, o jornalista, fotógrafo e editor de livros de arte escolheu Gramado para residir há 12 anos, montar sua própria editora e desenvolver seus principais projetos profissionais. “Vim de Porto Alegre para fazer o primeiro livro de Gramado e fui ficando, constituí família. É um lugar diferenciado e muito agradável, onde tu pode encontrar colonos e pessoas simples na rua. Vista pela ótica de marketing, Gramado é cidade conceito. Por uma ótica mais lúdica, ela é uma colônia ainda”, afirma.
Como patrono, seu primeiro ato foi doar 403 exemplares do livro Gramado Brasil (com imagens dele e textos de Luis Fernando Verissimo) para as salas de aula dos colégios do município. Fotógrafo sul-realista, como se autodenomina, Streliaev gosta de retratar realidades sociais, lugares, pessoas e documentar o Rio Grande do Sul.
A Feira do Livro é organizada pela prefeitura, por meio da secretaria da Cultura e conta com o patrocínio do Banrisul, parceria master do Serviço Social do Comércio (Sesc) Gramado e como parceiros a Universidade de Caxias do Sul (UCS) – Região das Hortênsias, Universidade Norte do Paraná (Unopar), Shopping da Construção Gramado, Hortênsias – Água Mineral Natural, Gottschalk – Floricultura e Paisagismo, Restaurante Bella Gramado, Sinoscar, Villa Bertti, Sindicato das Indústrias do Mobiliário da Região das Hortênsias (Sindmóbil), Restaurante Linha Bella, Pousada Xixo Escultura, Restaurante Pouso Novo, Matería Capitão Rodrigo, Bazar e Papelaria Arco-Íris e Gramadotur.

Atrações exclusivas são opções de turismo de inverno na Serra Gaúcha

Município: Serra Gaúcha

Cidades oferecem diversas atividades para a estação, que se inicia no próximo dia 21 CRÉDITO: GIORDANI TURISMO/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Cidades oferecem diversas atividades para a estação, que se inicia no próximo dia 21 CRÉDITO: GIORDANI TURISMO/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Um dos principais destinos turísticos do País, a Serra Gaúcha atrai, especialmente durante o inverno, milhares de pessoas que buscam opções de lazer para aproveitar as baixas temperaturas da estação. Com atrações exclusivas e roteiros elaborados para a temporada de inverno a região Uva e Vinho – que contempla, entre outras, as cidades de Bento Gonçalves, Garibaldi, Carlos Barbosa, Pinto Bandeira e Flores da Cunha – é destino para viagens em família, grupos e passeios românticos.
Roteiros de diversão, visitas a pontos turísticos, passeios com resgate cultural e histórico, cantinas e vinícolas ao alcance dos olhos em qualquer direção, e parques de aventura com esportes radicais em meio a natureza estão entre os prazeres da região. Um dos mais tradicionais passeios da região é o de Maria Fumaça – Trem do Vinho, que existe desde 1992 e já foi cenário de filmes como O quatrilho e O filme da minha vida. Ao longo dos 23 quilômetros da estrada de ferro que liga as cidades de Bento Gonçalves, Garibaldi e Carlos Barbosa, os passageiros contemplam as paisagens locais – por vezes coberta com geada ou neve -, assistem e participam das atrações culturais que percorrem os vagões e ainda degustam sucos, vinhos e espumantes nas Estações Férreas de Garibaldi e Bento Gonçalves. Durante o inverno, o passeio chega a acontecer de quatro a seis vezes por dia.
A boa gastronomia e a tradição vitivinícola deixada pelos imigrantes italianos – principais colonizadores da região – podem ser conhecidas em passeios pelo Vale dos Vinhedos, Vale do Rio das Antas, Caminhos de Pedra e Altos Montes em Flores da Cunha. São roteiros que visitam empreendimentos diversos, do pequeno produtor rural e vinícolas familiares, a marcas reconhecidas internacionalmente, que promovem passeios guiados pela propriedade e pela área de produção. Em alguns locais, além de conhecer o processo de elaboração das bebidas, o visitante pode optar por workshops de degustação, harmonização, ou até mesmo saborear uma refeição tipicamente italiana.
Sabores da serra é lançamento deste inverno
Para este inverno, a operadora da região Giordani Turismo lança mais uma opção de passeio. Sabores da serra é um roteiro que une a tradição vinícola da região a uma das paixões do gaúcho: o churrasco. O roteiro se inicia com uma visita a Vinícola Salton, no Vale do Rio das Antas, com degustação harmonizada de cinco rótulos. Em seguida, o visitante conhece o Haras Recanto do Gaúcho, onde será recebido com um típico churrasco, ou costelão, feito na vala, com o tradicional fogo de chão e música típica ao vivo, e, aos mais aventureiros, o local disponibiliza, à parte, passeios a cavalo. O Sabores da Serra será oferecido até 4 de agosto de 2018, e o valor individual é de R$ 220,00.

Projeto de extensão da Univates enfoca a saúde de crianças em Lajeado

Município: Lajeado

Inicialmente, ação é desenvolvida em escola estadual do município CRÉDITO: NICOLE MORÁS/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Inicialmente, ação é desenvolvida em escola estadual do município CRÉDITO: NICOLE MORÁS/DIVULGAÇÃO/CIDADES

A extensão universitária compreende um conjunto de ações contínuas e planejadas que visem ao desenvolvimento educativo, social, cultural, científico ou tecnológico das comunidades que mantêm relação com a universidade, de forma que haja troca de saberes. Na Universidade do Vale do Taquari (Univates), atualmente são realizados 19 projetos de extensão, dos quais seis tiveram início em abril, como o Projeto Ações interdisciplinares para o cuidado, prevenção e promoção à saúde da criança. O objetivo do projeto é trabalhar de forma lúdica o conceito de saúde e de higiene com crianças de seis a 10 anos da Escola Estadual de Ensino Fundamental Moisés Cândido Veloso, de Lajeado, e, assim, buscar diminuir a incidência de doenças parasitárias e infectocontagiosas entre as crianças atendidas.
Na última sexta-feira, dia 8, na segunda visita à escola, a equipe do projeto apresentou uma história de fantoches aos alunos do 1º e 2º ano do Ensino Fundamental sobre os cuidados que devem ser tomados na ingestão de alimentos e as crianças viram parasitas como tênias em meios de conservação. Os pequenos também foram instigados a desenhar como imaginavam que eram os micro-organismos que foram coletados das mãos dos estudantes na primeira visita. Em seguida, eles puderam conferir placas nas quais os micro-organismos se desenvolveram em meios de cultura.
De acordo com a coordenadora do projeto, professora Andréa Horst, a escolha por crianças se dá em razão da facilidade de aprendizagem. “A ideia é trabalhar a conscientização com os pequenos e que eles possam ser multiplicadores em suas famílias, pois sabemos que as crianças fiscalizam e cobram a atitude dos adultos”, avalia ela.
Para isso, serão abordadas questões como a importância de se lavar as mãos, boas práticas para escovar os dentes e higienização de alimentos. Os conteúdos são trabalhados por meio de músicas, teatros, jogos e outros recursos lúdicos, sempre com uma dupla de estudantes de graduação atendendo até 10 crianças e sob supervisão de um professor da Univates. Também serão trabalhadas cartilhas didáticas, que as crianças poderão levar para casa para que os familiares também sejam beneficiados.
Além da conscientização, a coordenadora do projeto destaca que as doenças parasitárias e infectocontagiosas são os principais motivos de falta por motivo de saúde nas escolas, o que impacta também a organização familiar e a economia. “Uma criança doente faz com que a família precise se reorganizar para ver quem ficará cuidando dela, por exemplo, já que essas doenças são transmissíveis e poderiam ser contraídas por outras crianças. Muitas vezes, cabe aos pais fazer o acompanhamento dessa criança, o que afasta o adulto do trabalho”, analisa.
Outro efeito das doenças nas crianças é que elas podem afetar o desenvolvimento cognitivo, o qual pode ser percebido, às vezes, anos depois do diagnóstico e mesmo que tenha sido feito tratamento. “É possível observar casos de déficit de atenção, alteração no crescimento, problemas que no futuro podem atrapalhar a criança”, acrescenta a coordenadora.
Conforme Andréa, as visitas na escola ocorrem nas sextas-feiras, a cada três semanas. “Os acadêmicos passam por capacitações e, no período entre as visitas, discutem as temáticas e as abordagens a serem utilizadas. Em um segundo momento, vislumbra-se a realização de um evento com as famílias, para que elas conheçam o projeto e possam ser nossas parceiras. Além disso, estão previstos exames parasitológicos, por exemplo, para que as crianças da escola sejam avaliadas clinicamente”.
Segundo a coordenadora, os voluntários irão participar das ações vestidos de jalecos caracterizados com temáticas infantis e da saúde, não apenas para que eles possam ser identificados, mas também para desmistificar o uso do jaleco em ambientes como hospitais. Em relação à formação dos estudantes de graduação que participam do projeto, Andréa destaca a possibilidade de aprofundar os conteúdos das disciplinas das áreas de parasitologia e imunologia. “Eles estarão em contato com práticas de humanização em saúde, já que muitas vezes terão contato com realidades diferentes das que eles vivem e serão desafiados a trabalhar com diferentes públicos, o que exige abordagens diferenciadas.”
De início, participam das atividades do projeto estudantes dos cursos de Biomedicina e Medicina da Univates e, conforme as atividades forem expandidas para outras escolas, acadêmicos de outros cursos poderão participar. Mais informações podem ser obtidas pelo e-mail saude.infancia@univates.br.