Mudanças no trânsito de Sapiranga aumentam segurança da comunidade

Município: Sapiranga

Algumas sinalizações feitas através de pinturas no chão foram revitalizadas CRÉDITO: PREFEITURA MUNICIPAL DE SAPIRANGA/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Algumas sinalizações feitas através de pinturas no chão foram revitalizadas CRÉDITO: PREFEITURA MUNICIPAL DE SAPIRANGA/DIVULGAÇÃO/CIDADES

A secretaria municipal de Segurança Pública e Mobilidade Urbana vem realizando mudanças no trânsito da cidade desde abril, com o objetivo de melhorar o fluxo de trânsito e dar mais segurança em pontos mais críticos. As alterações, segundo a secretária responsável pela pasta, Janete dos Santos, e o chefe da Guarda Municipal de Trânsito, Sidnei Soares, foram feitas após estudos dos trechos, que constataram a necessidade de uma reorganização do trânsito no local. São lombadas, rotatórias e sinalização horizontal modificadas e construídas pelas equipes da secretaria.
Nos últimos 30 dias, foram instaladas 71 novas placas de sinalização de advertência no trânsito e de paradas de ônibus. Muitas substituíram as 32 placas de sinalização que foram retiradas, a maioria pichada ou já deteriorada pelo tempo. Também foram feitas diversas pinturas de sinalização de faixa de pedestres e de lombadas nos bairros São Jacó, Sete de Setembro, Amaral Ribeiro, Voo Livre e na área central da cidade. As equipes agora estarão fazendo trabalhos nos bairros Oeste e Sete de Setembro.
No bairro São Luiz, a rua Visconde de Pelotas foi uma das vias que recebeu novas rotatórias nos trabalhos entre os meses de abril e maio. Foram duas instaladas no local, sendo uma nova rótula no cruzamento com a Independência e outra revitalizada na ligação com Liberato Salzano Vieira da Cunha. As novas rótulas estão em funcionamento desde 28 de abril. Segundo Soares, estes locais já passaram por estudo feito pela engenharia de trânsito da secretaria, que constatou a necessidade de melhor ordenamento, pois seguidamente os agentes de trânsito eram chamados para atender a ocorrências.
Novas lombadas são instaladas
Além das rotatórias, seis novas lombadas também foram instaladas, seguindo com o projeto iniciado em dezembro do ano passado pela secretaria de Segurança Pública e Mobilidade Urbana. Os novos redutores de velocidade foram colocados na avenida Vinte de Setembro, próximo à Unidade de Saúde Especializada (USE), com duas lombadas instaladas. “Esse é um local de diversos acidentes e de difícil acesso de pessoas com dificuldade de locomoção” pontuou o chefe da guarda de trânsito. Também foram instalados quebra-molas na avenida 20 de Setembro, próximo ao Centro Municipal de Educação Ayrton Senna, onde, segundo Soares, a constante travessia de crianças motivou a lombada; na rua Mané Garrincha, no cruzamento com a rua Primeiro de Agosto; na rua Lauro Rodrigues, que foi solicitada pela comunidade e para combater os diversos rachas feitos por condutores no local; e na rua Rubens Danilo Gehardt, também atendendo uma solicitação da comunidade local.
Algumas sinalizações feitas através da pinturas no chão também foram refeitas, sendo que a pintura mais recente foi realizada em maio, quando as equipes de pintura da secretaria revitalizaram e alteraram a configuração da sinalização entre a avenida 20 de Setembro e a rua Alberto Schmidt, local onde muitos condutores desrespeitavam a rotatória. No trecho, foi executado um estreitamento de pista, orientando os motoristas quanto ao tráfego pra quem entra na rótula, segue na avenida 20 de Setembro e converte à direita em direção a avenida Mauá. “Em todos estes locais foram feitos diversos estudos e constatações de que realmente era necessário ser feito algo para diminuir a velocidade dos veículos pois isto vinha sendo a causa de diversos acidentes”, explicou Soares.

 

Orientações sobre a coleta seletiva é tema de encontro em Palmeira das Missões

Município: Palmeira das Missões

Serviço terá início no próximo dia 1 de julho na região central do município CRÉDITO: PRISCILA DEVENS/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Serviço terá início no próximo dia 1 de julho na região central do município CRÉDITO: PRISCILA DEVENS/DIVULGAÇÃO/CIDADES

No último dia 21, a prefeitura recebeu secretários municipais, funcionários, vereadores, presidentes e representantes de entidades e imprensa local para a divulgação da coleta seletiva do lixo – que se inicia no dia 1 de julho. O objetivo do encontro foi ampliar cada vez mais o conhecimento a respeito da coleta seletiva e como ela deve funcionar.
Durante a atividade, o prefeito Eduardo Russomano Freire salientou sobre a importância da separação do lixo e sua destinação correta, além da obrigatoriedade da implantação deste serviço, previsto pela Lei Federal nº 12.305/2010. “É importante que cada um repasse esta informação, pois todos os lares e estabelecimentos precisam se adequar e separar o lixo. Neste primeiro momento, será para a área central da cidade, mas nada impede que todos façam a sua parte, independente de onde residam ou trabalhem”, observou o prefeito.
O auxiliar administrativo da empresa Simpex, Roberto Oliveira Almeida, explicou como será executada a coleta, sendo que na região onde a coleta seletiva será implementada inicialmente – toda a extensão da avenida Independência e demais ruas do centro conforme mapa (foto) – o caminhão do lixo passará no horário entre às 20h e às 2h. Portanto, o recomendado é que o morador ou comerciário deposite seu lixo nas lixeiras próximo a este horário.
Outro detalhe que a comunidade precisa prestar atenção é para os dias específicos de cada tipo de lixo. Todas as segundas, quartas e sextas-feiras será recolhido apenas o lixo seco. Já nas terças e quintas-feiras e aos sábados e domingos será recolhido o lixo orgânico. Lembrando que, se o lixo que estiver misturado ou depositado no dia errado, não será levado pela empresa.
Em alguns pontos específicos da região central, a prefeitura instalará pares de contêineres, amarelos para o lixo seco e marrons para o lixo orgânico. Nas ruas restantes, o morador ou comerciário, poderá deixar os sacos de lixo nas lixeiras habituais, ressaltando para o cuidado com o dia correto para cada tipo de lixo.
No lixo seco, deve-se descartar papel, plásticos, metais e vidros – desde que devidamente acondicionados, sem oferecer riscos ao trabalhador que recolhe o lixo. Lembrando que não é necessário separar por categorias, por exemplo, uma lixeira para papel, outra para metais, entre outros. Todos os materiais recicláveis podem estar dentro da mesma lixeira. O lixo orgânico é destinado para restos de alimentos, erva-mate, filtros e borras de café e chá, considerados lixo unido. Enquadram-se como lixo orgânico os rejeitos, que são papel higiênico, fraldas descartáveis, esponjas, papel carbono, guardanapos, fitas e etiquetas adesivas.
A empresa Simpex ressaltou, ainda, que a coleta seletiva refere-se unicamente ao lixo doméstico, ou seja, itens como isopor, lâmpadas, pilhas e baterias, bem como entulhos de construção e podas não serão recolhidos pela empresa. Em breve, será divulgado um contato 0800 da empresa, que será o canal para a comunidade solucionar dúvidas, denunciar irregularidades, entre outros. Além disso, será instalado rastreamento nos veículos de coleta de lixo, constantemente fiscalizados pela Simpex e pela prefeitura, com o objetivo de observar o bom funcionamento do serviço.
Segundo estudo realizado para elaboração do Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos, anualmente, na cidade são produzidos 11,3 toneladas de lixo domiciliar e comercial, sendo destes, 56% de lixo seco, 18% de lixo orgânico 15% de lixo verde e 11% de rejeitos.

 

Biblioteca da URI Erechim recebe doação de enciclopédias da Alemanha

Município: Erechim

Os 23 volumes foram editados entre 1906 e 1909 na língua alemã CRÉDITO: URI ERECHIM/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Os 23 volumes foram editados entre 1906 e 1909 na língua alemã CRÉDITO: URI ERECHIM/DIVULGAÇÃO/CIDADES

A biblioteca da URI foi a escolhida para abrigar duas coleções de obras vindas da Alemanha. Os livros foram doados pelo italiano Giorgio Corradi, nascido em Cremona, mas radicado em Erechim desde 1935. As enciclopédias Brochaus e Miners, totalizando 23 volumes, foram editadas entre 1906 e 1909 na língua alemã.
Corradi informou que as obras foram adquiridas pelo casal Valentim Gauer Sobrinho e Rosalina Schonz Gauer, filhos de alemães que residiam na cidade desde 1918, quando vieram de Santa Maria. Eles falavam alemão fluentemente e, por isso, adquiriram os livros. Valentim faleceu em 1954 e Rosalina faleceu em 1957.
As obras estavam na residência do casal, que se dedicava à produção madeireira, nas proximidades do Parque dos Viajantes, próximo ao aeroporto da cidade. Após o falecimento do casal, os livros passaram para o filho Teodoro, que era tio da esposa de Giorgio Corradi, dona Helena. Um forte temporal acabou destruindo a casa e o que restou foi recolhido, inclusive as obras que estavam protegidas com uma embalagem original, segundo Corradi.
Para ele, “as obras precisam estar bem protegidas, por isso escolhi a URI, considerada o melhor destino possível”, explicou. Estavam presentes ao ato de doação das coleções o diretor-geral do campus, Paulo José Sponchiado; a diretora acadêmica Elisabete Maria Zanin; e a bibliotecária Sandra Vieira. Os livros farão parte do setor de obras raras da biblioteca da Universidade.

 

Festival Sabores da Colônia segue até domingo em Nova Petrópolis

Município: Nova Petrópolis

Evento tem entrada gratuita e pode ser conferido das 9h às 17h30min CRÉDITO: ROBERTA BRATZ /DIVULGAÇÃO/CIDADES

Evento tem entrada gratuita e pode ser conferido das 9h às 17h30min CRÉDITO: ROBERTA BRATZ /DIVULGAÇÃO/CIDADES

A 3ª edição do Festival Sabores da Colônia foi oficialmente aberta no último sábado, dia 18 de junho, no Parque Aldeia do Imigrante. O evento conta com programações culturais, gastronomia típica, jogos germânicos, cervejarias artesanais e brincadeiras de antigamente, que resgatam as tradições e valorizam os pequenos produtores do município.
O prefeito Regis Luiz Hahn, tipicamente trajado, destacou a importância do evento. “Expositores e comerciantes que têm negócio dentro do atrativo estavam ansiosos por este evento e, em 2013, demos início ao Festival Sabores da Colônia, que hoje chega à sua 3ª edição”, disse Hahn. O prefeito também citou outros pontos, como o crescente número de visitantes no Parque Aldeia do Imigrante, os prêmios de gestão e transparência, novos programas em diferentes setores da administração pública, reconhecimento na Educação, aumento nos repasses financeiros a entidades locais e a saúde financeira do município. “Enfim, tenho muito orgulho em dizer que não nos faltam motivos para comemorar”, declarou o prefeito.
O deputado estadual Elton Weber, representando a presidente da assembleia legislativa do Rio Grande do Sul, deputada Silvana Covatti, enalteceu a hospitalidade da cidade. “Qualquer momento é propício para visitar o município. Nós sempre temos algum evento acontecendo. Temos os restaurantes e cafés coloniais. Temos excelentes hotéis e pousadas. Nossa hospitalidade é nossa marca registrada”, enfatizou Weber. O presidente da câmara municipal de vereadores, Charles Eloir Lüdke Paetzinger, também destacou a importância do Festival Sabores da Colônia em seu pronunciamento durante a abertura oficial.
Em sinal de reconhecimento, valorização e respeito aos produtores do município, o secretário municipal de Turismo, Indústria e Comércio, Paulo Roberto Staudt, utilizou um chapéu de palha e enalteceu o trabalho que é feito em conjunto, em equipe. Segundo o secretário, a expectativa de público para o evento é de aproximadamente 50 mil pessoas.
Junto à abertura do Festival Sabores da Colônia, foi inaugurada a Casa do Folclore. Trata-se de um espaço que retrata a história do folclore em Nova Petrópolis, por meio dos grupos de dança alemã, trajes típicos, rainhas e princesas e pelo Festival Internacional de Folclore. Fotos dos presidentes da Associação dos Grupos de Danças Folclóricas Alemãs de Nova Petrópolis (Agdfa-NP), de todas as cortes do Folclore Alemão, dos reis e rainhas infantis, coroas das soberanas, cartazes de festivais e objetos deixados por grupos que se apresentaram no palco do Festival Internacional de Folclore estarão expostos na casa que integra a Aldeia Histórica do Parque Aldeia do Imigrante.
Autoridades civis, políticas e militares; cortes de soberanas do Festival Internacional de Folclore, da Festa do Figo e do Kerb in Tannenwald; lideranças comunitárias; e representantes de entidades organizadas participaram da abertura oficial. O público também lotou o atrativo turístico no primeiro fim de semana do evento, quando o 3º Festival Sabores da Colônia teve diversas atrações. Apresentações culturais, bandinhas típicas, Banda Municipal, Orquestra de Sopros, grupos de danças folclóricas e muita gastronomia marcaram o fim de semana ensolarado. Os jogos germânicos, com as provas de pregar o prego e chope em metro divertiram adultos. As crianças aproveitaram a equipe de recreação infantil e brincaram com jogos de antigamente.
O Festival Sabores da Colônia prossegue até domingo, dia 26 de junho, e pode ser prestigiado desta quinta-feira até o dia do encerramento das 9h às 17h30min. O evento é aberto ao público e tem entrada gratuita. O Festival Sabores da Colônia é uma promoção da Associação de Bandas e Conjuntos Musicais de Nova Petrópolis e prefeitura municipal, por meio da secretaria de Turismo, Indústria e Comércio. O evento conta com patrocínio de Piá e Sicredi e com o apoio da Associação Rota Romântica, Banco do Brasil, Casa Cooperativa e Fundo de Turismo. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (0xx54) 3281-1222.
Revitalização da Praça dos Brinquedos será inaugurada
A administração municipal irá inaugurar a revitalização e obra de construção dos banheiros públicos realizada na Praça Adolfo Haas, conhecida como Praça dos Brinquedos. A cerimônia ocorre neste sábado, dia 25 de junho, às 10h, na sede da praça, localizada entre as ruas Cel. Alfredo Steglich, Dom Pedro II e Padre Amstad. Na oportunidade, ocorrerá ainda o lançamento do Projeto A Praça é Nossa, com a disponibilidade de internet livre, em parceria com a empresa Bitcom Internet, na Praça das Flores, no Parque Aldeia do Imigrante, na Torre de Informações, na Praça dos Brinquedos e na Praça dos Pinheiros, no bairro Pousada da Neve.
De acordo com o projeto, elaborado pela secretaria municipal de Planejamento, foram construídos dois banheiros masculinos, mais dois mictórios, além de três banheiros femininos e um para pessoas com deficiência. A obra conta ainda com dois fraldários, instalados nos banheiros feminino e masculino. A construção tem 8,5 metros de comprimento por 3,5 metros de largura e uma área total de, aproximadamente, 30 metros quadrados. O investimento total, em recursos próprios, será de R$ 59.000,00.

 

Alunos de Passo Fundo recebem o artista Manu Maltez no Livro do Mês

Município: Passo Fundo

Atividade aconteceu no último dia 16 de junho, no Teatro do Sesc CRÉDITO: FABÍOLA HAUCH/DIVULGAÇÃO/CIDADES

Atividade aconteceu no último dia 16 de junho, no Teatro do Sesc CRÉDITO: FABÍOLA HAUCH/DIVULGAÇÃO/CIDADES

“Na relação difícil do homem com a cidade, um afiando e outro desgastando, buscando no desequilíbrio, às vezes um risco, acho isso bonito. Vem daí o Desequilibristas”. Assim, o artista Manu Maltez iniciou um dos seminários do Projeto Livro do Mês, para falar sobre como surgiu o seu livro, Desequilibristas, lançado pela Editora Peirópolis e que traz textos e desenhos a nanquim que retratam a relação de Maltez o com a cidade, os espaços públicos e o skate. O encontro aconteceu no dia 16 de junho, no Teatro do Sesc.
Paulistano, graduado em música, Maltez é contrabaixista, compositor e intérprete, além de artista plástico, escritor e cineasta. O artista transita entre o texto, a imagem, a música e o skate, paixão que vem da infância e resultou na obra. “É um reencontro com a minha infância e juventude, na década de 1980, quando o skate era algo novo e as pessoas nem sabiam como chamar. Era algo marginalizado, dos desequilibrados”, disse Maltez. A ideia para o livro veio depois que o autor retomou com mais frequência os altos e baixos das pistas de skate.
O livro mobilizou os alunos das escolas municipais, que esperavam ansiosos saber mais sobre um mundo diferente, nem tão equilibrado. Para a aluna da Escola Municipal de Ensino Fundamental Frederico Ferri, Ana Beatriz, de 9 anos, o livro se tornou um dos seus favoritos. “O livro é muito bom, fala sobre os skatistas que, muitas vezes, são vistos de uma maneira ruim, mas eles são como a gente. O que mais gostei foi quando ele falou em remar sempre”, contou.
A diretora da Escola Frederico Ferri, Rosicler Rosso Atolini, aprova o projeto. “O Livro do Mês é excelente! Incentiva muito a leitura, e é diferente quando eles leem a obra e sabem que irão encontrar e conversar com o autor. Os alunos leem mais empolgados”, afirmou. Participaram do Livro do Mês de junho as escolas de Ensino Fundamental Daniel Dipp, Eloy Pinheiro Machado, Frederico Ferri, Leão Nunes de Castro e Senador Pasqualini. Por fim, Maltez deixou um recado ao público: “Tem tantas coisas preciosas na infância e juventude que não devemos perder, muitas vezes vamos endurecendo, é preciso resgatar certas coisas”.
O Livro do Mês é um projeto da Universidade de Passo Fundo (UPF), através do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas (Ifch) – Curso de Letras, do Programa de Pós-Graduação em Letras (Ppgl) e do Centro de Referência de Literatura e Multimeios – Mundo da Leitura. O projeto tem parceria com a prefeitura e apoio do Sesc Passo Fundo e editoras dos autores convidados. A realização do Projeto Livro do Mês tem como finalidade a consolidação do processo de formação de leitores, desencadeado há cerca de 30 anos a partir da realização das Jornadas Literárias, fazendo parte do Projeto de Movimentação Cultural Permanente da Capital Nacional da Literatura.